It’s my house!

-Eu era feliz e não sabia…
-Transformaram-me num “monstro”!

Confissões de adolescente:
Há pouco, rendi-me ao Dr. House.
Viciei.
Detalhe: fui uma das últimas da casa a capitular depois, do: filho mais velho, do filho do meio e do marido. O único que ainda se mantém à margem é o mais novo, o que é desejável, devido à sua pouca idade para entender essas ironias.
Esta semana embarquei com o mais velho numa “maratona-house”, que entrou pela madrugada: 5 episódios, seguidos!
Marido estranhou, chegar em casa outra noite: em vez de me encontrar usando o computador, flagrou-me, acompanhando outro episódio, junto com o menino do meio. ( Foi dele, a ideia de comprar as últimas temporadas de House, em DVD)
Fico me perguntando como, num país tão neuroticamente preocupado em ser “politicamente correto” como os EUA, um personagem de caráter tão ambíguo, poderia fazer tanto sucesso? O marido diz, que é uma forma dos americanos fazerem catarse.
Mas, não é pra entender. A verdade é que House prende, do início ao fim! O anti-galã é sedutor. E anti-ético, e preconceituoso, e machista, e arrogante, e egocêntrico…bem, são tantos os anti-predicados desse médico( ou monstro?…), que seria difícil descrever todos.
O ambiente hospitalar retratado( apesar de saber o quanto alguns podem ser inóspitos) é simplesmente fantasioso! Por melhor, e mais bem preparado que um médico americano seja, não conheço nenhum super especialista, que faça ( direito!) cirurgia cardíaca à cirurgia neurológica, como se arrancasse (ui!) uma unha do pé! Todos os preparadíssimos pupilos do doutor, também realizam todos os tipos de exames e procedimentos, inclusive, as medicações dos pacientes, tarefa que compete à equipe de enfermagem.
Os casos clínicos de cada episódio dão a impressão que doenças raras, relatados apenas em livros da minha época de faculdade, aparecem, assim: no “cotidiano nosso de cada dia”, como descreveria o pessoal do Casseta&Planeta. Eu me sinto uma médica, completamente ignorante! Com certeza, seria uma das primeiras a ser demitida da equipe por ficar boiando, no meio daquelas”feras”, de raciocínios clínicos, tão rápidos!
Isto sem falar ( mal) da rebolativa Dra. Cuddy:”Fala, sério…”quem levaria a sério uma chefe, que vive metida em uns conjuntinhos fora de moda, super-apertados, e super-decotados como os dela?! Parece até que o figurino, maquiagem e cabelos ultrapassados da doutora, foram escolhidos pelos mesmos profissionais das novelas mexicanas! ( Nada contra, porque eu me divirto muito, com todo aquele exagero!)Essas “escapulidas” à realidade( com certeza, de caso pensado para fazer sucesso!) não tiram o charme da série, que encontrou no ator Hugh Laurie, o intérprete perfeito para personificar o médico ranzinza. (Ah, e eu já estou torcendo, para que o romance entre House-Cuddy engrene!)
É, Hugh…você era bem mais dócil, como o bondoso Sr. Little, pai do ratinho
Stuart Little!
Voltando ao mundo real ( digo: virtual), outro dia vi no blog da Lúcia, Quarto de Despejo, um adesivo muito bacana. É o sobrinho dela quem faz. Não resisti. Agora, House ficou mais próximo, ainda que, me olhando com aquela “cara de poucos amigos”:Encomendei 2 adesivos: um, colei na lateral do freezer, próximo à porta da cozinha e o outro, o filho mais velho já se apossou dele: vai para o apartamento, em Vitória.
( A Lúcia, tão fofa, ainda mandou junto uns cortadores de biscoitos e cartão de gatinho. Depois, mostro.)
Apesar de todos os defeitos, House continua sendo, inexplicavelmente adorável!
Na real: em algum momento todos nós somos, tão rabugentos e mal-humorados quanto o médico da ficção.
O remédio? Nenhuma monoterapia simplista, mas a ideia desta música antiga, quando colocada em prática, pode nos ajudar a viver melhor neste ano:
Make Someone Happy
( A música, também fez parte da trilha sonora do filme Sintonia de Amor)
Porque hoje é o 1° dia do ano, feriado, fim de semana e porque, precisamos:
“Faça alguém feliz.
Pelo menos um, feliz.
E você será feliz, também.”
(Ficou boiando sobre o assunto do post? Saiba as novidades da série do Universal Channel, aqui: no Blog do House )
Leia Mais