Cidade Maravilhosa!

Foi paixão à primeira vista: eu, pelo Rio! Isso, há mais de 20 anos! E depois de tanto tempo, ainda não desencantei. Continuo enamorada, como naquele nosso primeiro encontro.
Não é apenas a luz da cidade, a praia, as montanhas, a história, que esbarra conosco a cada esquina; são as pessoas: os cariocas, sua maior atração.
No Rio, é preciso andar com muito atenção. Não, apenas, por uma questão de segurança mas, de aprendizado.
Olhando para cima…
Largo da Carioca-RJ
(Estátua em bronze, no Largo da Carioca. O pombo é de carne, osso e penas.)
Para frente, ou para o alto há sempre o que admirar…
Pão de Açúcar-RJ
Até nas subterrâneas estações de metrô…
Metrô do Rio
Metrô do Rio
Metrô do Rio
Metrô de Ipanema
Praia de Ipanema, Dois Irmãos, ao fundo
(Praia de Ipanema. Ao fundo, Morro Dois Irmãos)
Marquei de encontrar uma amiga em Ipanema, que me levou a almoçar num acolhedor restaurante na Visconde de Pirajá, a duas quadras da praia:
Market Ipanema-RJ
Market Ipanema passa quase desapercebido a olhares desatentos mas, vale a pena conhecê-lo!
Market Ipanema-RJ
Vá disposto a sentar e aguardar sua vaga numa mesa, porque o restaurate é pequeno, mas disputado. Não irá se arrepender, pela espera.
A amiga virtual( que virou real), a carioca Lucia Simões:
Encontro em Ipanema
Companhia agradável e cardápio delicioso, a começar pela cestinha de pães artesanais, servida com azeite no pratinho.
Pedi um atum em crosta de gergelim e sementes de girassol, mal passado no centro: simplesmente fantástico!
Gostei tanto, que voltei no dia seguinte, dessa vez arrastando o marido, que pediu uma refrescante salada de lentilhas vermelhas com brotos de rúcula, como entrada:
Salada de lentilha vermelha
Lugar frequentado, inclusive, por Marcos Palmeira: demos de cara com ele, à saída.
Depois do almoço com a Lucia, andança pelas ruas do bairro, até a praia.
Numa das esquinas, Du Moscovis na sua lambreta vintage, com a mulher, Cynthia Howllet, na garupa.
Muitas lojas e restaurantes bacanas. Parei pra fotografar o interior deste, com um paneleiro no teto, filtrando a luz:
Lustre paneleiro-Ipanema
Lustre paneleiro-Ipanema
E a parede, na loja Totem-Ipanema, inspirada nos anos 70:
Loja Totem-Ipanema
De Ipanema ao Leblon, um pulinho.
Não resisti a esta escada, na loja Maria Filó( Shopping Leblon):
Escadaria loja Maria Filó-Leblon
Noutro dia de andanças, parei na pequena loja da Saraiva, na Cinelândia. Ambiente acolhedor para um café e leitura, com decoração caprichada:
Saraiva Cinelândia-RJ
Rio antigo estampado na parede:
Saraiva Cinelândia-RJ
Pratos alegram outra:
Saraiva Cinelândia-RJ
E a vista da rua, em frente:
Saraiva Cinelândia-RJ
Centro do Rio
Cada passagem pelo Rio, um pulinho indispensável à mais antiga loja da Granado, bem no Centro da cidade, região de igrejas e prédios históricos:
Centro do Rio
Esta é a entrada do Liceu Literário Português:
Liceu Literário Português-RJ
Liceu Literário Português-RJ
Liceu Literário Português-RJ
Casario antigo:
Casario, Centro do Rio
Casario, Centro do Rio
E, na véspera da prova da meia maratona, encontro com pessoas muito especiais, na Forneria Santa Filomena, para saborear as empadinhas do André Nogal( o brigadeiro de colher, com chocolate belga, é de comer de joelhos!):

Além da comidinha boa e atendimento simpático, vale conferir cada detalhe da decoração, engedrada pela própria Vivianne Pontes, nossa musa bloguística do Dcoração.
Eu, pra variar, acabei esquecendo de colocar o cartão de memória na minha máquina fotográfica. Perdi a chance de registrar tudo. ( As fotos são do site da Forneria)
Entrada:

Banheiro feminino:

Mais fotos detalhadas do interior do restaurante, aqui!
Um delicioso encontro:

Milena Orlando, Kátia Bonfadini, Vivianne Pontes e eu!
Não é pra amar a Cidade Maravilhosa, de pessoas maravilhosas?…

Leia Mais

A Meia inteira

Pão de Açúcar-RJ
Só ontem consegui ver as fotos da meia maratona, por isso o post chegou atrasado.

Convido-os a percorrerem comigo 21 Km em imagens, da Barra da Tijuca ao Aterro do Flamengo, no Rio.

