O lavabo da Sonia

A Sonia de vez em quando me escreve comentando entusiasticamente os looks que uso mas, dessa vez foi diferente: falou da própria casa e do quanto o marido era jeitoso com a marcenaria; que eram adeptos do DIY( “Do It Yourself”).
Sugeri que me mandasse umas fotos e, havendo oportunidade, poderia publicar aqui no blog,  já que ela não tem um.
E não é que me atendeu o pedido?
Fiquei surpresa com as fotos do pequeno lavabo, superclassudo, destacado pelo papel de parede listrado e o espelho imponente! Mas, deixarei que ela mesma o descreva:

“Vou contar a história deste lavabo:

Minha casa tem mais de 15 peças, dois andares, na parte de baixo tinha um Lavabão enorme. Como meus pais velhinhos vieram morar comigo, tive que fazer uma suite para eles. O que aconteceu: idéias mil pela cabeça ! Então, mãos à obra.
Chamei um pedreiro para abrir uma porta para o quarto de minha mãe e fazer uma parede separando para o mini lavabo.
Aiiiii, tchannnnnnn, meu marido e eu colocamos a cabeça para funcionar e saiu este lindo lavabo.
Papel de parede da Leroy merlin 89.00, o rolo( usei somente um).
Louças da leroy merlin( não lembro valores, mas foram os mais baratos).
Madeira de demolição, antiga demais, era da casa do meu marido qdo. solteiro.
Piso eu adorei: somente cimento com tosetos.
Lixeira do Zaffari 49,00
Não tem uma pessoa que venha aqui em casa e não fique louca por este lavabo: está fazendo sucesso.
Se eu fosse boa na internet eu mandaria todas as fotos da minha casa; por aqui fazemos tudinho em casa, meu marido é muito habilidoso.
Bjus e feliz Natal!
Sonia”
lavabo 1
lavabo 2
lavabo 4
lavabo 6
lavabo 7
Quer fazer como a Sonia?
Escreva para o e-mail de contato do blog.

Leia Mais

Amarelando

Mexericas
No último fim de semana visitamos o sítio da minha sogra.
Em frente à casa, um pé de tentação, carregadinho de mexericas. 
Assim que desci do carro dediquei-me a pescar as melhores frutas, saboreando-as ali mesmo, debaixo da sombrinha da árvore.
Fazendo a feira
Mas o tempo, que andava ensolarado, mudou no meio da semana com a chegada de uma frente fria.
Quis trazer um pouco da luz e sabor desses últimos dias para o nosso fim de semana, com o tom alegre e vibrante do laranja e amarelo em imagens do Flickr( link, abaixo):

Mirrors and chairs
(dAqui)


Hello...beautiful!
(dAqui)
Kitchen
(dAqui)

Para encerrar, imagem sugestiva para fazer no fim de semana:

Um quarto acolhedor e quentinho:


(dAqui)

Leia Mais

"Cabelo, cabeleira, cabeludo…"

DJMH-She-MalesForJesus

Sabe como é possível descobrir se estamos ficando “ultrapassados”?
O “Vale a pena ver de novo” prenuncia…
Eu, já vou logo admitindo:
“Meninos, eu vi!”
Muita moda ser lançada em novela e virar febre no mundo real, como as meias lurex de Júlia, em Dancin’Days:

( Dessa, escapei: “era uma criança, não entendia nada!”, citando Erasmo.)

Faça um teste, e veja se foi contemporâneo desses personagens e seus cortes de cabelo “maravilhosos”:


Na categoria “Cabeleira mais Farta das Novelas Brasileiras” Jade e Lucas disputam, cabeça com cabeça!
Páreo duro, concordo! 
Agora, farta mesmo fico eu, quando toca aquela musiquinha melosa, toda vez que o casalzinho aparece em cena:
“Somente por amor…”
Aff! Será que vale mesmo a pena ouvir isso de novo? Nem por amor!
Em Vale Tudo Odete Roitman fazia e acontecia, sem perder a pose e desarrumar o topete descolorido:
 
Como na música de Chico, “dava pernada a 3×4 e nem se despenteava”!
Concorre ao título:
“A Me(gera)lena Domada”


Outro casal da ficção novelesca nacional que conseguiu parar o Brasil, só para acompanhá-los:
Sinhozinho Malta e viúva Porcina: nascidos, um para outro, como queijo coalho e rapadura.
“Tô certa, ou tô errada?”

Porcina, perua assumida, usava adereços nada discretos na cabeça, como enormes laços e turbantes:
Enquanto sua alma gêmea, Sinhozinho Malta(o calvo Lima Duarte), uma ridícula peruca.
Até nisso, o casal mostra sintonia: dividem juntos o prêmio “Acessório mais estranho de cabelo”.

Mas no quesito “Juba Leonina”, ninguém se compara à Tancinha, de Sassaricando:

“Ma, como ãssim?…”

Que atire a primeira chapinha, aquela mulher que, rendendo-se à moda do momento( ou, da novela), nunca tenha exagerado.
Eu, por exemplo, já tive corte de cabelo parecido com o de certa dupla de sertanejos:
Em plenos anos 80, quando a onda era frisar, torrei o cabelo que era liso num processo químico, que nem sei se ainda existe: a famosa permanente.
Mas eu é que não vou me entregar em foto de época, afinal, como em todos os exemplos supracitados, quero pensar que, assim como eles, hoje eu estaria melhor que ontem.

Se depois do teste preliminar, perceber que viu passar todas essas modas na TV, melhor seria conferir como anda a juba…

Por via das dúvidas, acostumei a manter a minha bem aparada, afinal, espelhos são inclementes.


Como o post de hoje não teve nenhuma pretensão de ser levado a sério, encerro com esta música muito fofa, cantada por Caetano Veloso( outro, que não se envergonha dos tempos de juba farta):

 
E pra você:
Qual o corte ou penteado de cabelo que marcou época( como o mais bonito, ou mais estranho, ou mais engraçado…)?
Leia Mais

Empório Canela

Precisaria passar “sebo nas canelas” pra dar conta de mostrar todos os lugares interessantes que ainda faltam, da minha última viagem ao RS.
Empório Canela foi uma das visitas que rendeu:
No centro de Canela, próximo à Catedral de Pedra
Catedral de Pedra
Fica a pequena, mas simpática loja, de fachada vermelha:
Empório Canela
Como o nome antecipa, Empório Canela parece uma daquelas mercearias antigas, à beira da estrada, onde se encontra de tudo um pouco: comida, uma pequena livraria, sebo, objetos antigos ou artesanais à venda.
Logo à entrada, nota-se que se trata de um lugar diferente, que valoriza o passado:
Entrada
Encantei-me com este espelho bisotado, de linhas curvas e moldura de flores, entalhadas em madeira:Espelho à porta do Empório
Meus olhinhos não sabiam pra que lado olhar! Não queria deixar passar nenhum detalhe, como esta luminária, em cima do balcão de recepção:
Abajur
Apesar de não fumar, achei interessante o aproveitamento de caixas de charuto importadas, coladas à base do abajur.

Ou às vitrolas antigas, onde quem sabe(?) poderíamos ouvir Tim Maia, cantando: “Me dê motivo, pra ir embora…”
Vitrolas
Mas, não vá embora, ainda não!
Reparou, no detalhe da florzinha, no chão de cimento queimado?
Então, “oia pra cê vê”, como alerta em bom mineirês:
Detalhe no piso
Na vitrine, a máquina da vovó:
Máquina antiga na vitrine
Em um dos ambientes da casa, transformada em loja, uma parede com pratos e espelho antigos:
Espelho e pratos
Apaixonei neste bandô de cortina, todo feito em fuxicos:
Bandô de fuxicos
Fuxicos, do tamanho de uma bolacha Maria, feitos em tecido de estofamento, ganharam a forma lúdica de grandes pirulitos coloridos:
Fuxico em detalhe
O banheirinho, vale uma visitinha, mesmo àquele que não esteja apertado…
Plaquinha do banheiro
Ah! Eu me mudaria para este banheiro fofo, vintage, retrô, mulherzinha, puro galmour!…
DSC07248
A cortina com guirlanda de flores artificiais é kitsch, mas, dentro do contexto, ficou “chikhis”:
Cortina do Banheiro
E o pendente vintage virou um detalhe rico, dentro do banheiro!
Pendente vintage
A pia foi amor à primeira vista!
Pia de louça
Olha, que louça!
Pia de louça
Banheirinho com direito à tina, para um banho vintage:
Tina para banho
Saí de lá com as mãos recheadas de comprinhas, nem tão pequenas assim, mas resolvi deixar para um próximo post, para não encompridar a conversa…
Mais fotos, no meu Flickr
.

Leia Mais