Não aprendi dizer adeus…

Não sei se vou me acostumar
Olhando assim nos olhos teus…
Maizena
Sei que vai ficar nos meus
A marca desse olhar…
Meu programa preferido!
Não tenho nada pra dizer
Só o silêncio vai falar por mim…
Camuflagem: Maizena no edredom
Não aprendi dizer adeus mas
Tenho que aceitar que amores
Vem e vão são aves de Verão…
Colinho
…Se adeus me machucar
O inverno vai passar, e apaga a cicatriz.
Camuflagem: Maizena no edredom
Essa é a forma que escolhi pra me despedir da Maizena, vítima de uma acidente doméstico, hoje. Embora não seja fã de Leandro e Leonardo, foi a música que me veio à cabeça nessa hora triste.
E não adianta filosofar sobre a efemeridade e fragilidade da vida, ainda mais, de um gatinho: despedidas são sempre dolorosas. A gente não acostuma!
Nem adianta perguntar: “por quê”? Não há resposta que conforte.
Mas há uma certeza: foram dias felizes, tanto pra ela, quanto pra nós.
Nosso lar e nosso coração continuam abertos para receber mais um gatinho, e:
Começar de novo…
Vai valer a pena…
Ter me machucado, ter sobrevivido…

Atualizando:
Queria agradecer o carinho e solidariedade de todos mas, gostaria de esclarecer o seguinte: não faço adoção irresponsável, nem faço tipo, aqui no blog ou Facebook, visando despertar a simpatia alheia.
Tenho mais dois gatos, que estão conosco há bastante tempo.
Meus animais são bem tratados, vacinados, castrados, acarinhados…Apenas um, tenho certeza de que foi envenenado. Outros 2 sumiram, sem deixar provas ou pistas.
Minha casa e quintal são grandes: impossível cercar tudo, ainda mais, em se tratando de gatos! Eles vivem soltos. Gosto, assim. Acho que eles, também.
O que aconteceu com a Maizena foi uma fatalidade, um acidente, dentro de casa, que me reservo o direito de não entrar em detalhes.
Acabei de receber um e-mail, no mínimo, cruel: recebi “conselhos” para não adotar mais, como se eu fosse uma louca, a “louca dos gatos”, uma irresponsável!
Mas acredito piamente que podemos fazer a vida um do outro, humanos e gatinhos, um pouquinho melhor!
Os bichos não me assustam. As pessoas ainda, sim.
Beijo pra todos!
Obrigada pelo apoio!

You may also like

59 Comentários

  1. ownnn, La!!! Que peninha!!! Que ela esteja em boas mãos, no céu dos gatinhos… quem sabe se torna amiguinha dos meus que tbm já se foram!!

    Um beijo e um abraço de conforto pro teu coração

  2. Desculpe, não consigo te confortar! É uma droga mesmo, viu? To me sentindo como se ela fosse minha, todas as dores de perdas anteriores voltam! Por quê? Infelizmente não temos respostas e dizem ainda que não devemos questionar, mas é insuportável a dor da perda! Meu coração tá doendo, um nó gigante na garganta e lágrimas ferventes nos olhos!

  3. Querida…não tenho palavras…
    Ela ficará guardada para sempre no seu coração!
    Existe uma lenda….a ponte do arco íris….diz que quando morremos ….atravessamos a ponte….e lá está….nos esperando….o nosso animal querido….
    Fique com Deus!…a Maizena virou estrelinha….tá brilhando….lá no céu…
    Um beijo grande no seu coração,
    Fatima
    fats-arteira.blogspot.com.br

  4. Nem sei o que dizer … só sei que entendo a dor.
    Uma pena mesmo.
    Sua despedida aqui foi muito linda!
    Beijo e tomara Deus que apareça mais um gatinho lindo para vc. O cantinho da Maizena no seu coração vai estar sempre guardadinho!

  5. Nossa, que perda, sei como vc está se sentindo tb ja perdi alguns gatinhos, outros que já foram embora, outros que tive que dar pq não podia cuidar, todas essas perdas doem d+.
    Como todas já disseram, que Deus lhe dê forças e siga em frente.
    BJUS

  6. Ai que dó Laély, eu imagino como vc deve estar chateada.Nós que adoramos pets não precisamos de muito tempo para nos apegarmos a eles.Mas vai chegar um outro filhotinho lindo ai para alegrar seu coração mais uma vez.Beijo com carinho

  7. Eu , pararia por ai por enquanto , amaria os animais que já tenho e pronto.São 2 gatinhos em tão pouco tempo….que dó da Maizena, ela não merecia isso.

    1. Cada um sabe como lamber as próprias feridas, Débora( usando uma linguagem que os gatos conhecem bem).
      Só não acho justo que outros julguem minhas escolhas, a partir das próprias.

  8. Oi Laély.Não sei se lembra de mim ,vez ou outra passo aqui para te ver e ver as coisas lindas que posta.Estou profundamente tocada com o que aconteceu.Acompanhei as histórias do Pingo ,o Chuvisco e agora o que ocorre com a Maizena é de nos cortar o coração.Estou vivendo um momento triste também ,o meu querido Peter (um gato) está desaparecido há uns 10 dias,estou sem esperanças de reencontrá-lo.Há uns 6 anos,eu perdi a minha primeira gata e mesmo com o passar dos anos ,ela ainda vive aqui entre nós (memórias e particularidades que só ela tinha).
    E como lembrou a Dani moreno,eu também espero que ela fique em paz lá no céu dos gatinhos pois o cantinho dela aqui na terra já foi reservado ,que é o seu coração.Que Deus a conforte.
    Um grande abraço.
    Em tempo – Admiro-a , você é muito inspiradora e cativante ,por isso ousei convidá-la na rede facebook,quando tiver um tempo e se quiser aceitar ,ficarei muito feliz.

    1. Respondi a você, no Facebook, antes mesmo de ler seu comentário aqui, Betânia. Eu me solidarizo com todos os que sofrem perdas, como essas últimas minhas.
      Obrigada, espero que fique bem como nós, aqui.
      Abraço!

  9. Laély eu sinto muito, mais um gatinho que se vai, isso acontece, eu sempre tive sorte, meus gatos vivem muito, hoje tenho um gatinho com 14 anos e uma gatinha com 7, mas eu moro em apartamento, é mais seguro que casa. Te desejo sorte ! Um grande abraço ! Carmem

  10. Oi… fiquei triste de saber da morte da maizena… mas, a vida da gente é assim mesmo, idas e vindas… ninguem esta imune a isso…

  11. Olá Laély!!!

    Que tristeza…
    li seu post, quando a maizena chegou…
    foi logo quando comecei a seguir seu blog…
    que alias, é cheio de amor…com as pessoas, animais…
    Sinto muito pela maizena… e pela sua perda!!!
    Que venha agora…
    dias felizes e de renovação no seu coração!
    Bjinhos Dani

  12. Oi, Laély.
    Eu já tive dois gatos e um cão envenenados e uma gata vítima de câncer. Acho que entendo bem a sua dor… Sou gatólatra assumida, mas, depois dessas perdas, decidi não adotar mais. Hoje, o que me conforta é ajudar outros animais, ainda que à distância. Já dei lar temporário para dois filhotes que encontrei na rua e também já fui madrinha de alguns bichanos do “Adote um gatinho”: http://adoteumgatinho.uol.com.br/
    Melhoras para você e sua família.
    Um abraço,
    Andréa.

  13. Olá Laély.
    A vida é assim mesmo… Não vou dizer pra não ficar triste, porque a gente fica mesmo e só o tempo irá cicatrizando nosso coração aos pouquinhos… E não ligue para alguns comentários de pessoas que infelizmente são ocas por dentro… Devemos orar por elas … Bjs e fique com Deus

  14. Laély querida, ultimamente ando um pouco dura para chorar. Mas, hoje chorei contigo. Está difícil escrever pois esta dor de “acidente” doméstico já passei duas vezes. Ignoro o que houve aí, mas é um dos fatos que mais nos chocam. Cuidamos e amamos tanto e justamente conosco acontece.
    Lamento mas incentivo continuares dando lar e carinho para quantos desejares e puderes. Muitas vezes melhor viver pouco e bem do que envelhecer sofrendo.
    Se desejares ler a postagem que fiz ontem sobre adoção de gatinhos, entenderás que para ti doaria quantos desejasses! És uma adotante responsável e Maizena apenas por acaso era linda pois os outros que adotaste são gatinhos comuns que a maioria não deseja.
    Fique bem, na medida do possível.
    Receba carinhoso abraço aqui do sul.
    Beth

  15. É realmente uma perda lastimável, não ligue para o que as pessoas falam, com certeza elas não amam um animal de estimação, nem tão pouco conhecem os hábitos felinos.

  16. Laély, vejo seu blog através da Nadja, que é minha esposa, e choro com você. O que posso dizer ? Deus cede esses pequenos anjos para que vivam conosco por algum tempo, para que nós e eles cuidemos um do outro, mas um dia Ele os pede de volta. Tenho convicção de que a Maizena agora deve estar no colo Dele, ronronando. Mas sei que, embora cada gato seja único e insubstituível, sempre caberão muitos outros em nossas vidas e corações. Acolha, sim, aquele (ou aqueles…) que o nosso Pai querido mandar para você. Paz e bem para você. As nossas 5 meninas de 4 patas mandam mais beijos e ronrons para tentar atenuar sua tristeza.

    1. Que carinho, Bruno. É até poético pensar assim: que existiria um céu, onde reencontraríamos todos os nossos bichinhos perdidos nessa vida.
      Obrigada.
      Abraço!

  17. Oi La ! Acompanho vc ha algum tempo e poucas vezes escrevi …
    Entao hj so pra comentar o comentario “cruel” !
    Como se na vida nao bastasse as nossas culpas ( pois considero que somos pessoas responsaveis ) tem sempre aqueles que jogam pedras , julgam e etc .
    Quando abrimos nossos coracoes pra amar , cuidar , educar … animais ou gente … corremos riscos enormes . Pq amamos loucamente e sempre podemos perder e sempre doi demais . E se nao bastasse essa dor chega alguem pra piorar …
    Ja sofri perdas enormes em minha vida … e ja olhares me dizendo que nao cuidei direito ! Sei que cuidei … e ai ??? Fica a dor e deixa pra la . Vamos julgar nao !
    Encontre outro ou outra gatinha … eles precisam demais de um lar ! Beijos e fique com Deus

  18. Olá Laely, fiquei comovida com seu post. Espero que você e sua família estejam se recuperando bem após mais esta perda. Não ligue para os comentários negativos, infelizmente não podemos agradar mesmo a todos….Mta força, um abraço. Jú

  19. Oi Laély!
    Sinto muito pelo que aconteceu com a Maizena…adoro ver as fotos dos “meninos” de 4 patas, e recentemente da linda branquinha.
    Muito bonita a sua despedida. Mas voces vão se recuperar…Força..
    Beijos prá vc!.

  20. Oi Laély, embora não comente , sempre acompanho seu blog já faz tempo. Adoro seu estilo de se vestir e decorar seu lar.
    Admiro o amor que sente pelos animais. Com essa demonstração de amor dar para sentir o quanto é amorosa e sensível. Assim como você me entrego num amor incondicional pelos meus animais de estimação. Por isso eu entendo perfeitamente seu sofrimento na partida de cada animalzinho seu. Desde pequena sempre tive animais de estimação e nessa longa vida , já sofri por alguns.Tanto cães como gatos, aves e até coelhos. Cada um com seu jeito de ser e me amando como sua humana predileta. É assim que somos para eles. Se eu morasse perto de você lhe daria de presente um gatinho. Já fazem um mês e meio que recolhi da rua cinco gatinhos recém nascidos que foram jogados fora. Tratei de todos com mamadeira e hoje eles estão prontos para serem doados. Mas moramos longe…
    Tenha força e confiança em Deus. Bjs
    http://simplesmentemariaclaudia.blogspot.com.br/

  21. Oi, Laély…
    Sempre passo por aqui, mas nem sempre comento, acompanhei a historia com o pingo, chuvisco e a maizena, e o que posso te dizer neste momento? apenas que tenha forças e que fique em paz.

  22. Laély te amo muito menina, por seu interior lindo, carinhoso, que sutilmente deixa transparecer. Todos nós amamos quando faz suas postagens poéticas e maravilhosas, principalmente sobre seus bichinhos. Existem situações que fogem ao nosso controle, o importante é que você continue aberta a novos amiguinhos. Que Deus te abençoe, abraços carinhosos

  23. Oi Lá!! Que coisa mais triste!!! Todo mundo já falou tanta coisa bonita que só posso dizer que sinto muito pela Maizena. Mas quero te dizer também que o amor que temos por esse bichanos nos faz superar essas perdas e ainda amar outro bichinho que venha fazer parte da nossa vida. Força minha amiga querida (já me considero tua amiga viu?), que muito em breve deve surgir mais um bichano pra encher a tua casa de alegria, daquela forma que só os gatinhos sabem fazer. Que Deus te proteja sempre. Bjks

  24. Olá laély!!!Estou escrevendo este post aqui chorando pela perda da maizena.Eu perdi vários gatinhos mas ainda me restam as minhas gatinhas para cuidar e mimar…tbm já me aconselharam a não mais adotar nenhum gatinho…prefiro gatinhos(ou qlq outro bichinho)que certos seres que se acham humanos que caminham por essa terra.Eu sofro muito com as perdas que tive até hoje…tbm gosto de cria-los responsavelmente mas soltos.Sempre achei que um lar sem animaizinhos e plantinhas não pode ser um lar feliz,acredito que DEUS está em tudo e mora nos detalhes.Quem maltrata um animal facilmente maltrata um ser humano…é o que eu penso.Então…dê ouvidos apenas ao seu coração linda…tenha outro sim,ou outros gatinhos.Todos nós temos um tempo nesta terra para semearmos amor,muito amor,Vc está semeando amor quando dá abrigo e carinho aos seus bichinhos amados…seu coração se torna maior a cada dia,e as perdas,mesmo que insuportáveis,te fortalecem e te fazem mais humana.Fique bem laély,tenho certeza de como a Maizena foi muito feliz neste lar.Beijo no seu coração e torço para em breve conhecer seu mais novo filhotinho…

    1. Obrigada, Sandra.
      Se estamos preparados para novas perdas? Nunca! Por isso entendo, que algumas pessoas estranhem: “Ah, não! Mais uma vez, não!”
      Mas ainda acredito que cabe mais um gatinho na nossa rotina.
      Abraço!

  25. Laely, tenho por você um carinho especial. O blog nos aproxima mesmo distantes. Não lhe conheço pessoalmente, mas tenho por você um carinho muito especial. Generosamente você nos brinda com suas postagens e nesse intercâmbio gerou em minh’alma carinho e admiração pela pessoa sensível que é Laely. Seu amor pela sua família, amigos, animais nos revela a essência do seu ser: generosa e vibrante. Os amores vem, mas não vão. Continuam em dimensões desconhecidas para nós, mas ligados integralmente aos nossos corações. É a família universal que o Pai Celeste nos pemite formar e mais tarde, em época não conhecida, teremos oportunidade de nos reencontrar e entenderemos a verdade tal qual S. Paulo nos falou em sua bela espístola aos Coríntios cap. 13. Continue firme e em paz.
    Maria Anunciada
    Currais Novos/RN

    1. Ô, Maria Anunciada!…
      Agradeço o carinho.
      Se de vez em quando dou notícias ruins por aqui, não é pra despertar compaixão ou simpatia, mas porque respeito quem acompanha minhas histórias e acaba se envolvendo com elas.
      Eu realmente acredito que vale a pena amar!
      Um beijo pra você!

  26. Força Laély! Sei que a vida trará outros gatos, tão lindos quanto a Maizena e o Chuvisco, pra sua vida. O tempo cura tudo.
    Abraços!

  27. Oi Lá…ui..fiquei com um aperto no coraçao quando li sua postagem hoje…a minha gata é identica a sua..e parece que foi eu quem perdi ela..a gente se apega tanto nao??Eu,que nunca fui chegada em felinos…sou apaixonada por minha Princesa..e desejo que logo outro felino vennha preencher o vazio do seu coraçao..

  28. Nada a ver os comentários dessas pessoas maldosas que vc mencionou. Acidentes acontecem, uma pena a perda da Maizena, tu estavas tão feliz com a chegada dela, uma pena mesmo…. Sou uma apaixonada por gatos, já perdi alguns de meu amores mais chegados, lamentei muito, mas fazer o que, concordo com vc, prefiro vê-los livres e serem o que são, tb creio que eles gostam assim. Logo logo chegará um pedacinho de graça para alegrar e animar novamente a sua casa, e como as crianças, elas sempre enchem de alegria a casa da gente! Bola pra frente!!! :)

    1. Pegamos a irmãzinha da Maizena, Mônica, mas ela ainda é muito tímida pra aparecer.
      Quando estiver mais enturmada, mostramos.
      Obrigada e abraço!

  29. Que pena Laély, eu já estava me acostumando com aquele montinho de pelo branquinho como a neve…Linda!…Sou solidária com a sua dor…bjussss

  30. Não existe conforto para perdas, apenas me dirijo a você que entendo que não foi inconsequencia sua, irresponsabilidade nada que a culpe, eu entendo pois amo caes e perdi uma labrador MEL um anjo que passou na minha vida de uma forma horrível, meu pai cuspiu um pedaço de osso, foi o suficiente não tive tempo de socorrer,ela se engasgou e morreu na minha frente de falta de ar, a única coisa que posso te dizer que só o tempo vai fazer você amenizar o sofrimento. Não dê papo a pessoas que essas sim são irresponsáveis com os seus comentários, um grande beijo. Fique com DEUS.

  31. Oi, Laely, fazia tempo que eu não aparecia por aqui por problemas “técnicos”, kkk.
    Embora eu pregue a posse responsável, seja neurótica para doar gatos (me enfio até no banheiro para checar as telas) e minha casa tenha muros altos e telados, já perdi dois gatos em menos de 3 anos: uma escalou as telas e sumiu, outro foi morto por uma cadela que eu havia resgatado recentemente. Então eu jamais falaria qualquer coisa contra você, até porque vc não está comprando animais, está adotando bichinhos que de outra forma teriam um destino incerto. O ideal é telar tudo e manter o animal preso? Lógico que é, mas isso nem sempre é possível, e na sua casa menos ainda. Mas o que eu queria te falar é o seguinte: sei que agora é difícil, mas quando a dor amenizar, seria legal vc contar o que aconteceu com a Maisena, para servir de alerta a outras pessoas. Já vi gato morrendo enforcado, caindo de móveis, eletrocutado, envenenado, intoxicado com produtos de limpeza e sufocado dentro de casa, porque a gente não consegue prever tudo. Uma gateira experiente deixou a gatinha minúscula dormindo na cama com o marido, ela simplesmente morreu sufocada. Eu jamais imaginaria que isso pudesse acontecer com um gatinho, que a gente sempre julga tão espertos, né? Então, apesar da sua dor, talvez contar o acidente com a sua gatinha possa evitar a morte de outros… Beijo!

    1. Ela era uma gatinha meio surda, meio cega, Marta. Acho, porque, era uma albina. Vivia colada nos nossos pés. Tínhamos de ter o maior cuidado!
      Infelizmente, num descuido ela foi pisada, e não teve nem chances de ser socorrida.

  32. Complementando meu comentário, anterior a única forma de proteger efetivamente os animais é castrando, porque jamais haverá lares 100% seguros para todos os que nascem. Estou ajudando num trabalho imenso aqui em São Paulo, uma região onde existem dezenas de gatos abandonados, as fêmeas dando cria após cria. São animais ariscos numa área imensa e cheia de drogados, dificílimos de serem apanhados. Os filhotes nós encaminhamos para doação (estou com cinco coisinhas minúsculas em casa), mas os adultos não tem jeito, temos que castrar e soltar novamente. Aí as pessoas nos criticam, perguntam como temos coragem de jogar o animal na rua novamente. Aí eu é que pergunto o que seria melhor fazer. Deixar sem castrar, ignorar o problema? Ao fazer isso, salvamos os filhotes que deixarão de nascer; os adultos, infelizmente, estão condenados a um destino incerto, porque ninguém adota adultos. A única adulta que não tive coragem de soltar está lá em casa até hoje; é boazinha, bonitinha, mas ninguém a quer… amanhã mesmo vou soltar um macho adulto imenso, preto, comum, super bonzinho. Não posso ficar com ele, ninguém quer adotá-lo. Não seria melhor que ele ao menos fosse para a sua casa, que mesmo sem ser 100% segura é muito melhor que a rua? Se não temos um local 100% seguro e a opção é o Zero%, não é melhor então que ele fique num local 50% seguro? Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *