Pão rápido de iogurte e mel

Tenho a sorte de ter uma pessoa que me ajuda em casa há mais de 2 anos, a Rose. Ela não só cuida de mim e da minha casa: também dos meus filhos, gatos e cachorro.
A novela Cheias de Charme tem o mérito de mostrar essa parceria patroa-empregada, de uma maneira leve e bem-humorada. Há vários tipos de relação, que vão do amor ao ódio!
Shayene e sua curica Socorro são almas gêmeas do mal mas, de tão atrapalhadas, um dos pontos altos da novela:

Às vezes tornam-se confidentes, como Penha e Lygia:

Em outros casos a relação não é das mais respeitosas, nada amistosas:

Embora a “empregada doméstica” (profissão) esteja em processo de extinção, ainda faz parte da rotina e intimidade da nossa família. Melhor, que a relação seja de afeto e respeito.
Então, essa semana cheguei em casa e senti um perfume diferente na minha cozinha.
De tantos livros de culinária que tenho, a Rose resolveu abrir o da Heloísa Bacellar:
Livro de receitas-Heloísa Bacellar
O grande livro lembra o caderninho de receitas da vovó, com belas fotos e imagens vintage.
Não sei que critério usou na escolha mas, acertou!
Pão rápido de iogurte, mel e tomilho
O cheiro do pão, assando no forno, era delicioso!
Pão rápido de iogurte, mel e tomilho
Pão rápido de iogurte, mel e tomilho

1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de trigo integral
2 colheres( chá) de fermento em pó
1 colher(chá) de sal
1 xícara de iogurte natural
50 g de manteiga natural
1/2 xícara de mel
1 colher(sopa) de folhinhas de tomilho fresco
Manteiga para untar e trigo para polvilhar

Aqueça o forno a 180°C( médio). Unte uma forma para bolo inglês com manteiga e polvilhe trigo.
Numa tigela misture os ingredientes secos e o tomilho. Junte o iogurte, a manteiga e o mel e misture até ter uma massa homogênea.
Coloque na forma preparada e leve ao forno, por aproximadamente 45′( ou até que, enfiando um palito, ela saia limpo).
Espere esfriar para desenformar.
Fatie e sirva com manteiga ou queijo branco.
Apesar do mel, esse pão rústico fica levemente doce e salgado. O tomilho acrescenta um sabor delicado.
Obrigada, Rose, pela sugestão!

Leia Mais

Pão de batata da Vivi

Hoje precisava levar um lanche para uma reunião da igreja.
Preparei 2 tipos de chá, bolo de maçã do Panelinha( que já virou um clássico, aqui em casa, tanto quanto bolo de cenoura!) e resolvi testar uma receita de pão de batata, do site do André Nogal( responsável pelo cardápio da Forneria Santa Filomena).

Segundo o chef, “direto do caderninho de receitas da Vivi”( Vivianne Pontes, mulher dele):
Pão de batata
A receita original pede fermento fresco, equivalente a 1 sachê de 10g do fermento biológico seco.
Também diminuí a quantidade de açúcar, para 2 colheres de sopa, e acrescentei 1 colher de chá de sal, ao fim da sova( dica, do próprio André).
Muito simples de fazer e o resultado foi provado( estreando a canequinha da Imaginarium, com a carinha da Maizena) e aprovado: com pastinha de ricota e manjericão nenhum sobrou pra contar história, depois da reunião na igreja.
Pão de batata
O André também sugeriu substituir a batata por outro tubérculo, como baroa, aipim ou, fazer com abóbora.

Leia Mais

Comida de domingo

“Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos.” – Eduardo Galeano
Lembro de haver lido essa frase em algum lugar e anotado na minha agenda mas, se somos o que fazemos, devo sofrer de personalidade múltipla: interesso-me por assuntos tão diversos à minha profissão e faço tantas coisas “nada-a-ver” que, já não sei bem quem sou. Como Raul Seixas, uma “metamorfose ambulante”, quem sabe?
Ontem foi a vez de ser a padeira.
Talvez por influência dos programas de culinária e gastronomia que tenho assistido ultimamente ou, pela hora-bônus do final do horário de verão ou, o ensolarado domingo, animei a passar o dia na cozinha.
E como aquela hora a mais rendeu!
Para o almoço:
Almoço de domingo
Purê de batatas, brócolis e medalhão de filé com manteiga de ervas*. Como é casa de brasileiro, também não faltou arroz integral e lentilha.
*Para a manteiga de ervas:
Deixe a manteiga em temperatura ambiente, pique as ervas de sua preferência( usei o que tinha na horta: sálvia, manjericão e alfavaca) e misture. Transfira tudo com uma espátula e coloque sobre filme plástico: com a ajuda do plástico molde um salame, fechando as bordas( para que a manteiga não vaze e mantenha a forma cilíndrica). Leve à geladeira, ou congelador, até endurecer. Na hora de usar é só desembrulhar, fatiar na espessura desejada e colocar sobre o filé, ainda quente.
De sobremesa fiz bolo americano de chocolate, uma receita que sempre dá certo:
Bolo americano de chocolate
A cobertura é ganache de chocolate.
A reação química entre o leite azedo, chocolate e bicarbonato dão a esse bolo uma bonita cor marrom avermelhada:
Bolo americano de chocolate
Enquanto encaminhava o almoço, resolvi fazer os pães. Comecei pelo australiano, meu preferido. A receita já foi explicada, aqui.
Pão australiano
É um pão bastante substancioso e perfumado, pois leva: cacau, mel, café instantâneo, pitada de canela, açúcar mascavo, além de farelo de trigo e trigo integral.
É a minha fatia de prazer permitida, no dia: saboreio-a, junto com uma boa lasca de queijo branco, no meio da manhã.

Coloquei os ingredientes do pão australiano na panificadora e me pus a bater à mão a massa do pãozinho de leite, um pedido do meu menino. Essa receita é uma das mais antigas aqui do blog, sem dúvida, sucesso entre as crianças!
Pão australiano e pão de leite
Tenho evitado embutidos, principalmente, salsichas, mas para o recheio usei mini-salsichas de frango, sem corante, com requeijão Catupiry.
Pão de leite
Revelando-se:
Pão australiano e pão de leite
Como sobrou bastante purê de batata do almoço, resolvi arriscar e fazer um pão de batata, sem receita: aproveitei o purê e adicionei ovos, um pouco de óleo, fermento, trigo e, não é que deu certo?
No forno
Só tenho comido pão integral, mas provei uma fatia, assim que saiu do forno( um “sacrifício”, por uma causa científica!):
Pão de batata
Ok. Passou no teste de maciez e qualidade!
Então, podem me perguntar:
“Mas como se faz dieta, cozinhando essas coisas?”
O segredo está no equilíbrio. Descobri que me satisfaz comer um tabletinho de chocolate meio amargo com pimenta, meu preferido, quando tenho vontade! É um pequeno prazer que não ameaça minha dieta( mas, só de vez em quando!).
A outra dica é exercitar o desapego: você faz, pelo simples prazer de cozinhar e depois, divide! Presenteia uma amiga com uma fatia de bolo, para um outro, dá um pedaço de pão, e assim, “mata 2 coelhos, de uma vez só”: agrada uma pessoa querida e, de quebra, fica longe da tentação de comer algo mais calórico, o resto da semana!
Foi o que fiz semana passada:
Levei pão caseiro, biscoitos e geleia de Santa Teresa para a amiga Taia, do blog Epa e Taia pelo Mundo.  Combinamos um encontro, em Vila Velha, para nos conhecer pessoalmente: foi tudo uma delícia, com gosto de “quero mais”!
Eu e Taia

Leia Mais

"O preto que satisfaz"

Hoje em dia a gente pode fazer tudo e, ao mesmo tempo, quase nada, repararam?
Na era do “politicamente correto” a expressão que nomeou o post, por exemplo, poderia ser malvista.
Porém os mais antigos, como eu, devem se lembrar da música de Gonzaguinha, abertura de uma novela da Globo no final dos anos 70, com as Frenéticas cantando:
“Dez entre dez brasileiros preferem feijão…”
Não é desse tempo? Então, confira:
A música é tão gostosa quanto o grão-tema, mas, se alguns consideram Monteiro Lobato racista, o que diriam de Gonzaguinha?
Enquanto isso, a Rihanna compete com outras dublês de cantoras rebolativas para ver quem choca mais: seja com letras de músicas e/ou performances sensuais no palco. Pra mim isso não faz diferença alguma: tenho a opção de não ver, não ouvir, não indicar, não comprar e, pronto!
Mas, comparando-se com o patrulhamento citado, acabo achando tudo uma grande hipocrisia!


Falando em patrulhamento, em “pode-não-pode”, nos comentários do post de ontem a Izabelle Costa me fez uma pergunta, curiosa:
“…você não está comendo nem pão integral? Nem mesmo o que você faz?”
Para quem ainda não sabe, estou de dieta. A nutricionista restringiu( bastante!) carboidratos, nesse primeiro mês: “boazinha”, permitiu-me comer 1 fatia de pão integral( com queijo minas) no meio da manhã, e 1 torrada( com cottage) no meio da tarde( mais: 2 cs de arroz integral, no almoço)Confesso que esse é o momento mais esperado do dia. 
O pão caseiro, que costumava acabar em pouco tempo, agora, duuura!…
Apesar de, em algumas refeições eu ter trapaceado e saído da dieta, tenho me patrulhado. Mas não é fácil resistir. Principalmente, se for este pão preto( ou: “pão afrodescendente”?!), tão macio e fofinho:

Pão australiano

O pano, com biquinho de crochê e bordado com meu nome também é fofo! Presente do RS, feito pela amiga Rosana Sperotto. (As abelinhas devem ter sido atraídas pelo mel.)

Essa é uma adaptação à receita de “pão australiano” que já dei aqui. 
Mas agora descobri, que a máquina pode fazer todo o trabalho duro por mim enquanto saio para a corrida, queimar as calorias que tanto preciso( Ah, se existisse uma máquina que fizesse isso por mim!…).
Fiz pequenas modificações à receita original, substituindo a margarina por óleo de canola, acrescentando fibra de trigo e outros detalhes, que ajudam a dar essa maravilhosa cor e textura ao pão:
Pão australiano

E se eu, que estou de dieta, posso, muito mais, vocês!
Para quem não tem máquina de pão é só fazer artesanalmente, no “muque”, que também dá certo.
Vamos às dicas:
-Programe sua máquina, na função: “8-bater massa”.
(Acho melhor bater a massa na máquina e, depois de crescida, retirar, moldar os pães, deixá-los crescer novamente nas fôrmas para depois, assá-los em forno comum. Mas isso é uma opção pessoal.)
-Coloque os ingredientes líquidos primeiro, depois o sal, os trigos e, por último, o fermento biológico.
-Acompanhe os primeiros momentos da máquina funcionando, ajudando, se necessário, a juntar os ingredientes em volta do batedor, com uma espátula. Se estiver grudando nas laterais, polvilhe mais trigo até formar uma bola homogênea no centro, como aqui:
-Gosto de bater 2 vezes, portanto: reinicie o programa, se preferir.
-Depois de terminado o tempo de crescimento, retiro da máquina, moldo os pães e coloco-os para crescer nas fôrmas, por aproximadamente 30′. 
Polvilho fubá sobre eles.
-Pré-aqueço o forno em temperatura média e asso-os, por +/- 30′.

Vamos à receita, então?:
Pão australiano
( Rende 2 pães médios)
-1 e 1/2 xícara de água morna;
-1/2 xícara de mel;
-1/2 colher de chá rasa de sal;
-1/4 de xícara de óleo de canola;
-3 colheres de sopa de açúcar mascavo;
-2 colheres de sopa de cacau em pó;
-1 colher de chá de canela;
-1 colher de chá rasa de café solúvel granulado;
-1 xícara de trigo integral;
-1 xícara de farelo de trigo;
-3 xícaras de farinha de trigo( geralmente acrescento mais um pouco na hora de sovar a massa, até que desprenda das mãos ou, da vasilha da máquina);
-2 colheres de chá, cheias, de fermento biológico seco.

Acrescento os ingredientes, pela ordem acima. 

Para fazer à mão, no primeiro post sobre esse pão tem PAP, com fotos. Se, na máquina, proceder como explicado.
Na hora de moldar os pães, polvilho fubá sobre eles.
Espere esfriar, para fatiá-los.
 Pão australiano

Fica até melhor, que o do Outback!

Pão australiano

A  minha fatia, do lanchinho de amanhã, já está separada. 
Não é, mesmo, um “preto que satisfaz”?
Leia Mais

Macio e fofinho

Não errou de blog, nem esse é um título de duplo sentido…
(dAqui)

O Alcorão descreve um céu, cheio de prazeres: o fiel muçulmano que lá chegar, principalmente se morrer como mártir, será recebido por jovens houris, belas virgens de pele suave e macia e olhos negros. 
Não sei se o céu da muçulmana teria alguma contrapartida, mas no céu que eu imagino existir, e para onde gostaria de ir, acho que iremos comer muito bem por lá( sem duplo sentido, por favor!)!
Se der asas à imaginação, seria eu recebida com uma bem servida e perfumada cesta de deliciosos pães, recém-saídos do forno da padaria celestial. Os nomes seriam temáticos e prenunciariam delícias: “fofura do céu”, “nuvem de doçura”, “travesseirinho angelical”, “coroa divina”, “maná do dia”…
Sim! Porque Jesus, quando esteve por aqui, também gostava de se sentar à mesa para comer, acompanhado de amigos; foi até criticado pelos fariseus, por conta disso.

Pão é uma alimento universal que agrada a todos, independente do credo: cada cultura tem o seu.

De vez em quando fico por aqui, testando novas receitas e tentando variar.
Esta semana resolvi fazer pão de batata. 
Amo a textura macia, elástica e úmida desse pão! 
Acontece que eu já havia testado várias receitas e não encontrava uma que fosse ideal: Ou ele ficava ressecado, ou a massa ficava muito mole e esponjosa, difícil de trabalhar…

Pesquisei várias fontes na internet e encontrei uma, do Tudo Gostoso, que me pareceu mais simples. Fiz pequenas adaptações. 
Ei-la:

Pão de batata
Pão de batata
Ingredientes da massa
-3 batatas médias cozidas, espremidas e esfriadas( equivalem a aproximadamente 500g de batata, já cozida e fria, ou 3 e 1/2 xícaras de purê de batatas);
-2 ovos;
-100 g de margarina;
-2 colheres de sopa de açúcar;
-2 colheres de sopa de fermento granulado para pão( seco e instantâneo);
-1/2 colher de sopa rasa de sal;
-1/2 xícara de leite morno;
-2 colheres de sopa cheias de queijo ralado
( pode ser o parmesão);
-3 a 4 xícaras de trigo ou, até dar ponto de enrolar.
-Queijo prato, ou Catupiry para rechear(opcional).

Modo de fazer:
-Cozinhe as batatas, esprema-as ainda quentes e espere esfriar.
-Numa vasilha funda acrescente o purê de batatas frio, os ovos, o açúcar, o sal, o leite morno e o fermento. 
-Mexa tudo e agregue o trigo, aos poucos, até dar ponto de sovar. Sove a massa.
-Deixe crescer num lugar protegido, por aproximadamente 40′.
-Abaixe a massa, forme bolinhas e recheie com o queijo. Se preferir, molde pães maiores e acomode-es em fôrmas de bolo inglês.
-Pincele-os com gema e polvilhe queijo ralado por cima.
-Deixe crescer novamente, por aproximadamente 30′.
-Borrife o interior do forno com água, ou acrescente uma vasilha com água, pré-aquecendo-o em temperatura alta.
-Asse os pães por aproximadamente 30′, ou até que fiquem dourados.


É divino!
Pão de batata
Bom fim de semana!
Leia Mais