Como domar um gato

Essa semana passei pela traumatizante tarefa de dar um comprimido à Chanel. Não, que nunca tivesse feito isso antes: com os outros, mais dóceis, achara que fosse capaz. Mas a gata é praticamente uma selvagem!
A situação foi desanimadora. Tentei, sozinha, enfiar-lhe o comprimido goela abaixo: entre mortos e feridos saí arranhada e ela, assustada, correu pra longe, depois de cuspir o remédio.
Segunda tentativa…também frustrada.
Então, pedi ajuda aos universitários!
O Facebook é praticamente um oráculo! Um reduto de gateiros, onde fui ganhar confiança e dicas que me ajudassem.
As orientações foram diversas. Houve até quem sugerisse usar uma armadura( minhas mãos agradeceriam!), mas em uma coisa foram unânimes: não é “fácil, extremamente fácil” como parece!
Chanel e o raio de Sol
(Mó cara, de: “tô nem aí, tô nem aí!…”)

Então a Fátima Zapella compartilhou um texto, muito interessante, que aproveito pra dividir com vocês:

“COMO DAR COMPRIMIDO A UM GATO”

1. Pegue o gatinho e aninhe-o no seu braço esquerdo como se segurasse um bebê.
Coloque o indicador e o polegar da mão direita nos dois lados da boquinha do bichano e aplique uma suave pressão nas bochechas enquanto segura o comprimido na palma da mão. Quando o amorzinho abrir a boca atire o comprimido lá para dentro. Deixe-o fechar a boquita e engolir.2. Recupere o comprimido do chão e o gato de detrás do sofá. Aninhe o gato no braço esquerdo e repita o processo.3. Vá buscar o gato no quarto e jogue fora o comprimido meio desfeito.

4. Retire um novo comprimido da embalagem, aninhe o gato no seu braço enquanto segura firmemente as patas traseiras com a mão esquerda.
Obrigue o gato a abrir as mandíbulas e empurre o comprimido com o indicador direito até ao fundo da boca. Mantenha a boca do gato fechada enquanto conta até dez.

5. Recupere o comprimido de dentro do aquário e o gato de cima do guardarroupa. Chame a sua esposa.

6. Ajoelhe-se no chão com o gato firmemente preso entre os joelhos, segure as patas da frente e de trás.
Ignore os rosnados baixos emitidos pelo gato. Peça à sua esposa que segure firmemente a cabeça do gato com uma mão enquanto força a ponta de uma régua para dentro da boca do gato com a outra.
Deixe cair o comprimindo ao longo da régua e esfregue vigorosamente o pescoço do gato.

7. Vá buscar o gato no trilho da cortina e retire outro comprimido da embalagem. Tome nota para comprar
outra régua e consertar as cortinas.
Cuidadosamente varra os cacos das estatuetas e dos vasos do meio da terra e guarde-os para colar mais tarde.

8. Enrole o gato numa toalha grande e peça à sua esposa para se deitar por cima de forma que apenas a cabeça do gato apareça por debaixo do sovaco.
Coloque o comprimido na ponta de um canudinho de beber, obrigue o gato a abrir a boca e mantenha-a aberta com um lápis. Assopre o comprimido do canudinho para dentro da boca do gato.

9. Leia a bula inclusa na embalagem para verificar se o comprimido faz mal a humanos, beba uma cerveja para retirar o gosto da boca.
Faça um curativo no antebraço da sua esposa e remova as manchas de sangue do carpete com o auxílio de água
fria e sabão.

10. Retire o gato do barracão do vizinho. Vá buscar outro comprimido.
Abra outra cerveja. Coloque o gato dentro do armário e feche a porta até o pescoço de forma que apenas a cabeça fique de fora. Force a abertura da boca do gato com uma colher de sobremesa. Utilize um elástico como estilingue para atirar o comprimido pela garganta do gato abaixo.

11. Vá buscar uma chave de fendas na garagem e coloque a porta do armário de novo nos eixos. Beba a cerveja.
Vá buscar uma garrafa de whisky.
Encha um copo e beba. Aplique uma compressa fria na bochecha e verifique a data de quando tomou a última vacina contra tétano. Aplique compressas de whisky na bochecha para desinfetar. Beba mais um copo.
Jogue a camiseta fora e vá buscar uma nova no quarto.

12. Telefone aos bombeiros para virem retirar o desgraçado do gato de cima da árvore do outro lado da rua. Peça desculpa ao vizinho que se espatifou contra o poste, enquanto tentava desviar-se do gato em fuga.
Retire o último comprimido de dentro da embalagem.

13. Amarre as patas da frente às patas de trás do filho da puta do gato, com a mangueira do jardim, e em seguida prenda firmemente à perna da mesa da sala de jantar. Vá buscar as luvas de couro para trabalhos de jardinagem na garagem. Empurre o comprimido para dentro da boca da besta seguido de um grande pedaço de carne. Seja suficientemente bruto, segure a cabeça do corno na vertical e despeje-lhe um litro de água pela goela abaixo para que o comprimido desça.

14. Beba o restante whisky.
Peça à sua esposa que o leve ao pronto-socorro e sente-se muito quieto enquanto o médico lhe costura os dedos, o braço e lhe remove os restos do comprimido de dentro do seu olho direito. A caminho de casa ligue para a loja de móveis para encomendar uma nova mesa de jantar.

15. Trate de tudo, para que a sociedade protetora dos animais venha buscar o gato mutante fugido do inferno.
Telefone para a loja de animais e pergunte se têm tartaruguinhas.

Não precisa levar ao pé da letra. É só uma brincadeirinha.
Mas, resumindo a história: desisti do comprimido. Apelarei a outra forma de apresentação, mais fácil de aplicar.
Se todas as dicas anteriores não ajudarem, a Suzan Afonso enviou-me um video( dessa vez, sério!), com dicas úteis de uma veterinária:

Que tipo de gato é o seu: anjo, demônio?
Todos iguais: indispensáveis!
Aninhados

You may also like

20 Comentários

  1. hihihi.Adorei o post.
    Eu tenho um gato.Pingo.Desde bebê ele é selvagem.Não gosta de carinho quando a gente dá, só quando ele quer!Dorme o dia inteiro…só levanta pra comer…
    E pra dar remédio então! é uma luta!
    Mas são indispensáveis mesmo!
    Beijão!

  2. Tô rolando de rir aqui com esse texto!!! ahuahauhauhauahuahuahauhauha

    Espero que o Vídeo tenha ajudado não só a você como todos os que passam por essa difícil missão!

    Beijos Lá!! <3

    Suzan Afonso

  3. Lindo texto, e quem nunca enrolou o gato numa toalha, ou enfiou o comprimido num pedaço de carne para o cachorro? kkkk sem sucesso!
    #todaschora!!

  4. Maravilhoso texto, utilidade pública… rs Como o Pelé, o meu gato, é guloso, basta enrolar o comprimido numa carninha, daquelas de latinha. Bjka

  5. Ah, a noite foi muito agradável e ameiiiii te conhecer! Quando eu for para Sta Tereza a gente se encontra de novo! E dessa vez eu levo o bolo de framboesa, rsrsrsrs. Vou voltar aqui sempre, seu blog é um arraso, parabéns! Bjos da mais nova amiga, Dani.

  6. Laely,
    O relato é fabuloso ainda para mais que quem os tem sabe que é mesmo assim, mas aprendi com a vaterinária que também tem gatos (outra louca por gatos como nós) ela lá tem os seus segredos o certo é que anda sempre arranhada ah ah , mas como eu ia lhe dizer ela ensinou-me a dar medicamentos a minha gata (se for comprimido diluir num colherzinha de água pequenina tenta mesmo dar na colerzinha que deve ser posta no cantinho da boca outro identico se não conseguir com a colher é comprar uma seringa daquelas pequenas na farmácia sem agua (claro) e aspirar o remédio diluido lá para dentro segurar bem a gatinha , cuidado com as patas , e zás quando ela percebe já tomou o medicamento, mas a minha luta é sempre para cortar as unhas só lhe corto as da frente mas mesmo assim olhe ficamos as duas a trnspirar , tem que ser bem rápido e tenho que a por bem presa entre as minhas pernas, ela rosna tenta morder-me bem só eu consigo meu marido até se põe logo a andar pois é um assunto a duas (ih ih) bem quando acabo nem queira saber é pelos por todo lado e para aí durante uma hora ela vai se enconder num sítio onde eu não consiga chegar-lhe , bem eu também não sou louca … deixo a criaturinha recompor-se , como lhe corto mesmo só a pontinha das unhas não precisa de desinfecções … bem às vezes quem precisa sou eu., mas é tal e qual como diz o seu texto, só filmado, mas depois é um descanso porque como ela só anda em casa não rafa as unhas e então a pobrinha fica presa em todo lado, podia fazer isso no veternário mas não gosto do sistema eles metem a gatinha numa espécie de gaiola a a coitada morre de medo só fiz uma vez jurei que nunca mais. Agora troca de cumprimentos a sua é linda tem uma carinha bem sapeca a minha é siamesa com uns lindos olhos azuis, mas para mim basta ser gato já fico apaixonada.
    Tudo de bom para si sua familia e sua Chanel.
    Beijos
    Júlia (aqui em Lisboa)
    julia.vieira@sapo.pt

  7. Oh menina me desculpe a seringa não é sem água (disparate) é sem agulha (mas claro que percebeu logo que devia ser assim mas esta da água …)

  8. Oi, Laély!! Já existe no mercado um vermífugo chamado Profender spot ele é da Bayer e uma pipeta que se colocar no dorso do animal. muito prático e eficiente !! bjs

  9. Laély, talvez já tenha conseguido dar o medicamento ou outras pessoas já tenham sugerido. Mas minha experiência de medicação com animais não é muito traumática como a sua, pois sempre coloco o medicamento junto com uma guloseima (pão/carne) e o bichinho nem percebe que foi medicado. Entre mortos e feridos, todos sobrevivem!!

  10. Segura com força o cangote do gatinho, de modo que ele abra a boca, meio que estivesse “rindo” (tadinho…), aí, coloca o comprimido láááá no fundo e bem rápido, com outra mão (com uma seringa já preparada com água), espirre água na boca do gatinho. Ele vai ter que engolir! Dá certo de primeira!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *