Proposições para o ano novo

Vivo aqui escrevendo sobre metas, empenho e disciplina para cumpri-las. Já tenho as minhas, pra este ano.
Já fez as suas?
Outro dia assistia à uma entrevista no “Sem Censura” com um tipo de especialista em administração do tempo. Uma das dicas básicas que ele deu, que parece muito simples de cumprir: “faça uma lista!” Assim, você impõe prioridades e não fica ocupando a mente com tarefas do tipo: “lembrar tarefas”, deixando a cabeça mais livre para a criação e para a ação.
Pessoa desorganizada e esquecida como sou, essa é uma dica que sempre coloquei em prática.
Tá no topo da minha lista, apesar das dificuldades e crises que me abatem, todos os dias: que eu veja, que eu escute! Ter uma percepção apurada do que se passa à nossa volta, das coisas boas e ruins, é um passo pra se viver melhor. Assim entendo.
Então, só pra lhes provocar um sorriso e arejar a cabeça, depois desse papinho raso de autoajuda…

Carpe diem!

Leia Mais

Produções Artísticas S.A.

Diz a música popular, que: 

Quem não gosta de samba 
Bom sujeito não é
É ruim da cabeça 
Ou doente do pé.

Aprendi a gostar de rock com o marido, conforme revelei no último post. O mesmo não se pode dizer sobre o gosto musical dele: não se transformou num verdadeiro apreciador de samba e MPB, só por minha causa.
“Non creo en las brujas, pero…”
O marido é bom sujeito, não é ruim da cabeça, mas acabou doente do pé: por alguns dias tentamos tratamento domiciliar; não havendo melhoras porém, optamos pela hospitalização. 
Por isso o sumiço do meio virtual, além dos preparativos para mais uma edição da “Noite de Talentos“, com apresentação de músicas, cantadas ou tocadas, encenações, e o que mais a criatividade sugerisse.
Por enquanto deixo uma prévia de um dos talentos do sábado: um vídeo, feito exclusivamente pelos meninos da casa. 
A ideia partiu dos menores( o filho mais novo, de 11 anos, e o primo dele, de 9 anos): encenar uma das histórias do folclórico personagem Pedro Malasartes. O irmão do meio não é Red Bull, mas se encarregou de dar asas e edição à imaginação dos pequenos.
Com vocês, a “superprodução” caseira “Pedro Malasartes, o Filme”:
Leia Mais

Mistérios insondáveis

“Representação da pitonisa do Oráculo de Delfos feita por um oleiro ateniense, Circa 440 a.C”


Ah, se eu tivesse a oportunidade de conhecer algum sábio oráculo, e este me concedesse o direito a perguntas que me ajudassem a entender certas questões metafísicas e essenciais da minha existência…
Adianto-me a fazer uma listinha delas:
-Por que as embalagens de cd não vêm com aquela fitinha de puxar e abrir facilmente, como nos pacotes de bolacha recheada? Pergunto-me isto, toda vez que tento abrir uma.

-Falando em biscoitos: “vende mais porque é fresquinho, ou é fresquinho porque vende mais?

-Onde fica a máquina de ron-ron dos gatinhos?
Tal descoberta permitiria um imenso avanço científico: num futuro bem próximo, transplantes de alegria e satisfação dos felinos para humanos seriam possíveis!
Mulher com um gato“, de Auguste Renoir, 1875

-E ainda: por que eles afofam com as patas, o lugar onde pretendem dormir? Seria uma espécie ritual para chamar o sono?

-Por que toda mocinha de novela, quando desmaia, sempre encontra um galã ao lado para ampará-la nos braços?

-Quando perguntadas sobre seus segredos de beleza, a maioria das famosas “revela”: 
“Nunca durmo com maquiagem!”
Isto significaria que uma mulher como eu, que usa pouca ou nenhuma maquiagem, deveria ser mais bela que as outras que usam? (Tenho de reinvindicar meus direitos atrasados, então!)

-Por que os homens fazem xixi na rua e coçam o saco em público?
(Concordo. Essa, o oráculo vai coçar a cabeça pra responder!)

-Falando em cabeça: o que há na dos compositores de axé, forró, pagode e sertanejo? 

-Por que não inventaram tubo plástico para pasta de dente, no meu tempo de criança?
(Imagem: dAqui)

Quanta bronca de mãe teria sido evitada, por não conseguir espremer o tubo metálico na base! 

-Por que adesivos com dizeres insólitos, tipo: “Não inveje, trabalhe!” vêm sempre colados atrás de uma brasília, ou fusca velhos?

-Ou aquele outro: “Foi Deus que me deu”. 
Onde estaria eu, no dia em que houve distribuição de carros no céu?…
-Por que, sempre que alguém começa, dizendo: “Não vá se ofender”, você pode ter quase certeza de que vai se ofender?
Se tem resposta para alguma dessas dúvidas, tão importantes, esclareça, por favor! A única certeza que tenho é que não são só minhas! 
Leia Mais

Infrações de peso

Já contei por aqui do meu interesse em mudar de manequim, do M para o P. Como os apresentadores do Fantástico, tenho suado a camisa para encontrar minha “medida certa”. 
Quanto a fechar a boca, isso é mais difícil pra mim que um treino aeróbico, intenso e prolongado. Gosto de cozinhar, porque gosto de comer! E apesar de nossa alimentação ser saudável, sou movida a carboidratos.
Por conta disso, o perfil elegante é uma meta ainda distante.
Ao menos no vestuário, a estação mais fria permite-nos “brincar” de ser elegante:

Inverno chegando
Mas ontem à tarde encontrei algo sobre o balcão, recém-saído do forno:
Bolo de fubá
Sabe quando o bolo é desenformado e sobe aquela fumacinha perfumada? Resistiria?
Eu, não!
Caloria fatiada e consumida, na hora, e com geleia de morango:
Bolo de fubá
A sabotagem foi culpa da Rose, que trabalha comigo. Ela tirou essa receita de um livrinho, só com quitutes de milho:
Bolo de fubá com leite condensado
-6 ovos
-200g de margarina
-1 lata de leite condensado
-1 pitada de sal
-1 xícara de trigo
-2 xícaras de chá de fubá
-1 colher de sopa de fermento em pó
-Margarina para untar
-Farinha de trigo para polvilhar

Tempo de preparação: 50′

Modo de fazer:
Separe os ovos, bata as claras em neve e reserve-as.
Em seguida bata as gemas com a margarina até obter um creme esbranquiçado. Acrescente o leite condensado e continue batendo.
Misture o sal com a farinha; o fubá e o fermento; acrescente-os aos poucos à batedeira, até obter uma mistura homogênea. 
Fora da batedeira, junte as claras em neve e misture-as delicadamente.
Unte uma forma com margarina e polvilhe-a com trigo. Despeje a massa e leve-a ao forno alto, pré-aquecido por aproximadamente  40′. Após os primeiros 10′ abaixe o fogo até que, enfiando um palito no centro da massa, ele saia limpo.
Espere esfriar um pouco para desenformar.


Se eu fosse escolher, provavelmente teria pulado essa, com 6 ovos, margarina e leite condensado. Mas a carne é fraca.


Admito. Sou uma infratora. Porém, não sou a única!
Graças à minha supermáquina, sempre à mão, flagrei 4 infratores, no ato( ou seria “desato”?)!
A prova está aí:
"Infratores"
Olha a cara de preocupação deles, com: multa, calorias, excesso de peso…
Dormindo em serviço
Leia Mais

"Cabelo, cabeleira, cabeludo…"

DJMH-She-MalesForJesus

Sabe como é possível descobrir se estamos ficando “ultrapassados”?
O “Vale a pena ver de novo” prenuncia…
Eu, já vou logo admitindo:
“Meninos, eu vi!”
Muita moda ser lançada em novela e virar febre no mundo real, como as meias lurex de Júlia, em Dancin’Days:

( Dessa, escapei: “era uma criança, não entendia nada!”, citando Erasmo.)

Faça um teste, e veja se foi contemporâneo desses personagens e seus cortes de cabelo “maravilhosos”:


Na categoria “Cabeleira mais Farta das Novelas Brasileiras” Jade e Lucas disputam, cabeça com cabeça!
Páreo duro, concordo! 
Agora, farta mesmo fico eu, quando toca aquela musiquinha melosa, toda vez que o casalzinho aparece em cena:
“Somente por amor…”
Aff! Será que vale mesmo a pena ouvir isso de novo? Nem por amor!
Em Vale Tudo Odete Roitman fazia e acontecia, sem perder a pose e desarrumar o topete descolorido:
 
Como na música de Chico, “dava pernada a 3×4 e nem se despenteava”!
Concorre ao título:
“A Me(gera)lena Domada”


Outro casal da ficção novelesca nacional que conseguiu parar o Brasil, só para acompanhá-los:
Sinhozinho Malta e viúva Porcina: nascidos, um para outro, como queijo coalho e rapadura.
“Tô certa, ou tô errada?”

Porcina, perua assumida, usava adereços nada discretos na cabeça, como enormes laços e turbantes:
Enquanto sua alma gêmea, Sinhozinho Malta(o calvo Lima Duarte), uma ridícula peruca.
Até nisso, o casal mostra sintonia: dividem juntos o prêmio “Acessório mais estranho de cabelo”.

Mas no quesito “Juba Leonina”, ninguém se compara à Tancinha, de Sassaricando:

“Ma, como ãssim?…”

Que atire a primeira chapinha, aquela mulher que, rendendo-se à moda do momento( ou, da novela), nunca tenha exagerado.
Eu, por exemplo, já tive corte de cabelo parecido com o de certa dupla de sertanejos:
Em plenos anos 80, quando a onda era frisar, torrei o cabelo que era liso num processo químico, que nem sei se ainda existe: a famosa permanente.
Mas eu é que não vou me entregar em foto de época, afinal, como em todos os exemplos supracitados, quero pensar que, assim como eles, hoje eu estaria melhor que ontem.

Se depois do teste preliminar, perceber que viu passar todas essas modas na TV, melhor seria conferir como anda a juba…

Por via das dúvidas, acostumei a manter a minha bem aparada, afinal, espelhos são inclementes.


Como o post de hoje não teve nenhuma pretensão de ser levado a sério, encerro com esta música muito fofa, cantada por Caetano Veloso( outro, que não se envergonha dos tempos de juba farta):

 
E pra você:
Qual o corte ou penteado de cabelo que marcou época( como o mais bonito, ou mais estranho, ou mais engraçado…)?
Leia Mais