Sopa creme de baroa com pangrattato

IMG_8896

Quer uma sopinha reconfortante, pra tomar neste frio?: Vai, de sopa creme de baroa com pangrata! É só fazer uma base de caldo de legumes, pra cozinhar a baroa: cebola, salsão( talo e folhas), cenoura, uma folha de louro, alho poró. Quando a batata estiver bem cozida, bater no liquidificador, com um pouco do caldo de legumes. Acrescentar creme de leite fresco, a gosto. O pangrattato nada mais é que uma farofa de pão( italiano amanhecido, de preferência). Segundo o Jamie Olivier, essa era uma forma que os italianos mais pobres inventaram, para substituir o queijo usado na finalização da pasta. Só passar o pão no processador, temperar com azeite, ervas( opcional) e pimenta do reino: levar numa frigideira para tostar em fogo baixo, sempre mexendo pra não queimar, até ficar crocante e sequinho. Servir com a sopa, mais cebolinha picada e pimenta dedo de moça.

Quer uma sopinha reconfortante, pra tomar neste frio?:

Vai, de sopa creme de baroa com pangrattato!

É só fazer uma base de caldo de legumes pra cozinhar a baroa, com: cebola, salsão( talo e folhas), cenoura, uma folha de louro, alho poró. Quando a batata estiver bem cozida, bater no liquidificador, com um pouco do caldo de legumes( o restante pode ser coado e congelado). Acrescentar creme de leite fresco, a gosto.

O pangrattato nada mais é que uma farofa de pão( italiano amanhecido, de preferência). Segundo o Jamie Olivier, essa era uma forma que os italianos mais pobres inventaram, para substituir o queijo usado na finalização da pasta do dia a dia.

Só passar o pão no processador, temperar com azeite, ervas( opcional) e pimenta do reino: levar numa frigideira para tostar em fogo baixo, sempre mexendo pra não queimar, até ficar crocante e sequinho.

Servir com a sopa ou, à parte, mais cebolinha picada e pimenta dedo de moça.

IMG_8902

 

Leia Mais

Bolo-mousse de chocolate

Bolo, em duas camadas fofas e delicadas.

Descobri há algum tempo, que cozinhar me faz bem. Se estou triste ou estressada, se estou animada ou me sinto desafiada por uma nova receita, tudo é motivo. Mas não é um fim em si mesmo. Não é o que, mas por que, pra quem. Como típica canceriana, maior prazer é cozinhar para alguém, querido, de preferência. IMG_7526

Meio sem querer, eu umas poucas amigas começamos a nos reunir quase semanalmente, pra cozinhar e/ou comer juntas! Já foram vários jantares com cardápio variado, da entrada à sobremesa.

Antes que as receitas se percam da memória, resolvi começar a registrar porque também, outro dos meus prazeres é falar sobre comida e ensinar o pouco que sei. Eu não só dou o peixe, mas também ensino a pescar.

Direto ao que interessa, duas receitas de doce: um bolo-mousse de chocolate, com calda de caramelo e flor de sal, e brigadeiro de churros.

Leia Mais

Precisamos falar de…

Ele cuidava do gado de um grande fazendeiro da região. A vida era modesta mas, digna.

Certa manhã, enquanto ordenhava as vacas, armou-se tempestade.
Um raio abriu grande e profunda fenda no chão, próximo ao curral, expondo o que parecia ser uma caixa mortuária. Curioso, pulou no buraco e afastou cuidadosamente a tampa. Da fresta avistou ossos porém, algo mais chamou-lhe a atenção. Esticou o braço o máximo que pode e, alcançou seu “precioso”: um anel.
Leia Mais

“Afinal, aonde iremos parar?”

Era um dia frio, em Boston. O ano, 1967. A tradicional maratona a se iniciar, a 71a. Entre os participantes, uma única mulher. A primeira, a disputar uma corrida de longa distância. Até então, nada no regulamento contra, muito menos, a favor, afinal, completar 42 Km não era um feito para o “sexo frágil”. Mas Katherine Switzer não pensava, assim. Ela simplesmente queria correr e preparou-se pra isso. Treinou, com afinco e disciplina. Inscreveu-se, como “K. Switzer” e, no tão esperado dia, lá estava ela!
Leia Mais

“Ela”

Outro dia fui ao cinema com uma amiga assistir a um filme sugerido por um amigo. A sala de exibição estava lotada, afinal, era um dos indicados ao Oscar.
História desenrolando-se, não demorou muito até que nos entreolhássemos, silenciosamente nos perguntando:”o que estamos fazendo aqui?”
Muitos tiros( na tela) e cochiladas( na cadeira) depois voltamos pra casa, decepcionadas. Fora tão bem recomendado!…

Leia Mais