Canto de estudo

O especialista em design de interiores Maxell Gillinghan-Ryan é o autor de um dos sites mais conhecidos do mundo virtual: o Apartment Therapy.

Mas antes desse sucesso ele era trabalhou como professor. Costumava fazer visitas anuais a casa de seus pequenos alunos.
Essa experiência foi relatada no livro “Terapia do Apartamento-Transforme seu lar em oito semanas”:
“As visitas à casa dos meus alunos me levaram a identificar dois problemas muito comuns. O maior deles era a estimulação excessiva. Muitas vezes isso vinha na forma de muita bagunça ou muito tempo assistindo à TV ou outra mídia; às vezes, mas não sempre, os próprios pais eram a causa do ambiente superestimulante. O outro problema comum era a falta de ritmo da vida diária….As crianças que iam melhor na escola eram aquelas cuja família incentivava ritmos e rituais saudáveis em casa.
Embora esses lares saudáveis não fossem parecidos, todos eles tinham características comuns: eram silenciosos e organizados e, embora não fossem grandes em termos de metros quadrados, pareciam espaçosos e arejados. Não havia livros e brinquedos por todos os lados. Não havia fotos emolduradas cobrindo todas as paredes. O lugar em que as crianças brincavam não era o mesmo lugar em que estudavam.”

Levando em consideração essas dicas de especialista deixo algumas sugestões, do próprio Apartment Therapy, como inspiração para criar um canto de estudo, ou leitura para as crianças:
2012kidsworkspaces01_rect5402012kidsworkspaces01_rect540
Mesa grande ou pequena, em L ou reta, banco gasto ou cadeira de design: pode variar; mas há características, em comum: pintura sóbria, prateleiras para organizar material e objetos, que personalizam o cantinho.
2012kidsworkspaces01_rect5402012kidsworkspaces01_rect5402012kidsworkspaces01_rect5402012kidsworkspaces01_rect540
Gostei muito da imensa bancada acima, provavelmente, compartilhada por irmãos: espaço para todos!

Leia Mais

Estúdio colorido

O blog Thompson Family está nos meus preferidos há bastante tempo.
Os anos 60 são referência para o trabalho e decoração da casa de Danielle Thompson, a autora do blog.
Neste projeto pessoal, um quartinho virou estúdio e brinquedoteca: liberdade para misturar cores e estampas criando um ambiente alegre, lúdico e bem feminino.
A seguir, um resumido tour pelo estúdio:
IMG_2851
Lembra algumas imagens de casas escandinavas que costumamos ver por aqui, com paredes brancas, salpicadas de cores e flores.
A poltrona com pés de ferro é cheia de graça.
Papel, tecido, estampas vintage: tudo junto e misturado!
Cortinas pra todo lado: em cima(bandô florido vermelho e estampa gráfica contrastante), em baixo( sob a mesa de trabalho escondendo baguncinhas, muito provavelmente).

Ah, mas o que me deixou mais apaixonada foi este lustre de vime, com aplicação de pompons gigantes:
IMG_2854
O armário é bem antiguinho. Danielle aproveitou as portas de vidro para expor seus materiais coloridos e aplicou papel estampado nas laterais, amenizando assim o ar sisudo da madeira escura.
IMG_2907
Mais cortina e pompons:
IMG_2878
Ela gosta de bonecas, e a casinha delas não poderia ficar de fora dessa reforma:
IMG_2922
Noutro armário antigo, o toque de cor e alegria ficou por conta da aplicação de botões de flores de plástico nos puxadores de madeira:
IMG_2923
Detalhe exclusivo e fofo!
IMG_2885
Amei tudo!
Mais detalhes, aqui!

Leia Mais

Ateliês inspiradores

Hoje é o “Dia do Artesão”.
Minha homenagem a esses dedicados e criativos profissionais. Alguns, tive o privilégio de conhecer pessoalmente, como a Ana Matusita( Ana Sinhana), a Ana Melo Cavalari, a Cecília e Helena( mãe e filha), do Quilts são eternos, e a gaúcha Lu Gastal: todas, artesães modernas e antenadas com o mundo virtual.
Falando nisso, nossa inspiração do dia é um ateliê muito fofo, da crafter Ayumi, do Pink Penguin:
sew8
Cada detalhe único e exclusivo:
sew12
Como este agulheiro:
sew13
Tutorial do siri, aqui (Craft Nosis).
O panô de patchwork é feito sob medida:
sew16
À medida do gatinho Oto:
sew19
sew26
sew32
Outro ateliê inspirador é o da Emy Kuramoto, do Tofu Studio:

Ela também ama gatinhos!

Na visita que fiz à casa da Ana Matusita registrei alguns detalhes do ateliê dela: aqui.

Parabéns aos artesãos! Obrigada pela inspiração.

Leia Mais

Ateliê inspirado(r)

Esses dias o filho do meio  disparou: 
-Mãe, você é tããão prolixa!
(Parafraseando a resposta do Lobo Mau à Chapeuzinho Vermelho:)
-É pra melhor me explicar, filhinho!”…



Quem acompanha meus posts já deve ter se acostumado a essas minhas “viagens”. O problema é que, quando falamos em público, nem todo mundo está disposto a embarcar nesse barco, às vezes furado…


-Ok, filhinho! Como sei que gosta de clareza e de, Clareza Meridiana, vou me esforçar para ser mais direta.


Enquanto não aprendo: se o mundo dá voltas, não há como não entrar no ritmo. Porque somos, em essência, criaturas complexas; justamente por isso, únicas.
Todos temos nossas referências e sofremos influências, que ajudam a moldar nosso gosto e definir nosso estilo: de comer, vestir, viver e até, de morar!
No fundo é o que buscamos, nos blogs e sites de decoração: boas referências; dependendo do que mais nos toque e, combine melhor com nosso estilo, definimos como queremos nosso lar.


Numa dessas viagens virtuais cheguei ao blog da crafter Alicia Paulson

Já conhecia o Posie Gets Cozy, mas o que mais chamou minha atenção foi a reforma no ateliê dela, há pouco. 


Neste post, ela fala das influências que nortearam a reforma, principalmente, o trabalho do pintor realista sueco Carl Larsson.


As belas aquarelas do artista, retratando a rotina da casa e as pessoas, serviram-lhe de referência na escolha das cores e estilo do ateliê:

Ingrid
O pintor teve uma infância triste, mas superou as dificuldades através da arte. 
Nesta comparação curiosa, Carl, à D, parece ter sido referência clara para o estilo e visual do mythbuster Jamie Hyneman:

Cheezburger

Carl se casou com Karin: não “foram felizes para sempre”, mas ao menos, “até que a morte os separou”. Tiverem 8 filhos, que logo viraram tema e modelos para muitas das aquarelas do artista: registros em Ett Hem ( a Casa), Larssons (Os Larssons) e Åt solsidan (O Lado Ensolarado). 
A “grande família” habitou num minúsculo, mas simpático chalé, presente do pai de Karin ao casal: 
BW gården utomhus
Lilla Hittnäs, residência dos Larsson

A obra de Carl influenciou, inclusive, o design de interior sueco, justamente por retratar muito da rotina do lar.

Vejam mais, na galeria de Carl, no Google: os tons de verde e azul inspiraram Alícia a escolher a cor das paredes. Além disso, a luz natural e os ambientes suavemente acolhedores do interior das casas suecas determinaram o estilo do ateliê:

Studio20
O azul escolhido foi o buxton blue, mas há similares nacionais à altura. Basta usar alguma referência na hora de mandar preparar a tinta, assim como Alícia usou. 
Particularmente gosto muito desse tom, assim como o turquesa e o azul calcinha( Acreditem! Essa cor existe!).
O profundo azul acinzentado ganha tons diferentes, conforme a luz, natural ou artificial:
Studio2a
Os pendentes, onde ela precisa de mais luz: no canto de costura.
Numa outra mesinha, onde deixa o note e impressora, uma parede artesanal de lembranças:
Studio7
Outro aliado na reforma foi a loja escandinava Ikea.
Luz natural entra sem cerimônia pelas amplas janelas e portas de vidro, integrando o ateliê ao quintal. O piso claro casou muito bem com a parede: cores calmas.
Studio36
Uma grande mesa funciona como uma ilha de trabalho:
Studio27
A visão privilegiada do tranquilo jardim, com um pendente de vime na varanda:
Studio5
Conforme a luz, o azul vira verde:
Studio33
Quem parece ter aprovado a reforma foi o cachorrinho de Alicia:

Studio18
Posie Gets Cozy

(Ops! Ela também tem 2 gatinhos, mas eles preferiram não opinar…)
Afinal, é pra isso que serve a casa, em qualquer lugar ou época: acolher e abrigar seus moradores.


Woman Lying on a Bench

(Carl Larsson-1913)


E você: o que lhe inspira?…
Leia Mais

Na sala da Lu..

Lu, de Luciana! “Kaempf (de casa)- Gastal (de casamento)”, como a própria se descreve, no perfil do seu blog.
Indiretamente, minha viagem ao RS deveu-se a ela. Explico:
Trocando uns e-mails com a Ana Sinhana, amiga virtual que virou real este ano, recebi proposta, quase irrecusável:
“La, devo ir à inauguração da loja da Lu, em Porto Alegre. Que tal, nos reencontrarmos por lá?…”
Como iria retribuir a visita que a Rosana me fez, em março, achei a coincidência dos interesses muito atrativa e resolvi antecipar os planos.
Quando a Ana me respondeu que não poderia mais ir, já estava eu, com as passagens compradas.
Foi então, que entrei em contato com a Lu Gastal e avisei-lhe sobre a minha ida. Outra proposta, também irrecusável, recebi dela: conhecê-la pessoalmente, assim como a loja que estava inaugurando, em Porto Alegre.

Encontramos uma charmosa casa antiga, na rua Eudoro Berlink. Fomos recebidas, eu e Rosana, como VIPs: à portas fechadas, pela própria Lu, uma “alemoa” de quase 1,80m, mas que aparentava ser uma “baixinha” de 6 anos, tamanha a agitação e entusiasmo pré-inaugural!
A loja nos pareceu a realização de um sonho da Luciana, que assumiu o lado crafter, largou a advocacia, mudou-se de Brasília e inaugurou, junto com a loja, uma nova etapa na vida.
Uma reconstrução…
Construindo um nome...
A casa foi toda reformada mas conservou o charme dos anos, expostos no chão, de madeira, e no teto, mais alto. Aproveitando-se disso, pendentes de luz em diferentes alturas, iluminavam e enfeitavam o balcão de atendimento:
Pendentes de luz
A renovação, ficou por conta da escolha das cores, inspirada nos tecidos.

Luciana contou-nos, entre chazinho e doces de Pelotas, que a maioria dos objetos usados na decoração da loja, já possuía, como o balcão citado: herança do avô, alfaiate( a costura veio no sangue!)

Cada cantinho tem um toque pessoal, como a arrumação do balcão simulando feira livre, onde expôs suas tradicionais frutinhas de tecido, em cestos e caixas de verduras( colhi algumas, para levar pra casa):
Feira fofa!
A casa tem uma pequena copa, onde foi colocado um armário, cheio de coisas fofas:
Armário de fofuras
A prateleira de ferro sobre a pia, lembra mercearia antiga: penduricalhos como canecas, gansos e leitãozinho de tecido dão o toque de humor.
Detalhes da copa
Sobre a charmosa geladeira antiga, coloridos pinguins da Ana Sinhana:
Geladeira
Patchwork de ladrilhos na parede, fogãozinho antigo, bule sobre a tempra e piso desenhado fazem deste cantinho, um dos mais simpáticos:
Fogãozinho e painel de ladrilhos
O mezanino foi aproveitado como oficina de costura e ateliê.
As cores escolhidas para delimitar o espaço de criação pessoal foram bem femininas: rosa e azul.
Ateliê da Lu Gastal
Caixas de sapato, revestidas de tecidos variados e multicoloridos, ajudam a organizar materiais e enfeitar o ateliê:
Caixas de sapato coloridas
Aqui, trabalha uma artesã:
Ateliê Da Lu Gastal
Não perderia a chance de examinar o banheirinho. A Luciana enfeitou o da loja com este lindo pendente, revestido em tecido, com o toque glamouroso de um pingente:
Pendente revestido
Experimentando…
Experimentando uma fofura!
Admirando os detalhes, em uma Tilda costureira…
Tilda costureira
Encantando-me, com a variedade delas!
Tildas
E aqui, o encontro registrado para a posteridade, numa escadinha de blogueiras:
Escadinha de blogueiras
Lu, La e Ro!
Depois a gente continua, mostrando algumas coisinhas trazidas de lá.
Por enquanto, podem ver mais detalhes da inauguração da loja, aqui.

Leia Mais