Recomeço!

Você chora um dia e acha tudo normal, afinal, era o seu gatinho de estimação!
No segundo dia chora, de novo! Dá um desconto: não era apenas um “gatinho de estimação”, mas um gatinho de estimação que dividia a cama com você, todas as noites!
E vem o terceiro, o quarto, o quinto…depois de 1 semana chorando, chega a se perguntar se isso seria normal, aceitável: uma atitude madura para uma mulher de 42, quase 43, mãe de 3 filhos crescidos, profissional liberal…
Pergunta ao marido: “tô sendo infantil?”
Ele consola, também consternado com a perda.
Não convencida, consulta o filho mais velho, estudante de Psicologia.
Fica mais à vontade com a resposta que ouviu:
“Quem sou eu, pra julgar o seu luto?!…”

Então, a minha semana foi assim: liguei no “programa automático” e dei conta do básico.
Deixei o blog meio de lado, só conferindo as mensagens de solidariedade que, se não trazem o Chuvisco de volta ao menos, consolam! Obrigada!

Cheguei a me questionar se não seria carência, ou mesmo egoísmo da minha parte pensar em adotar mais um bichano, afinal, já se foram 3, em 6 meses! E tem o Pingo e a Nina, que estressam cada pequena mudança na fauna doméstica( pelo menos, até que se acostumem). Ao mesmo tempo, sei que podemos cuidar e oferecer um lar a outro gatinho necessitado. Em troca, muitas alegrias! Amar é um risco, afinal!

Assim, desdo o início da semana procurei por outro filhote: cheguei a ver alguns mas, não é você que os escolhe e sim, o contrário!
Até que…bem, voltava hoje da corrida com o Hulk( ele, metade da língua pra fora!), quando paramos nesta fábrica de biscoitos(mostrado num post anterior, lembram?) para beber água:
Fábrica de biscoitos
Cumprimentei a Claid, dona da fábrica, e perguntei se conhecia alguém que tivesse um gatinho para adoção. Por coincidência(ou, atendendo as minhas preces…) a Joici, filha dela, não tinha 1 mas, 4!
Não preciso dizer qual foi minha reação, né?…
O resultado do namoro:
Camuflagem: Maizena no edredom
Esse floquinho de neve camuflado no meu edredom é uma gatinha, muito doce. Algodão doce. Mas vamos chamá-la “Maizena”, sugestão da própria Joici, aceita na mesma hora!
Camuflagem: Maizena no edredom
Não substitui o Chuvisco mas, cobre uma parte do rombo que a falta dele fez no meu coração.
Estamos em processo de “apaixonamento”…
Maizena
E, lembrando um comentário da Margit no post anterior quero cantar:
“Quando o inverno chegar
Eu quero estar junto a ti…”

Adote um gatinho, adoce a vida, adicione mais sabor ao seu dia a dia!

You may also like

66 Comentários

  1. Laély, já pode desligar o automático… Maizena é encantadora! Claro que não substitui o Chuvisco, mas a foto dela no seu endredon já me cativou e seu rosado então! Um doce especial.
    Vocês se escolheram, parabéns.

  2. Muito doce a sua Maizena… Não substitui o chuvisco mas vai trazer muita alegria para sua família e também para nós que ficamos “espiando” de longe e acompanhando vocês, um abraço

  3. Um bichinho nunca substitui outro, mas nos corações dos apaixonados por animais sempre cabe mais um, com seu valor único, sem precisar dar explicações, amar por amar já é o suficiente.
    Linda sua Maizena.
    Beijos

  4. Oi Laély,
    eu não sabia sobre o chuvisco, sinto muito.
    Eu tenho um, acho que vc já sabe. Sou apaixonada por ele e ele por mim. Nós conversamos, aqui em casa todos admiram-se disso.
    Falo com ele, e ele responde, não consigo imaginar perdê-lo.
    Quem ama gatos, entende o que digo.
    Gostei muito da maizena, sejam felizes… bjs

  5. Ai, Laély…como te compreendo!
    Nós tb perdemos 3 gatos no espaço de 3 anos. Ainda hoje tenho uma saudade enorme do 1º que se foi. Ainda hoje o espero. Ridículo, eu sei!
    Também queremos adoptar outro, sobretudo eu e a Letícia, que adoramos gatos.
    Maizena é linda! Felicidades.

    Beijinhos

  6. que coisinha mais linda!!!!eu acho que chuivisco se apaixonou por uma gatinha e foram viver felizes pra sempre em outro lugar. Amor é amor e ponto. Nem infantil nem imaturo nem velho, só amor , grande , complexo e simples. Coração aquecido ou quebrado.

  7. Que bicho mais lindooooo… mas pensei que você ia querer os quatro! Desse jeito rsrsrs. Desta vez, nada de dar mole para o azar hein… Felicidades para todos (dizem que os bichos não gostam de companhia nova, mas eles acabam se acostumando e interagindo muito bem, sim – aqui em casa tem 7, entre cats & dogs)

  8. Oi Laély, estou feliz por você. Ao contrário de você meus bichinhos não fugiram, eu os abandonei porque fugi de casa, estou abrigada em casa dos meus filhos que impuseram a condição de não trazer meus amiguinhos, me dói muito minha companheira Gabi de 15 anos, no momento em que mais precisa de mim eu a abandonei. Meus filhos não entendem a minha dor, falam que priorizo os animais, mas para se ter um animal em casa, precisamos tratá-los, vaciná-los, mesmo porque com crianças é necessário muito cuidado. Sou muito solidária à sua dor e amei que optou pela adoção da Maizena, não substitui, mas desvia a atenção da perda. Te admiro cada vez mais, abraços carinhosos

  9. Apaixonada estou eu por esse serzinho lindo *_* …

    Okay, vamos lá!

    quando você leva-la ao veterinário nao esqueça de pergutar sobre a mayzena e o Sol… e não esqueça de exigir a vacina contra FLV (leucemia felina) que se dá muito mais em gatos brancos…

    Ela é linda demais!!! *_*

    Ah Lá… nao espere muito tempo para castra-la, filhotes podem sim ser castrados depois de 3 meses, sem problema algum. assim mayzena certamente viverá bem mais… e por favor, pense no que eu e algumas amigas suas falamos… cerque sua casa… você tem muito amor pra dar, mas o mundo la fora nao… e dói ver você sofrendo T_T por que sabemos exatamente dessa dor >_<

    No mais, parabéns pela bolinha de neve chamada mayzena XD achei originalérrimo o nome! XD~

    beijos

    Suzan Afonso

  10. Ouunnn, ela é linda! Como não se apaixonar por ela? Um amor não substitui outro, mas todos juntos formam um amor bem maior. Seja muito bem vinda, fofura! =^.^=
    Beijos

  11. Olá! Morri!!!….já tenho o pequeno Jhonny (aqui tem fotinhos,casadesoffia.blogspot.com), três cachorras…e tô querendo mais uma coisinhas fofa como a maizena! Sinto muita tristeza cada vez que vc perde algum fofinho…se fosse comigo, já era caso de internação…Beijos e muita felicidade com essa fofura.

  12. Meu Deus, como ela é linda! Sabe, tenho 4 filhas, uma de cada raça, elas são as minhas paixões, eu amo ter animais, e esse sentimento de perda não é infantil, porque isso acontece com as pessoas que amam de verdade os animais, esses dias soube que minha filha mais velha ( uma poodle toy de 12 anos) está com problema no coração…imagina a minha reação…foi o choro lógico, e chorei na clinica, fui chorando no caminho chegando em casa chorei mais ainda….Mas que bom que vc encontrou uma linda gatinha, que vai te ajudar a preencher esse espaço que esta vazio em vc!!!bjao

  13. Laély, a Maizena é uma fofura! Ainda acho que o Chuvisco volta pra casa e, quando ele chegar, vai ter mais uma companhia =) Tente castrar a Maizena o mais rápido possível e, como você mora em um local aberto, seria interessante colocar um colarzinho com seu nome e telefone nela. Se ela resolver passear e alguém a encontrar, com essa medida fica mais fácil do bichinho ser devolvido .
    Beijos.

  14. Linda!
    Agora, por favor, castre-a quando completar a idade. Desta forma, será mais difícil suas saídas durante o cio.
    Beijo e tudo de bom.

  15. La, o tanto que eu me sinto a vontade aqui no seu blog, é inexplicável! Parece mesmo que estou sentada na mais confortável das poltronas num cenário parecido com sala de casa de vó!
    Gosto demais do seu jeito de postar, você tem uma abordagem muito meiga, e isso me cativou desde o início!
    Acho que a maioria de nós já passou por um momento semelhante ao seu, onde uma perda é tãão difícil de ser superada, que nós mesmo duvidamos de nossa capacidade de cicatrização.
    A verdade é que temos que continuar jogando a bola pra frente, pois os dias não param.
    Sua nova aquisição é a coisa mais fofa RS!
    Muita gente acha que gato é um bicho arisco e sem coração, mas geeeeeeeeeeente, a minha pelo menos, é um poço de paciência e carinho.
    Um dengo de gatinha!
    Maizena tem cara de ser assim tabém, rs!

    Fique bem, as coisas passam! Tudo de bom pra você!

    Beijos Beijos!

  16. Fiquei muito feliz por você e pela Maizena, vou ficar aguardando notícias. Tomara que Nina e Pingo a recebam com o mesmo carinho que a La. Beijos.

  17. Eu como uma boa gateira poderia ficar horas falando sobre essa maravilha, linda, fofa e querida… mas… como vc disse amar é um risco! por isso ame, ame ame… e seja muito feliz!!! bj

  18. Olá Laéli!!!Acompanho seu blog,e acho ele um encanto só.Pois é flor…toda forma de amar é um risco e somos felizes e inteiras como seres humanos mais humanos quando resolvemos arriscar…a amar.Amo gatos e já tive até treze gatinhos traquinando feito crianças pela casa,todos muito bem cuidados,com responsabilidade.Hoje só tenho seis gatinhas,todas castradinhas…já sofri e chorei dias com as perdas…somos humanas,temos sentimentos nobres,amamos.A kemilly,minha gatinha rueira ficou oito meses sumida,sofri todo esse tempo,reapareceu bela e faminta um belo dia.Acho que nunca deixarei de ter gatinhos pela casa…já não sei viver sem eles.Seu novo gatinho é muito lindinho e te ajudará a sorrir um pouco mais durante a ausência do seu gatinho,nunca irá substituí-lo .Beijos no seu coração.Acalme-se…fique bem.

    1. Obrigada pelo carinho, Sandra!
      Quando a gente fala que tem 2 gatos, mas que está sofrendo por um terceiro, sumido, a maioria não entende: “mas você já tem 2 gatos e quer mais um?!”
      Só entende, quem tem.
      Parabéns, pela adoção responsável e amorosa!
      Abraço!

  19. Oi, moça.
    Descobri seu blog recentemente. Imagino você. Uma pessoa de alma boa, que ama a vida, as pessoas “humanas” e os animais. Daí não precisa dizer mais nada. Fiquei apaixonada. Quando você fala sobre gatos, sinto-me em casa.
    O Chuvisco… aiai.
    Eu tenho duas gatas. Uma ganhada, siamesa, hoje com 14 anos, chamada Kika. Outra, viralata, resgatada na estrada. Cecília. Então, a Kika fugiu uma vez, ficou mais de um mês fora. E voltou para casa. Foi lindo!
    Hoje as meninas têm placa de identificação. Faça isso. Coloca coleirinha neles. Dá pena, mas assim, penso que São Francisco toca o coração de quem encontra nossos queridos.
    Estou por aqui acompanhando sua inteligência, candura e amabilidade.

    1. Ô, Lucíola, candura e amabilidade tem você! 😉
      Quanto às plaquinhas de identificação, estou pensando em providenciá-las, mesmo.
      Que final feliz teve sua história! Pena, que as plaquinhas não protegem contra veneno…
      Abraço!

