“Mãe desnecessária”

A semana foi tão corrida que nem percebi o tempo passar, assim como 18 anos, desde o nascimento do meu segundo filho.

Ao completar a maioridade longe da casa, faço um balanço sobre esse tempo de convívio com alguém tão especial:
A maioria dos pais reivindicaria os méritos por empreender tanto esforço na educação de um filho, na formação um homem. Eu, ao contrário, admito que foi fácil. Só tenho a agradecer esse presente divino: ser escolhida sua mãe, assim como Maria foi, de Jesus.

Então a Margarete Aguiar enviou-me um texto, via Facebook, da psicanalista Márcia Neder Bacha, que ilustra bem essa minha atual fase:

Mãe desnecessária

“A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo.

Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase e ela sempre me soou estranha. Até agora. Agora que minha filha adolescente, aos quase 18 anos, começa a dar vôos-solo. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.

Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isso. Ser ‘desnecessária’ é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos,como uma droga,a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes.

Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida.Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado,o conforto nas horas difíceis.

Pai e mãe – solidários – criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser ‘desnecessários’, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.”

(Márcia Neder Bacha é psicanalista e pesquisadora da UFMS e da USP/NUPPE. Doutora em Psicologia Clínica e autora de Psicanálise e Educação – Laços Refeitos e A arte de formar: o feminino, infantil e o epistemológico.)

Eles, os filhos, nessa fase da vida acham desnecessário, constrangedor até, mas sempre bom reafirmar o quanto os amamos.
O dia hoje é dele: Vinícius!

“Dê a quem você Ama :
– Asas para voar…
– Raízes para voltar…
– Motivos para ficar… ”
(Dalai Lama)

You may also like

18 Comentários

  1. Posso chorar? rsrs Porque todos os dias penso no dia que o meu filho vai criar asas. Vejo o seu filhote, amadurecendo a cada dia longe de você e tento me espelhar na sua força para quando a hora do meu chegar. Espero conseguir rsrs

    Um beijo e parabéns ao filhote!

  2. Adorei,Laély!
    Também acho que mãe nesse sentido tem que virar desnecessária e é assim o tempo todo,não é??Quando eles desmamam,quando aprendem a andar,quando falam e solicitam outros enfim,cada etapa vôos diferentes e cada vez um pouquinho mais longe!!O importante é que consigam voar seguros…
    Essa semana mesmo ao conversar com um rapaz de 30 anos que ainda mora com seus pais disse a ele que todos os filhos devem ir morar sozinhos,mesmo não casados. É um exercício importante inclusive para criar individualidade,respeito,amadurecimento.
    bjs e parabéns ao Vinícius e a você!

  3. nossa hj eu estava precisando de um texto desse amiga..to tao pra baixo…..obrigada por dividi-lo conosco..bjossss no filhote maravilhoso..Ro

  4. Ah… Que coisa mais linda de ler! Estou a apenas um ano nessa caminhada da maternidade, e ja posso perceber o quanto pode ser dificil deixar que meu filho erre, sofra, descubra e seja livre. Ele não me pertence. Sou sua cuidadora terrestre e na melhor definição um porto para voltar, aportar para consertos e recargas.

    Que possamos sempre lembrar de tudo isso.

    Gradiçida Laély!

  5. Depois de ler, estava aqui pensando o quanto é “dor / amor” ser mãe! Pelo que te conheço, te acho uma mãe incrivel, exemplo pra mim!
    Eu sempre tive a ideia de meus filhos fazerem intercambio tb, mas nao em casa de familia. O Vinicius está em casa de familia ? Fico apreensiva… pode ser pura insegurança minha…
    Parabens atrasado pra ele e muitas bençãos de Deus!
    Beijo

  6. Parabéns para o Vinícius! E que ele continue assim , independente, correndo atrás de seus sonhos, mesmo que precise ir longe para alcançá-los.

    Sei exatamente o que você está sentindo Laély… daqui a alguns dias é o meu que fará 18 anos, e eu já me sinto bem desnescessária, e me surpreendo de ver como isso foi fácil.
    Beijos

  7. Que beleza de texto! Emocionate!
    Se mãe é especial. Especial quando a gente vê que os filhos vão criando asas e voando sem amarras ou medo.
    Vinicius entra para a maioridade distante da mãe corujíssima que fez o bolo predileto do menino. Desnecessa´ria mas presente, né?
    Beijo no coração dos dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *