Chanel, a blogueira!


Alô, alô, humanos leitores do Sala da La! ( Dirijo-me especificamente a essa espécie pois, certamente deve haver fãs felinos e caninos deste excelente, maravilhoso, hiperbólico, incomensurável e incomparável blog!! E não é por ser da minha humana, não, viu?! Mas, se ela me adotou é porque tem bom gosto em tudo o que faz!).
Acabei de completar 1 aninho, cheguei à maioridade e conquistei novos espaços! Sou uma jovem muito gata ou, uma gata muito jovem, como preferirem. Aprendi, rapidinho, a me comunicar! Afinal, vendo o exemplo de outros animais famosos que estão bombando, aí pela internet( como o meu ídolo-guru Borges, o Gato e aquela cachorrinha espevitada, a Estopinha), não poderia deixar de me inspirar e fazer menos, afinal, já nasci com nome famoso!
Então, vou contar um segredinho pra vocês:
Minha humana anda meio chateada; diz não estar dando conta de administrar vida pessoal, profissional, atletal, virtual…Não sei por quê?
Olha quanta coisa euzinha, tão pequenininha, do tamanho de um botão consigo fazer, num dia:

Meu dia começa cedo. Não por vontade própria mas, vejam bem, meus amigos, que abuso: minha humana sai da cama assim que o dia clareia, todos os dias da semana, ou pra ir ao hospital( será que ela tá doente?), ou treinar pra um tal de “maradona”, onde eles correm um montão e, no final, não ganham nenhunzinho sachê  de Whiskas( será que a Lala tá ficando lelé?)! Então, sou obrigada a despertar do meu sono de princesa quando despejada de cima dela, logo pela manhã.
Tudo bem. Mas não sem antes me alooooongar!
Então ela me serve um bom desjejum, na minha tigela de ração, e depois não a vejo por um bom tempo.
Enquanto isso tomo conta da casa mas, todo o cuidado é pouco!

Há mais dois gatos, que não vão muito com a minha fuça…
Um deles, fui advertida assim que cheguei, deve ser respeitado: é o mais velho, magnânimo e sábio dos felinos mas, nem sempre está de bom-humor.

Ele tem uma marca de pirata na cara( acho que, pra não deixar dúvida do quão valente seja!). Tenho um pouquinho de medo desse tio, mas até que é legal comigo.
Difícil, mesmo, é a Nina! Movida à inveja, acredito, pois não consegue ser tão linda quanto eu! Desde que vim pra cá ela me persegue. Mas vai ter de me engolir! Ops! Não tão literal, assim!

Ela é a protegida do menino da casa, uma filhinha de filhinho, eu diria. Como sou mais esperta, escolhi ser a filhinha da mamãe( embora seja meio rebelde, admito!).

Às vezes fazemos uma DR( Discussão de Relação) e ficamos um bom tempo, uma de frente pra outra: aquela que desviar o olhar primeiro, perde e sai correndo!
Não sei por que, mas quando minha humana está por perto sinto que tenho superpoderes, minha confiança aumenta: até rosno, manifestando minha opinião contrária!

Mas o que eu gosto, mesmo, é de explorar, conhecer outras visões do mundo…

Mas sei que serão discretos e saberão guardar segredo sobre essas minhas aventuras. Sabem como é: minha humana já tem preocupações demais, na cabeça.
Uma delas é sobre um gigante bobo que guarda o quintal: eles o chamam de Hulk e já é um senhor de 9 anos.
Talvez por não ser mais um cachoroto(ou, cachorro garoto) ele voltava mancando das corridas( a coisa mais estúpida, pra mim, porém, o programa mais legal pra ele!). Então a nossa humana o levou a um doutor, que não é o mesmo que trata de gente, entendem?
O cachorrão tá lá, cabisbaixo, proibido de fazer uma das coisas que mais gosta. E eu até teria uma pontinha de pena dele, não fosse o fato de que correr e se cansar não é nada bom! Ele deveria levantar as patas ao céu dos cachorros e agradecer, por não ser mais obrigado a fazer isso!

Mas, não! O cão (tá provado: não é tão inteligente quanto nós, gatos!) tá meio deprimido e estressado, a ponto de se machucar.
O médico cachorral mandou que lhe colocassem um cone engraçado na cabeça. Voltou pra casa, ontem, assim:

Acho que vou tentar aproximar-me dele para dar-lhe uns bons conselhos, um consolo, mas não sei se vai adiantar, nem ao menos, se vai me entender, porque falo em gatês fluente, enquanto ele, caninês.
Diria-lhe que, uma das melhores coisas do mundo é afiar as garrinhas no sofá, fazer uma boa sessão de alongamento, caçar lagartixas e praticar horas e horas de esforçado descanso! Acham que ele vai me ouvir?
Geralmente quando chega a noite a minha humana está tão cansadinha, que tem ido mais cedo pra cama. E eu, junto, porque ela não me deixa ficar assistindo à TV, nem no computador, sozinha( só agora, à tarde, que ela se descuidou e eu, aproveitei!).
Apesar disso tudo, estamos todos bem!

Viram quanta coisa eu faço de bom, num só dia? Mais uma: salvo a minha humana da vergonha de não conseguir atualizar o próprio blog( que incompetente!)! Então, se faço, faço-o( e até, melhor!) por ela!!
E, se estão sentindo falta( mesmo que não tenha recebido autorização para tal), prometo publicar umas fotinhas dela, ok? Prometem que não me entregam? É apenas uma prova de vida…
Vou mostrar alguns looks que só a Chanel aprovaria…

(Volto e, logo, se não for descoberta!! Sou a ghost writer cat: dorei a experiência!!)
Como diria meu ídolo, o Borges:
Lambeijos!

Leia Mais

“Borges, o gato”

Blog, em ritmo de férias…
Os ailurófilos (amantes de gatos) provavelmente já conhecem, mas gostaria de indicar um blog que é prato cheio para amantes e simpatizantes dos felinos: trata-se do Borges, o gato.
“Borges é o gato subcelebridade da web que vive o maior Reality Cat do mundo. Foi adotado por @emanoelleoname e @cacofonias em 26 de setembro de 2011. É exímio caçador de mouses e adora ler os livros de seu xará, o escritor Jorge Luís Borges.”
Borges, o gato, assume a autoria dos posts, que vão desde fotos de suas travessuras, memes até historinhas pra cat dormir.
13
Então, a dica cultural de hoje é um texto felino muito interessante:

A madeira ganhou vida e voou

Fãs,

Quando eu era pequeno, vovó tinha um tucano em sua casa (veja aqui: http://borgesogato.com/2012/02/04/que-passarinho-grande/) e eu não conseguia caçar o tucano porque ele era muito grande. Com o tempo, eu cresci e já não queria caçar o tucano, não por causa do seu tamanho, mas porque descobri que ele era de madeira. O tio Grey quando chegou em seu castelo, transformou o tucano de madeira em um adorno seu.

É de surpreender que, outro dia, tio Grey entrou assustado em nossa suíte e disse que seu pássaro de madeira tinha ido embora. Quando olhamos pra casa do vizinho, tava lá o tucano em carne, osso e bico. Tio Grey perguntou como podia ser, se ontem ele era madeira pura, agora tava por aí voando. E eu expliquei pro Grey que já tinha lido nos livros várias histórias assim, de homem que era de barro e saiu andando; de um menino que foi esculpido em madeira e saiu falando… o tucano era mais uma história dessas que são tão verdade que parecem contos de fadas.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato
92
O tucano de madeira era o adorno do tio Grey
94
Nós ficamos impressionados quando o tucano de madeira saiu voando e nos deixou
93
O tucano ganhou vida, deixou o castelo do tio Grey e foi pousar na varanda do vizinho

Prazer em conhecê-lo, Borges!
Pra quem quiser acompanhar as peripécias do gato no Facebook é só curtir a Fan Page dele!

Leia Mais

Proposições para o ano novo

Vivo aqui escrevendo sobre metas, empenho e disciplina para cumpri-las. Já tenho as minhas, pra este ano.
Já fez as suas?
Outro dia assistia à uma entrevista no “Sem Censura” com um tipo de especialista em administração do tempo. Uma das dicas básicas que ele deu, que parece muito simples de cumprir: “faça uma lista!” Assim, você impõe prioridades e não fica ocupando a mente com tarefas do tipo: “lembrar tarefas”, deixando a cabeça mais livre para a criação e para a ação.
Pessoa desorganizada e esquecida como sou, essa é uma dica que sempre coloquei em prática.
Tá no topo da minha lista, apesar das dificuldades e crises que me abatem, todos os dias: que eu veja, que eu escute! Ter uma percepção apurada do que se passa à nossa volta, das coisas boas e ruins, é um passo pra se viver melhor. Assim entendo.
Então, só pra lhes provocar um sorriso e arejar a cabeça, depois desse papinho raso de autoajuda…

Carpe diem!

Leia Mais

Agenda de ano novo

Olavo Bilac escreveu, sobre…
O tempo

Sou o Tempo que passa, que passa,
Sem princípio, sem fim, sem medida!
Vou levando a Ventura e a Desgraça,
Vou levando as vaidades da Vida!

A correr, de segundo em segundo,
Vou formando os minutos que correm . . .
Formo as horas que passam no mundo,
Formo os anos que nascem e morrem.

Ninguém pode evitar os meus danos . . .
Vou correndo sereno e constante:
Desse modo, de cem em cem anos
Formo um século, e passo adiante.

Trabalhai, porque a vida é pequena,
E não há para o Tempo demoras!
Não gasteis os minutos sem pena!
Não façais pouco caso das horas!

Foi Einstein quem nos mostrou a “Teoria da Relatividade”.
Mas já parou pra pensar nisso, de forma prática e simplificada?
Que o tempo, independente de teorias comprovadas por fórmulas da Física, pode ser relativo?
Em 1 ano, por exemplo, quanto pode ser feito, apesar de parecer um período curto!:
Você pode emagrecer 10 Kg.
Apaixonar-se.
Desapaixonar-se.
Enfrentar alguma perda:
Camuflagem: Maizena no edredom
Fazer novas amizades…

Completar sua primeira meia maratona.

Despedir um filho para o exterior…
Despedida no Galeão
(Então, nesse caso, o tempo a princípio parece arrastar-se, amorrinhando…)
Aprender uma língua estrangeira.
Conhecer uma nova cultura.
Cometer muitos erros.
Acertar, às vezes.
Aprender com os erros.
Sobreviver ao “fim do mundo”.
Então, quando se apercebe, o ano chegou ao fim.
O filho que foi, voltou.

E trouxe junto, experiências que não cabem na mala.

A passagem de ano é apenas uma mudança de calendário, a não ser, que aproveitemos a data pra pensar no que fizemos e o que faremos com o tempo. Erros e acertos, tudo deve ser pesado. “Se chorei, ou se sorri o importante”… é que experiências vivi.

Obrigada pela companhia virtual, nesse ano que finda.

Cortar o tempo

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.
(Carlos Drumond de Andrade)

Feliz 2013!

Leia Mais

Lagarteando…

Há tempos não falo dela. É tímida. Esconde-se. Mas é só eu deitar na cama pra Chanel pular em cima de mim, ronronando.

“O gato é uma maquininha
que a natureza inventou;
tem pêlo, bigode, unhas
e dentro tem um motor…
Lagarteando
Mas um motor diferente
desses que tem nos bonecos
porque o motor do gato
não é um motor elétrico…
Lagarteando
É um motor afetivo
que bate em seu coração
por isso faz ronron
para mostrar gratidão…
Lagarteando
No passado se dizia
que esse ronron tão doce
era causa de alergia
pra quem sofria de tosse…
Lagarteando
Tudo bobagem, despeito,
calúnias contra o bichinho:
esse ronron em seu peito
não é doença – é carinho.”
(“O ron-ron do gatinho”-Ferreira Gullar)

Leia Mais