No tapete vermelho

O ritmo dos posts anda lento nos últimos dias mas, não é por descaso: minha conexão com a internet tá caindo mais fácil, que ministro da Dilma! Problema de “incompatibilidade de agendas”: quando eu resolvo trabalhar, ela faz birra e diz que, não!

Na noite do Oscar, nada de surpresas nas premiações. O mesmo não se pode dizer dos looks femininos: sempre causando alvoroço, seja pela ousadia e/ou elegância ou, pela estranheza e cafonice! Mas, tudo cabe numa festa como essa: se não houvessem erros, talvez os acertos não se destacassem tanto.

Há controvérsias, porém. Não, em relação à competência de Meryl Streep, que levou um dos prêmios mais cobiçados da noite. Já o vestido drapeado, dourado( Lanvin) que ela usou…sei, não!
Meryl Streep (Foto: Getty Images)
Mas, que fique bem claro: ela atua muuuito melhor que esse bombom!
Talvez não tenha entendido a proposta da alta costura, mas achei que o drapeado, junto com o tecido pesado, agregou mais volume à silhueta nada esguia da atriz.
Apesar do tropeço no tapete, sou fã de Meryl: uma estrela, muito mais reluzente que o vestido escolhido!
Jolie, num longo preto escultural, chegou vestida para matar:
angelina jolie perna pose oscar 2012 meme (Foto: Divulgação)
A perna de fora foi o acessório principal da fenda!
Mas também gostei de Jennifer Lopez e Cameron Diaz, as duas sereias da noite:
Jennifer Lopez e Cameron Diaz fazem graça no palco | Foto: EFE
Bem longe dos holofotes e glamour, looks reais, mais próximos do nosso dia a dia:
Não sei se já perceberam, mas tenho repetido roupas e peças com maior frequência, ultimamente: fruto de algumas decisões tomadas que, logo pretendo dividir com vocês.
Na última semana fez bastante calor por aqui.
Nesse dia joguei com cores claras, que dão um toque fresh. Pra não ficar mortinho, um sacolão em vinil azul:
FreshFresh
T-shirt: Triton
Calça, bolsa e tênis: Cantão
Vermelho e azul é combinação que sempre funciona, num dia que fugi de complicação:
VermelhoVermelho
Camisa polo e sapatilha: Lacoste
Bermuda: Dopping
Bolsa: Cantão
Vermelho
Dia seguinte não tirei a bermuda do corpo, com camisa em quadriculado vichy:
VichyVichy
Camisa vichy: Leeloo
Bermuda: Dopping
Bolsa vinil e sapatilha: Cantão
Apesar da manga comprida o tecido é bem levinho, apropriado ao clima.

E, se Meryl pode vestir-se de Ferrero Rocher, por que não, eu, de chiclete Ploc?
Mas, não resisti misturar vários tons de rosa:
RosaRosa
Vestido: Folic
Clutch: Ana Sinhana
Sandália: Josephina
Rosa e turquesa
Rosa e turquesa
Segunda, acho, deve ter sido o dia mais quente do ano, mesmo aqui, nas montanhas! Para enfrentar o calor, vestido de tecido leve, de alcinhas, e um abanador:
CalorCalor
Vestido vichy: Leeloo
Bolsa de tecido: Quilts são eternos
Sandália: Josepnhina
Mocinha
Para fugir da sisudez da alfaiataria, camisa colorida e florida:
BrancoBranco
Camisa: Farm
Calça de linho risca de giz: Animale
Sandália: Ferrucci
Bolsa metalassê: DUMOND
Brilhos
Branco e dourados
E o look de hoje foi o meu preferido da semana: print felino com top color de cetim!
AnimalAnimal
Top de cetim
Calça: Cantão
Bolsa: Uncle K
Sllipers: Melissa
Animal
Animal

Leia Mais

Comida de domingo

“Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos.” – Eduardo Galeano
Lembro de haver lido essa frase em algum lugar e anotado na minha agenda mas, se somos o que fazemos, devo sofrer de personalidade múltipla: interesso-me por assuntos tão diversos à minha profissão e faço tantas coisas “nada-a-ver” que, já não sei bem quem sou. Como Raul Seixas, uma “metamorfose ambulante”, quem sabe?
Ontem foi a vez de ser a padeira.
Talvez por influência dos programas de culinária e gastronomia que tenho assistido ultimamente ou, pela hora-bônus do final do horário de verão ou, o ensolarado domingo, animei a passar o dia na cozinha.
E como aquela hora a mais rendeu!
Para o almoço:
Almoço de domingo
Purê de batatas, brócolis e medalhão de filé com manteiga de ervas*. Como é casa de brasileiro, também não faltou arroz integral e lentilha.
*Para a manteiga de ervas:
Deixe a manteiga em temperatura ambiente, pique as ervas de sua preferência( usei o que tinha na horta: sálvia, manjericão e alfavaca) e misture. Transfira tudo com uma espátula e coloque sobre filme plástico: com a ajuda do plástico molde um salame, fechando as bordas( para que a manteiga não vaze e mantenha a forma cilíndrica). Leve à geladeira, ou congelador, até endurecer. Na hora de usar é só desembrulhar, fatiar na espessura desejada e colocar sobre o filé, ainda quente.
De sobremesa fiz bolo americano de chocolate, uma receita que sempre dá certo:
Bolo americano de chocolate
A cobertura é ganache de chocolate.
A reação química entre o leite azedo, chocolate e bicarbonato dão a esse bolo uma bonita cor marrom avermelhada:
Bolo americano de chocolate
Enquanto encaminhava o almoço, resolvi fazer os pães. Comecei pelo australiano, meu preferido. A receita já foi explicada, aqui.
Pão australiano
É um pão bastante substancioso e perfumado, pois leva: cacau, mel, café instantâneo, pitada de canela, açúcar mascavo, além de farelo de trigo e trigo integral.
É a minha fatia de prazer permitida, no dia: saboreio-a, junto com uma boa lasca de queijo branco, no meio da manhã.

Coloquei os ingredientes do pão australiano na panificadora e me pus a bater à mão a massa do pãozinho de leite, um pedido do meu menino. Essa receita é uma das mais antigas aqui do blog, sem dúvida, sucesso entre as crianças!
Pão australiano e pão de leite
Tenho evitado embutidos, principalmente, salsichas, mas para o recheio usei mini-salsichas de frango, sem corante, com requeijão Catupiry.
Pão de leite
Revelando-se:
Pão australiano e pão de leite
Como sobrou bastante purê de batata do almoço, resolvi arriscar e fazer um pão de batata, sem receita: aproveitei o purê e adicionei ovos, um pouco de óleo, fermento, trigo e, não é que deu certo?
No forno
Só tenho comido pão integral, mas provei uma fatia, assim que saiu do forno( um “sacrifício”, por uma causa científica!):
Pão de batata
Ok. Passou no teste de maciez e qualidade!
Então, podem me perguntar:
“Mas como se faz dieta, cozinhando essas coisas?”
O segredo está no equilíbrio. Descobri que me satisfaz comer um tabletinho de chocolate meio amargo com pimenta, meu preferido, quando tenho vontade! É um pequeno prazer que não ameaça minha dieta( mas, só de vez em quando!).
A outra dica é exercitar o desapego: você faz, pelo simples prazer de cozinhar e depois, divide! Presenteia uma amiga com uma fatia de bolo, para um outro, dá um pedaço de pão, e assim, “mata 2 coelhos, de uma vez só”: agrada uma pessoa querida e, de quebra, fica longe da tentação de comer algo mais calórico, o resto da semana!
Foi o que fiz semana passada:
Levei pão caseiro, biscoitos e geleia de Santa Teresa para a amiga Taia, do blog Epa e Taia pelo Mundo.  Combinamos um encontro, em Vila Velha, para nos conhecer pessoalmente: foi tudo uma delícia, com gosto de “quero mais”!
Eu e Taia

Leia Mais

Rebelde sem causa

Pra começar, uma historinha triste:
Você vê os bichinhos nascerem, crescerem dentro de casa, trata com a melhor ração, remédio, vacina, leva para castrar e, no final das contas, não tem garantia nenhuma! Assim é o amor. E quando estamos falando de amor aos animais, a insegurança é maior ainda! Porque você ama e investe mas, nem todos.

