"A hora de pendurar as chuteiras"

Ainda não é a minha, mas o assunto é atual.
Como adiantei no post “Os ganhos das perdas” pretendo desacelerar aos poucos, mas não, parar. Apenas, mudar o ritmo.
(Despedida de Pelé da seleção brasileira, no Morumbi, em 11/07/1971)

Só teme a velhice, quem não se prepara para recebê-la.
Costumo ouvir de pacientes a seguinte declaração, tentando justificar possíveis doenças adquiridas( e evitáveis):
“É porque eu já passei dos 50, doutora!”

Pura balela!
É fato: colhe-se na velhice, o que se planta na juventude.

Cuidar de si inclui, principalmente, preservar e promover a saúde mental.
Àqueles que fazem do trabalho o único motivo e objetivo na vida, como se não existissem sem ele, a aposentadoria pode ser traumática. 
É o cargo que faz deles alguém, não o contrário. Se lhe “tiram” isso, tiram-lhe sua própria essência.
“E agora, o que vou fazer?”
A pergunta que, para alguns recém-aposentados seria motivo de apreensão não me parece assim tão difícil de responder( afirmo isso, do alto da minha imaturidade e, ainda longe de me aposentar…)
Há tantos projetos e sonhos que temo não ter tempo hábil, nem saúde para executá-los.

O Ronaldo(“Fofômeno”, segundo o Agamenon) foi maroto. Depois de passar as últimas temporadas tendo um desempenho pífio, restou-lhe a saída pela direita, ou melhor, pelo gogó: “a culpa é da tireóide”…

Outro recém-aposentado famoso é nosso ex-presidente Lula.
Se não fossem os R$200.000 que tem cobrado por palestra, mais a aposentadoria que recebe do INSS como anistiado político, mais os ganhos como ex-presidente, além de valores repassados pelo PT, eu até que sentiria peninha dele. 
Já explico.
É sabido que Lula recusou convite para participar do almoço em homenagem ao presidente americano.
Se ele fosse, teria de apertar a mão de Fernando Henrique, presente à mesma cerimônia. Seria uma demonstração de civilidade( de ambos!).
“Para não ofuscar” a presidente Dilma(ou seria, o presidente Obama?!) Lula não teria aparecido.
Sua ausência, ao contrário do que pretendia, “causou”!
Das duas, uma:
-Ou o ex-presidente tem ego inflado e uma super auto-estima, a ponto de achar que ofuscaria alguém;
-Ou, ele sofre do contrário: de baixa auto-estima, portanto, não suportaria não ser mais o centro das atenções, evitando assim, um golpe na própria vaidade.
Qualquer uma das opções seria uma pena( mas, lembrem-se da gorda aposentadoria que ele tem recebido, antes de deixarem escapar alguma lágrima!).

Não sei como estarei daqui a alguns anos. Gostaria de, se não com “muito dinheiro no bolso”, ao menos com “saúde pra dar e vender”. 
E tempo de sobra para executar alguns projetos. Um deles, voltar a fazer patchwork e aprender a costurar.
Inspirações não faltam, como estes elefantes de patchwork, que até nome têm:
Ernest
Claude
As criações são de Alexis, da loja:  
Reverie day dream

Se um elefante “incomoda” muita gente.
Mais elefantes incomodam, incomodam…muito mais!


Stevens Happy Accidents

Segundo fontes “confiáveis”( meu filho caçula, “especialista” em Geopolítica), o próximo famoso a “pendurar as chuteiras” será o atual senador, outrora presidente, José Sarney, no dia 1° de abril.
Ou então, façam suas apostas…
Leia Mais

"Passarinhos irritados"

Nesse feriado, muita gente ( que eu invejo!) ficará literalmente, de “pernas para o ar”.
Para os de mãos nervosas, que não se sujeitam ao exercício de apenas trocar os botões do controle remoto da TV, deixo a inspiração dessas imagens:
wee owlie
Penosas de tecido e outros bonequinho fofos da KraKraCrafts, na loja da Etsy:
Dill the little owl
Segundo a Teresa Esteves, assídua comentarista deste blog e agora, blogueira também: “nesse ninho carioca daqui, preferimos ficar bem quietinhos, e a nossa música de carnaval preferida é a dos nossos passarinhos…”

Wee bird

Ok, Teresa! Também prefiro essa cantoria…

Wee bird
A Rosana Sperotto está no grupo daquelas de “mãozinhas nervosas”, e já antecipa a Páscoa preparando outro tipo de “penosas”:
O pintinho mal saiu da casca e já enfeita uma guirlanda pascal.
Ainda na linha, ou nas penas, ou nas duas, vi esta sugestão para fazer em casa, com as crianças, que achei muito divertida:
A carinha de irritado desse passarinho, não é para menos: porcos verdes, muito gananciosos, roubaram os ovinhos de seu ninho e agora, ninguém poderá deter os penosos, outrora, doces criaturas! Assumiram aquele ditado: “somos bons, mas quando maus somos melhores ainda!” 
Esse é um novo jogo, que virou mania lá fora: Angry birds.

No joguinho, os passarinhos atiram-se contra as torres edificadas pelos porcos. Para o projeto de nerd-infomaníaco que tenho em casa, meu filho de 11 anos, um prato cheio!
A proposta do Make and Takes é fazer um criatório de passarinhos irritados e porquinhos do jogo, usando pompons de lã.
Depois é só “soltar a franga”, quer dizer: os passarinhos, sobre o castelo de porquinhos.

Tutorial dos pompons, aqui: Meyamo.
Mamães e papais corujas entenderão bem, o motivo de tamanha irritação desses ex-doces passarinhos:
Mãos à obra e, divirtam-se!
Leia Mais

Pequenas mudanças

Nossa casa é como Rexona: “acompanha o nosso ritmo”; muda, junto com seus moradores. Mas, nada de extreme make over: geralmente são transformações sutis, assim como é o crescimento das crianças e a decadência dos adultos.
E quando achamos que não há mais o que tirar nem pôr, descobrimos que, sempre haverá o que tirar e pôr.
Hoje fiz algumas pequenas mudanças na sala( a maior delas seria a completa organização!):

Minha sala

Minha mãe aproveita a última semana de férias por aqui, cumprindo uma verdadeira  maratona na máquina de costura: calças de meninos e lençóis rasgados são reparados, além das criações, que vão de almofadas, toalha de mesa, bichinhos de tecido e, claro, alguma roupa para a filhinha exploradora.
Acontece que ela, diferente de mim “é gente que faz”: viu na capa de uma revista Viver Bem, algo que desejou reproduzir…
E foi justamente esta corujinha:
Contou-me a intenção num dia e, já na metade do outro tinha-a concluída:
Corujinhas
Ficou bem parecida, não?
Mas tenho certeza que arregalaram olho maior que o da coruja, para uma outra, ao lado:
Quadros e almofadas
Minha mãe passou muito tempo examinando cada detalhe desta criação da Ana Paula Cavalari e, chegou à seguinte conclusão: “perfeita”!
Aqui, uma reunião de família de zoiudas no meu sofá:
Corujices no meu sofá
Mais à E, a coruja psicodélica da Ana Sinhana, ao centro a glamourosa da Ana Paula e à D, a estilizada feita pela minha mãe.
O ursinho ficou até sem fôlego e preferiu evitar concorrência:
Urso no sofá
Ela também me fez mais almofadas, reaproveitando um quimono que eu não mais usava:

Almofadas de veludo

Esse belo tecido estampado em veludo não merecia ficar escondido no fundo de um armário, concordam?
Juntei com as outras almofadas que ela me fez, de estampa de matrioshkas:

Feitas pela mãe

Tanta corujice de mãe só poderia render mais presentinhos:

Corujinha

A pequena foi pendurada à entrada da casa:

Corujinha

Acrescentei outros quadrinhos:

Quadros e almofadas

A Ana Paula, muito gentil, enviou-me junto com a coruja umas ilustrações vintage
Aproveitei uns quadrinhos do mesmo estilo e enquadrei-as:

Quadrinho vintage
Quadrinho vintage

Achei que foram feitos, um para o outro.
A tinta da moldura deste foi intencionalmente envelhecida:

Quadrinho vintage

Há pouco a Vivianne Pontes deu a dica de um endereço para impressão de ilustrações: Vintage Printable. Ou, podem clicar na ilustração vintage da paca, na barra lateral D deste blog.

Enquanto fazia as fotos, menino do meio chegou da aula e se jogou no sofá:

Chegando da escola

(Reparem o tamanho da calça: no meio das “canelas”; nessa idade eles crescem muito rápido!)
Mudança também, no tamanho dos cabelos:

Jardineira

O corte lembra o mais recente, de Ana Paula Arósio:

Não fossem os olhos verdes, poderíamos até ser confundidas…(rs)
Tomara, meus cabelos cresçam tão rápido quanto pernas de menino!
Leia Mais

Quarto vintage

Danielle Thompson tem um blog fofo, o Thompson family life, e uma loja no Etsy Shop.
A temática vintage é inspiração para decorar sua casa, como se pode ver no lindo quarto a seguir:

Quarto vintage
Quarto vintage
As corujinhas não falam nada( muito adequado, para um quarto de dormir!), mas prestam uma atenção!
Corujas

Eu, que já gosto de pendurar pratos na parede, amei estes aqui, com a frase da música de John Lennon & Paul McCartney impressa, imitando ponto cruz:
Parede de pratos
Parede de pratos

A loja virtual da Danielle: Tiny Bazaar.
Que também tem
Flickr.

E já que as corujas foram estrelas do post de hoje, mostro outras zoiudas fofas:

Nooshka

E esta aqui, tão miúda, atrevería-me a fazer: The Smallwoods

Tenho uma colorida, da Ana Sinhana.
Aqui, bem acompanhada pelo gatinho da Lu Gastal e uma Anita , da Ana Paula Cavalari:3 fofos no meu sofá
Falando em Ana Paula Cavalari são delas estas outras pequerruchas aqui:

Mais estas, lembranças de maternidade:
Do Flickr dela.

Leia Mais

Irresistíveis tentações…

“Te ver e não te querer
É improvável, é impossível…
FFFFOUND!

“…É como esperar o prato
E não salivar…

…É ver alguém feliz de fato
Sem alguém pra amar…

…É como ver televisão
E não dormir
Ver um bichano pelo chão
E não sorrir…”

A música do Skank poderia muito bem, descrever nossa visita à loja da Lu Gastal, em Porto Alegre: àqueles, como eu, apaixonados por cores, tecidos, tramas e qualquer lindeza que mãos hábeis sejam capazes de produzir, não faltam ali, opções irresistíveis.
Dá vontade de abrir os braços e dizer, de olhos fechados e sorriso aberto:

“Vem pra mamãe, vem!”

Então vou contar, não escondo, o que veio pra casa da mamãe, aqui…Bonequinhas de tecido, uma mais linda que a outra, e bolsinhas.
Escolhi uma Anita e um gatinho, com patinhas articuláveis:

3 fofos no meu sofá
A coruja da Ana Sinhana, trouxe da minha viagem à Campinas.
Close, nos dois:
Anita e gatinho
O mundo dá voltas, não é mesmo?
Fui longe, encantar-me com uma boneca, pra descobrir que é feita aqui, pertinho de onde moro: basta descer a serra, em direção ao litoral, mais especificamente Coqueiral de Aracruz.
A mineira Ana Paula Cavalari é uma veterinária, que adotou o ES e o patchwork, como paixões. Deixou de lado os bichos dos outros, pra cuidar do próprio, um gatinho, além do filho pequeno. Começou a fazer bonecas e algumas delas, foram parar lá no RS, selecionadas pelo olho clínico-crafter da Lu Gastal(é bom lembrar que a loja vende, não só produtos feitos por ela, mas também, de artesãos de Brasília, RS e SP, como a Ana Sinhana).
Para os residentes no estado, as bonecas da Ana Cavalari podem ser encontadas na loja Mercatto. Em breve também, estarão na nacional Elo7 e internacional Etsy.
Vão longe, essas meninas!…
Mais opções, na galeria do
Flickr da Ana Paula e aqui:

Bolsas, bolsinhas e bolsões, além de sapatos, são uma paixão.
Escolhi esta bolsinha de mão, estruturada, de patchwork multicolorido:
Pirâmide de tecido
E o porta moedas, de pintinho amarelinho:
Maletinha, bolsa e porta moedas
Outra opção são as maletinhas, revestidas de tecido:
Maleta em tecido
Uma perfeição, tanto por fora, quanto por dentro:
Maleta em tecido
Esta carteira viajou sozinha, depois de mim:
Carteira e porta celular
A casinha é um porta-celular. Dá pra resistir?!
Na carteira cabem talão de cheques e cartões, além de conter as moedas num bolsinho externo, fechado por zíper
:
Carteira em tecido LuGastal
E em detalhes, a casa:
Porta celular
Por dentro de tudo:
Carteira e porta celular
Falando em abrir a bolsa, foi confirmada minha participação no blog revista.AG, amanhã, dia 02.
Coisa de “celebridade”, atendi ao pedido da jornalista Raquel Martins e mandei-lhe uma foto, com 5 ítens indispensáveis na minha bolsa. Mas essa novidade, não mostrarei aqui. Deixo o convite para que confiram, por lá.

No domingo, para os capixabas, tem mais sala da la, também no caderno da Revista AG, jornal A Gazeta.
Mais informações, amanhã.
Té mais!

Leia Mais