Atualizando

Não esperava fazer um post só pra me desculpar porém, depois de mais de uma semana sem atualizar o blog senti necessidade de dar alguma explicação, por respeito a quem me acompanha.
São quase 4 anos blogando ininterruptamente, sem férias. Mas o sumiço não é por amenidades.
Além da falta de tempo, essa semana recebi uma notícia que me balançou bastante. Nenhuma tragédia pessoal mas, se confirmada, poderá mudar alguns planos para o próximo ano( ou dois, ou três…).
Ainda não é o momento de dividir isso aqui, publicamente. É o momento de pedir compreensão e um pouco mais de paciência até conseguir me reorganizar, interna e externamente. Uma questãozinha de dias, espero.
Nunca pensei em parar. Vamos considerar esse “break” apenas como um suspiro, necessário pra renovação do fôlego.
Aproveito a ocasião pra fazer um convite: mesmo que a comunicação por lá seja “fast”, na minha página pessoal do Facebook as atualizações são diárias. Gostou da ideia? Mande um pedido de “faceamizade” pra mim: Laély Fonseca.
Té mais!

Leia Mais

Deu o que falar…

(Imagem, dAqui)
Enquanto preparo novo post, compartilho algumas das minhas últimas atualizações no Facebook:
“Ministro do trabalho declarou em entrevista, ontem, estar preocupado com essa onda de ‘denuncismo’( depois de Veja ter revelado que, assessores próximos a Lupi estariam envolvidos em mais um escândalo de corrupção).
Mas, afinal, o problema é o ‘denuncismo’ ou, ter o que denunciar?…”

09/11
“Alguém deveria lembrar ao senhor ministro do trabalho, que o cargo que ele ocupa não é vitalício e sim, comissionado!”

“Menino mais novo, ontem, após ouvir a declaração inflamada do ministro do trabalho
( até quando?…) à imprensa:
‘Mãe, a presidente precisaria criar um Ministério das Explicações, para facilitar a vida dos ministros’.”

13/11
Mudando de assunto, “Momento Caras”:

Li numa revista, sobre o jovem ‘ator’ Caio Castro, algo que me chamou a atenção: Ele ‘modestamente’ deu-se nota ‘9,0’ como amante, porque, nesse quesito, ‘sempre há o que melhorar’!…
Mal saiu das fraldas e, talvez isso explique a imatura declaração.
Numa época em que se ‘coisificam’ as pessoas, mulheres ‘frutificam’ como maçã, pera, melancia, morango( e pasmem, até beringela!), somos pressionados a virar ‘máquinas de sexo’, com avaliação de desempenho e direito a ‘recall’!
Nota ‘0’ para a modéstia dele, mas a ‘fina estampa’ ainda o salva: ‘7,0’, na média, está justo?…
E, como cantaria Cazuza:
Raspas e restos
Me interessam
Pequenas porções de ilusão
Mentiras sinceras me interessam…”



Voltando a falar de “assunto sério”:
(Silvio Berlusconi, mentor de bravatas do ministro Lupi e, que acaba de ser “abatido à bala” do cargo de 1° ministro.)

Agamenon é o Rafinha Bastos que sabe fazer graça.
Na seção ‘Figuraça da Semana’, jornal de hoje, sobre o ministro Lupi:
‘O BOPE está pensando em mandar os seus atiradores de elite para dar cabo do ministro Lupi do PDT, Partido Democrático Trambiqueiro, que disse que só ia sair à bala da sua ‘boca’, quer dizer, do seu ministério. O Ministério que dá Trabalho’.”

Se curtiu, então me curte lá!

Leia Mais

Prepare a pipoca…

Prepare o seu coração, 
Pras coisas
Que eu vou contar!…(*)
*Trecho da música Disparada.

Só aqui, no Saladala, você fica por dentro das notícias mais imprescindivelmente inúteis do momento!

“Baby, baby, baby, oooh!” Quem viver, verá! 
Será?…
LivrosobreavidadeJustinBieber Justin Bieber lança livro sobre sua vida
Depois da biografia e filme sobre Justin Bieber lançados ano passado, o grupo Restart abraçou a ideia aproveitando o sucesso-miojo-instantâneo: Também lançou biografia e já pensa num filme para este ano!
Pe lanza, Pe lu, Pe dante e Pe linho

E já fico imaginando o título da película, com o patrocínio de loja de tintas:
“Colorindo o mundo com Restart”
Ou algo, na língua do “p”:
“PeGa, PeRo, PeTos, PeCo, PeLo, PeRi, PeDos”
Pensando Pbem, Pacho Pque Pesse Petítulo Pnão Piria pegar: Pé Pmui Pto Pgran Pde.

Antes que recobrem o fôlego é bom preparar a emoção( e paciência) para outro grande lançamento do ano: 
Joelma e Chimbinha, da Banda Calypso, devem ganhar homenagem nas telonas.

Se a cantora e dançarina paraense até lançou moda “inspirada” no seu “estilo pessoal”, por que não um filme?!
Como diria Lady Kate:
“Tô pagaandu!”
Agora é esperar, para ver quais serão os artistas a interpretar o casal no cinema.

Falando em artista, Tiririca deveria ganhar o título: “O homem do ano de 2010”. Sua candidatura, aliás, a candidatura do senhor Francisco Everardo Oliveira Silva só não foi mais falada que a candidatura feminina à presidência da República( por sinal, Dilma ganhará cinebiografia em breve)!
A palhaçada deve virar filme, também. 
E, de todos esses grandes lançamentos cinematográficos citados, o único que, talvez, eu teria curiosidade em assistir seria o filme sobre Tiririca.
Quanto aos outros, parodiando Justin Bieber eu recomendaria:
“Ever say never!”

Mas, falando sério:
Quase não acreditei quando vi a Rosana Jatobá de volta à previsão do tempo, no JN.
Parece que foi ontem que a jornalista anunciava a gravidez de gêmeos, mas Benjamim e Lara acabaram de completar 6 meses. 
Rosana Jatobá com os gêmeos Lara e Benjamin (março/2011)
Rosana, com os gêmeos de dois meses

O mais inacreditável foi a boa forma e elegância da morena do tempo, em tão pouco tempo depois do parto! 
Ai, ai! E quando lembro que meu último parto foi há mais de 11 anos, e ainda não entrei em forma!…
Mas, nada que não se transforme com algum(muito!) esforço!

Foi o que motivou a publicitária Jojo criar o blog “Um ano sem Zara“.
Consumista assumida, e falida(além de insatisfeita com o peso), Jojo resolveu dar um basta nesta situação tomando uma decisão radical: não comprar nenhuma( mas nenhuma, mesmo!) peça de roupa em 365 dias!
A ideia era fazer um diário virtual onde ela mostraria produções, revezando peças e acessórios do seu abarrotado guardarroupa de fashionista. O resultado foi um blog referência em moda, com uma pegada bem-humorada.
Legging: American Apparel
Regata: Zara
Jaqueta: Ellus 2nd Floor
Bolsa: New Order
Cachecol: herança da vovó
Sapato: Urban Outfitters
Óculos: www.bleudame.com

O desafio já completou 125 dias e ela tem servido de inspiração a muitas outras…consumistas, como eu?!
A ideia é boa, mas a carne é fraca, admito.

Agora, notícias do tempo  por aqui, em produção para o inverno ameno dos últimos dias:
Frio, "pero no mucho"
Tricô degradê: ELLUS
Calça: Colcci
Casaqueto e bolsa: Cantão
Sapato verniz “não sai mais do meu pé”: UZA
Frio, "pero no mucho"
Esse é um casaqueto que deixa qualquer produção mais elegante. Aberto, ou fechado, tem glamour agregado por fios dourados, entremeados ao neutro cinza.
Fios dourados
Falando em moda inverno, além das listras o que anda na crista da onda é pêlo e pele. 
Nesse ponto o Tonico, alcunhado por mim de “Pretinho” está por dentro, literalmente!
Na moita
Mas a moda ecologicamente correta pede pele fake, sintética, ok?
Dessa outra, cuido eu!
Leia Mais

Proteste já!

Tenho algumas fotos do Rio para mostrar. Antes porém, preciso manifestar-me…
Sim! Porque hoje em dia, todo mundo tem alguma opinião a expressar, alguma ideia a defender, uma causa a abraçar. É “cool”, é “in”, é charmoso ser “engajado”. 
O que você acha, o que tem a dizer a respeito?
Todos falam. Ninguém escuta. 
Parece que virou rotina um protesto aqui, uma manifestação ali, marcha acolá…

Interessante imaginar como os jovens de hoje marcariam um encontro:
-Eaêê? Vamo dar um rolé, hoje?
-Legal! O que manda?
-Depois do protesto da tarde, bródi.

Dar pontos de referências, também ficou mais fácil:
-O senhor pode me explicar onde fica o banco mais próximo?
-Ah! É só seguir a multidão, e desviar à D do “protesto dos estudantes”.

Liberdade de expressão é privilégio das democracias. 
Desde o início do ano temos acompanhado as manifestações, que começaram no Egito e espalharam-se por vários países do Oriente Médio. É a voz de um povo, há muito calada sob a tirania de “líderes” que se eternizaram no poderecoando nas ruas e exigindo mudanças! Sinal de novos tempos.

Podemos lembrar de outras manifestações populares que entraram para a história:

Em 28 de agosto de 1963, líderes do movimento pelos direitos civis dos negros americanos organizaram a Marcha sobre Washignton:
Eles temiam que fosse um fiasco, enquanto o presidente àquela época, J. Kennedy, que a aglomeração gerasse tumultos incontroláveis.
Nem uma coisa, nem outra: a marcha reuniu 250 mil de pessoas entre brancos, negros, políticos, artistas, anônimos e transcorreu na mais perfeita ordem e tranquilidade.

O discurso mais esperado, e considerado até hoje um dos mais importantes da história americana foi proferido pelo jovem pastor protestante, advogado e ativista negro Martin Luther King Jr: 
“Eu tenho um sonho…”, ele começava. E o resumo desse sonho era: igualdade de direitos e justiça de tratamento, entre brancos e negros.

Não teve tempo hábil para testemunhar todas as conquistas do movimento que liderou: foi assassinado em 1968, 4 anos após ter ganho o Nobel da Paz.

No primeiro semestre de 1989, uma série de protestos pacíficos nas ruas e praças de Pequim culminou com violenta reação, da parte do governo chinês. 
O mundo assistiu estarrecido a um jovem anônimo aproximar-se dos tanques de guerra e enfrentá-los, sozinho:     
Desnecessário dizer, quem levou vantagem.
Foram cerca de 100 mil manifestantes, mas até hoje não se sabe ao certo o número de mortos, feridos, presos e desaparecidos, no que ficou conhecido como: “Massacre da Praça da Paz Celestial”.

Do mundo para o Brasil, em 1983 e 1984 o “Diretas Já” mobilizou milhares de pessoas a participarem de passeatas e comícios, de norte a sul do país
O maior comício foi realizado na praça da Sé, em SP, reunindo mais de 1 milhão de pessoas:
 
(16 de abril, de 1984)

O movimento foi importante para a redemocratização e surgimento de uma nova liderança política brasileira, incluindo, FHC e Lula.

Pouco depois de eleito por voto direto, Fernando Collor foi alvo de denúncias de corrupção que, somadas à insatisfação popular por sucessivas medidas econômicas desastradas, levaram uma multidão de jovens “cara pintadas”
às ruas, exigindo o “impeachment” do presidente:
(Imagem: dAqui)

E enquanto escrevia este post, ouço notícias da explosão de manifestações violentas nas ruas da Grécia, devido à possibilidade de aprovação pelo Governo de medidas econômicas restritivas, e nada populares.

Geralmente é por motivo importante que multidões tomam as ruas: uma forma de pressionar, chamar a atenção, invocar transformações. 
Mas ao que me parece, boas causas têm faltado ao nosso povo, ultimamente:
É marcha para liberar o uso da maconha.
manifestantes - marcha da maconha
(Imagem, dAqui)
(E liberada pelo STF. A marcha. O uso da maconha, não!)

A “Marcha para Jesus” reuniu cerca de 2 milhões na Av. Paulista.
Pouco dias depois a “Parada Gay” concentra 4 milhões de GLS, no mesmo endereço.

Não me parece que haja um motivo real, além do motivo de “reunir” uma tribo. 
Parece-me mais uma queda de braço: ganha, quem mostrar mais números!

Numa época em que encontros são marcados via Orkut, Facebook e/ou Twitter, juntar uma multidão, em pouco tempo, não me parece tarefa das mais difíceis.

E como toda boa passeata e manifestação dos tempos modernos, trio elétrico e muita fantasia não poderia faltar: tudo termina num grande carnaval, para inglês ver!

Sei que já escrevi muito e até opinei demais, desconstruindo meu próprio argumento, mas não poderia deixar de reproduzir texto pertinente e profético do Diogo Mainardi, que está na orelha de seu livro “A Tapas e Pontapés“, de 2004:

“Tenho uma opinião sobre tudo. Ao longo dos anos, notei que minhas melhores opiniões são aquelas em que desconheço completamente o assunto. Já me flagrei dando quatro ou cinco opiniões contraditórias sobre o mesmo tema. O que importa num profissional da opinião, como eu, não é o grau de fidelidade a uma idéia, mas a capacidade de defender duas coisas opostas ao mesmo tempo. E nisso eu sou um mestre. Houve um tempo em que eu não era desse jeito. Tinha poucas opiniões sobre poucos assuntos. Eram opiniões firmes, categóricas, que não admitiam réplicas. Podia-se notar em mim um certo fanatismo. Depois comecei a ganhar dinheiro com minhas opiniões. E o que era convicção, virou trabalho. Tornei-me uma pessoa melhor. Mais elástica. Mais livre. Menos pedante. Menos assertiva. Hoje em dia, só dou opinião sobre algo mediante pagamento antecipado. Quando me mandam um e-mail, não respondo, porque me recuso a escrever de graça. Quando minha mulher pede uma opinião sobre uma roupa, fico quieto, à espera de uma moedinha. O brasileiro tem opiniões demais. Joga opiniões fora como se não valessem nada. Como se houvesse um estoque infinito de opiniões. A oferta abundante deprecia o mercado. Piora a qualidade do produto. Vivemos num país em que qualquer idiota se sente no direito de disparar suas bobagens, porque ninguém vai se dar ao trabalho de ouvi-las. Eu, por causa do meu trabalho, aprendi a dar um justo valor às minhas bobagens. Elas sempre vêm acompanhadas pelo preço. Elas têm etiqueta e código de barras. Querendo uma, é só tirar da prateleira, botar no carrinho e passar pelo caixa.” 

Então, tá! 
Quero saber a sua opinião, nos comentários deste blog

Porque, como compôs Caetano:
“Atrás do trio elétrico
Só não vai quem já morreu”


p.s.
Deixe a sua moedinha ao final, a fim de custear este protesto.
Leia Mais

Saindo de fininho

Uma cena inesquecível de Vale Tudo é quando o canalha e corrupto Marco Aurélio, que todos esperavam ter um fim trágico, ou triste, foge de avião dando uma banana para o país. Ele é o vice-presidente, que desvia dinheiro da empresa de aviação de Odete Roitman. 

A novela é antiga mas o tema, atual. Talvez por conta disso a reprise seja um tremendo sucesso do canal Viva.

Embora o destino de Marco Aurélio tenha sido uma surpresa, ninguém estranhou tamanha desfaçatez, afinal, como diz o ditado: “Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão”.

Enquanto o personagem de novela deixava o país para não ter de se acertar com a Justiça, muitos outros filmes( de ficção, e estrangeiros! Deve ser perseguição!) mostram justamente o contrário: 
Se está devendo, foge para onde?…
“Republica das Bananas: Brazil!”
É a “arte imitando a vida”.

Acompanhando as notícias nacionais dos últimos dias, parece-me que estou no meio de uma tela surrealista!
(The Paranoiac Visage, 1935, de Salvador Dali)

Seria a vida imitando a arte? Ou seria eu, que não entendo direito( ou, de Direito)?…
Cesare Battisti foi libertado na madrugada desta quinta-feira. Após deixar o presídio da Papuda, em Brasília, Battisti entrou em um carro, acenou para a imprensa e seguiu para um hotel sem dar entrevistas.
(Imagem, dAqui)
Tem condenado por assassinatos na Itália sendo solto, em nome de uma tal de “soberania nacional”…

Tem ministro da Casa Civil sendo substituído, porque não quer “falar” dos seus “negócios particulares”…
E o mais inacreditável é a presidente da República quase chorar, na despedida oficial do amigo( “muy amigo!”) e o mesmo sair, aplaudido de pé pelos colegas parlamentares!

-Peraí! Deixa eu entender:
Por que ele saiu, mesmo?!
Ah, sim. Isso não é da nossa conta, mas está nas contas dele…

Foi assim no caso Dirceu, Erenice…por coincidência, antecessores de Palocci. 
(E os jornalistas alvoroçados, durante a apresentação do nome da nova ministra, levantaram a hipótese conspiracionista de “uma maldição na Casa Civil”…Sem esquecer, que nossa atual presidente já ocupou o mesmo cargo.)
Se o Legislativo pressionar, pedir explicações, ameaçar abrir CPI há sempre uma saída digna: 
O aeroporto, como fez o Marco Aurélio, de Vale Tudo?!
Não! É só tirar do cargo que, logo, logo todo mundo esquece!
É?!…
Depois eu volto com assunto mais ameno, porque esse não vale!
Leia Mais