Já contei aqui a história do Pretinho, um de nossos gatinhos, encontrado morto na frente de casa há uns meses.
Dos filhotes da Nina, sobrou-nos o Tinoco, irmão do Tonico( o “Pretinho”).
Ao contrário do que se foi, Tinoco era rebelde: não gostava de conversa, afagos e estava numa fase (terrível!) de marcar território dentro de casa. Nada lhe escapava, inclusive, nossas pernas: um mau hábito que irritava demais, não vou mentir! Mas a gente entende que cada gato é único, diferente, como um filho: não é porque se comporta mal, que deva ser abandonado.
Tentamos a castração, como saída digna para melhorar o comportamento do gato. Após o procedimento, pareceu mais esquivo ainda! Mas não deu para saber se era algo temporário, ou não: está sumido há quase 1 mês.

E o caçula, que se ligara mais a esse depois da morte do Pretinho, reiniciou a fase de tristeza pela mais recente perda. Desde então tem me cobrado uma história para o Tinoco: uma descrição do que foi a nossa curta convivência com ele, o “Rebelde sem Causa” mas, sim: um gatinho, tão amado quanto os outros!

Fica a dúvida sobre o que realmente lhe aconteceu: o filho quer crer, que ele possa estar vivo por aí, miando em outra freguesia. Sou mais cética, em relação a previsões otimistas: há inimigos próximos e, na rua, contra os quais não podemos lutar…
Independente de seu destino, resta-me render-lhe uma pequena homenagem.

Chuvisco era o único que ele permitia maior aproximação. Melhor, ainda: “full contact” era comum entre os dois!
Full contact no chão
Lamento pelo desaparecimento dele, mas admito que a harmonia voltou a reinar na casa depois disso, especialmente, em relação ao Pingo: talvez para evitar combates com o “filhote marcador de território”, o gato mais antigo da casa evitava entrar e ficar.

Chuvisco perdeu um amigo, mas acabou fazendo outro. Está tranquilo…
Full contact no edredom
Agora, os dois são os mais recentes amigos de infância e Pingo está, nova e completamente à vontade, dentro de casa!
Não é ressaca da pinga, mas ressaca do Pingo:
Ressaca
Porque a folia, para esses gatos, dura o ano todo!
Ressaca
Em ritmo de preguiça e languidez…
Ressaca
Nina não perde a pose:
Altiva
E a vida continua…

Leia Mais

Em ritmo de folia!

Por aqui, vida normal: longe de carnaval! Folga relativa, mas não do blog!

Como me propus a usar roupas encalhadas no armário, a peça principal desse dia foi uma saia de malha beeem antiguinha, toda bordada na frente e com aplicações de miçangas:
BordadaBordada
Regata: Lança Perfume
Saia bordada: Laranja Lima
Bolsa: Uncle K
Sandália meia pata verniz: Luz da Lua

Kélcia Seidel deixou um recadinho na minha galeria do Flickr, observando que a saia tem um “arzinho Frida”:
Bordada
Um acessório que acho lindo, nas outras, é o lenço. Nesse dia tentei usar um amarrado ao pescoço( e assim, fotografei) para, em seguida, tirá-lo. O chemisie jeans ficou sem acompanhamentos:
Chemisie jeansChemisie jeans
Vestido: Cantão
Bolsa: Uncle K
Scarpin-Dumond

Na sexta, em clima de feriadão de carnaval arrisquei uns passinhos, “só no sapatinho”:
Inspiração carnavalInspiração carnaval
Regata-Cantão,
Bermuda lantejoulas-ELLUS
Sandália-AREZZO
Bolsa-TNG

Ou, no tamancão!
Inspiração carnaval
No sábado estreei minha clutch zoiuda da Ana Sinhana, presente da Milena.
TubinhoTubinho
Tubinho preto
Clutch: Ana Sinhana
Sapato verniz: UZA
Para destacar um acessório tão rico, vestido básico, clássico: tubinho preto, que me faz sentir como uma pin’up!
Zoiuda
Outra bolsa de tecido, destacada no azulão:
BlueBlue
Vestido: Malagueta
Cinto: Dona Florinda
Bolsa baldinho: Quilts são eternos
Rasteira de purpurina: Richa’s
Blue
Outro longo, com estampa de folhagens em preto e branco:
LongoLongo
Vestido longo e bolsa de vinil: Cantão
Rasteira: Jorge Bischoff
Pedraria

Leia Mais