“Começar de novo…”

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”, assim começa o terceiro capítulo de Eclesiastes, onde Salomão descreve a dinâmica da vida: buscar e perder, chorar e rir, prantear e dançar, falar e calar…
Faltou acrescentar: “tempo de confundir e tempo de esclarecer”. “Tempo de machucar e tempo de sarar a ferida”.
Por isso, recolhi-me. Calei-me, esperando as palavras certas, no tempo certo brotarem. Mas andam escassas; ou talvez não haja “palavra certa” pra definir, explicar certas coisas. Resta-nos usar as que sobram, torcendo para que, com sabedoria e sensibilidade saibamos escolher as melhores.

Leia Mais

Chanel, a blogueira!


Alô, alô, humanos leitores do Sala da La! ( Dirijo-me especificamente a essa espécie pois, certamente deve haver fãs felinos e caninos deste excelente, maravilhoso, hiperbólico, incomensurável e incomparável blog!! E não é por ser da minha humana, não, viu?! Mas, se ela me adotou é porque tem bom gosto em tudo o que faz!).
Acabei de completar 1 aninho, cheguei à maioridade e conquistei novos espaços! Sou uma jovem muito gata ou, uma gata muito jovem, como preferirem. Aprendi, rapidinho, a me comunicar! Afinal, vendo o exemplo de outros animais famosos que estão bombando, aí pela internet( como o meu ídolo-guru Borges, o Gato e aquela cachorrinha espevitada, a Estopinha), não poderia deixar de me inspirar e fazer menos, afinal, já nasci com nome famoso!
Então, vou contar um segredinho pra vocês:
Minha humana anda meio chateada; diz não estar dando conta de administrar vida pessoal, profissional, atletal, virtual…Não sei por quê?
Olha quanta coisa euzinha, tão pequenininha, do tamanho de um botão consigo fazer, num dia:

Meu dia começa cedo. Não por vontade própria mas, vejam bem, meus amigos, que abuso: minha humana sai da cama assim que o dia clareia, todos os dias da semana, ou pra ir ao hospital( será que ela tá doente?), ou treinar pra um tal de “maradona”, onde eles correm um montão e, no final, não ganham nenhunzinho sachê  de Whiskas( será que a Lala tá ficando lelé?)! Então, sou obrigada a despertar do meu sono de princesa quando despejada de cima dela, logo pela manhã.
Tudo bem. Mas não sem antes me alooooongar!
Então ela me serve um bom desjejum, na minha tigela de ração, e depois não a vejo por um bom tempo.
Enquanto isso tomo conta da casa mas, todo o cuidado é pouco!

Há mais dois gatos, que não vão muito com a minha fuça…
Um deles, fui advertida assim que cheguei, deve ser respeitado: é o mais velho, magnânimo e sábio dos felinos mas, nem sempre está de bom-humor.

Ele tem uma marca de pirata na cara( acho que, pra não deixar dúvida do quão valente seja!). Tenho um pouquinho de medo desse tio, mas até que é legal comigo.
Difícil, mesmo, é a Nina! Movida à inveja, acredito, pois não consegue ser tão linda quanto eu! Desde que vim pra cá ela me persegue. Mas vai ter de me engolir! Ops! Não tão literal, assim!

Ela é a protegida do menino da casa, uma filhinha de filhinho, eu diria. Como sou mais esperta, escolhi ser a filhinha da mamãe( embora seja meio rebelde, admito!).

Às vezes fazemos uma DR( Discussão de Relação) e ficamos um bom tempo, uma de frente pra outra: aquela que desviar o olhar primeiro, perde e sai correndo!
Não sei por que, mas quando minha humana está por perto sinto que tenho superpoderes, minha confiança aumenta: até rosno, manifestando minha opinião contrária!

Mas o que eu gosto, mesmo, é de explorar, conhecer outras visões do mundo…

Mas sei que serão discretos e saberão guardar segredo sobre essas minhas aventuras. Sabem como é: minha humana já tem preocupações demais, na cabeça.
Uma delas é sobre um gigante bobo que guarda o quintal: eles o chamam de Hulk e já é um senhor de 9 anos.
Talvez por não ser mais um cachoroto(ou, cachorro garoto) ele voltava mancando das corridas( a coisa mais estúpida, pra mim, porém, o programa mais legal pra ele!). Então a nossa humana o levou a um doutor, que não é o mesmo que trata de gente, entendem?
O cachorrão tá lá, cabisbaixo, proibido de fazer uma das coisas que mais gosta. E eu até teria uma pontinha de pena dele, não fosse o fato de que correr e se cansar não é nada bom! Ele deveria levantar as patas ao céu dos cachorros e agradecer, por não ser mais obrigado a fazer isso!

Mas, não! O cão (tá provado: não é tão inteligente quanto nós, gatos!) tá meio deprimido e estressado, a ponto de se machucar.
O médico cachorral mandou que lhe colocassem um cone engraçado na cabeça. Voltou pra casa, ontem, assim:

Acho que vou tentar aproximar-me dele para dar-lhe uns bons conselhos, um consolo, mas não sei se vai adiantar, nem ao menos, se vai me entender, porque falo em gatês fluente, enquanto ele, caninês.
Diria-lhe que, uma das melhores coisas do mundo é afiar as garrinhas no sofá, fazer uma boa sessão de alongamento, caçar lagartixas e praticar horas e horas de esforçado descanso! Acham que ele vai me ouvir?
Geralmente quando chega a noite a minha humana está tão cansadinha, que tem ido mais cedo pra cama. E eu, junto, porque ela não me deixa ficar assistindo à TV, nem no computador, sozinha( só agora, à tarde, que ela se descuidou e eu, aproveitei!).
Apesar disso tudo, estamos todos bem!

Viram quanta coisa eu faço de bom, num só dia? Mais uma: salvo a minha humana da vergonha de não conseguir atualizar o próprio blog( que incompetente!)! Então, se faço, faço-o( e até, melhor!) por ela!!
E, se estão sentindo falta( mesmo que não tenha recebido autorização para tal), prometo publicar umas fotinhas dela, ok? Prometem que não me entregam? É apenas uma prova de vida…
Vou mostrar alguns looks que só a Chanel aprovaria…

(Volto e, logo, se não for descoberta!! Sou a ghost writer cat: dorei a experiência!!)
Como diria meu ídolo, o Borges:
Lambeijos!

Leia Mais

Tirando o pó…

O historiador, jornalista e crítico literário( além de, pai de Chico) Sérgio Buarque de Holanda, em seu livro “Raízes do Brasil, descreveu o “desleixo” como uma “palavra que o escritor Aubrey Bell considerou tão tipicamente portuguesa como ‘saudade’ e que, no seu entender, implica menos falta de energia do que uma íntima convicção de que ‘não vale a pena…’.” ( Destaque meu.)
A depressão, também um tipo de abandono( de desejos, planos e perspectivas…), poderia ser considerada “desleixo” emocional: um “dar de ombros” para o cotidiano, como se nada valesse realmente a pena.
O desânimo pode ser tanto, que não se tem vontade de explicá-lo. Como cantaria Lulu: “deixa assim ficar subentendido…”
Ou, como naquele samba antigo:
“Só melancolia os meus olhos trazem
Ah, quanta saudade a lembrança traz…”

O compositor exprime sentimentos através da sua música. Já eu, tento fazê-lo, escrevendo. Dessa vez, nem isso.
Não queria chamar atenção, despertar pena ou, indiferença.
Ao contrário de Paulinho da Viola, que ao ver sua Portela passar alegrou-se e cantou:
“Foi um rio
Que passou em minha vida
E meu coração se deixou levar”, queria cantar o mesmo, mas sobre ela, a tristeza.

Se eu fosse um empresário abastado, ou líder político qualquer, poderia desembolsar R$22 mil e pagar pacote anti-stress num spa famoso: talvez, voltasse melhor. Como não sou, restam-me “terapias alternativas”: estourar plástico-bolha, ou enfiar a cara no trabalho( enfiar o pé na estrada e correr, também ajuda)!

Não sei se explica meu sumiço mas, espero, que me exima de culpa.
Porque, se até o papa se sente fraco, dobrado pelo peso da idade e responsabilidades, a ponto de abdicar de tão elevado cargo e ignorar um “chamado” divino, quanto mais, eu!
Fechei pra balanço, com direito à plaquinha na porta, de: “Não perturbe!”
Precisamos aprender com os gatos a lamber algumas feridas, sozinhos. Acho que nos devemos isso( e, aos outros), de vez em quando.

Pelo mais óbvio dos motivos( daqueles admissíveis, pelo menos…): o retorno do filho para a Alemanha.
Despedimos-nos no Rio, há cerca de 2 semanas. E parece que lá se foi parte de mim. Sobrou o vácuo…

Embora tudo tenha sido combinado previamente e, racionalmente, concordado e apoiado tal decisão, não sabia o quão difícil seria dessa vez. Da primeira, tinha certeza que voltaria…

Li a crônica da Danuza Leão, na Cláudia de janeiro. Tenho de concordar com ela: planos a curto, curtíssimo prazo podem salvar o dia, seu humor!
Sim, precisamos de planejamentos a médio e a longo prazo, de objetivos( e de buscar meios, para que os alcancemos!) mas, viver de expectativas futuras a perder de vista pode gerar frustrações. Pensemos longe porém, sem tirar os olhos do aqui-agora!

O blog completou 4 anos, final de janeiro.
Admito: fui mãe desnaturada e não lhe acendi nenhuma vela, não festejei; nem mesmo convencida estava de que haveria motivo para fazê-lo. Mas é importante lembrar.
Acho que aqueles me acompanham nesse tempo todo amadureceram, junto comigo e o SaladaLa.
Recebi e-mails, algumas mensagens pelo Facebook: todos, de simpatia. Sem cobrança. Apenas, recadinhos: “você faz falta”, “seu blog me inspira”…
Como continuar achando que “não vale a pena”?!
Então, pensei que uma hora precisaria sair do casulo e admitir, também: sou como o papa ou, depois dessa mudança de paradigma, como qualquer outro filho de Deus.
Pensei no recado indireto que a Danuza me deu( bem lembrado, pela amiga Rosana Sperotto) e comecei este post. Sendo coerente com o que escrevi, lá em cima, “desleixadamente” posterguei sua conclusão.
Há 1 semana, ensaio: abro o editor, escrevo, apago, fecho…releio, no outro dia. Acho tudo uma pieguice…
Talvez esteja enferrujada.
Dizem que no Brasil o ano só começa depois do carnaval. Não sou de folia, mas declaro oficialmente aberto o 5° ano do blog!
Não sei como será daqui pra frente, se “tudo diferente” mas, a curto prazo meu plano é este: desencantar, desencalhar, desempoeirar, desempoleirar, desopilar…
É hora, mesmo que atrasada, de festejar!

“Eu refleti na lição
Da minha vida insana:
Cuide bem daqueles que você chama de seus
E mantenha as boas companhias.”
( Queen)
Um abraço bem grande!

( E esse cara, aí de cima, foi aprovado no Studienkolleg bei den Universitäten des Freistaates Bayern, em Munich. Traduzindo: por enquanto, mais um ano longe. Propus-me, então, a não fazer planos num prazo maior que esse…)

Leia Mais

Atualizando

Não esperava fazer um post só pra me desculpar porém, depois de mais de uma semana sem atualizar o blog senti necessidade de dar alguma explicação, por respeito a quem me acompanha.
São quase 4 anos blogando ininterruptamente, sem férias. Mas o sumiço não é por amenidades.
Além da falta de tempo, essa semana recebi uma notícia que me balançou bastante. Nenhuma tragédia pessoal mas, se confirmada, poderá mudar alguns planos para o próximo ano( ou dois, ou três…).
Ainda não é o momento de dividir isso aqui, publicamente. É o momento de pedir compreensão e um pouco mais de paciência até conseguir me reorganizar, interna e externamente. Uma questãozinha de dias, espero.
Nunca pensei em parar. Vamos considerar esse “break” apenas como um suspiro, necessário pra renovação do fôlego.
Aproveito a ocasião pra fazer um convite: mesmo que a comunicação por lá seja “fast”, na minha página pessoal do Facebook as atualizações são diárias. Gostou da ideia? Mande um pedido de “faceamizade” pra mim: Laély Fonseca.
Té mais!

Leia Mais

Meus segredos…

“Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?
Isso depende muito de para onde queres ir – respondeu o gato.
Preocupa-me pouco aonde ir – disse Alice.
Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas – replicou o gato.”

O diálogo entre Alice e o gato ilustra o quanto é importante estabelecer metas e planejar estratégias, quando se deseja atingir um determinado objetivo.

Há cerca de 9 meses gestei uma ideia, aqui na cachola: precisava mudar! Insatisfeita com meu peso, não conseguia encontrar a “saída”, como a perdida Alice. (Relembrando minhas queixas sobre essa insatisfação, neste post aqui, de abril de 2011).
Mesmo me empenhando nos exercícios, o corpo parecia não responder: resolveu entrar em greve e fazer birra comigo.
Era necessário atuar noutra frente de batalha porque, emagrecer não é mágica: é matemática! Comer menos do que se consome ou, consumir mais do que se come.

Reconheci que, depois dos 40, não seria tão fácil quanto imaginava.
Difícil, sim, impossível, não!

Achava que comia direitinho, mas resolvi procurar uma nutricionista. Assim, encarei um programa radical seca-gordura.
O resultado desse comprometimento( e da dupla infalível: dieta&exercício) não poderia ser diferente: nos últimos meses consegui emagrecer 8Kg .
O fechamento desse ciclo será no próximo domingo, quando participarei da minha primeira prova de longa distância(uma meia maratona), no Rio.

“-Oh, certamente que hás de chegar, disse o gato, desde que caminhes o suficiente.”

Concluir uma prova de 21 Km já é caminhar suficientemente. Porém, uma conquista que não se faz da noite para o dia: é quilômetro a quilômetro.

Embora seja um projeto pessoal, muitas pessoas se identificaram com a minha história, contada em fotos aqui no blog. Notaram diferenças. Algumas me escreveram, querendo saber qual o “meu segredo”.
Se tivesse descoberto algum, ou fórmula, dessas que propagam pela internet para emagrecer sem esforço, já estaria escrevendo um livro e ganhando muito dinheiro com isso.

Pensei em contar minha experiência esperando ajudar aqueles que, como eu, ou Alice, procuram uma saída, um caminho, ou apenas, estímulo.

Como naqueles programas de TV onde a pessoa passa por uma transformação radical, deixo aqui meu “antes&depois”:

A foto da esquerda foi feita em abril de 2011. A da direita, hoje pela manhã.

Alguém poderia estranhar o círculo preto no meu rosto, como se estivesse me escondendo. Estaria eu, com VERGONHA do que fui um dia?…
Jamais porque, assim como o blog mudou de cara nesses 3 anos e meio, eu também posso mudar, ué! E mudar, da ideia de mudar!
Mas a essência é a mesma! O Sala é da La, não da Le, nem da Li, nem de um fake qualquer. Tem nome, sobrenome, endereço de e-mail, uma família( de humanos, gatos e cachorro), adora música, moda, decoração, cozinhar…Se o que faço é relevante o suficiente para ser publicado?! Sinceramente, não sei.

Numa entrevista sobre desapego Danuza Leão disse, no Mais Você, que todos deveriam escrever um diário, ou blog para registrar a própria história. Faço apenas isso.

A foto da E foi “maquiada” e “estrelou” o post, num desses blog que vive de trollar os outros. Recebeu acalorados comentários, como (dentre os que eu poderia transcrever aqui): “cafona”, “brega”, “velha”, “zambeta”, “roupa feia do $%#*&##!”, “ridícula”, “sem valores”…

Mas já disse, e repito: não tenho VERGONHA!
Aliás, tenho: VERGONHA na cara e de ver, que muita gente que se diz descolada, de opinião, se esconde atrás do manto seguro do anonimato.

(Não vou deixar o link do referido blog, porque nunca fez parte da minha política indicar trabalho que não admire e, porque trollagem é bicho faminto: quanto mais o alimentamos, mais nos consome!)

Ponto.

Então, como havia prometido, vamos falar de…
Mas para o post não ficar cansativo, deixarei para contar “meus segredos” no próximo.

O importante é o seguinte: se está acima do peso, ou foge aos padrões estéticos mas, de bem com a vida, não considerando isso um risco à própria saúde, casamento, bom-humor ou, seja lá o que for…”erga as mãos para o Céu e agradeça!” Seja feliz!
Mas, se quiser mudar…é só querer!

(Continua…)

Leia Mais