Morar mais por menos

Sonho de consumo de todos nós, assim como: comer mais por menos, ou vestir mais por menos…
Pra quem é antenado, a notícia terá gosto requentado, mas o evento segue no Rio de Janeiro até dia 04 de novembro, portanto, boa opção de programa para o fim de semana prolongado: trata-se da mostra Morar Mais por Menos, que desafia arquitetos e designers de interiores a misturar soluções acessíveis e de baixo custo( muitas vezes, aplicando a máxima: “faça-você-mesmo”) a ítens de maior valor, na decoração.
Ambientes diversos, como este delicado quarto de bebê:

Base de cor neutra pontuada por tons pastéis, berço de MDF, galho decorado com luzes e nuvens tridimensionais de papel.
A cozinha de tijolos à vista ganhou descontração com a pintura de rua; cones de sinalização serviram de base para a mesa de vidro.

A mesa de bobina de madeira já nem é novidade, mas o que me deixou de queixo caído foi a parede forrada emoldurando a geladeira retrô azul-ambiente sóbrio e aconchegante:

Lona de cadeira de praia virou prateleira e o cano à mostra, apoio para cabides de roupas:

Caixas de plástico-mais espaço para organização neste quarto feminino, sem falar na graça do cabideiro de registros de água:

Todas as fotos são do blog da Ana Medeiros, A Casa que Minha Vó Queria.
Mais imagens, no site do GNT e Casa e Jardim.

Funcionamento da mostra: de 27 de setembro a 4 de novembro.
Horário: de 3ª a sábado, das 12h às 22h; domingo, das 12h às 21h.
Ingressos: R$ 20,00 de terça a sexta-feira e R$ 30,00 (sábados, domingos e feriados)
Local: Av. Epitácio Pessoa, 4.866 – Lagoa
Telefone para informações:              21-2512-2412      

Leia Mais

É "cor de rosa choque"

“Direto do túnel do tempo”, já que falamos em programas de TV no último post, a música de Rita Lee e Roberto de Carvalho foi tema do TV Mulher, programa matinal exibido pela Globo no início dos anos 80. Marília Gabriela, sua principal apresentadora e, entre outros comentaristas, uma sexóloga com ideias bastante modernas para a época: Marta Suplicy, conhecem?…
Só uma pequena viagem para chegar à figura espalhafatosa do designer anglo-egípcio Karim RashidNascido no Egito, criado no Canadá, trabalhando em Nova Iorque, Rashid ganhou o mundo, inclusive o Brasil, onde já fez diversos trabalhos e exposições
O designer que adora formas orgânicas e cores fortes, principalmente o rosa choque, imprime nos produtos que assina o espírito dos anos 80 e o futurismo da era espacial.
(imagem, dAqui)

Nada discreto e convencional, Rashid não dispensa o rosa no vestuário.
Também fez de sua residência um laboratório de formas e cores psicodélicas, lembrando o lar da família Jetsons, desenho da década de 70.
No Design&Inredniningsbloggen é possível fazer um tour pela casa e conhecer um pouco da intimidade do famoso designer:
Acrílico e plástico são a matéria prima preferida, inclusive, uma de suas parcerias foi com a nacional Melissa:
O móvel da casa que mais gostei foi este armário em acrílico, perfeito para guardar meus sapatos( não sei, se todos…):
Decoração é algo muito pessoal; acima de tudo, precisa combinar com o estilo de vida dos moradores da casa. 
Ambientes tão assépticos não “fazem a minha cabeça”, mas, sem dúvida esta casa é a cara dos Rashid:
Fotos: Michael Moran

Mais fotos aqui, no Sköna Hem.
Leia Mais

Ateliê Gaaya

Quando a Edilene entrou em contato comigo, convidando-me a acompanhar a nova séria de posts no seu blog com fotos exclusivas, pensei: “puxa! Como eu nunca havia reparado isso aqui, antes?!” 
“O Ateliê Gaaya é resultado do trabalho de três artistas, Edilene Lasmar de Faria, Marcus Vinícius Freitas Campos e Aureliano Vieira de Miranda Neto, que se uniram em torno de uma proposta inovadora: a repaginação de móveis e a criação de objetos de decoração e arte. As peças têm um tom jovem, divertido e atual, que dá um toque especial em qualquer ambiente.”

A Edilene é artista plástica formada pela Universidade Federal de Uberlândia. Em 2002 associou-se a Aureliano Neto na confecção artesanal de bijuterias. Logo juntou-se à dupla, outro jovem talentoso: Marcus.
Direcionaram o trabalho, das bijus para a decoração. O resultado: o Ateliê Gaaya, locado em Uberlândia.

Os últimos posts do blog contam com belas fotos ambientadas no ateliê, encenando uma historinha dividida em capítulos…
Aos poucos somos apresentados ao trabalho de cada um dos artistas, como essa cômoda de temática jovem e estampa vintage.
Ou, a esta robusta poltrona de couro, que ganhou leveza e irreverência com o grafite:
Além das paredes, o piso é um show à parte!
E o que dizer desta sapateira, com cara de quarto de menina-moça!
Não daria conta de metade de meus sapatos, mas, quem se importaria com a falta de espaço, com uma peça tão linda?!…
A Vivianne mostrou outro dia o quarto do ateliê, com uma borboleta “tatuada” no armário, ao lado da cama.
Vale a pena fazer um tour por todos os ambientes do ateliê e ver em detalhes peças como este armário antigo da cozinha, “remoçado” pela pintura amarela:
Criatividade e talento juntos não são como Red Bull mas, dão asas à imaginação…
 Ateliê Gaya
Para saber mais a respeito do Ateliê, poderão acessar uma entrevista com a Edilene aqui, no Como Você se Inspira.
E, para quem desejar adquirir alguma peça do Ateliê com até 50% de desconto, de 4 a 6 de novembro acontecerá o 2°Bazar Ateliê Gaaya:
Leia Mais

Premiações

Em junho de 2008, 3 militares pertencentes à tropa que ocupava o Morro da Providência no Rio de Janeiro detiveram 3 jovens moradores, suspeitos de portar armas e ter ligação com o tráfico local.
A “guerra urbana” não ocorre sem vítimas: ao final da “operação”, os 3 jovens foram entregues por um grupo de militares aos traficantes rivais do Morro da Mineira e, previsivelmente, mortos às costas daqueles que deveriam protegê-los.
O episódio ganhou a mídia como a “tragédia do Morro da Providência”, expondo a delicada relação entre os militares e a população do morro ocupado.
Pouco tempo depois o mesmo lugar voltou a chamar a atenção porém, de uma forma bem diferente, graças à intervenção de um jovem fotógrafo e grafiteiro francês( ele não revela o nome, preferindo ser chamado apenas de J.R.):
Da noite para o dia, encostas e fachadas de casas no morro foram ocupadas, não por militares mas, por imensas fotos em preto e  branco, no projeto intitulado Women Are Heroes” (mulheres são heroínas).
Uma das “heroínas” estampadas em uma escadaria do bairro foi Dona Sebastiana, 68 anos, avó de um dos jovens, assassinados no triste episódio:
retrato de dona Benedita
“A idéia por trás do trabalho é simples: retratar personagens que moram em áreas de conflito destacadas pela mídia e tentar mostrar o outro lado.”
“O objetivo secundário, mas não menos importante, diz J.R., é criar em lugares onde não existe arte.”
Trabalho do fotógrafo JR no Morro da Providência


Esta semana o fotógrafo francês recebeu um prêmio de US$100 mil dólares da
fundação TED (Technology, Entertainment, Design), não apenas pelo trabalho exposto no Rio mas também, em outras partes do mundo:
Intervenção do artista francês J.R. em casa da cidade suíça de Vevey
Trabalho de JR em Vevey, Suíça

Outras figuras de destaque receberam o mesmo prêmio, em anos anteriores: Bill Clinton, o cantor Bono Vox e o chef-celebrity Jamie Oliver.

Mais fotos do trabalho de J.R., aqui: JR Art.

A vida já é pesada demais!
A iniciativa de surpreender, desarmar e chamar a atenção através da arte é louvável.
Mas, não é preciso tanto pra mudar e melhorar um pouco o lugar onde moramos. Atitudes e ações mais simples podem fazer grande diferença!

O post de hoje começou heavy mas, aos poucos foi ficando soft, perceberam?
É que eu introduzi o tema, contextualizando, para dar a notícia desse interessante trabalho, digno de um importante prêmio.

Mas aqui, no Sala da La, o prêmio é outro: bem aquém, dos US$100 mil oferecidos pelo TED porém, não menos disputado.

Foi um recorde de participação, em promoções aqui no blog: 471, entre primeiras, segundas e terceiras, afinal, cada divulgação permitia nova participação, aumentando a chance de ganhar.

Gostaria de agradecer à companheira Ana, pelo prestígio da parceria: oferecer um produto com a marca e qualidade Ana Sinhana foi o principal fator de sucesso dessa promoção! E, em nosso nome, gostaria de agradecer o prestígio de todos os que participaram, ajudando inclusive a divulgar!
Àquelas que, aproveitaram para mandar um recadinho carinhoso, meu “muito obrigada”!

Mas, vamos ao que interessa:


Chamei até bandinha de música, pra animar o coreto e anunciar o(a) felizardo(a)…
Que rufem os tambores, senhoras e senhores!
E, quem vai rir à toa será…
Happy Kid
Fernanda Richetti, mais conhecida como Nana, do Manga com Pimenta!
( Pausa para risos, gritinhos e soluços…)

Fiquei especialmente feliz com o resultado, porque a Nana é companheira e parceira minha, praticamente desde o início do blog! Foi ela, inclusive, que ajudou a mudar a cara do Sala da La, montando o novo layout.

Apesar dessa nossa proximidade, deixo claro que não houve “jabá” mesmo porque, tanta gente que eu gosto participou que, seria difícil escolher quem mais merecesse ganhar: deixei por conta do sistema Contest Machine.
Apenas peço desculpas pois, não consegui salvar o quadro do resultado e o expor aqui( meu AAC, Assessor para Assuntos Cibernéticos não estava em casa, pra me ajudar).

Parabéns à Nana, que foi sorteada na sua segunda participação, já que a divulgou pelo Twitter.

Agora, pode correr pro abraço!…
"The Joy Of Life" - that's one happy kid!



Quem não ganhou, não precisa chorar!


Pode visitar a Ana e encomendar-lhe uma toalha, ou bolsa, ou carteira, ou coruja…
Continuem por aqui pois, além de informação, boas ideias, imagens, sons e receitas gostosas ainda teremos mais promoções, logo, logo!

Beijo e bom início de semana pra todos!

Leia Mais

Refúgio na mata

Não se fala em outro coisa, desde domingo: a (boa) surpresa de um segundo turno, revelada após a abertura das urnas. 
A “zebra” veio pintada de Verde. 

O clima do momento foi muito bem(-humoradamente) retratado, pelo chargista capixaba Amarildo, no jornal A Gazeta de hoje:

Blog do Amarildo

É tanto assédio que, talvez a candidata verde até desejasse fugir, “para outro lugar, baby
Na onda( verde!) do escapismo, tranquilidade e privacidade poderiam ser encontradas nesta casa, no norte da Califórnia:
 
Toda a face norte tem vista ampla, da mata em volta:
 
O piso claro de madeira e a luz natural, que entra por imensas janelas de vidro, ampliam a sensação de liberdade e contato com a natureza.
Mobiliário em tons neutros e objetos de argila e palha, complementam a decoração. 
A extravagância do lustre escultural faz um contraponto à estética minimalista.
Alguns candidatos, talvez não gostassem de passar suas férias pós-eleições numa casa assim, tão transparente. Mas, àqueles comuns mortais, como nós, quais desses se incomodariam em dividir a privacidade com pássaros, esquilos, raposas e cervos?!
Combinemos o seguinte, então: os políticos iriam para a “selva de concreto”, em Brasília, enquanto nós, fugimos( deles?!) para esta outra selva: verde, fresca e silenciosa( e, sem horário eleitoral gratuito!)!
O primeiro a pular na piscina, serei eu!( O último…é “mulher do padre”!…)
]
Mas, reitero: tudo isso é puro escapismo! 
Vamos ficar por aqui, pelo menos, até dia 31 de outubro. Quem sabe assim, se cumprirmos nosso dever cívico direitinho e, ajudarmos a mudar a cara do país, sejamos recompensados com um futuro mais tranquilo e promissor?!…

Conheça mais sobre esse projeto arquitetônico, da empresa Turnbull Griffin Haesloop: Sebastopol Residence
Leia Mais