Votando às origens

Outro dia o caçula “acusou-me” de dar mais atenção ao Facebook, que ao blog.
Nego! Distanciei-me dos dois, indiscriminadamente, por falta de tempo. Mas, sabe aquela mãe que trabalha fora e não esquece do filho, em casa? Essa, não sou eu!…
O blog completou 3 anos de existência(quase um adolescente, nesse meio virtual!), no último dia 29. “Fez aniversário e a mãe, nem lembrou!”: renderia título de filme melodramático.
Embora admita falhas, já passei da “fase estressar”: dou conta do que posso e, sei que me esforço para tal. Mas nesses 3 anos, passei por muitas:
Fase do coelho- produzindo freneticamente, às vezes, postando até mais de uma vez por dia.
Fase da angústia existencial-“será que sou visível na blogsfera?”
Fase da insegurança-“não sou tão bom quanto fulana…”
Fase da culpa-“não dou conta!”
Fase da aceitação-“Devo, não nego. Pago, quando puder!”(Não sei, se seria um sinal de “maturidade virtual”.)
Espero nunca chegar à “fase de acomodação”. Manter um blog atualizado é trabalhoso, só não justifica “deitar em berço esplêndido” e, relaxar.
Então, mesmo que atrasado, enquanto houver inspiração para inspirar: vida longa ao blog! ( E a todos que nos inspiram, todos os dias! Amém!)

Falando em inspiração, casa e decoração há tempos não apareciam por aqui. Voltemos às origens:
O que chamou minha atenção esses dias foi um aconchegante hotel, com cara de casa, no centro histórico de Lisboa:
Baixa House, via Remodelista.
O prédio é do Século XVIII, construído logo após o terremoto que devastou Lisboa, em 1755.
Ficheiro:1755 Lisbon earthquake.jpg
“Gravura em cobre de 1755 mostrando Lisboa em Chamas e o tsunami varrendo o porto.”

Recentemente passou por uma reforma que lhe deu ares contemporâneos, preservando o charme histórico da edificação.
São 2 a 3 apartamentos por andar, com: sala, quarto, cozinha e até varanda. Cada um, tem nome de jardim.
A decoração é simples, despojada: mistura móveis garimpados em mercado de pulgas com peças de design. Há também detalhes do artesanato e cultura portuguesa, como azulejos e tapetes de tear.
Gostei do frescor dos quartos: muita luz natural, paredes e piso de madeira claros, almofadas e tapetes coloridos, papéis de paredes floridos de inspiração vintage, enfim, uma mistura elegante.

A seguir, um “sneek peek” pelos apartamentos(para mais detalhes, fotos e informações, visitar o link do hotel):
“Apartamento Belem”


“Fronteira”

“Alorna”

2° piso-“Estrela”



“Jerônimo”


3° piso-“Necessidades”



4° piso-“Eduardo VII”


“Gulbenkian”


5° piso-“Príncipe Real”


“Ultramar”


Leia Mais