I love Playmo

Nossas prioridades e interesses mudam, conforme a fase e idade: quando criança, sonhava com uma daquelas bonecas que pareciam bebês de verdade. Hoje poderia comprar uma; já não quero mais. Agora, o que me faz revirar os olhinhos: sapatos.
O filho mais novo, um pré-adolescente de quase 13 anos, outro dia andava preocupado, sorumbático, meditabundo(ah, finalmente pude usar tais palavras!…): não se divertia com as mesmas coisas dantes. A “trilha do calango”( que costumava subir, por trás da casa, e foi assim apelidada por ele) já não tinha tanta graça. Mas ainda se diverte com a montanha de pecinhas e bonequinhos de Lego montados e desmontados diariamente, numa brincadeira que mais parece enredo de “A História Sem Fim”.
Ele não conheceu Playmobil, brinquedo da época da mãe. Mas a mãe, também não: assim como a boneca desejada, esse ficava fora das possibilidades financeiras da família.
Mas há gente que cresce( ou, não cresce nunca) e continua fixado à certas “coisas do passado”.
Imagem compartilhada via Facebook( sem créditos, desculpe!) prova que se pode fazer releitura lúdica de uma paixão de infância:

E já que estamos na semana da criança, uma dica da amiga carioca Milena Orlando: I Love Playmo, no Facebook e Instagram.

A psicóloga e colecionadora Maria Misk Moyses fotografa( Instagram) seus bonequinhos( cerca de 500) em cenários reais, simulando situações cotidianas, uma mais bacana que a outra!

E a outra dica, pra quem é de BH:
A exposição “O minimundo Playmobil”, com os famosos bonequinhos dos anos 80 da Maria Misk Moyses estão no shopping DiamondMall, até dia 14 de outubro!
Mais informações, aqui.

You may also like

7 Comentários

  1. Quando criança, espiga de milho em minhas mãos, viravam bonecas. Manga e alguns gravetos, uma vaquinha…folha de mandioca, um gracioso colar…anos mais tarde, ganhei na única festa de aniversário que tive (nascer no dia 24 de dezembro é froid, quando se é criança), um jogo de chá maravilhoso, vermelho e um jogo de panelas, estes, me acompanharam até não sei quando. Cresci sozinha, minhas irmãs têm 7 e 8 anos de diferença de idade, já adolescentes, os interesses delas eram outros. Hoje, sou apaixonada por roupa de cama, perfume e óculos, mas o que me faz revirar os olhinhos é outra coisa…kkkkkkkkkkkkkk…beijocas!

  2. Amo! <3

    Minha infancia foi feliz com Playmobil!!

    Esse final de Semana to indo lá no Diamond Mall pra ver a exposição!

    Beijos e ótimo Final de Semana pra você Lá!

    Suzan Afonso

  3. Laély, quando criança eu amava brincar com o playmobil dos meus primos! Achava o máximo! Mas eles são tão bonitinhos que era difícil não gostar! Bjs e ótimo fim de semana.

  4. Ah que legal!! adorei. Na minha época, ainda eram as formigas e borboletas minhas maiores distrações,hehehe, e caledoscópios q me deixavam a beira de um tesouro encontrado!!

  5. Montando e desmontando, seu filho e todos que fazem o mesmo está exercitando o Panta Rei, expressão grega que surge da constatação de que tudo é mutável, transitório, passageiro… impermanente e que passa pelo exercício do desapego, numa verdadeira história sem fim. Muito legal todos esses brinquedos de construção e desconstrução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *