Morrer na praia…

É como nos sentimos quando, empenhados num projeto e, em vias de realizá-lo, precisamos abortá-lo.
Pesquisando para escrever este post cheguei a um interessante texto do Eugênio Mussak( Vida Simples, nº20, 01/09/2004), “É errando que se aprende“. Segundo esse a humanidade evoluiu, antes mesmo da ciência existir, a partir das tentativas, errando muito e acertando às vezes.
“Errar é próprio da condição humana. Aprender também. Infelizmente algumas pessoas não estabelecem conexão entre essas duas qualidades. Este sim é um grande erro. Na verdade, o erro só é erro quando não é percebido; quando é, torna-se aprendizado. Sem essa percepção, você corre dois riscos: o de continuar repetindo seus erros sem aproveitá-los para evoluir, ou o de parar de tentar por medo de errar.”
Citou o psicólogo e filósofo suíço Jean Piaget, defensor de que o homem é o construtor do seu próprio conhecimento e que, nesse processo, o erro é uma ferramenta importante.
O “erro bom” seria aquele que “abre alternativas”. Consta que Thomas Edison, após ter sido intimado pelo seu patrocinador a interromper suas experiências disse: ‘por que desistir agora, se já sabemos muitos modos de como não fazer uma lâmpada? Estamos hoje mais próximos de saber como fazer uma lâmpada que antes!’ Isto é, errar é a possibilidade de acertar na próxima tentativa.”
E dá o exemplo do cubo mágico. De tantos erros, poucos acertos, somos tentados a desmontá-lo e montá-lo certo. Mas essa trapaça não vale no jogo da vida. “A única alternativa é aprender a viver, o que pressupõe tentar, errar e tentar novamente.”
“Você quer um atalho? Ele existe sim: aprenda também com o erro dos outros.”

Meu sogro costumava repetir: “o sábio aprende com os erros dos outros. O bobo, nem com os próprios!”

“O erro não nos afasta da virtude. A maneira como lidamos com ele, sim…
Errou? Não faz mal, desde que você:
– Seja lúcido para admitir que errou;
– Seja humilde para assumir a responsabilidade;
– Seja esperto para consertar o resultado;
– Seja sábio para incorporar o aprendizado.”
“…Paulo Vanzolini, cientista e poeta, é autor da célebre música Volta por Cima, em que ele dá conselhos àquele que, como ele, e como todos, errou mas, por ser um ‘homem de moral, não fica no chão’. O que faz, então? Ora: ‘Reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira, e dá a volta por cima’.”

Essa antiga música foi interpretada por Noite Ilustrada. Numa análise superficial da letra poderíamos achá-la até arrogante, mas não: é apenas a construção do conhecimento, o crescimento, a partir da consciência dos erros cometidos, tomando coragem pra acertar na tentativa seguinte ou, pelo menos, errar menos, e menos, e menos…

Fiz um resumo (acrescentando algumas impressões pessoais) do texto do Mussak, mas vale a pena conferi-lo na íntegra, aqui.

Durante alguns meses venho me preparando pra correr. Isso mudou radicalmente a minha rotina: treinos, dieta, corpo mas, principalmente, a cabeça. Exercitar a sensibilidade, entretanto, é necessário. Reavaliar estratégias, um ato contínuo…
No início da semana precisei ser hospitalizada. É de uma cama de hospital que faço este post, na condição de paciente, não de médica. Enquanto me dirigia ao consultório do colega, curvada de dor, pouco antes da internação, não conseguia conter as lágrimas. Não sei se tanto pela dor, ou mais pela frustração. A frustração de “morrer na praia”. Foi treinando para a corrida mais tradicional do estado, a “10 milhas Garoto”, a ser realizada no próximo domingo, que adoeci. Um erro de estratégia, talvez, que ainda está em avaliação.
Por conta disso estou proibida de esforço físico, até me recuperar completamente.
Passado o susto, volto pra casa hoje, com a recomendação expressa de manter o repouso.
Depois de quase 4 dias no hospital não me restaram muitos looks a mostrar, a não ser os da semana passada. Vesti pijama e soro, nos últimos dias.

Saia lápis e scarpin é sempre um clássico:
Lápis e scarpinLápis e scarpin
Blusa de seda: Sacada
Cardigã: Cantão
Saia lápis
Scarpin: Carmen Steffens.
Numa semana em que apostei no vermelho:
Bege e vermelhoBege e vermelho
Camisa de seda e algodão
Cinto: Maria Filó
Saia: Sacada
Bota cano alto
Bolsa: Uncle K
Com tempo chuvoso, também nas botas:
Preto e cinzaPreto e cinza
Regata mullet: Afghan
Legging: Track&Field
Bota cano alto
Bolsa: ELLUS
No sábado, pra (não) variar, vestidinho:
QuimonoQuimono
Vestido de crepe: Laranja Lima
Peep toe anabela: Schutz

Já sentia dor, quando combinei de me encontrar com a Katia Bonfadini, do blog Casos e Coisas da Bonfa, no sábado à noite. Mesmo assim, não quis falhar o compromisso, marcado em Vitória. E foi uma noite de bate-papo muito agradável!
Da série encontros
Esse encontro foi uma decisão acertada!

You may also like

43 Comentários

  1. Não seria uma má idéia postar um look “pijama e soro”….rsrsrs
    Tenho certeza que logo logo estará totalmente recuperada! Que bom retornar para casa, lá terá enfermeiros de 4 patas…curam o corpo e a mente. Abraços.

  2. Muito bom o texto, certamente encaixa com todos nós.
    Cuide da saúde pois corridas, maratonas, São Silvestre, etc. sempre tem e para participar saúde em primeiro lugar (rimou).
    Aconchegue-se com Chanel sob edredons macios, se estiver frio como aqui, mas acima de tudo relaxe e aguarde o prêmio.
    Beijinho,
    Beth

  3. Vamos ver o lado positivo da coisa: você deve ter ganho um bom preparo físico durante os treinos.
    E outro lado positivo da semana : Você conheceu a Kátia Bonfadini! Ela parece super legal! Que sorte!
    De qualquer maneira,melhoras pra você e que Deus te abençoe em tudo!

    1. Ah, sim, Monica! A gente se recupera. As lesões fazem parte dos treinos, mas nunca tive nada tão sério.
      Quanto à Katia, nos reencontramos. Já havíamos nos conhecido antes, no Rio.
      Obrigada!

  4. Lá, que texto bacana! Adorei o post, já li muito Piaget e acredito que realmente o erro é uma ferramenta.

    Nesta ultima foto você está com um ar de garotinha !!! rsrs

    Estou triste pela internação … foi grave ? Espero que esteja muito bem agora. Quanto a corrida, quantas outras virão, não é mesmo ?
    Beijo

  5. Dá pra perceber pelas suas palavras que está abatida, desejo melhoras, e como acompanho seu blog sei que é uma pessoa que tem fé, a sua participação na corrida foi somente adiada, muitas corridas especiais virão tenho certeza.
    **Bjs**

  6. Confundi comentando no face…rs.Vou reproduzir aqui então…
    ‎Laély querida, e quem somos nós pra afirmar que sempre escolhemos o melhor pra nós mesmas? Lembrei-me agora dessa frase que me parece oportuna “Concedei-nos Senhor, Serenidade necessária, para aceitar as coisas que não podemos modificar, Coragem para modificar aquelas que podemos e Sabedoria para distinguirmos umas das outras(Reihold Niebuhr). Gostei do seu texto e te desejo Serenidade, Coragem e Sabedoria sempre. Fique bem!!!E com a facilidade da comunicação virtual, difícil você se sentir limitada e sozinha né? Sempre há os dois lados da moeda…rs.

  7. Existe momentos que precisamos pausar em nossas vida para entendermos a linguagem que DEUS esta falando.Mas precisamos estar abertos para esse momento se não será mais um…BOA SORTE

  8. Laély, infelizmente só acontece essas coisas com quem tenta, se arrisca, corre atrás das coisas! Triste perder a corrida, mas pode ter certeza que muitas ainda virão! Já me contundi algumas vezes, de ficar sem andar por alguns dias, mas aparentemente nada muito sério como o seu caso (que não sei o que é, mas por ficar hospitalizada deve ter sido uma lesão bastante séria), Mesmo assim fiquei bem chateada por me machucar, então imagino o que você está sentindo. Às vezes é um sinal pra gente parar e dar uma respirada pra depois voltar com tudo! Fico aqui mandando meus pensamentos positivos e esperando que eles façam alguma diferença na sua recuperação! Acredito que a decepção por não poder participar da corrida é inevitável, mas aproveite o repouso forçado para descansar o “corpitcho” e a mente! Um grande abraço!

  9. Nossa ainda bem que esta se recuperando bem a vida nos leva a caminhos que nem imaginaríamos que íamos passar mas temos que passar que seja com resignação e coragem e terá muitos anos para correr,agora corra só atras da sua saúde, looks sempre lindos e o encontro nada melhor do que um papo gostoso com uma amiga,bjs e se cuida,deveria ser proibido os médicos ficarem doentes porque dependemos deles quando mais precisamos

  10. OI Laély!

    Que bom que já saiu do hospital. Espero que nada grave contigo. Não sei o grau do seu problema de saúde, mas reconsidere não abortar seu projeto, mas apenas adiá-lo…e com calma, se preparar para a próxima edição…Faço forças e torço por isso. Beijos!

  11. Acho que as vezes falta equilibrio para todas nós e as vezes isso prejudica nossos planos.O importante é que a vida é generosa e nos dá sempre novas chances.Se cuide , ótima recuperação e logo você estará boa novemente para ver as flores do seu jardim, andar com o Hulk e fazer o que te der vontade.Abraços.

  12. Oi Láely… espero que você esteja bem e que realmente este seu espírito guerreiro dê a volta por cima deste obstáculo… se cuida, eu como Professora de Educação Física e Personal Trainer sei como os treinamentos funcionam e o desgaste que é para o corpo humano, vá com calma nesta volta… beijosss!!!

  13. Fica bem, Lá! Muita gente torcendo pra você e emanação de boas vibrações sempre. As 10 Milhas Garotos você pode viver este ano, e a saúde tem que cuidar agora. Eu raramente adoeço, mas sei que isto acontece pra nos sequestrar e fazer repensar a vida. Então é o momento de se chatear pelo NÃO PODER, mas a hora de ouvir seu corpo e interiorizar o que te cerca. Tudo de melhor pra ti. Beijão

  14. Não morra na praia não, continue a nadar…, não faça como eu que por falta de apoio familiar não corri mais, isto sim é morrer na praia, mas não desista, essa não deu, tente outra, e outra, e outra, continue a nadar, continue a nadar, a nadar, a nadar…

  15. Oi, Laély!!!!!!!!!! Desculpe a demora em passar aqui, puxa, sempre pós-viagem minha vida fica ainda mais corrida do que o normal!!!! Que legal que você pode nos encontrar, foi uma noite super agradável e espero que, em breve, a gente possa repetir o feito no Rio ou em Santa Tereza! Adorei o texto sobre erros e aprendizados. Há alguns anos, errei muito e errei feio. E, principalmente, errei por não confiar na minha intuição, em agir contra a minha natureza e os meus princípios, me aproximando de quem me fez mal e me afastando de quem só me fez bem… Porém, tempos depois, me arrependi de algumas atitudes, me reaproximei das pessoas que gostava e voltei a ficar em paz comigo mesma, juntamente com a promessa de aprender a dizer “não” e de não me deixar intimidar… enfim, essa relação de erro e aprendizado é realmente muito interessante e, apesar de eu temer o erro, sei que, no fim das contas, ele vai servir para despertar questionamentos e, sob uma perspectiva otimista, me fazer uma pessoa melhor! Um grande beijo!!!!! P.S.: Já comi os dois pacotes de biscoito e achei deliciosos!!!! Super obrigada!!!!

  16. Oi Laély, admiro muito sua determinação e a franqueza em suas postagens. Acredito que é normal passarmos por crises de fadiga, principalmente físicas e elas se manifestam na dor. Espero que sua recuperação seja rápida e que possa estar em forma rapidinho, para se preparar para a nova empreitada.
    Seus looks são lindos, muito sucesso nas suas conquistas, que seja sempre muito abençoada, abraços carinhosos de
    Maria Teresa

  17. Laély,
    Que pena você não poder participar da corrida eu ia até “participar” da largada para te ver. Felizmente atletas se recuperam rápido e logo você estará de volta às pistas. Adorei o look saia vermelha com botas pretas.você está linda. Melhoras.
    Abração.

  18. Oi Lá,
    Há um tempinho que vejo suas postagens.Extremo bom gosto.
    Mas neste post eu vou comentar.
    Primeiro pelo seu encontro com a Kátia, super alto astral! Sou suspeita pra falar dela.Pessoa maravilhosa!Uma amiga que saiu das páginas da internet para a vida real!
    E segundo pela enfermidade que te tirou das corridas. Sei bem o que é isso. Comecei na corrida de rua ano passado e minha meta este ano seria uma meia maratona, mas nem tudo na vida é perfeito…em abril deste ano me lesionei e fiquei parada por quase 5 meses, só na engorda, literalmente!E muito triste, pois “tiraram o doce da minha boca”.Eu estava toda empolgada.
    Mas passou…estou praticamente “curada”, voltando aos poucos, dos 5 kg que ganhei, 2 já evaporaram …e a meia maratona? Vai ficar para o ano que vem!
    Quem sabe não vou a Vitória correr contigo?
    Força, pensamento positivo e bola pra frente!!
    Só é preciso um pouco de paciência.
    Bjos e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *