E a familia cresceu…

De novo, novo, nov, ovo…

baby dino

Calma, que isso não é o eco da minha voz, nem o Baby Dino gritando!
Aliás, não vou falar de ecos, nem de “bichinhos do mal”, como o dinossauro bebê da série antiga. (Podem até, ser tão feinhos quanto, por enquanto…)


Daqui

Gato é o seguinte: “ame-o, ou deixe-o!” Não há meio termo. 
Chego a pensar, tendenciosamente, que só não gosta, quem não tem. Mas ficar neutro é difícil. Resistir, quase impossível!
Depois que um gato chega à sua casa, esta, passa a ser mais dele que sua. 
72743702, Getty Images /Archive Photos
Melhor seria entregar-lhe as chaves nas patas, embora, dispensem tais caprichos: quando é de seu interesse, esgueiram-se pelos buracos mais estreitos à procura do que mais precisam-entrada, ou saída estratégica.
Capricho mesmo é descobrir, qual o critério usado para eleger um humano, como preferido. “Felinos têm razões, que a própria razão desconhece”: você pode levar um deles pra sua casa, dar comida, remédios, carinho e, mesmo assim, o danado escolher um outro da membro da família para agradar. E nada, de se sentir ofendido! Poderia ser pior: ele fugir para a casa do vizinho. Ingrato? Não. Um gato!

Quando um gato chega à sua casa, esqueça de todas as convenções domésticas! Poderá levar, por água abaixo, toda a sua reputação de boa mãe e dona de casa( também aplicável a pais e donos de casa), por exemplo:
-Você não permite que seu filho entre em casa com os pés sujos, mas acha uma delicinha ver o gato subir na sua cama, ainda que esteja todo molhado de chuva( Siim! Porque eles não abrem mão de seus passeios habituais, mesmo com tempo ruim! Lembra, daquela música?: “Nós ga-tos já nascemos po-obres porém, já nascemos li-ivres!…)
-Você briga, se o menino pula no sofá novo porém, acha bonitinho ver o gato afiando as garras nele( no sofá! No menino, por enquanto, ainda não!).
-Você faz um discurso sobre “criancinhas que não têm o que comer”, se o filho despediçar um grãozinho de arroz! Mas não se importa de preencher a tigelinha do gato, toda vez que ele lhe pede ração fresquinha( ainda, que sempre deixe sobrinhas no prato…).
-Se quiser dormir um pouco mais no fim de semana poderá até não se importar, atrasar o café da manhã das crianças. Mas, se o gato pedir comida, você levanta!…Reclamando mas, levanta! Como diz o ditado: “manda quem pode( o gato, claro!), obedece quem tem juízo”( você, lógico!).
-Você chama a atenção da criança, se ela demorar um pouco para comer: “menino, para de brincar com a comida!” Mas acha engraçadinho ver o gato brincando com a lagartixa.

Enfim, adotar um gatinho pode ser um divisor de águas na sua vida: a.g. e d.g.( antes do gato e, depois do gato). Uma coisa é certa: você não será mais o mesmo!

Esqueci de mais um detalhe: 
Você “jura de pés juntos” que só um Pingo lhe basta, até que…chega mais uma, que pode trazer mais outros…
Chega!! Disso, não abro mão! 
Assim que Nina veio pra casa, tão miudinha, a primeira coisa que fiz foi levá-la ao veterinário. Além de vacina e remédios de rotina, um pré acordo: castrá-la, ainda este ano, como fizemos com o Pingo.
Mas ela é pra frente, em tudo!
Há uns dois meses, notei que começou a apresentar uma barriguinha esquisita, mas, seria possível?!…
Meu caçula ficou injuriado! Disse que processaria o gato “malfeitor” por corrupção de menores! Já era tarde. Nem Pingo cumpriu direito, sua função de tutor!
"Sancho Pança e Pixote"
Coração de gato “tem razões, que a própria razão desconhece”!…
É um pássaro?...
-Estão falando de mim!
-Sim, Nina! E de como precipitou isso tudo!…

Para terminar a novela Gattionne, um miado diferente à porta do nosso quarto chamou a atenção, na segunda de manhã: Nina, que não é de dar bola pra ninguém, além do menino mais novo, era quem dava o alarme.
-Nina, cadê sua “barriga esquisita”?..
-O gato comeu. Ops! Força de expressão. Aliás, com força exprimi e olha, o que me saiu:
"El ninos"
Investigando o “mistério da barriga que sumiu”, encontramos 4 “piolinhos” no sótão, devidamente escondidos entre sacos e caixas.
Apesar da pouca idade, Nina é o orgulho de mãe, em pessoa, quer dizer, em gatinha! Até agora tem dado conta direitinho da cria.
Já falei pro marido que seremos “obrigados” a adotar mais um, já que nasceram, justamente no dia do aniversário dele. É uma conjunção numerológica inconstestável! Mas aceito apadrinhamentos( mediante apresentação de ficha limpa e certificado de bons antecedentes, sujeitos à análise).
Ainda espero por uma encomenda, de mais gatinhos. Mas dessa vez, a Nina é isenta de culpa:
A fofíssima bolsa de fecho de metal vintage e estampa de sorridentes gatinhos foi feita especialmente pra mim, pela Laurina. Esses, chegarão via CORREIOS, sem surpresas…
( E podem se preparar, porque a Laura será uma das parceiras, na promoção de aniversário do blog agora em janeiro!)
Leia Mais

Atenção!

Tivemos um probleminha em relação ao sistema Discus pois até agora, não houve importação dos comentários, anteriores à mudança. O conteúdo não foi perdido, mas não estão aparecendo.

Enquanto tentamos resolver isso por aqui, nos bastidores, gostaria que continuassem participando e, caso encontrem dificuldade para comentar, escrevam para o e-mail do blog, informando:

saladala.blogspot@gmail.com

A opinião de vocês é importantíssima, para que possamos decidir o melhor para todos.

Agradeço a compreensão.

Leia Mais

Presente, direto da França

Ontem, aproveitei o espírito do “7 de Setembro” e dei o meu grito de independência: deixei a pia cheia de louças e fui almoçar fora, após cumprir meus compromissos no hospital.
Depois do almoço, fui visitar uma amiga que não via há muito tempo. Já falei dela aqui, mostrando a sua graciosa casa. A Kamila faz um monte de coisas ao mesmo tempo e a última grande coisa que fez, junto com o marido, foi engravidar do segundo filho( bem que eu profetizei…).
E o que era pra ser apenas uma “visitinha de médico”, estendeu-se pelo restante da tarde. Nosso próximo post será um especial, só com fotos do restaurante dela, em Santa Teresa, porque além de tudo, a moça ainda é chef. Ai, que chique!
Chique e de bom gosto, isso ela é mesmo! Mostrou-me muitas fotos que fez, na viagem com a família a Paris, sob o ponto de vista de alguém que gosta de arquitetura e decoração; já lhe pedi que mostre, aqui no blog, posteriormente.
Nem esperava, mas ela me trouxe um presentinho que amei: porta-copos, com imagens de cartazes franceses; coisa tão linda, que é evidente que não vou esconder debaixo de copos!
Minha cara, ilustrações com gatinhos:Tenho mais dois jogos de porta-copos.
Este, imitando azulejos antigos:

Vintage:Alguém aí, tem alguma sugestão do que fazer com eles?
Pensei em quadros, ou bandejas, mas aceito ideias…
Leia Mais

Presente, direto da França

Ontem, aproveitei o espírito do “7 de Setembro” e dei o meu grito de independência: deixei a pia cheia de louças e fui almoçar fora, após cumprir meus compromissos no hospital.
Depois do almoço, fui visitar uma amiga que não via há muito tempo. Já falei dela aqui, mostrando a sua graciosa casa. A Kamila faz um monte de coisas ao mesmo tempo e a última grande coisa que fez, junto com o marido, foi engravidar do segundo filho( bem que eu profetizei…).
E o que era pra ser apenas uma “visitinha de médico”, estendeu-se pelo restante da tarde. Nosso próximo post será um especial, só com fotos do restaurante dela, em Santa Teresa, porque além de tudo, a moça ainda é chef. Ai, que chique!
Chique e de bom gosto, isso ela é mesmo! Mostrou-me muitas fotos que fez, na viagem com a família a Paris, sob o ponto de vista de alguém que gosta de arquitetura e decoração; já lhe pedi que mostre, aqui no blog, posteriormente.
Nem esperava, mas ela me trouxe um presentinho que amei: porta-copos, com imagens de cartazes franceses; coisa tão linda, que é evidente que não vou esconder debaixo de copos!
Minha cara, ilustrações com gatinhos:Tenho mais dois jogos de porta-copos.
Este, imitando azulejos antigos:

Vintage:Alguém aí, tem alguma sugestão do que fazer com eles?
Pensei em quadros, ou bandejas, mas aceito ideias…
Leia Mais