O verão promete…

Reaparecendo, em versão “navy”:
DSC02927DSC02903
Blusa de crepe
Calça: Dudalina
Sapato: UZA
Bolsa: Uncle K
Uma boa opção para usar calça jeans no trabalho é optar por um modelo sem muitos detalhes, de corte reto, ou alfaiataria e de cor escura.

Dia de folga e calor, enfrentado com regata e saia alegrinha:
DSC02965DSC03003
Regata de malha
Saia estampada
Snadália: UZA
Bolsa feita por minha mãe
DSC02988
Novamente o jeans escuro, com casaqueto fresh e acessórios dourados:
DSC03027DSC03030
Casaqueto: Leeloo
Regata de malha: Cantão
Calça: Dudalina
Scarpin: Sacada
Vestidos fluidos acrescentam feminilidade:
DSC03055DSC03057
Vestido de crepe: Laranja Lima
Cap toe: Luíza Barcelos
O scarpin transparente com ponteira valoriza os pés e é um destaque da estação: praticamente todas as grandes marcas de sapato fizeram sua própria versão. Escolha a sua. A minha já garanti:
DSC03045
Não disse que gosto de vestidos?
DSC03080DSC03135
Sandália: AREZZO
Bolsa: Portfolio
Mas é só trocar por um jeans skinny poderoso, para a menininha transformar-se em mulherão:
DSC03191DSC03217
Regata de seda: Alphorria Cult
Calça: DTA
Sandália e carteira: Schutz
Regatas pedem braços em forma, portanto, vale perguntar: “espelho, espelho meu…”
O top de renda estava guardado há mais de 1 ano; nunca tivera coragem de usar: achava que mostrava muito. O calor encorajou-me, mesmo detestando expor a marca deixada pelo top de corrida( apesar do protetor solar):
DSC03233DSC03235
Top de crepe e renda
Calça: DTA
Scarpin: Capodarte
Chanel foi castrada, semana passada. A primeira noite do pós-operatório imediato foi simplesmente sinistra: não preguei o olho, de tão agitada que ficou! Mas recuperam-se muito rápido e já está toda serelepe, novamente.
DSC02936

Leia Mais

Acelerando as turbinas


Quando o filho do meio viajou pra Alemanha, em janeiro, pensei no quanto seria demorado esse ano, longe dele. De fato, fácil não foi, principalmente, nos 3 primeiros meses. Às vezes a saudade apertava tanto, que só me restava chorar. Aos soluços.
Mas, e não é que 2012 tá chegando ao fim? Passou correndo, como o mais novo tricampeão mundial de F1, por coincidência, um alemão.
Assim é que, uma semana tem sucedido a outra, em ultrapassagens de tirar o fôlego.
O lado bom disso: tá explicado. O lado ruim é que o tempo tem corrido mais que eu.
Deixando as desculpas de lado, vamos aos looks.
Vestido de jersey, para um sábado estampado:
DSC02284DSC02294
Vestido de jersey: Shop 129
Clutch: Melissa-Isabela Capeto
Sandália: AREZZO
Pra começar uma semaninha mais básica:
DSC02334DSC02339
Bata de malha: Cheklist
Calça: Cantão
Bolsa: Uncle K
Sandália: AREZZO
(Acho que já deu pra perceber o quanto gosto dessa sandália, perfeita para alongar baixinhas, como eu: cor nude, salto, dorso do pé exposto.)

DSC02354DSC02379
Camisa: ELLUS
Saia lápis
Bolsa: Uncle K
Sandália: Shutz
DSC02383
Porque eu amo roupa de mocinha!
DSC02390DSC02400
Vestido de crepe
Bolsa: Portfolio
Sandália: AREZZO
Dia de folga:
DSC02432DSC02453
Camisa de linho
Bermuda: Dopping
Bolsa: Uncle K
Rasteira de purpurina: Cantão
Combinação delicada:
DSC02471DSC02498
Regata de crepe
Saia: Antix
Clutch: Melissa-Isabela Capeto
Scarpin: Carmen Steffens
DSC02501
Mais saia:
DSC02548DSC02566
Regata de malha: ELLUS
Saia: Dress to
Bolsa: Portfolio
Sapato: UZA
Jeans e bege, combinação clássica:
DSC02595DSC02596
Camisa jeans: Levi’s
Calça: Cantão
Bolsa: Uncle K
Sapato: UZA
Bolsa com estampa de quadrinhos, para equilibrar a sisudez do verde militar:
DSC02632DSC02639
Chemisie
Open boot: Jorge Bischoff
Bolsa: Quilts são Eternos
Uma tendência para o verão: a roupa de academia deve ganhar as ruas, em versão mais arrumadinha. Como neste short, com amarração na cintura:
DSC02656DSC02685
Regata de seda
Short de seda: Açúcar Moreno
Rasteira de purpurina e bolsa: Cantão

Semana passada, no Mais Você, a Ana Maria Brega( ops!) Braga deu dicas de como usar short neste verão. Dicas, que venho aplicando há tempos. Convém lembrar:
Shorts e bermudas são bem-vindos, na estação mais quente do ano porém, que se adequem à situação: em ambiente de trabalho( a menos, que tenha a sorte de trabalhar à beira-mar), por motivos óbvios, não são muito adequados.
Pernas precisam estar em forma.
Combata o ressecamento com um bom creme.
Short+salto= alonga a silhueta. Com rasteira, ou sapatilhas compõem um visual mais descontraído.
Pernas mais grossas pedem um número maior de manequim. Além de parecerem mais longas, nada mais vulgar que shorts ou bermuda justas demais.
Um exemplo, pra deixar mais claro, do site Vou de Marisa:

O mesmo modelo de short, a mesma modelo, mas a diferença de proporções fica patente.

Tubinho branco, indo e vindo:
DSC02721DSC02707
Vestido de linho: Redley
Bolsa: Dumond
Sandália anabela: UZA

Navy e mullet:
DSC02763DSC02748
Blusa e saia( mullet) de crepe
Sandália: AREZZO

Uma prova de que, mesmo baixinhas como eu podem usar vestidão:
DSC02808DSC02834
Vestido jeans: Hering
Sandália anabela: UZA
Bolsa: Colcci
Cor única, cintuta alta e salto alongam as pernas.

Uma peça, que acho difícil de usar: calça skinny.
Mulheres de exuberantes formas e coxas grossas devem usar com cuidado: podem parecer um embutido de carne. Uma blusa mais soltinha, na parte de cima, ajuda a equilibrar a silhueta. E, não pode faltar: um bom salto!
DSC02864DSC02874
Blusa: Cantão
Calça de veludo cotelê
Sandália: AREZZO
Bolsa: Colcci

Comecei falando do assunto e termino, da mesma forma: filho já tem data pra chegar, de férias, um pouco antes do ano novo.
Coração acelerando, como carro de F1!

Leia Mais

Atualizando a conversa( e os looks)

Desde que voltei da viagem ao Sul ainda não consegui me reorganizar( considerando-se que já sou bagunceira por natureza…). Muitas coisas pendentes, inclusive, mais de uma semana de “looks” acumulados. E o tempo ( ou, a falta dele) não ajuda. Como diz, naquela música do Claudinho&Buchecha:”…o relógio tá de mal comigo”.

Falando nisso, quem não está acostumado ao linguajar de backstage da moda pode achar, que: backstage, looks, blasé, tie dye, mullet e tantos outros termos do mundinho fashion( não dá pra evitar, percebeu?) é frescura, linguagem de gente metida. Mas afinal, ninguém chama “mouse” de “rato”( a não ser, em Portugal): são estrangeirismos, que acabamos incorporando ao nosso vocabulário.
Alguns podem estranhar, também, o fato de eu colocar nome de marca de roupa, bolsa e sapato em cada “look”: seria publicidade barata ou, esnobismo meu( embora, nem sempre use roupa de “grife”). Já expliquei o motivo faz um tempo mas, cabe relembrar: nem uma coisa, nem outra. Os créditos são uma prestação de contas a quem me acompanha. Assim como gosto de saber o que a Cris Guerra está usando( quando aparece, no Hoje Vou Assim), imagino que, quem fica do outro lado da tela e acessa o Sala da La deseje o mesmo. Espero, assim, informar e formar opiniões( mesmo que seja, mostrar a cara de uma certa marca).
E já que que o clima é de esclarecimentos, ainda: não sou modelo, não tenho a desenvoltura de uma, minhas poses por vezes são toscas e as expressões, repetitivas, mas não tenho falsas pretensões: a mulher que posa para fotos não é tão desinibida, nem a profissional, que muitos conhecem, tão séria quanto parece. São apenas formas e linguagens diferentes de se expressar.
( Outro dia comprava entradas para o cinema, em Vitória, quando fui reconhecida por uma moça que estava na fila. Deve ter ficado decepcionada ao perceber que não sou tão efusiva e falante mas sim, um tanto retraída, até sem graça…rs)
Independente da personagem nas fotos, a mulher é real: visto-me assim, no dia-a-dia e, quem me encontrar por aí, no hospital, numa rua de Santa Teresa ou, Vitória, não se sentirá traído( assim, espero…rs).
Talvez quem acesse o blog eventualmente, num post como este, por exemplo, possa julgar-me uma dondoca exibicionista. Todos são bem-vindos mas, não preciso provar o que sou, ou não, a esses. Tenho, sim, apenas que agradecer o carinho e respeito que recebo de quem me acompanha, nessa estrada virtual. Algumas companheiras fiéis há quase tanto tempo quanto o blog, mais de 3 anos.
Feito esse preâmbulo, vamos aos looks( sem preconceitos, ok?)?

Saia lápis e scarpin é uma dobradinha clássica, capaz de deixar qualquer mulher com cara de rhyca, phyna e poderosa! Duvida?…
DSC00403DSC00415
Blusa e bolsa: ELLUS
Saia lápis
Scarpin: Capodarte

Noutra versão, mais fresh e primaveril:
PrimaveraPrimavera
Regata: DTA
Saia lápis
Peep toe: UZA
Bolsa: ELLUS

A saia de veludo cotelê usada num sábado pela manhã é bem cara de outono, mas a estampa floral, nova estação:
PrimaveraPrimavera
(Reparou no rabo da gata? Com todo o respeito…rs)
Blusa: Maria Filó
Saia de veludo cotelê: Cantão
Sandália: Schutz
Clutch: Melissa, Isabela Capeto

Vestidinho vichy, de alcinhas: mais verão, não verão!
PrimaveraPrimavera
Vestido vichy: Leeloo
Sandália: Schutz
Bolsa: Quilts são eternos

Mais saia lápis, agora, estampada:
DSC00599DSC00616
Regata: ELLUS
Saia lapis
Scarpin: Capodarte
Bolsa: TNG

O top de algodão parece básico…
DSC00634DSC00638
Top de algodão e couro
Calça encerada
Scarpin: Capodarte
Só parece…
O detalhe de couro vazado e tachinhas, nas costas, faz presença!
DSC00659
O azul royal já foi tendência forte, na última estação. Continua…
DSC00667DSC00689
Vestido: Cantão
Sapatilha e bolsa: Dumond
DSC00694
Detalhe bordado:
DSC00697
Começando a semana apaixonada por estampa:
DSC00715DSC00717
Regata: Maria Filó
Saia: Dimpy
Rasteira: Luíza Barcelos
Bolsa: Dumond
DSC00730
P&B, com ousadia:
DSC00752DSC00759
Camisa: Richards
Calça encerada
Peep toe: Luíza Barcelos
Bolsa: ELLUS