Correr é solitário. Por mais que se treine em equipe, é somente com empenho e disciplina que se consegue vencer as limitações do corpo e atingir os objetivos. Mas quando se tem a oportunidade de participar de um grande evento como esse, com 21.000 inscritos, a impressão que dá é de pertencer a uma grande tribo, sem diferença de sexo, idade, cor ou língua.
Foi o que senti quando cheguei ao MAM, na véspera da corrida, e vi aquela multidão reunida para pegar o kit de corredor:
Entrega de kits para Meia Maratona
Naquele dia, esse espaço foi palco de muitas histórias de esforço que, se não podem ser consideradas obras de arte, ao menos, obras de vidas.
MAM-RJ
E o coração já começou a acelerar…
MAM-RJ
Tanto, que não consegui dormir na noite anterior à prova. Às 4h da madruga já estava de pé para pegar o ônibus, que sairia do Aterro do Flamengo e nos levaria à largada, na Praia do Pepê, Barra da Tijuca.
Chuva e vento frio castigaram os madrugadores, mas nada que tirasse o ânimo desse povo.
Meia maratona do Rio
O dia nem bem clareou e a multidão se aglomerou na largada. Não havia espaço nem para se mexer.
Meia maratona do Rio
Às 6:40h, início da prova, a chuva deu uma trégua, temporariamente, mas o tempo continuou cinza.
E a inundação no túnel, na saída da Barra, foi de gente!
Meia maratona do Rio
Gente de todo tipo, mas todos de bom-humor, como esta moça de asinhas laranja( será que bebeu Red Bull, antes da corrida?):
Meia maratona do Rio
Uma honra, participar ao lado de “The Flash”:
Meia maratona do Rio
Mas, como era de se esperar, ultrapassou-me.
Meia maratona do Rio
No último quilômetro da prova, já no Aterro, Capitão América deixou-me para trás( devia estar correndo para salvar o mundo):
Meia maratona do Rio
Já na dispersão, Pão de Açúcar para recuperar as energias:
Meia maratona do Rio
Pessoal do “handcycle” também participou:
Meia maratona do Rio
Assim como algumas figuras hilárias:
Dia de Fla/Flu
Dia de Fla/Flu
Não sei se o galinho garnizé correu, mas veio a caráter, em clima de FlaXFlu:
Meia maratona do Rio
Meia maratona do Rio
E a maior recompensa, para quem se preparou há meses, foi chegar:
Meia maratona do Rio
E chegar sorrindo:
Meia maratona do Rio
Próxima estação: “10 Milhas Garoto”.
Obrigada pela companhia!

Leia Mais

3…2…1…

De repente bateu uma carência fora de hora no Pingo, uma “força estranha no ar”…
Colo
Desejo de ficar mais pertinho…
“Não se vá!…”
Carente
A afoita Chanel foi mais clara, na proposta:
Delivery
“Mas não posso levá-la comigo, Chanel: ‘é dia de corrida, bebê’!”
fazendo as malas
Estou aqui, entre o mar de Ipanema e os Dois Irmãos, na contagem regressiva para a prova de domingo…
Eu e os "Dois Irmãos"
( Foto: Lucia Simões)
Conferindo, que o “Rio de Janeiro continua lindo…”

Leia Mais

Viajando…

Tempo não espera, muito menos, trabalho. Hora de voltar à programação normal, apesar da gripe não ter sido programada.

Não programada, também, foi a viagem ao Amazonas. Mas, aproveitando a oportunidade, a promoção na empresa aérea, perguntei-me: “por que, não?…”

Manaus passou por muitas transformações desde que a deixei, há mais de 18 anos. A cidade sofreu um “boom” imobiliário e teve um crescimento vertical: muitos novos prédios residenciais, principalmente, voltados para a classe média alta.
Uma capital de contrastes: pobreza e riqueza, simplicidade e luxo, trânsito infernal e bucolismo convivem, nem sempre, tão pacificamente.
O Teatro Amazonas é o maior símbolo da época de ouro, ou melhor, do império da borracha em Manaus:
Teatro Amazonas
Tivemos o privilégio de assistir a um show do projeto Voa Viola, no Teatro. A apresentação, que durou quase 2 horas, mostrou vários artistas que divulgam a moda de viola pelo Brasil, encerrando com o nacionalmente conhecido Chico César. Uma noite inesquecível!
Teatro Amazonas
A região em volta do Teatro foi revitalizada, o casario, tombado e restaurado.
Largo São Sebastião
Largo São Sebastião
Ondas não são privilégio apenas da carioquíssima calçada de Copacabana:
Praça São Sebastião-Manaus/AM
Quem planeja visitar Manaus, precisa reservar um tempo para sair da cidade e conhecer o interior. Num estado do tamanho do Amazonas e, num curto prazo, isso é praticamente impossível, mas há opções mais acessíveis, como Presidente Figueiredo:
Presidente Figueiredo-AM
A pouco mais de 1 hora de Manaus, na estrada que leva à Roraima, fica a pequena cidade onde é possível encontrar natureza intocada.
Presidente Figueiredo-AM
Aqui há muitas cachoeiras e corredeiras de águas límpidas.
Presidente Figueiredo-AM
Algumas ficam escondidas, no meio da mata.
Presidente Figueiredo-AM
Resolvi explorar a cachoeira, rio acima.
Presidente Figueiredo-AM
Uma delícia pisar um chão de xaxim, formado por muitas camadas de folhas e matéria orgânica sobrepostas:
Presidente Figueiredo-AM
Mais gostoso ainda é chegar na pousada e encontrar nosso almoço quase pronto, sobre a brasa:
Tambaqui na brasa
O Norte tem muitas delícias e, se pensa numa viagem diferente, disponha-se a aproveitar todos os sabores regionais, como: tapioca, açaí, tucumã, pupunha, cupuaçu, tambaqui e outros peixes, guaraná, tacacá…
Tacacá
Um detalhe importante é informar-se sobre as chuvas na região: dependendo da época, cheia ou seca, a paisagem pode mudar bastante. Mas, em todo tempo, conhecer essa parte do Brasil vale muito a pena!

Leia Mais