“Eu mereço!…”

É a ironia que fazemos a nós mesmos, quando tudo parece dar errado!
Mas, no meu caso, digo o contrário: não acho que mereça mas, agradeço o carinho. Carinho e amizade, na forma de presente: especial, exclusivo, artesanal!
Preocupada em me ajudar a encontrar uma ajudante substituta, uma amiga veio até minha casa, no horário da sua folga, trazer uma pessoa interessada em trabalhar comigo. Depois disso ligou, querendo saber se dera tudo certo. Não tenho como retribuir tal atenção, mas esta semana fiz granola caseira e, sabendo que gostava, levei para ela um pouco da produção caseira. Pequenas gentilezas ajudam a amalgamar relações: creio nisso! Precisar, não precisa mas, acrescenta temperos!
Por isso fiquei emocionada e excitada, como uma criança, ao retirar um pacotinho nos CORREIOS, hoje.
O que será, o que será?…
Presentes fofos
Minha mãe me ensinou que é sinal de boa educação abrir o presente assim que o recebemos, para poder agradecer a quem o deu.
Já mencionei a Milena por aqui outras vezes, inclusive, o delicioso encontro que tivemos na casa dela, na minha última ida ao Rio.
E a surpresa chegou hoje, pelas mãos da Ana Sinhana:
Carinho
Meus olhos ficaram ainda maiores que os da “zoiuda”, quando abri o pacote!
Carteira coruja Ana Sinhana
E olha, que não é mais natal, muito menos meu aniversário! Eu mereço? Eu mereço!
Ainda ganhei um extra, plus, bônus da Ana(que tive o prazer de conhecer pessoalmente há cerca de 2 anos)!
Carinho
Um kit fofo de costura e um lindo descanso de panela, em “patch”:
Descanso de patch
Falando em presentes especiais, recebi um outro, antes do natal…
A Valérie Roberto certo dia mandou-me um e-mail, muito interessante: reparando minhas trocas de roupa e bolsa constantes, perguntou-me como eu fazia para não perder minhas coisas.
Acontece que eu sou estabanada e desorganizada; juntando-se a isso “falta de tempo”, o caos instala-se! Por 3 vezes seguidas viajei para Vitória e, chegando lá, descobri que esquecera a carteira na outra bolsa!
A Valérie não é das empresas Tabajara, mas tranquilizou-me a respeito:
“Seus problemas acabaram!”
Querem ver como se faz a mágica da organização de uma bolsa feminina?:
Organizador de bolsa
Tchan-ram!! Toda essa tralha “indispensável” foi parar aqui dentro:
Organizador de bolsa
O organizador de bolsas feito pela Valérie cabe numa bolsa, média ou grande, tem vários bolsinhos laterais, internos e externos e ainda vem com uma necessaire extra, que pode acomodar uma roupinha íntima e/ou absorvente.
Organizador de bolsa
Organizador de bolsa
O presente está sendo muuuuito útil, Valérie! Muito obrigada!
A Valérie tem galeria no Flickr e lojinha virtual: Casa de Fricotes.
Organizador de bolsa
Uma última fofura, das mãos da Helena, do Quilts são Eternos:
Marca página
Legal receber algo que é a nossa cara, não é?
Marca página
Prefira, presenteie e prestigie o trabalho artesanal!
Obrigada, meninas! Mérito maior é ter a amizade e respeito de vocês!
Bom fim de semana!

Leia Mais

Bolsas, bolsinhas, bolsões…

Meu lanchinho, de agora em diante, nunca mais será o mesmo! Hoje chegou a lancheira, encomendada à Laurina Crafts:

Fechada

Fechada, parece uma necessaire: tamanho ideal para levar na bolsa.
A misturinha de tecidos e os detalhes aplicados, assim como a frase bordada, foram feitos pela Carol Heinen, da Miau Miau Bolsas, parceira da Laura nesse projeto:
Detalhe
Lancheira
Aberta, o espaço interno surpreende: cabe um banquete, aqui!
Térmica
Para quem costuma passar o dia inteiro fora, dá para acomodar o lanche da manhã e tarde. O interior térmico, garante conservação.
Além da lancheira, a Laura mandou-me um presentinho muito fofo, que combinou com outra necessaire que havia comprado dela: 

Fofas

Não parecem mãe e filha?
Falando em necessaire, aproveito para mostrar uma outra que encomendei às amigas Cecília e Helena, do Quilts são eternos:
Necessaire musica

Escolhi a estampa de partitura. O composê com o tecido do interior, de poá branco e vermelho, fez uma combinação perfeita:
Necessaire musical
E o look de hoje, também inspirado no vermelho:
Jeans e xadrezJeans e xadrez
Chapéu e oxford: Richard’s
Camisa: Levi’s
Cinto: Uncle K
Calça: Animale
Bolsa: Cantão
Esmalte: Toque de Fúria, Risqué
Xadrez e liberty
Leia Mais

Lanche charmoso

Falando em lanchinho, esta semana completei 1 mês da dieta. Nesse tempo voltei a ser criança, alimentando-me de 3/3h e precisando levar “marmita” para o trabalho. 
Uma forma de encarar o esforço com charme e bom humor é fazer de cada pequena refeição um piquenique, no meio da manhã e tarde.
Então a Laurina me apareceu com essas delícias de lancheiras térmicas, em tecido:
Misturinha 2
O patch de estampas coloridas e alegres, assim como a aplicação de frutinha, é resultado de uma parceria com a Carol, da Miau Miau Bolsas
Aqui, ela fechada:

Misturinha 1-fechada

Na parte interna dá para acomodar a garrafinha e lanche:
Misturinha 1
Eu já encomendei a minha.
A sua, pode pedir à Laurina Crafts.

Para animar o fim desta semana infantil, deixo uma das músicas do DVD e CD de Arnaldo Antunes, “Ao Vivo Lá em Casa”(2010), com várias participações especiais, incluindo a do tremendão Erasmo Carlos. Para comemorar os 50 anos de Antunes, o palco desse show foi montado  em cima da casa dele. Amigos e familiares formaram a plateia, num clima de “festa na laje”. E a música escolhida explica, de maneira simples, o que é a maturidade:
(Looks, no fim de semana…)
Leia Mais

ArtificiaisxNaturais

Gosto de enfeitar a casa com flores, no fim de semana. Prefiro as naturais. 
Nem sempre preciso comprá-las: às vezes, basta uma volta pelo quintal para encontrar alguma florzinha que acabou de abrir.  

Mas, que atire o primeiro girassol quem nunca foi seduzido por flores artificiais!… 
(imagem do Flickr)

E agora que ficou chique, quer renegar o passado kitsch?!…
O que fazer então, com aquelas flores que ficaram sobrando pela casa, sem uso?
Meu passado me condena, mas, nem tudo está perdido:


Ingthings

Pode-se aproveitar uma bolsa de palha, ou plástico, ou então, uma moldura sem graça para aplicar flores multicoloridas:

Tutorial aqui, no The Creative Place.

Como moldura de espelho, também ficaria bacana!


Atualização:
Falando em “moldura de espelho”, a Karen contou aqui nos comentários que repaginou uma, transformando-a em painel de recados. 
Fui lá conferir o trabalho dela:

Final das contas, na decoração: empate técnico entre as duas!
Leia Mais

E a familia cresceu…

De novo, novo, nov, ovo…

baby dino

Calma, que isso não é o eco da minha voz, nem o Baby Dino gritando!
Aliás, não vou falar de ecos, nem de “bichinhos do mal”, como o dinossauro bebê da série antiga. (Podem até, ser tão feinhos quanto, por enquanto…)


Daqui

Gato é o seguinte: “ame-o, ou deixe-o!” Não há meio termo. 
Chego a pensar, tendenciosamente, que só não gosta, quem não tem. Mas ficar neutro é difícil. Resistir, quase impossível!
Depois que um gato chega à sua casa, esta, passa a ser mais dele que sua. 
72743702, Getty Images /Archive Photos
Melhor seria entregar-lhe as chaves nas patas, embora, dispensem tais caprichos: quando é de seu interesse, esgueiram-se pelos buracos mais estreitos à procura do que mais precisam-entrada, ou saída estratégica.
Capricho mesmo é descobrir, qual o critério usado para eleger um humano, como preferido. “Felinos têm razões, que a própria razão desconhece”: você pode levar um deles pra sua casa, dar comida, remédios, carinho e, mesmo assim, o danado escolher um outro da membro da família para agradar. E nada, de se sentir ofendido! Poderia ser pior: ele fugir para a casa do vizinho. Ingrato? Não. Um gato!

Quando um gato chega à sua casa, esqueça de todas as convenções domésticas! Poderá levar, por água abaixo, toda a sua reputação de boa mãe e dona de casa( também aplicável a pais e donos de casa), por exemplo:
-Você não permite que seu filho entre em casa com os pés sujos, mas acha uma delicinha ver o gato subir na sua cama, ainda que esteja todo molhado de chuva( Siim! Porque eles não abrem mão de seus passeios habituais, mesmo com tempo ruim! Lembra, daquela música?: “Nós ga-tos já nascemos po-obres porém, já nascemos li-ivres!…)
-Você briga, se o menino pula no sofá novo porém, acha bonitinho ver o gato afiando as garras nele( no sofá! No menino, por enquanto, ainda não!).
-Você faz um discurso sobre “criancinhas que não têm o que comer”, se o filho despediçar um grãozinho de arroz! Mas não se importa de preencher a tigelinha do gato, toda vez que ele lhe pede ração fresquinha( ainda, que sempre deixe sobrinhas no prato…).
-Se quiser dormir um pouco mais no fim de semana poderá até não se importar, atrasar o café da manhã das crianças. Mas, se o gato pedir comida, você levanta!…Reclamando mas, levanta! Como diz o ditado: “manda quem pode( o gato, claro!), obedece quem tem juízo”( você, lógico!).
-Você chama a atenção da criança, se ela demorar um pouco para comer: “menino, para de brincar com a comida!” Mas acha engraçadinho ver o gato brincando com a lagartixa.

Enfim, adotar um gatinho pode ser um divisor de águas na sua vida: a.g. e d.g.( antes do gato e, depois do gato). Uma coisa é certa: você não será mais o mesmo!

Esqueci de mais um detalhe: 
Você “jura de pés juntos” que só um Pingo lhe basta, até que…chega mais uma, que pode trazer mais outros…
Chega!! Disso, não abro mão! 
Assim que Nina veio pra casa, tão miudinha, a primeira coisa que fiz foi levá-la ao veterinário. Além de vacina e remédios de rotina, um pré acordo: castrá-la, ainda este ano, como fizemos com o Pingo.
Mas ela é pra frente, em tudo!
Há uns dois meses, notei que começou a apresentar uma barriguinha esquisita, mas, seria possível?!…
Meu caçula ficou injuriado! Disse que processaria o gato “malfeitor” por corrupção de menores! Já era tarde. Nem Pingo cumpriu direito, sua função de tutor!
"Sancho Pança e Pixote"
Coração de gato “tem razões, que a própria razão desconhece”!…
É um pássaro?...
-Estão falando de mim!
-Sim, Nina! E de como precipitou isso tudo!…

Para terminar a novela Gattionne, um miado diferente à porta do nosso quarto chamou a atenção, na segunda de manhã: Nina, que não é de dar bola pra ninguém, além do menino mais novo, era quem dava o alarme.
-Nina, cadê sua “barriga esquisita”?..
-O gato comeu. Ops! Força de expressão. Aliás, com força exprimi e olha, o que me saiu:
"El ninos"
Investigando o “mistério da barriga que sumiu”, encontramos 4 “piolinhos” no sótão, devidamente escondidos entre sacos e caixas.
Apesar da pouca idade, Nina é o orgulho de mãe, em pessoa, quer dizer, em gatinha! Até agora tem dado conta direitinho da cria.
Já falei pro marido que seremos “obrigados” a adotar mais um, já que nasceram, justamente no dia do aniversário dele. É uma conjunção numerológica inconstestável! Mas aceito apadrinhamentos( mediante apresentação de ficha limpa e certificado de bons antecedentes, sujeitos à análise).
Ainda espero por uma encomenda, de mais gatinhos. Mas dessa vez, a Nina é isenta de culpa:
A fofíssima bolsa de fecho de metal vintage e estampa de sorridentes gatinhos foi feita especialmente pra mim, pela Laurina. Esses, chegarão via CORREIOS, sem surpresas…
( E podem se preparar, porque a Laura será uma das parceiras, na promoção de aniversário do blog agora em janeiro!)
Leia Mais