Corrida de obstáculos

Há tempos ando ensaiando um post, para explicar meu recente sumiço da blogsfera. Não saiu, até agora, por duas razões principais, embutidas na primeira frase desse texto:
-Há tempos, que ando sem tempo.
-E, ultimamente, não ando. Corro!

Escrevi sobre “sonhos” recentemente e agora corro atrás de um outro, literalmente: participar de uma meia maratona.
Pode ser que uma ideia como essa comece pequena, como um devaneio ou, numa licença poética, questionemos: “e, se…”

Ano passado, quando estava acima do peso, resolvi que precisava mudar: queria chegar em melhor forma, na formatura do menino do meio. A história, vocês já conhecem: encarei dieta e, desde lá, uma puxada rotina de exercícios, aeróbicos e anaeróbicos.
Lá se vão 6 meses e, 8 kg a menos na balança, o que me encheu de ânimo para encarar mais um desafio, lançado por uma amiga: “e, se a gente participasse da meia maratona, no Rio?…”
Lançada a isca, o peixe aqui deixou-se fisgar, pois acredito que ninguém supera obstáculos, grandes ou pequenos, se não tiver metas, foco.

Os hiatos entre um post e outro não têm ocorrido por desinteresse, ou desleixo: boa parte do tempo livre tenho me dedicado aos treinos, afinal, julho está próximo. E eu, perto da minha meta, os 21 Km.
Fora a falta de tempo, muitas vezes, confesso, falta-me energia para escrever à noite( hoje, uma exceção).

Esse era um assunto que eu gostaria de ter trazido à tona antes, aqui no blog, porque muitos me acompanham há tempos e sempre me incentivaram, deixando um comentário carinhoso. Nada mais justo do que convidá-los a participarem comigo dessa empreitada, afinal, como cantava Raul Seixas aquela frase, adaptada de D. Quixote:
“Sonho que se sonha só
É só um sonho que se sonha só
Mas sonho que se sonha junto é realidade…”

Mistério do sumiço elucidado, “meus caros Watsons”, querem me acompanhar num dia de treino?
Calçem seus tênis, espalhem bastante protetor solar, coloquem seus bonés e curtam a estrada, num ensolarado domingo, como ontem:
Meu companheiro de corrida tem sido o Hulk. Certamente, o melhor programa do mundo para ele!
Vamos, no trote, usando a filosofia: “devagar, vai-se longe…”

Procuro escolher percursos onde encontre sombra e água fresca: o que não falta, aqui em Santa Teresa.
No meio do caminho não tem uma pedra mas, um bonito lago. E o espelho d’água espraia-se até a mata…
DSC00018
Tantas vezes passando por ali, veio-me aquele pensamento: “e, se…”
DSC00010
E se dermos uma paradinha, para um mergulho?…
DSC00008
Hulk nem me deixou terminar, já pulou na água fria!

-E, se tiver jacaré nesse lago, Hulk?
-Eu me escondo dele!
DSC00031
Ok, ok! Já me convenceu!
Também não resisti e, dei um pulinho pra me refrescar enquanto ele vigiava a estrada, pra que não nos pegassem em flagrante!
DSC00035
Outro oásis à beira do caminho é a fábrica de biscoitos, à entrada da cidade:
Fábrica de biscoitos
A maioria para por aqui para degustar biscoitos com café, na ampla varanda. Tirar fotos…
Fábrica de biscoitos
Fábrica de biscoitos
Fábrica de biscoitos
Mas eu e Hulk procuramos por outro tesouro…
DSC00049
Ouro líquido, para os corredores!
DSC00060
A última visão da estrada: estamos quase lá!
DSC00040
Descanso merecido à sombra, enquanto eu fazia alongamento:
DSC00069
Registrando os atletas, depois de cumpridos 17 Km: de volta ao lar!
DSC00083
Só pra registrar o resultado desse empenho e, adiantando os próximos looks, queria mostrar o que pra mim foi uma pequena vitória:
JapaJapa
Vestido de crepe: Laranja Lima
Clutch: Melissa, Isabela Capeto
Sandália meia pata: Luz da Lua

Entrar nesse vestidinho de crepe de inspiração japonesa, depois de tantos anos guardado, foi uma sensação muito melhor que comprar roupa nova!
Japa
Obrigada pela companhia!
DSC00064
DSC00080
DSC00078
Uma semana colorida!

Leia Mais

O eterno “bom garoto”

“Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando.” (Salmos 90:10)
Talvez o salmista estivesse melancólico, ou sofrendo as dores da velhice ao escrever esse versículo.

A verdade é que, até bem pouco tempo atrás, a expectativa de vida( sem falar de qualidade) não ia muito além dos 50 anos de idade.
Porém a Medicina, Ciência e Tecnologia possibilitaram grandes avanços nessa área. Fala-se até, na possibilidade do homem viver 1000 anos!

Arnaldo Antunes teve uma visão mais real e otimista sobre o assunto ao escrever Envelhecer, às vésperas de completar 50 anos:
“A coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer…”

Certamente, uma das maiores vantagens da maturidade é a liberdade: liberdade para escolher exatamente o que quer, ou não fazer, sem deixar-se cercear pela opinião alheia, apenas, pelo bom senso.

Coincidência, ou não, Paul McCartney, que em breve completará 70 anos, sentiu-se à vontade para fazer um trabalho, diferente de tudo que já tinha feito até agora: comparando grosseiramente, seria como se o vocalista do Metallica resolvesse cantar bossa nova!
Quem já escreveu o nome na história da música não precisaria provar mais nada. Mas em vez de se aposentar e viver das glórias do passado ele continua por aí, namorando, cantando, compondo, fazendo shows e, o que mais lhe der vontade.

É a impressão que se tem ao ouvir o repertório escolhido para “Kisses on the Bottom”, último trabalho de Paul lançado recentemente.
Até o título, de duplo sentido(além da carinha de levado, na capa do cd), parece ser uma grande pegadinha( de gente grande!): algo para ser curtido, sem grandes expectativas. Mas, nada de desleixo!

A maioria das músicas são conhecidas da década de 20-40, aprendidas na infância de Paul e, com certeza, influenciadoras do seu trabalho na juventude. Exceção para 2 delas, inéditas, compostas por ele.

As interpretações são intimistas, contidas, parecendo de alguém que acabou de estrear no ramo, o jazz. Nem por isso, mostrou-se inseguro.
Paul McCartney Kisses On The Bottom Album
Diana Krall tocou piano e fez a maioria dos arranjos rítmicos para ele, além das participações de Eric Clapton e Stevie Wonder.
As gravações dividiram-se em diferentes estúdios: Londres, Los Angeles e Nova Iorque.
Resumindo: não é trabalho de amador!

Já que o último post lembrou o “dia dos namorados”, uma outra dica para ser ouvida a dois, de rostinho colado.

Neste singelo clip, com Natalie Portman, é apresentada oficialmente uma das músicas inéditas de Paul, “My Valentine”( com a guitarra inconfundível de Eric Clapton):

Em clima de romance: bom fim de semana!

Leia Mais

Inspiração floral

Catei umas imagens no Pinterest, com arranjos supercoloridos e alegres para um almoço, ou jantar especial.
Lembrando que, logo estaremos comemorando o “dia das mães” e, em seguida, o “dia dos namorados”.
Não há como negar, que flores à mesa valorizam qualquer reunião informal.
Os arranjos vão de singelos a mais luxuosos. Neste, a delicadeza do degradê de cores:
 centerpiece umbre
Tons e sobretons de rosa:
.
Vermelho, verde, turquesa e branco:
shower
Tons pastéis, em diferentes alturas:
Pretty table setting
Vermelho, branco e rosê em potes de vidro:
pretty table

Leia Mais

Mousse/souflê de chocolate dos sonhos

Outro dia alguém comentou no Facebook que, mostrar pratos apetitosos, ao mesmo tempo que aparecia cada vez mais magra só poderia ser provocação da minha parte! Nem tanto, mas achei engraçada a observação.

Outro comentário, ouvido com uma certa frequência: que aparento ter menos idade, que os 42 registrados na certidão.

Não sei qual dos dois elogios mais me envaidece: se, ser considerada uma boa cozinheira(?!) ou, ouvir que estaria rejuvenescendo(?!!)…Talvez uma coisa tenha relação ou, interfira na outra.

A verdade é que, não há segredos a revelar que já não sejam há muito conhecidos! Salomão, com conhecimento de causa, escreveu:
“O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate.” Provérbios 15:1
Noutro verso, complementa o pensamento anterior:
“O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.” Provérbios 17:2
Então, a dica de beleza de hoje, é: cultivar a alegria e, acréscimo meu, cultivar com alegria um sonho! (Porque Michael Jackson desejava obstinadamente ser uma coisa que não era, nem por isso, foi mais feliz por alcançar o intento!)

Não sou Luther King mas, “eu tenho um sonho”: de algum dia fazer Gastronomia e agregar técnica à essa antiga paixão pela cozinha. Pode até ser que, podendo realizar esse, já tenha um outro em mente(o que não se pode é deixar de fazer planos para o futuro!).

Cozinhar pode parecer uma paixão volúvel e temperamental( fazendo um trocadilho pertinente): num dia você cai de amores por uma receita salgada, noutro, por um doce de aparência irresistível! Mas execução de um prato é engendrada bem antes de levar todos os ingredientes à panela: como um delicioso flerte, começa na imaginação e vai às vias de fato( ou, não!)!

Se para trabalhar, ou cozinhar, ou namorar, ou iniciar uma dieta, ou exercícios, ou escrever um blog: não importa! O que importa é fazê-lo, motivado!
E pra isso é necessário buscar referências, inspiração.
Alimento uma dessas paixões pesquisando na internet, mas não abro mão de um bom livro, como este, só de receitas com chocolate:
Saboreando um livro
Assim começa um flerte culinário…
Saboreando um livro
Difícil é imaginar qual seria mais gostosa…
Saboreando um livro
Outra mania é acompanhar, o máximo de programas culinários que dou conta.
Cozinha Prática, no GNT, estreou recentemente com apresentação da Rita Lobo(que mantém um dos sites de culinária mais antigos e respeitados do país, o Panelinha): são 15 minutinhos, com dicas e receitas práticas e saudáveis para o dia a dia.

E embora isso seja muito pessoal, tentarei motivá-los a experimentar uma receita, testada semana passada, porque…
-É simples e rápida de fazer!
-Usa pouquíssimos ingredientes!
-É versátil: vai da geladeira à mesa ou, ao forno.
-Você merece esse carinho!

O preparo foi tão fácil, que duvidei chegar ao mesmo resultado daquele mostrado na televisão, mas valeu a pena:
Mousse de chocolate
O que me fez pensar: “como passei 42 anos da minha vida sem fazer uma coisa dessas?!”
Duas questões me impediam, anteriormente: o temor de deixar cheiro e sabor de ovo, assim como aqueles pontinhos brancos visíveis nalgumas mousses já provadas.
“Seus problemas acabaram”, depois das dicas da Rita:
-Em relação à primeira dificuldade o acréscimo de uma colher de rum, ou cachaça às gemas batidas, anulou completamente qualquer vestígio de cheiro de ovo( pra garantia sempre as peneiro, antes de usá-las).
-Outra dica importante foi em relação ao ponto certo das claras em neve: se batidas firmes demais, não se incorporarão completamente ao creme de chocolate e gemas, deixando sua mousse com aqueles indesejáveis pontinhos brancos.
A mesma receita pode ser servida como mousse ou, ir ao forno, rendendo um maravilhoso suflê de chocolate.
Fiquei na dúvida, qual apresentação melhor, mais gostosa…
Mousse de chocolate
É tão aerado, acetinado, fofinho e delicado que, se possível descrever, seria como saborear um nuvem, sabor chocolate!
Suflê de chocolate
Para o suflê a receita precisa de preparo prévio, pois vai ao forno depois de 24h na geladeira.
Ainda quentinho pode ser servido com sorvete de creme, mas achei que o creme de chantilly foi o acompanhamento neutro ideal para o suflê.
Resolvi dar um toque pessoal saborizando-o com mel de lavanda: colhi uns 4 raminhos de lavanda no quintal, com flor, lavei-os e misturei em 1/4 de xícara de mel. Aqueci ligeiramente no microondas( 15 segundos é o suficiente) e macerei tudo num pilão, até esfriar. Depois foi só peneirar e acrescentar, em fio, ao chantilly batido.
Suflê de chocolate
Essa receita do mousse/suflê de chocolate, como todas as dicas da Rita, você poderá encontrar neste link.
Quer saber, se foi aprovada?
Fim de festa
Alguma dúvida?…
Mais uma dica deliciosa( não testada, ainda): um cremoso de requeijão com creme de goiabada feito ontem, no Mais Você( já que o tema foi suflê).

Deu para apaixonar? Então, não fique apenas sonhando( e babando):
Mãos à obra!

Leia Mais

Banana reciclada

Hoje fiz uma boa ação: cheguei em casa, a tempo de salvar uma penca de bananas do lixo. A empregada achou-as meio tristes, na fruteira (apesar de banana, aqui em casa, ter maior rotatividade que motel de beira de estrada).
Sob a casca escura, porém, descobri uma polpa em ótimo estado: madura demais para comer, mas no ponto certo para um doce, ou bolo. Resolvi dar um fim digno, ao que seria descartado.
Adaptei o que tinha em mãos, 8 bananas-prata maduras, à receita do Bolo de Maçã do Panelinha.
Bolo de banana
O bule com xícara foi um presente de uma amiga do Facebook.
Bolo de banana
Fique atenta ao que tem na despensa, geladeira ou fruteira. Evite o desperdício. Aproveite as frutas da estação.
Há dois dias foi a vez do perfumado bolo de mamão, servido com um creminho de iogurte:
Bolo de mamão
O vaso de ovinho foi um brinde da Editora Globo, pela renovação de assinatura da Casa&Jardim.
A receita é da amiga Rosana Sperotto.

Leia Mais