I love Playmo

Nossas prioridades e interesses mudam, conforme a fase e idade: quando criança, sonhava com uma daquelas bonecas que pareciam bebês de verdade. Hoje poderia comprar uma; já não quero mais. Agora, o que me faz revirar os olhinhos: sapatos.
O filho mais novo, um pré-adolescente de quase 13 anos, outro dia andava preocupado, sorumbático, meditabundo(ah, finalmente pude usar tais palavras!…): não se divertia com as mesmas coisas dantes. A “trilha do calango”( que costumava subir, por trás da casa, e foi assim apelidada por ele) já não tinha tanta graça. Mas ainda se diverte com a montanha de pecinhas e bonequinhos de Lego montados e desmontados diariamente, numa brincadeira que mais parece enredo de “A História Sem Fim”.
Ele não conheceu Playmobil, brinquedo da época da mãe. Mas a mãe, também não: assim como a boneca desejada, esse ficava fora das possibilidades financeiras da família.
Mas há gente que cresce( ou, não cresce nunca) e continua fixado à certas “coisas do passado”.
Imagem compartilhada via Facebook( sem créditos, desculpe!) prova que se pode fazer releitura lúdica de uma paixão de infância:

E já que estamos na semana da criança, uma dica da amiga carioca Milena Orlando: I Love Playmo, no Facebook e Instagram.

A psicóloga e colecionadora Maria Misk Moyses fotografa( Instagram) seus bonequinhos( cerca de 500) em cenários reais, simulando situações cotidianas, uma mais bacana que a outra!

E a outra dica, pra quem é de BH:
A exposição “O minimundo Playmobil”, com os famosos bonequinhos dos anos 80 da Maria Misk Moyses estão no shopping DiamondMall, até dia 14 de outubro!
Mais informações, aqui.

Leia Mais