Ataque de nostalgia

Hoje meu menino mais novo confessou ter saudade do que ainda não se foi…
-Mãe, quando o Tinoco morrer vou sentir falta do miado estridente dele.*
*Há cerca de 12 dias perdemos um gatinho, irmão do Tinoco, o Tonico.
É assim: saudade não escolhe idade.
Quem tem mais de 40, como eu, viveu a adolescência, no exagero dos anos 80. “Exagero” achamos hoje porque, àquela época, era tudo normal! 
Exagerado, errado, infeliz ou, não: passado não se muda. O que muda é a forma como o vemos.
Clichê dizer isso mas, um filme passa pela cabeça: cores, cheiros, roupas, penteados, sabores, séries, desenhos animados e programas de TV, músicas, namorados…
(Cid Guerreiro e, sim! Ele fez o maior sucesso, apesar e, talvez por causa, desse cabelo!)

O tempo “volta”, sem necessidade de máquinas ou acessórios de alta tecnologia…
Back to the Future
Basta nossa memória( embora, a essa altura, já possa falhar…).

Em “À Procura da Felicidade“, Will Smith revelou ser não apenas um bom ator de comédia, mas também, drama( reforçado no filme seguinte, com o mesmo diretor, Gabrielle Muccino: Sete Vidas)
Ele contracena com o filho de 5 anos, Jaden Smith.
Baseado na história real de Chris Gardner: um pai solteiro desempregado, que é despejado junto com o filho, da própria casa, por falta de pagamento.

Mas não estamos falando da época atual, onde manifestantes ocupam Wall Street para protestar contra a pobreza, desemprego e desigualdade social. Estamos falando da época do “milagre econômico” nos EUA (a “terra dos sonhos e oportunidades”): os anos 80.

E, oportunidade, era o que Chris Gardner sabia muito bem aproveitar!
Numa das cenas memoráveis do filme, ele consegue a atenção de um figurão da Bolsa de Valores (e, consequentemente, uma vaga como estagiário no escritório dele) usando um instrumento muito simples: um cubo mágico. Em questão de segundos Chris resolve o cubo, quebra-cabeça que virou febre entre crianças e adultos da época.

Ontem a Vivianne Pontes, no Dcoração, tocou nesse tema, analisando festinhas da nossa infância. Vale conferir.

Pintou nostalgia e vontade de fazer algo temático?

Sugestão do dia, este ícone dos anos 80, o bolo-cubo:

Imagens aoutoexplicativas aqui, no Statys.

“Decifra-me ou, te devoro!”
Leia Mais

O tempo não para…

Comentei esta semana, no Facebook, como este ano voou. 
Certamente o tempo para nós, adultos, passa numa velocidade diferente do que para as crianças. 
Tá looonge, mas ainda lembro: 1 ano demorava muito!…Aniversário, então: um século!
O meu menino mais novo está crescendo: hoje completa 12 anos. Percebo nele, não apenas mudanças físicas; comportamentais, principalmente. Aquele que não se importava em arrumar os cabelos antes de sair de casa, hoje me pede para comprar-lhe um pente. Também não usa boné, porque “amassa os cabelos”…
São as sutilezas da maturidade, afinal, ninguém dorme pequeno e acorda, já crescido.
E, se um ano na vida de uma criança significa muito, imaginem, dois!
Longe da festinha temática de 10 anos, dessa vez ele pediu-me “algo simples”, como no aniversário do irmão mais velho. Atendi. Comemoramos, no feriado:

Cantina italiano
Fazia um frio, como nunca vi em Santa Teresa nessa época! Mesmo assim, o aniversariante fez questão que a mesa fosse arrumada no quintal. Pelo menos, a chuva deu um tempo.
Eu mesma preparei a pizza: massa e molho. Minha preferida é a marguerita:
Margueritta
Encontrei copinhos de papelão e guardanapos decorados muito lindos, na Tok&Stok:
Aniversário 12 anos

Brigadeiros não poderiam faltar:

Brigadeiros
E o bolo foi bem chocolatoso, receita imperdível do Panelinha, indicação da amiga Ana Sinhana:
Bolo fudge
Bolo Fudge de Chocolate
Bolo Fudge
Hora de assoprar as velinhas:

12 anos

Partir o bolo…

Bolo fudge
Bolo fudge

Provar e aprovar:
Provando e aprovando
Ontem extrapolei todas as calorias permitidas, até o fim do ano! A nutricionista já havia me alertado: “bolo de aniversário pode. Mas só se for do seu!” 
Entenderam, né? Só ano que vem, então!
Não pude esperar tanto porque 1 ano, para uma criança como eu, é muuuito tempo!…
( Mas, no tempo que é hoje: “Tudo como dantes no quartel d’Abrantes!”)
Leia Mais

Levando susto!

Semana que vem, logo depois do “feriado dos mortos”, meu caçula faz 12 anos. 
Em cima da hora não dá para inventar muita coisa, mas já provei aqui, com uma festinha monstruosa( há exatos 2 anos!), que não é preciso muito para agradar.

Acho meio forçada essa história de importar tradições. Alguns chegam ao exagero de comemorar o “dia de ação de graças”, um feriado típico americano, nada a ver com a nossa história! Mas o Halloween vem se firmando, aos poucos, como “festinha cool entre os antenados”.
Aderindo ou não à ideia, encontrei um projeto fácil de fazer, que poderia encaixar-se muito bem numa “festa monstruosa”, por exemplo:

Halloweenmask

Halloweenmasks
Com tesoura, papel, cola e palito dá para fazer com as crianças, as caras mais monstruosas e divertidas!
Tutorial aqui, no Bloesem Kids! Mas quem deu a ideia, com todos os passos, foi a Teri Dimalanta, do Giddy Giddy.

Não satisfeita, achei estas bandeirolas em papel recortado para incrementar a festa, com PAP, aqui:
Um “búuuu!” no mau-humor!


Atualizando:
Mais ideias apareceram, via Facebook, àqueles que desejarem mergulhar de cabeça nesse tema:
Compartilhei essa ideia da Katia Bonfadini na minha página no Facebook: aqui.
E a sugestão da Miria Birillo foi um link, do Paneloterapia:
Obrigada às duas, e àqueles que prestigiarem nossa página por lá!
Leia Mais

Enquanto isso, noutro arraiá…

Através de contatos que fiz no Flickr acabei conhecendo uma capixaba de Linhares que atualmente mora no Guarujá, litoral paulista:

Novo ícone para 2011

A Kélcia é funcionária pública: uma professora de artes. Nas horas vagas ela se diverte, fazendo: artes. Artes, como as fofuras a seguir:

Quatro ursos

Ursinhos. Frutinhas:
Nova safra
Panô de boas-vindas:

Terminei!!!!

A tilda com gatinho é a minha cara:

Pedi autorização para postar as fotos do aniversário de 6 anos do filho dela, o Rick:
Aniversário do Rick
Sugestão para decoração de aniversário infantil, nessa época de pula-fogueira.

Ela contou que teve a ideia durante uma visita ao 6° Salão do Turismo, no Anhembi:
“Vi os postais com as xilogravuras no stand do Ceará e pensei nessas bandeironas coloridas.”

Cordel

As fotos nas bandeirolas parecem ser do pequeno Rick.
Sobre a mesa foram distribuídas flores, frutas e bichinhos artesanais, que ela mesma fez.
O convitinho também entrou no clima de “arraiá”:
O convite
Uai, sôr! Num é qui o Rick parece ter gostado bastante da festinha?

Meu Rick fez 6 anos

“Como são belos os dias
Do despontar da existência– 
Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar – é lago sereno,
O Céu – Um manto azulado,
O mundo – um sonho dourado,
A vida um hino de amor.”


Os versinhos acima são do poeta Casimiro de Abreu, em “Meus Oito Anos“, escolhidos por ela para o cordel do estandarte:
“…decorei com fitas, flores de crochê e fuxicos. Legal, não é?”
Bão dimais, Kélcia!
Leia Mais