Dia cinza:
DSC00771DSC00778
Tricô
Saia lápis
Scarpin: Dumond
Bolsa: ELLUS

Dia de folga:
DSC00902DSC00915
Camisa: Colcci
Bermuda: Dopping
sandália: AREZZO
Bolsa: Cantão

Mais comportada:
DSC00957DSC00947
Camisa: AD Life Stile
Calça: Sacada
Sandália: UZA

Estampa tropical é outra aposta para a nova estação. Nada mais tropical que araras, palmeiras, orquídeas:
TropicalTropical
Tubinho de seda estampada: DTA
Scarpin: Carmen Steffens

A seguir, cenas do próximo capítulo:

Torta de ricota com geleia de morango…

Leia Mais

Em ritmo de feriado

A ausência dos últimos dias será compreendida, até o final deste post.

Era meu primeiro dia de trabalho, depois da internação; talvez justifique a escolha da estampa alegre:
Fina estampaFina estampa
Vestido Totem
Bolsa: Cantão
Open boot: Dumond

No sábado, mais estampa:
NudeDetalhe costas
Saia lápis estampada
Scarpin: Carmen Steffens
Clutch: Melissa, by Isabela Capeto
Nude
Domingo azul e rosas:
AzulAzul
Vestido de malha
Bolsa: Dumond
Rasteira: Ferrucci
Azul e rosa
Comecei a semana noutro ritmo:
Bege e pretoPreto
Camisa de seda e malhar
Calça encerada
Bolsa: Uncle K
Peep toe: Schutz

Vestidinho solto:
vestidoVestido
Vestido de malha: Cantão
Sandália anabela( plástico e juta): Schutz
Bolsa: Colcci
Anabela
O que justificaria tamanha descontração, bem no meio da semana?
AzúisAzúis
Camisa: Richard’s
Bermuda: Dress To
Sapatilha: Melisa by Pedro Lourenço
Bolsa: Cantão

Uma viagem.
Aproveitando o feriado dei-me umas mini-férias e parti, para o Sul.
“Deu pra ti, baixo astral.
Vou pra Porto Alegre. Tchau!”

Uma turista acidental, muito bem acolhida.

Aqui não é a Fantástica Fábrica de Chocolates do Sr. Wonka, mas uma loja de Sonhos, a da Lu Gastal!

E o look de ontem foi este: batendo pernas em Porto Alegre, acompanhada por uma simpática cicerone, Ruth Podhorodeski.
Camiseta e bolsa: Cantão
Bermuda: Dress To
Sapatilha: Ferrucci

Mas o passeio ainda não terminou…

Leia Mais

Morrer na praia…

É como nos sentimos quando, empenhados num projeto e, em vias de realizá-lo, precisamos abortá-lo.
Pesquisando para escrever este post cheguei a um interessante texto do Eugênio Mussak( Vida Simples, nº20, 01/09/2004), “É errando que se aprende“. Segundo esse a humanidade evoluiu, antes mesmo da ciência existir, a partir das tentativas, errando muito e acertando às vezes.
“Errar é próprio da condição humana. Aprender também. Infelizmente algumas pessoas não estabelecem conexão entre essas duas qualidades. Este sim é um grande erro. Na verdade, o erro só é erro quando não é percebido; quando é, torna-se aprendizado. Sem essa percepção, você corre dois riscos: o de continuar repetindo seus erros sem aproveitá-los para evoluir, ou o de parar de tentar por medo de errar.”
Citou o psicólogo e filósofo suíço Jean Piaget, defensor de que o homem é o construtor do seu próprio conhecimento e que, nesse processo, o erro é uma ferramenta importante.
O “erro bom” seria aquele que “abre alternativas”. Consta que Thomas Edison, após ter sido intimado pelo seu patrocinador a interromper suas experiências disse: ‘por que desistir agora, se já sabemos muitos modos de como não fazer uma lâmpada? Estamos hoje mais próximos de saber como fazer uma lâmpada que antes!’ Isto é, errar é a possibilidade de acertar na próxima tentativa.”
E dá o exemplo do cubo mágico. De tantos erros, poucos acertos, somos tentados a desmontá-lo e montá-lo certo. Mas essa trapaça não vale no jogo da vida. “A única alternativa é aprender a viver, o que pressupõe tentar, errar e tentar novamente.”
“Você quer um atalho? Ele existe sim: aprenda também com o erro dos outros.”

Meu sogro costumava repetir: “o sábio aprende com os erros dos outros. O bobo, nem com os próprios!”

“O erro não nos afasta da virtude. A maneira como lidamos com ele, sim…
Errou? Não faz mal, desde que você:
– Seja lúcido para admitir que errou;
– Seja humilde para assumir a responsabilidade;
– Seja esperto para consertar o resultado;
– Seja sábio para incorporar o aprendizado.”
“…Paulo Vanzolini, cientista e poeta, é autor da célebre música Volta por Cima, em que ele dá conselhos àquele que, como ele, e como todos, errou mas, por ser um ‘homem de moral, não fica no chão’. O que faz, então? Ora: ‘Reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira, e dá a volta por cima’.”

Essa antiga música foi interpretada por Noite Ilustrada. Numa análise superficial da letra poderíamos achá-la até arrogante, mas não: é apenas a construção do conhecimento, o crescimento, a partir da consciência dos erros cometidos, tomando coragem pra acertar na tentativa seguinte ou, pelo menos, errar menos, e menos, e menos…

Fiz um resumo (acrescentando algumas impressões pessoais) do texto do Mussak, mas vale a pena conferi-lo na íntegra, aqui.

Durante alguns meses venho me preparando pra correr. Isso mudou radicalmente a minha rotina: treinos, dieta, corpo mas, principalmente, a cabeça. Exercitar a sensibilidade, entretanto, é necessário. Reavaliar estratégias, um ato contínuo…
No início da semana precisei ser hospitalizada. É de uma cama de hospital que faço este post, na condição de paciente, não de médica. Enquanto me dirigia ao consultório do colega, curvada de dor, pouco antes da internação, não conseguia conter as lágrimas. Não sei se tanto pela dor, ou mais pela frustração. A frustração de “morrer na praia”. Foi treinando para a corrida mais tradicional do estado, a “10 milhas Garoto”, a ser realizada no próximo domingo, que adoeci. Um erro de estratégia, talvez, que ainda está em avaliação.
Por conta disso estou proibida de esforço físico, até me recuperar completamente.
Passado o susto, volto pra casa hoje, com a recomendação expressa de manter o repouso.
Depois de quase 4 dias no hospital não me restaram muitos looks a mostrar, a não ser os da semana passada. Vesti pijama e soro, nos últimos dias.

Saia lápis e scarpin é sempre um clássico:
Lápis e scarpinLápis e scarpin
Blusa de seda: Sacada
Cardigã: Cantão
Saia lápis
Scarpin: Carmen Steffens.
Numa semana em que apostei no vermelho:
Bege e vermelhoBege e vermelho
Camisa de seda e algodão
Cinto: Maria Filó
Saia: Sacada
Bota cano alto
Bolsa: Uncle K
Com tempo chuvoso, também nas botas:
Preto e cinzaPreto e cinza
Regata mullet: Afghan
Legging: Track&Field
Bota cano alto
Bolsa: ELLUS
No sábado, pra (não) variar, vestidinho:
QuimonoQuimono
Vestido de crepe: Laranja Lima
Peep toe anabela: Schutz

Já sentia dor, quando combinei de me encontrar com a Katia Bonfadini, do blog Casos e Coisas da Bonfa, no sábado à noite. Mesmo assim, não quis falhar o compromisso, marcado em Vitória. E foi uma noite de bate-papo muito agradável!
Da série encontros
Esse encontro foi uma decisão acertada!

Leia Mais