  20. Oi Laely! Que linda sua nova fofolhotinha! Me emocionei ao ver a foto dela! Lembrei muito da minha Bianca, morta em um terrível acidente de carro no ano passado. Gatinhos albinos de olhos azuis precisam de MUITA atençao se criados soltos pois sao portadores de surdez parcial ou total o que os impossibilita de “ouvir” o perigo a tempo de se salvarem (foi o caso da minha Bia). Os banhos de sol tb precisam ser muuuuito moderados e com protetor solar nas partes rosas mais expostas. Mas tudo isso seu VET vai explicar na primeira consulta da Maizeninha! Mil beijos e muitas felicidades com a sua nova bichana! Ela é especial!

  21. Laély, há tempos acompanho seu blog, mas nunca comentei antes, até que hoje, ao ler esse post, fui tocada profundamente. Estou passando pela mesma situação, meu Ferrugem sumiu na sexta feira dia 04/05 e não voltou até hoje. Choro todos os dias desde então, seja à noite ao fechar a casa pra dormir e pensar que ele pode estar no frio, sem sua casa quentinha, seja de manhã, ao levantar e perceber que ele não está mais a rodear meus pés esperando seu café da manhã. O Ferrugem adotou minha família há um ano, quando sua ex dona mudou-se e deixou o gatinho, que na época tinha uns 6 meses, para trás. Como tenho outros 2 gatos, logo fez amizade e acabou ficando. Mas como veio da rua, não consegui acostumá-lo a ficar somente dentro de casa, por isso saía todos os dias para sua voltinha e na última sexta feira saiu para não mais voltar. Tenho vizinhso que criam passarinhos, por isso passa pela minha cabeça as piores coisas possíveis. O que mais dói é não saber se foi andar longe e se perdeu, se foi levado por algúem que também gosta de gatos (ele era extremamente doce e manso), se morreu, se foi jogado em outro bairro e agora está passando frio e fome….sofro só de pensar. Ainda não consegui acostumar-me com a idéia, e abro a porta todos os dias com a esperança que ele estará por ali. Também fico pensando se estou sendo infantil, exagerada….mas ninguém pode nos julgar por isso. Afinal, se a vida é feita de saudades, é porque ela é feita de amor, não é mesmo?

    1. Complementando, a idéia da coleira com identificação pode ser boa, mas precisa ser de elástico, pois gatos que tem acesso à rua podem se enroscar ou ficar presos e correm o risco de enforcamento.
      E reforçando o que alguém já falou, gatos com nariz e orelhas brancas precisam de protetor solar, fator 30 pelo menos, diariamente. Existem filtros especialmente feitos para animais, mas pode-se usar o de humanos mesmo!

    2. Camila, se não posso recuperar os gatinhos que já perdi( ou, o mais provável, que foram “perdidos”), uma ideia me consola: saber que tiveram a melhor vida possível para um gato! Carinho, cuidado, comida, liberdade é tudo que precisam.
      Não sofra por ele: foi feliz, com vocês! Adote outro gatinho!
      Beijo no coração!

  22. Ah, Laély que delicinha… adorei saber e ver a joínha que vc trouxe, linda e fofa e cute e que vontade de apertar…

    Sei que não preenche, mas suaviza e muito a dor.

    Bjus 1000 querida e muitas alegrias com a Maizena.

  23. Oi Laély!
    Que linda a Maizena…fofinha.Sinto muito pelo Chuvisco. Lí somente hoje seu post. É lamentável a perda, mas eu procuro pensar assim nestes casos, já que não se tem governabilidade da situação, como foi boa e prazerosa a convivênvia, com muito carinho e troca. Valeu bichano! E o importante, ainda tem muito amor prá dar nesta família Fonseca (não acho, não sinto excentricidade, afinal são vidas).
    Muito amor junto aos seus bichinhos! Beijos!

  24. Laély, estou de volta à ativa depois de um mês de férias e fiquei triste com a notícia… eu adoro bichinhos e sei como é triste perder um companheiro que nos acompanhou durante tanto tempo! Mas adorei conhecer a nova integrante da família ao fim do post, ela é apaixonante!!!!! Que gatinha mais linda e tem uma carinha fofa de boazinha… Um grande beijo!

    1. Obrigada, Katia!
      A Maizena já conquistou a todos( menos, o Pingo e a Nina, que não dariam a pata a torcer, tão fácil!)!
      Vamos nos reencontrar em julho, né?
      Beijo!

  25. Que gatinha linda.. e já esta bem grandinha.. já pode ser castrada.. pois, eu tinha uma gatinha que por descuido meu, deixei para castrar só com 3 meses de vida e descobrimos que ela já estava prenha há 1 mes.. todo cuidado é pouco e evita tambem dela fugir de casa….

  26. Adoro seu blog e sempre dou uma olhadinha. Minha irmã adora gatos por isso sempre convivi com eles mesmo não sendo meus.Assim achei este post a cara dela que deve ter se apaixonado pela gatinha como vc. Parabéns

  27. ola amiga, não te conheço, hoje entrei por coinsidencia no seu blog e realmente a gatinha é muito fofa… Mas na verdade eu queria entender melhor como voce consegue conviver com a dor de ter perdido 3 (tres mesmo?) gatinhos em seis meses? Tenho duas irmãzinhas de um ano, castradas, vacinadas e amadas, que só tem acesso aos quintais vizinhos durante o dia…mesmo assim uma delas levou um tiro de espingarda de pressão (chumbinho) bem na coluna e está internada se recuperando, talvez tenha dificuldades para andar. Me perdoe,mas tenho vontade de fazer o mesmo com esse vizinho desalmado! Porem, começo a crer que quem cria gatos somente presos, dentro de casa, sem acesso ao exterior pode ter razão… Sei que minhas gatinhas não vão longe e nem demoram para voltar, elas adoram caçar vichinhos e ja fizeram amigatos na rua, porém o sofrimento está me fazendo achar que terei de priva-las até mesmo dessa pequena liberdade, pela segurança delas! Meu coração não aguentaria outro sumiço de quatro dias e um gatinho achado em estado lastimavel, tudo porque permitimos que ela desse uma voltinha nos terrenos de trás da casa…o que voce acha, conseguiria criar seus bichanos presos dentro de casa? Logico com telas nas janelas, boa ração, briquedos e muito amor!? Grata por sua opinião. Giza

    1. Oi, Giza!
      Perdão pela demora, mas seu comentário exigia mais atenção.
      Já criei muitos gatos, desde criança.
      No momento, temos 3.
      Dois dos mais antigos vieram da rua, portanto, acostumados à passeios mais longos. Mesmo depois da castração eles mantém o hábito( embora as saídas sejam mais curtas).
      Defendo, assim como a maioria dos criadores de gatos, a castração como um forma de proteção.
      Mas acho que gatos podem ser criados em pequenos espaços, desde que o ambiente lhes seja estimulante; são naturalmente curiosos e escaladores. Se não puderem exercer suas características felinas podem tornar-se deprimidos, ou irritadiços.
      Ao criar gatos em apartamento é necessário tomar o mesmo tipo de cuidado que teria com uma criança, em casa: tela nas janelas, para prevenir acidentes.
      Quando trouxe a Chanel pra casa ela era( é, até hoje) muito arisca e arredia. Não foi aceita pelos outros 2 gatos. Precisei deixá-la de quarentena no meu quarto, separada dos outros( e isso é recomendado pelos especialistas, para segurança daquele que chega). Aos poucos fui liberando, mas desde então, ela aprendeu que o lugar onde tem mais segurança é dentro de casa. Já foi castrada, também.
      Acho que, mesmo num ambiente menor, apartamento, ou casa, com proteção, boa ração, brinquedos e amor, qual bichano não se sentiria feliz?
      Tenho os dois casos, em casa: Pingo e Nina gostam de sair( e isso não posso conter!) e Chanel, de ficar dentro de casa. Todos me parecem bem satisfeitos!
      Boa sorte!
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *