Costurando ideias

Em casa de ferreiro o espeto é de pau. Em casa de crafteira, botão.
Se alguém não sabe o que fazer com sobras de botão, aqui vão algumas sugestões:

Loveology

Na última revista Make, gatinho e almofada bicolor:

Almofada

Da mesma revista, um passarinho perfumado:

Passarinho

Ainda, bastidores com flores de feltro e botões:

Botões no bastidor
Botões e feltro

Usei a ideia na minha casa e apliquei botões de madeira no bastidor, enquanto não encontram um outro fim:

Detalhe na parede

As meninas do Superziper ensinam a fazer um coração, reutilizando botões:
Passo a passo, aqui!
E por fim, só porque achei tão gracioso quanto as ideias mostradas:

Filhote

Leia Mais

"Histórias pra gato dormir"

Estrelando: Pingo e Nina

(Se existe história, até para nanar um boi, por que não, para GLS: Gatinhos levados e Simpatizantes?!…)

Não simpatizantes que me perdoem, mas, desde que passei a conviver com a espécie, pra mim, “quem não gosta de gatos bom sujeito não é…” ( Licença médica, somente aos que têm rinite alérgica!)

Só pra descontrair, que ontem foi “pauleira”, chegou a melhor hora do dia…
(Chegar em casa depois de um plantão é bom, especialmente quando lembro que filhos me esperam com “carinhos e beijinhos”, porém abraçar, apertar e amassar bolinhas de pêlo é prazer indescritível! Quem tem o diga!)

“Então, senta que lá vem história!” (De gatos!…)

Gato enquadrado

Gatinho enquadrado( eu que fiz!)

Quem acompanha a história desde o princípio( e seus desdobramentos melodramáticos) poderia estar se perguntando como andam Nina e Pingo.
Vão bem, obrigada!
Pingo voltou a ser o rei da casa mas, um rei dos tempos feudais, aceitando a presença da plebeia em suas terras, à troco de vassalagem.

A tolerância custa caro( não à Nina, que não paga suas contas, mas a mim): o gato concordou com a convivência forçada ao perceber que poderia tirar vantagens disso…

Desde que ficou doente ano passado, precisamos mudar a ração do Pingo para outra, especial para gatos com problema renal. Estava satisfeito, até então ou, até Nina chegar em casa:

“Obaa! Carne nova no pedaço!” comemora Pingo, com o focinho enterrado no pote de ração…da Nina!

Ele, voltou a fazer o que mais gosta: comer, dormir e fiscalizar o quintal, seu território.
Ela, faz o mesmo( o mais importante, na ótica de uma filhote): brincar e dormir, não necessarimente nessa ordem, não importando o lugar!

Aconchego
O caçula fica todo convencido! Vive se gabando de que a gatinha o escolheu( e gatos escolhem, mesmo!):
“Mãe, quantas vezes a Nina já dormiu com você?” pergunta ele, só pra ter o prazer de ouvir minha negativa!
( Ok. Quem torceu o nariz pra essa história de “prazer em dormir com bicho”, pula essa parte!)

“Mas nem só de sono viverá o gato”, diz a Bíblia dos felinos.
Qualquer papel no chão, bolinha, pedaço de linha ou, até o próprio rabo: tudo vira brinquedo! Nada, que se compare a uma lagartixa: o “game de última geração dos gatinhos”, grandes ou pequenos!
Como filhote saudável já incluiu na sua rotina diária, além de “arremesso à distância de lagartixa morta”, exercícios ao ar livre:
Escala muretas no jardim, pula janelas, foge do Pingo turrão, explora o terreno do “grande monstro labrador Hulk” e, de volta à segurança do lar, pratica “relaxamento em almofadas fofinhas”…

Capotei...
Mas, não podemos esquecer que (mau) “costume de casa vai à praça”: achada nas ruas, Nina ainda comete pequenos delitos (resultado de sua falta de educação), impensáveis a nobres da estirpe “viralatesca” de Pingo!
Perturba a hora sagrada da refeição dos humanos, chegando a “pedir esmola no cruzamento”: qualquer migalha serve mas, se for um pedaço de filé, agradece! Hábito alimentado( literalmente) pelo protetor humano pequeno. Flagrados, ambos são repreendidos severamente( “pero no mucho!”…) pela PM( Patrulha Materna):
“Assim, não pode! Assim, não não dá! Querem me desmoralizar de vez?!”

Apesar disso, ela ainda provoca:
“Eu sou o rei do Mun-dooo!”

'
“Isto é uma ver-go-nha!”
Mamães gatas: tirem seu gatinhos da sala!
Essa pirralha enlameia o bom nome dos felinos!
Não quero ver isso!…
Não perturbe!
-Por que não aprende noções de etiqueta comigo, sua menor delinquente?
Precisa ver o mundo de cima, como todo gato nobre faz!
Suprerioridade
(Quadro “Olívia”, Andrea Guim)

-Sim, tio! Quero fazer parte desta nobre família!
Então, me ensina a ser elegante?
Olha só, como já sei ficar na pontinha dos pés!
Olha que elegância, em duas patas!
Posso brincar de esconder com você?
Brinca comigo?...
Se não quer brincar comigo, não precisa!
Tenho meu próprio arranhador gigante e você, não!…
Tomando conta do sofá
Que foi? Vai encarar?
Também, não precisa gozar da minha cara!…
Oi!
Eu não queria brincar, mesmo!…
Pausa para o cochilo
Veja o que encontrei por aqui: uma amiguinha coruja!
Mas, que chulé!
(Uhm…Mas ela tem chulé!…)
Só eu, sou a fofa da casa!
Enquanto isso, na sua cat-caverna…
Escondido
“Antes de esmagar um inimigo é necessário conhecê-lo”…
'Analisando
-Crianças: comportem-se e não briguem!
-Sim, mamãe, prometemos
!
À espreita
-Sua menor infratora: seu lugar é na rua!
Este arranhador é meu, desde “a criação do mundo!
Chispa daqui!!
Disputa de mercado
-Tenho patinhas, garrinhas e unhinhas, mas são todas, bem afiadinhas! Quer ver?!…
Pequena e petulante
-Ok. Você venceu. Não quero me rebaixar a esse nível de conversa( mesmo porque, minhas costas doem…).
Mas não se meta a besta porque é só por hoje, viu?!
Agora, será que pode me ceder um pedacinho do seu arranhador 2 em 1?…
-Oh, sim! É conversando, que a gente se entende.
Deixo você dormir no meu sofá-flex: além de ótimo arranhador de garras é um excelente massageador de costas!
'Enfim,
Uhm…Acho que sono é contagioso. Depois dessa história de gato e rato( ops), digo, gato e gata, eu também quero uma cama; mas não precisa esse luxo de ser flex, plus, king! Macia, já é de bom tamanho…
Leia Mais

Um elefante na sala!

Você já “levou gato por lebre” pra casa? Ou foi responsável por algum “mico” decorativo? Um elefante branco, ou pior: um enooorme elefante( isso é redundância!) colorido, foi parar bem no meio da sua sala e ficou sem saber o que fazer com ele?! Depois da bobagem à sua frente, nem adianta fazer de conta que não é com você, ou o tipo: “tô nem ai, tô nem aí…”

Isso vive acontecendo comigo.
Às vezes, a gente compra no impulso e vai ver, aquele objeto ou reforma, inicialmente tão indispensável, nem é tão legal assim, ou ajustável à sua casa, à sua rotina…acaba não combinando.
No meio de um dos meus “surtos” reformatórios, resolvi que o quarto do menino do meio precisava ser pintado( precisava mesmo! Verdade!). Entrei de cara no “branco gelo”, imaginando não ter erro: numa tarde, pintei tudo( Ah! É pequeno, vai…)! Já era noite quando, decepcionada, constatei que tinha ficado hor-rí-vel! Não aguentei esperar: repintei tudo de marfim! O mesmo aconteceu com a cozinha: detestei o amarelo aplicado na parede, após tanto trabalho! Repintei, em outro tom.
Na sala, queria um sofá assim:
A história foi outra:
Como herança deixada pela antiga dona da casa, o sofá de boa estrutura, foi reformado após ser escolhida uma cor, que me parecia linda no mostruário!( Fica aqui, a dica pra quem deseja pintar um cômodo ou mudar o sofá: testar em um bom pedaço da parede, ou do móvel, a cor escolhida. O que pode parecer maravilhoso na amostra, pode assustar no resultado final!). Pois foi o que me aconteceu: sofá pronto, reformadinho e pareceu que a cor pesou, na minúscula sala!
Muitas “lágrimas vertidas e lamuriações” depois, tive de calar, ao ouvir a sentença dura, mas verdadeira: “Não pode reclamar! Você mesma que escolheu!” Tá bom, tá bom! Resignei-me ao meu insignificante conhecimento de cores: tô quieta e até tentando me acostumar, mesmo porque, há muitas prioridades na minha listinha de afazeres, antes de mandar fazer uma capa neutra num bom estofador. Esperarei com paciência. Se depender do Pingo, que acha que o sofá é o seu afiador de garras gigante, logo, logo será necessária nova reforma!( Renovadas chances de outras mancadas!)
Vendo estes sofás no Apartment Therapy, achei até que a cor escolhida, nem foi assim uma brasteemp de erro!
Vermelho com laranja?!
Azul-laranja-azul?!
O famigerado “elefante”, cor de tijolo:
Poltrona laranja?!
O outro irmão do “tijolo”:
Vai deixar pagar este mico sozinha?! Confessa, vai! Quem nunca por aqui errou a mão, que atire a primeira pedra…
Leia Mais

Um elefante na sala!

Você já “levou gato por lebre” pra casa? Ou foi responsável por algum “mico” decorativo? Um elefante branco, ou pior: um enooorme elefante( isso é redundância!) colorido, foi parar bem no meio da sua sala e ficou sem saber o que fazer com ele?! Depois da bobagem à sua frente, nem adianta fazer de conta que não é com você, ou o tipo: “tô nem ai, tô nem aí…”

Isso vive acontecendo comigo.
Às vezes, a gente compra no impulso e vai ver, aquele objeto ou reforma, inicialmente tão indispensável, nem é tão legal assim, ou ajustável à sua casa, à sua rotina…acaba não combinando.
No meio de um dos meus “surtos” reformatórios, resolvi que o quarto do menino do meio precisava ser pintado( precisava mesmo! Verdade!). Entrei de cara no “branco gelo”, imaginando não ter erro: numa tarde, pintei tudo( Ah! É pequeno, vai…)! Já era noite quando, decepcionada, constatei que tinha ficado hor-rí-vel! Não aguentei esperar: repintei tudo de marfim! O mesmo aconteceu com a cozinha: detestei o amarelo aplicado na parede, após tanto trabalho! Repintei, em outro tom.
Na sala, queria um sofá assim:
A história foi outra:
Como herança deixada pela antiga dona da casa, o sofá de boa estrutura, foi reformado após ser escolhida uma cor, que me parecia linda no mostruário!( Fica aqui, a dica pra quem deseja pintar um cômodo ou mudar o sofá: testar em um bom pedaço da parede, ou do móvel, a cor escolhida. O que pode parecer maravilhoso na amostra, pode assustar no resultado final!). Pois foi o que me aconteceu: sofá pronto, reformadinho e pareceu que a cor pesou, na minúscula sala!
Muitas “lágrimas vertidas e lamuriações” depois, tive de calar, ao ouvir a sentença dura, mas verdadeira: “Não pode reclamar! Você mesma que escolheu!” Tá bom, tá bom! Resignei-me ao meu insignificante conhecimento de cores: tô quieta e até tentando me acostumar, mesmo porque, há muitas prioridades na minha listinha de afazeres, antes de mandar fazer uma capa neutra num bom estofador. Esperarei com paciência. Se depender do Pingo, que acha que o sofá é o seu afiador de garras gigante, logo, logo será necessária nova reforma!( Renovadas chances de outras mancadas!)
Vendo estes sofás no Apartment Therapy, achei até que a cor escolhida, nem foi assim uma brasteemp de erro!
Vermelho com laranja?!
Azul-laranja-azul?!
O famigerado “elefante”, cor de tijolo:
Poltrona laranja?!
O outro irmão do “tijolo”:
Vai deixar pagar este mico sozinha?! Confessa, vai! Quem nunca por aqui errou a mão, que atire a primeira pedra…
Leia Mais

Devaneios de Cinderela…

…Ou seria: gata borralheira?!
Se há uma coisa que me aflige é “deixar para amanhã o que se pode fazer hoje”! Fico doente, porque gosto de resolver tudo pra ontem! Difícil é se programar, quando situações que independem da sua vontade atrapalham seus planos. Tento dizer a mim mesma o que diz o “sábio” Chapolim Colorado:”Palma, palma! Não priemos cânico!”
Projetos de arrumação da casa estão meio encalhados, diante de outro mais urgente:
Estou virando uma Indiana Jones!

Um título mais apropriado pra mim, seria: “Indiana Jones e a Caçadora da Empregada Perdida!”
Quase 3 meses sem uma pessoa certa pra me ajudar e estou entrando em pânico( Chapolim, não me ajuda muito)! Às vezes, dá vontade de chegar em casa, sentar no chão( depois de passar pano) e chorar( aí, repassar o mesmo pano pra enxugar!)…”Peraumpouco”, que tem uma pia cheia de louça pra lavar e o “pití” tem de ficar pra depois(…de lavar a roupa)!
Queria ter mais tempo pra colocar umas coisinhas em ordem, antes de receber a visita da irmã que não vejo há uns 2 anos.
Pra dar leveza, só abstraindo, de vez em quando!
Vamos embarcar num devaneio, pensando que nosso universo bem que poderia ser rosa, assim:
Arranjo delicado, da Casa&Jardim.
Armário, bem de mulherzinha:Queria poder “jogar conversa fora”, usando um telefone fofo como este!
Com direito à pose pra foto de pin´up……e sapatilhas de princesa: …Jogada num sofá rosa:
Acompanhada do chá(rme) dessas latinhas, já me acalma…
(Eu tenho! Eu tenho!…O livro do Jamie Oliver sobre o balcão…)
Pensando que a ideia pode clarear:Coisas de menina “mimada”…
( Estou começando a achar, que a falta de assistente tem me deixado “com os nervos à flor-rosa- da pele”!)
Imagens:
Atualizando:
Acabei de ler o comentário da Flávia, no post anterior.
Apesar da semana difícil pra mim, tenho recebido manifestações de carinho que só têm aquecido meu coração, tão”sentimental, sentimental/um coração saliente/bate e bate muito mais que sente/fica doente mas é natural, natural…”
Obrigada, Flávia!( e Rosana, e Patrícia, e Teka, e Ana, e àqueles que me escrevem!)
Nem tudo são pedras: ver as “meninas”, abrindo alegremente o presentinho da promoção, também me deixou contente! Obrigada pelo entusiasmo compartilhado!
( Sniff…tô um manteiga derretida, mesmo! Acho que é a crise dos 40, chegando!)
Ainda:
Aproveitem pra dar uma passada no Manga com Pimenta, da Nana. Tem uma receitinha minha, recomendada lá. Tô ficando “falada”( no bom sentido).
Obrigada, Nana!
Leia Mais