Uma pitada de energia


(Foto, dAqui)

Final do mês passado, quando Cléo Pires completou 30 anos, concedeu entrevista ao site Extra. Perguntada se temia “envelhecer” deu uma resposta ambígua: primeiro, disse que, sim. Depois, que estava “gostando muito de envelhecer”.
Eu, mera mortal, sem nem metade da beleza de Cleo e, com muitos anos a mais( às vésperas de completar 44!) fiquei injuriada!
“Como, assim? A pessoa acaba de fazer 30 anos e diz que está ‘gostando muito de envelhecer’?!” É algum tipo de gozação conosco, mulheres normais?!…
Particularmente, acho que se envelhece quando se abdica dos sonhos, quando se desiste dos planos…
Por isso, embora o tempo aponte-me uma ruguinha aqui, uma flacidez ali sinto-me uma jovem empreendedora, no terreno dos grandes e pequenos sonhos.
Completar uma maratona é um desses.
É um caminho longo, que faz aos poucos.

Domingo passado: uma corrida intermunicipal saindo da minha cidade, Santa Teresa, e chegando em Santa Maria, 28 Km distante.

Esse é um tipo de projeto que exige preparo físico, mas também e, principalmente, preparo psicológico. É preciso ter confiança na sua capacidade, sem deixar de levar em conta as incapacidades e limites do corpo.

Citando uma outra frase de “Alice no País das Maravilhas”:
“A única forma de chegar ao impossível é acreditar que é possível.”

Mas não sou uma lebre. Só quero chegar ao fim, como a tartaruga…

E uma hora ele chega….

Outro dos pequenos sonhos é fazer Gastronomia…
Mas antes, um curso de fotografia…
(Peraí, que eu tenho de consultar minha agenda, no tópico: “Planos a cumprir, a médio e longo prazo”!…)

Talvez por isso tenha ficado encantada com o blog e me identificado com a autora, de: Suvelle Cuisine.
Mãe, escritora, bailarina, apaixonada por fotografia e pela boa cozinha:
“Acredito piamente que somos aquilo que comemos e encontro um prazer tremendo em procurar incessantemente alternativas deliciosas para que a minha família e eu possamos ter uma alimentação saudável e equilibrada.”

As fotos são simplesmente ma-ra-vi-lho-sas! As receitas, simples, mas que dão água na boca!
Querem uma prova?:

Quando vi os( poucos) ingredientes e a maneira( simples) de fazer esse pão tipo pita duvidei que desse certo. Mas, arrisquei. E fiquei feliz com o resultado!

É tão simples, mas tão simples de fazer, que também vai duvidar!

Mas é tão fofo, tão macio, que não vai se arrepender!
Usei a máquina de fazer pão, como o post sugere, mas quem não a tem pode fazer manualmente, também.
Pode acompanhar o lanche da tarde ou, como entradinha, servido com azeite, acompanhando um caldo, nessas noites frias.

Pão tipo pita“, receita, aqui!
Minhas dicas e adaptações:
-Usei 3 colheres de chá de fermento seco granulado para pão+1 colher de sopa de açúcar+1/2 colher de sopa de sal.
-Ela orienta que se assem os pães( depois de, novamente crescidos) em forno brando. Achei que os meus ficaram mais branquinhos que os dela por conta disso, além de demorar mais para assar. Próxima vez deixarei em forno médio a alto.
-Apesar de branquinhos ficaram muito bem assados e muito levinhos.

Falando em corrida e carboidratos( duas coisas que combinam muito bem!), minha próxima dica é um macarrão cremoso energético e aromático, superfácil de fazer, assim como esse pão pita, para salvar o seu (e o meu!) almoço de domingo!…

You may also like

18 Comentários

  1. Lindas tuas fotos, paisagem maravilhosa!
    A receita é realmente de poucos ingredientes, e, como fui até o blog indicado, encontrei outra e pergunto se sabes o que são “bagels”? Achei estranho mergulhar a massa na água com açúcar antes de assar, aqui com certeza seria mais um “desastre na cozinha”.
    Beijinho,
    Beth

    1. Elisabeth, bagels são pães judaicos e, se não me engano, a receita original pede que se frite a massa!
      Pode tentar esse pita, que vai dar certo!

  2. Adorei o post, Laély! Estive em Vitória no mês passado. Tentei agendar uma visita à Santa Teresa e Santa Maria com agências de viagem, mas nenhuma estava disponível para fazer o passeio comigo e meu marido! Da próxima vez que for ao Espírito Santo, vamos alugar um carro e ir até essa região! É linda! Deve ser tranquilo ir de Vitória até aí de carro, não? Abraço!

    1. Gabriela, alugar um carro é uma boa opção, já que a região serrana fica bem próxima à Vitória.
      Em relação à estrada, não há complicação: é só seguir pela BR-101, até o município de Fundão, e então subir a serra( mais 28Km).
      A viagem dura um pouco mais de 1 hora, dependendo do trânsito à saída de Vitória.
      Pena que não pôde vir nessa época, que considero a mais bonita.
      Abraço!

  3. La,adorei o post!Que bom que tem sonhos além de evitar rugas e próximas aplicações de botox…
    Que lindo lugar e esse pãozinho tem cara boa,além de confiar no seu gosto,rs!!
    beijo

  4. olá!
    Adorei seu post.Muito bom! Caiu como uma luva para mim…essa semana estou um pouco desanimada com algumas coisas…mas lendo oque você escreveu me deu mais animo!
    Te admiro muito! acho você muito batalhadora!
    Beijos e tudo de bom!

    Ah! eu vou anotar a receita do pão parecer ficar bem gostoso!
    Bjo!

  5. Sonhar é preciso, e realizar os sonhos mais ainda.
    Parabéns pela energia, pela receita (que vou aproveitar)
    e pelas lindas fotos.
    beijos, Leah

  6. Sempre leio o seu blog mas sou difícil de comentar. Adoro o visual da sua cidade e dos locais aonde vc treina. Sucesso na sua empreitada, gostaria de ter a sua determinação e o seu comprometimento com a corrida. Só comentando a respeito da Cléo Pires, vi uma entrevista dela com a Marília Gabriela no GNT e sinceramente achei uma conversa meio sem sentido em algumas coisas que ela se colocou, uma pessoa meio confusa nas suas opiniões.
    Bjs e torcendo sempre por vc.

  7. Ah, Lá .. vc sempre foi inspiração total pra mim, serve até como um “acorda menina” pq estou meio desanimada.
    Se vc virar uma chef e abrir um restaurante ou café, serei obrigada a te visitiar !
    Essa maratona já é uma vitória, só pelo seu empenho nos treinos !
    Beijo
    Pati

    1. Obrigada, Patrícia.
      Neste mês devemos atingir o máximo de quilometragem que o treino nos permite.
      Agora é tomar todo o cuidado, pra não lesionar.
      Beijo!

  8. Lá você tem razão as vezes como pobre mortal fico desanimada com algumas declarações.Eu estou pisando nos quarenta e está me batendo aquele crisezinha que acredito ser normal….ou não rsrsrs. O que queria fazer, o que fiz e o que ainda dá pra correr atrás. Será que é assim?Como a Léah comentou é preciso sonhar. Bjs

  9. Laély, duvido que a Cléo tenha a sua energia…vc arrasou no pão, em morar em um lugar tão lindo e fazer sua parte para torna-lo cada vez melhor e por falar coisas que precisamos escutar para pensar e tomar decisões em certos momentos da vida.Parabéns pelas “maratonas” do dia a dia ..Beijos.

  10. Concordo com você: envelhecer é uma coisa; amadurecer é outra, muito mais prazerosa. Mas, a Cléo é jovem, um dia ela aprende (espero). Sonhar é imprescindível, mas se não tiver foco e planejamento, fica só no devaneio (que também pode ser legal para aqueles dias de folga). Acho que o importante é fazer o que se gosta, aí sim, a gente arranja tempo pra fazer tudo. Como costuma dizer o Ronnie Von: se você faz o que gosta, corre o risco de não trabalhar nem um dia da sua vida, porque o que seria trabalho vira diversão e prazer. Parabéns pelas conquistas e continue sempre a sonhar. Beijos.

  11. La, fazia tempo que não lia seu blog,adorei essa postagem (texto e fotos).Vou fazer essa recita de pãozinho, a carinha dele tá ótima mesmo.
    Quem é pior, a atriz que dá uma resposta dessa, ou a jornalista que considera 30 anos envelhecer?Tá tudo errado…
    Eu tb tenho muitos planos,já cheguei aos 44,estudo idiomas,faço pós,penso em abrir minha clínica, vou viajar,enfim,estou viva!
    beijos

    1. Muito boa a sua colocação, Kélcia! Para uma pergunta estúpida, uma resposta, mais ainda!
      Estamos no mesmo time, então, a das vivas!
      Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *