Casa de estilo

O Facebook vive de futilidades, mas tem lá suas utilidades.
Foi onde conheci o projeto “Toy Stories“, do italiano Gabriele Galimbert, que fotografou crianças ao redor do mundo, acompanhadas de seus brinquedos favoritos:

A espontaneidade em retratos remeteu-me ao trabalho de outro fotógrafo, Todd Selby, que se propõe mostrar casas criativas de pessoas criativas, no site The Selby.

Um dos destaques foi Rita Konig, escritora e designer de interiores, que criou um espaço feminino e acolhedor na charmosa Manhatan :






Leia Mais

Morar mais por menos

Sonho de consumo de todos nós, assim como: comer mais por menos, ou vestir mais por menos…
Pra quem é antenado, a notícia terá gosto requentado, mas o evento segue no Rio de Janeiro até dia 04 de novembro, portanto, boa opção de programa para o fim de semana prolongado: trata-se da mostra Morar Mais por Menos, que desafia arquitetos e designers de interiores a misturar soluções acessíveis e de baixo custo( muitas vezes, aplicando a máxima: “faça-você-mesmo”) a ítens de maior valor, na decoração.
Ambientes diversos, como este delicado quarto de bebê:

Base de cor neutra pontuada por tons pastéis, berço de MDF, galho decorado com luzes e nuvens tridimensionais de papel.
A cozinha de tijolos à vista ganhou descontração com a pintura de rua; cones de sinalização serviram de base para a mesa de vidro.

A mesa de bobina de madeira já nem é novidade, mas o que me deixou de queixo caído foi a parede forrada emoldurando a geladeira retrô azul-ambiente sóbrio e aconchegante:

Lona de cadeira de praia virou prateleira e o cano à mostra, apoio para cabides de roupas:

Caixas de plástico-mais espaço para organização neste quarto feminino, sem falar na graça do cabideiro de registros de água:

Todas as fotos são do blog da Ana Medeiros, A Casa que Minha Vó Queria.
Mais imagens, no site do GNT e Casa e Jardim.

Funcionamento da mostra: de 27 de setembro a 4 de novembro.
Horário: de 3ª a sábado, das 12h às 22h; domingo, das 12h às 21h.
Ingressos: R$ 20,00 de terça a sexta-feira e R$ 30,00 (sábados, domingos e feriados)
Local: Av. Epitácio Pessoa, 4.866 – Lagoa
Telefone para informações:              21-2512-2412      

Leia Mais

A casa da Sandra

Quando publiquei o texto da Martha Medeiros, “Seu apartamento é feliz?”, a portuguesa Sandra Rodrigues escreveu-me, entusiasmada. Mantemos contato através do Facebook e, pra minha surpresa, descobri a “casa feliz” da Sandra, no Casa de Valentina. Gentilmente ela me enviou algumas novas fotos e, embora já publicado, vale a pena ver de novo.
Certamente, seria exemplo de uma casa com alma.

A Sandra não é designer de interiores, nem arquiteta, mas provou competência, ao decorar a própria casa com a maestria de um profissional experiente .
Optou por uma cartela de cores neutras( branco e cinza) como pano de fundo para pincelar de verde e tons naturais. O resultado? Uma casa arejada, iluminada, alegre, com uma pegada retrô.
A estante acomodou livros, vasos esculturais, plantas, uma TV antiga e até um mini-bar, organizado numa bandeja:

O sofá de linhas retas perdeu a sisudez com almofadas coloridas.

Não lembra uma casa nórdica?

Fibras naturais acrescentam calor à sala.

Amei o tapete com estampa retrô!
Uma parede de lembranças em P&B, contrastando com o cantinho verde:

O banheiro também ganhou atenção especial:

Tom vibrante na cozinha, pra deixá-la alegre e aconchegante:



No quarto do casal predominam cores sóbrias, mas a cabeceira amarela e as almofadas estampadas apimentaram o ambiente:


O quarto do filho já foi azulão( vale conferir, no Casa de Valentina) mas, para acompanhar o gosto do pré-adolescente, ficou branco:

Prateleiras sobre a cama, para deixar os objetos de estimação em destaque:

Jovialidade e humor com pop art:

Puxadores fizeram toda a diferença, na cômoda branquinha.

Não parece uma casa feliz?

Gostou da participação da Sandra?
Que tal, você, também?
Se tiver algo bacana para mostrar, entre em contato através do e-mail do blog. Quem sabe, não é o próximo?…

Leia Mais

Aprendendo com Gaby

A palavra “cool” tenta definir o indefinível; aquela reação, ao vermos algo que desperte nossos sentidos e nos faça exclamar: “Uh, que bacana!”
Gaby Amarantos é “over” mas também, “cool”!
Está na TV, rádios, revistas…
Com 1,66m e 76Kg a cantora foge do padrão de beleza convencional, mas demonstra não se importar muito com isso:
“Meu peso não me incomoda; isso só incomoda os outros”, assim declarou à revista Cláudia ( edição de julho), quando foi desmontada…

E remontada (com direito à decotão e casquete com LED), em toda sua exuberância!
Gaby Amarantos
Neta de escrava, mãe solteira, cheinha, Gaby não se rendeu ao que chamou de “coitadismo”. “Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.
Mesmo não sendo fã do techno-brega, confesso-me fã dessa mulher de atitude!
Apesar do visual “poluído”, montado, quase uma “drag queen” a moça nasceu para brilhar!
Parodiando aquela propaganda de shampoo, se não fosse assim, não seria tão Gaby!

Para alguns parece simples sair do padrão e, mesmo assim, não causar estranheza; chamam a atenção, pela espontaneidade com que se assumem diferentes. Isso pra mim é ser “cool”.
Isto pra mim é ser “cool”:
Photobucket
Um flat antigo, em Buenos Aires, ganhou jovialidade e descontração com pinceladas de vermelho no branco e muito bom humor.
O mix de texturas, sofás de diferentes épocas, padronagens de tecido não pesou, na decoração da sala: contribuiu, o aproveitamento da luz natural e a parede rústica de tijolos, pintada de branco.
Na sala de jantar, prateleiras deixam toda a louça à mostra, e a mesa antiga convive bem com as cadeiras estilo escritório:
Photobucket
Três pendentes de luz vermelhos destacam a cozinha americana. O letreiro de lanchonete dita o tom de descontração.
Photobucket
Na varanda, toldo listrado de vermelho controla a entrada de luz. Espaço para cultivar temperos e espreguiçar no sofá:
Photobucket
Não é cool?

Via Full House e Remodelista.

Leia Mais

Rita Lobo, na Estilo

Falar de alguém que admiramos é fácil. Por isso a mencionei várias vezes aqui, começando com uma resenha sobre “A “Conversa chegou à cozinha”, lançado de 2008:

O post acabou perdido na mudança de layout do blog, mas o livro é de crônicas, todas, escritas por Rita Lobo e, claro, concluídas com uma receitinha deliciosa.
Na Estilo desse mês podemos conhecer um pouco da intimidade dessa ex-modelo, mãe, dona de casa, escritora, autora do site de culinária Panelinha e, mais recentemente, apresentadora do programa Cozinha Prática, no GNT, na matéria:
Casa da Rita Lobo, na Estilo
O programa (que vai ao ar às noites de quinta) é gravado no próprio apartamento de Rita, localizado num prédio dos anos 60 no bairro dos Jardins, SP.
Antes que se mudasse com a família para lá, o apartamento passou por uma reforma: a parede que separava a cozinha da sala de jantar foi derrubada, integrando assim os dois ambientes, afinal, para Rita, a cozinha é a alma da casa!
Casa da Rita Lobo, na Estilo
Bem iluminada e ventilada, a única coisa que a separa dos demais ambientes é a bancada de madeira rústica( freijó maciço):
Casa da Rita Lobo, na Estilo
As banquetas no chão de madeira convidam a uma conversa informal, enquanto a comida é preparada.
Na parede lateral da cozinha, pintada com tinta esmaltada verde-escolar, Rita anota a agenda das crianças e os ingredientes que precisa comprar:
Casa da Rita Lobo, na Estilo
Muitas das peças e móveis do apartamento foram garimpados pela própria Rita. Este lustre de murano da sala de jantar foi arrematado, depois de 2 anos de persistentes visitas a um antiquário:
Casa da Rita Lobo, na Estilo
A mesa é uma Saarinen( do finlandês Eric Saarinen, anos 50) e as cadeiras tubulares com encosto de palha, da década de 20:
Casa da Rita Lobo, na Estilo
Das suas andanças pelo mundo Rita guarda lembranças, exibidas pela casa. Durante a reforma, algumas paredes foram descascadas até os tijolos:
Casa da Rita Lobo, na Estilo
Na revista Estilo desse mês, mais fotos( em melhor qualidade) e detalhes.

Então, sempre que posso, às quintas aguardo ansiosamente Rita vir à minha casa, com alguma receita fácil e dica de culinária imperdível.
O “pão piadina” virou queridinho, desde a primeira vez que o fiz:
Taco de carne no pão piadina
Já experimentei a massa integral mas, para fazer o taco, uso fubá, na mesma proporção ensinada na receita( 2 xícaras de trigo branco+1 xícara de fubá. Nesse caso, a quantidade de leite diminui, para 1 xícara).
Taco de carne no pão piadina
Tacos de carne, no pão piadina integral( ou, de fubá) são uma excelente opção de almoço, ou lanche:
Taco de carne no pão piadina
Refeição leve, completa e gostosa! Dica da Rita.
Quer saber como faz? Aqui:

Leia Mais