Vou pra Marrakesh, tchau!…

A dupla gaúcha Kleiton e Kledir fez sucesso, cantando a música:
…Quando eu ando assim, meio down
Vou pra Porto e bah, tri legal
Coisas de magia, sei lá…


Seria Porto Alegre, o destino ideal para o candidato Serra recuperar-se do resultado das eleições?…

via poetic home vintage-fan1.jpg


Apenas ontem pude informar-me melhor a respeito do nosso futuro, nos próximos 4 anos. Passei o fim de semana prostrada, tentando recuperar-me de uma virose. Mal soube do resultado do pleito e, desmaiei na cama, no domingo à noite.
Ontem, li as manchetes no jornal, assim como as principais frases do primeiro discurso da nossa presidente eleita.

Minha opinião é que deveria ser um discurso histórico. “Nunca antes na história deste país”, uma mulher fora presidente da República! Em vez disso, “choveu no molhado”.

Posso falar, posso falar?…
Vou deixar, que ela mesma fale:
“Eu vou zelar pela mais ampla e irrestrita liberdade de imprensa, vou zelar pela mais ampla liberdade religiosa e de culto, vou zelar pela observação criteriosa e permanente dos direitos humanos tão claramente consagrados na nossa própria Constituição. Zelarei, enfim, pela nossa Constituição, dever maior da Presidência da República.” 
(Não faz mais do que a obrigação, segundo ela mesma concluiu, certo? Afinal, o único governo que, depois dos tempos da ditadura militar, levantou a hipótese de cerceamento à liberdade foi justamente o governo que ela participou e representou, nas eleições!)

“Por isso, reforço aqui meu compromisso fundamental que eu mantive e reiterei ao longo dessa campanha: a erradicação da miséria e a criação de oportunidades para todos os brasileiros e para todas as brasileiras. Ressalto, entretanto, que esta ambiciosa meta não será realizada apenas pela vontade do governo. Ela é importante, mas essa meta é um chamado à nação, aos empresários, aos trabalhadores, às igrejas, às entidades civis, às universidades, à imprensa, aos governadores, prefeitos e a todas as pessoas de bem do nosso país.”
(Já sabe quem serão os “responsáveis”, caso o “compromisso” não seja cumprido, não é?…É como as  pessoas costumam falar: se o paciente morre, a culpa é dos médicos; se melhora, “graças a Deus!…”)

“Levaremos ao debate público as grandes questões nacionais e trataremos sempre com transparência nossas metas, nossos resultados, nossas dificuldades.”
“Ao mesmo tempo, afirmo com clareza que valorizarei a transparência na administração pública. Não haverá compromisso com o erro, o desvio e o malfeito.
Serei rígida na defesa do interesse público em todos os níveis de meu governo. Os órgãos de controle e de fiscalização trabalharão com meu respaldo sem jamais perseguir adversários ou proteger amigos.”
( “Peraí!” Será que foi a oposição que ganhou e está falando em “transparência”?!…)
“…
zelaremos pela meritocracia no funcionalismo e pela excelência do serviço público…”
“Vou valorizar os quadros profissionais da administração pública, independentemente de filiação partidária.”
(Opa! Isto agora me pareceu uma novidade!…)


Para não ficar eu aqui, também “chovendo no molhado”, quem não ouviu o “histórico discurso” pode encontrá-lo na íntegra, aqui.
Falando em “chover no molhado”, a melhor coisa da segunda foi a chegada da tão esperada chuva, depois de longa estiagem e um fim de semana sufocantemente quente.
E, nem tudo são críticas:
A Globo, numa demonstração de força e prestígio, conseguiu uma entrevista longa e exclusiva com a presidente eleita, no Jornal Nacional de ontem.
Confesso que, talvez sem a pressão dos marketeiros falando-lhe aos ouvidos “seja, simpática! Seja simpática!”, Dilma conseguiu até ser…mais simpática. É a serenidade dos vitoriosos, não é mesmo?

O que esperamos é que, independente de gênero ou partido, o governo de Dilma seja melhor, para todos nós.

Ah! E o Serra? Para onde iria, descansar e recobrar o ânimo pós-campanha?
Acho, que ele poderia hospedar-se neste hotel, em Marrakesh:


Admirado com a escadaria?
Ainda não viu nada!…
Peacock Pavilions é um hotel-boutique em Marrakesh, obra do casal de americanos Chris e Maryam: ele, um renomado arquiteto e ela, uma fotógrafa que escreve sobre viagens, estilo de vida, comidas, dicas de compras e programas em Marrakesh, autora do blog My Marrakesh. No momento, escrevendo um livro. Eles têm um casal de filhos, Tristan e Skylar.
Peacock Pavilions foi aberto
 em setembro deste ano, revelando o maior projeto de vida dessa família.
Um tour pelo hotel pode tirar o fôlego, muito mais que subir correndo a escadaria. 
Se precisar de um descanso…
Morocco Trip

Visite e se encante: Decor8.
Coisa de marajá…

Leia Mais

Ai, que calorr!

Seres humanos não foram feitos para o calor. Pelos menos, não eu. Pode parecer metideza minha ou, que eu esteja dando uma de Caco Antibes. Alguém até poderia lembrar de um pequeno, mas importante detalhe: nasci em Fortaleza e fui criada em Manaus, duas cidades beeem tropicais. Mas, juro: meu DNA deve ter se duplicado na terra do Papai Noel!
Deveríamos, como “seres superiores”, hibernar durante o verão, porém são os ursos, os seres mais espertos: hibernam, durante o inverno.
E, quanto àquela história de férias de verão: praia, Sol, calor…casa atulhada de gente, farofada e barulho à beira mar, vermelhão, marca de maiô, maresia e areia, fazendo a gente parecer um bife à milanesa, cabelo e pele ressecados…já viram, que eu vejo mais desvantagens que vantagens, não é?… Se bem que, há pessoas que conseguem “hibernar”, esquecendo-se ao Sol, numa cadeira de praia. À noite vão se debater na cama, assados e vermelhos, como uma lagosta na panela quente.
Bem, não quero jogar areia nos planos de ninguém. Talvez, seja até inveja enrustida minha… A verdade é que, pra quem não pode tirar férias nessa época, trabalhar neste calor é bem mais cansativo.
O que seria de nós, se não tivéssemos a liberdade de reclamar um pouquinho, né? Ainda, que seja “de barriga cheia”. É que, apesar de estar fazendo um calor de meter medo em beduíno, Santa Teresa é sempre mais fresca, em relação às outras cidades a nível do mar. Hoje por exemplo, estou trabalhando em Colatina, onde o clima oscila entre o quente e o fervente!
Até eu, que não sou muito colorida, além das unhas cor de chiclete, aderi ao vestidinho de algodão florido:
Vestido-bata: Le Lis Blanc
Bolsa de palha
Rasteira: Dumond
Esta rasteira é um xodozinho:A coleção primavera-verão da Dumond se inspirou na Bossa Nova e inspirou, trazendo Fernanda Tavares à frente da campanha.
O charme dessa rasteira, fica por conta da letra de Garota de Ipanema, escrita na palmilha dourada. Amei! (“Ai, que loucura!” Vou dar uma de Narcisa Tamborindenguy, porque um pouco de frescura nesse calor, é necessário!)
Então, deixa eu “viajar na maionese” ou deslizar no escorrega, pra dizer que eu preciso muito disto na minha casa: A escada tobogã, mostrada no ohdeedoh, lembra uma outra, variante desta, aqui.
Seria ideal se ela terminasse, deste jeito:
Splaashhh!Perdão, pela miscelânea nada-a-ver. Deve ser o calor, a cozinhar meus miolos, prato cheio para Andrew Zimmern :
Eca! Mas isto, já é uma outra história…
( Jacaré e urso, daqui: The Animal Blog)

Leia Mais