Nem spock explica!

Imagine se Dr. Spock, de Star Trek, fosse mandado à Terra em missão exploratória, traçar o perfil cultural do planeta e seus habitantes, em pleno 2011:
Primeiro é teletransportado a um baile funk, nalgum morro carioca. Depois das primeiras impressões e anotações vai parar num show sertanejo, no Brasil Central. Uma esticada até o Pará é descrita no roteiro como “paradinha imperdível”, com direito a degustação de uma cuia de tacacá enquanto acompanha milhares de pessoas sacolejando e dançando ao som de Calypso. Para concluir o tour com chave de ouro cai no meio de uma micareta, no Nordeste: num aperto literal é  jogado, de um lado para o outro, em meio à uma multidão pulando mais que pipoca na panela.
( Nada contra a música gaúcha mas, antes que pudesse pensar numa passagem pelos pampas é teletransportado de volta à nave mãe.)

No seu relatório de viagem ao Capitão Kirk faz um resumo do material coletado, com a máxima:
“Fascinante, Capitão, mas não vejo utilidade lógica para isso!”

Talvez a mente de um vulcano como Spock não seja capaz de entender essa música, que arrasta multidões no Brasil e faz tanto barulho lá fora. E, cá pra nós: não dá para imaginá-lo sambando ou dançando axé! Vamos fingir, que isso não é problema nosso.

Já contei por aqui, que meu filho do meio viajará em janeiro e passará 1 ano fora do país. Num dos primeiros contatos com a família que o receberá na Alemanha, perguntamos a eles se gostavam de música brasileira. Uma pausa, até nos mostrarem o pouco que conheciam da nossa cultura enquanto eu cochichava com o filho, ao lado: “só falta, agora, eles tocarem funk”! O filho chamou minha atenção: imagine se, na pátria de Beethoven e Bach, funk teria vez! Acontece que na família há duas adolescentes e, adivinhem o que nos mostraram?: Um legítimo funk carioca! Eu e meu menino nos entreolhamos e, caimos na risada!

Aí, fiquei pensando: qual é a cara do Brasil lá fora? O que identifica melhor nossa cultura para os gringos? Como nos explicaríamos ao Dr. Spock, por exemplo?!..
“Tente entender, Sr. Orelhas Pontudas: nosso mais famoso escritor é Paulo Coelho, embora façamos pouco caso dele. A música mais repetida e coreografada, no momento, é de um tal Michel Teló, embora a letra seja de gosto duvidoso( ou, melhor: indubitavelmente, de mau gosto!)…Simples, não?”
Também não entendi por que, justo nessa hora, ele saiu correndo desesperado, com as mãos na cabeça, esboçando pela primeira vez na vida alguma emoção: “I don’t understand! I don’t understand!…”

Algumas emoções são inexplicáveis, mesmo! Parafraseando RC: o importante é vivê-las!
Falando nisso e, nele, em Michel Teló: confessou que chegou a ficar “arrepiado”, ao ouvir Cristiano Ronaldo cantar o hit “Ai, se eu te pego…”
Só uma explicação, para o “arrepio” sertanejo: “É o amoooor!”

Mas estamos em clima de festa, de confraternização, afinal, é fim de ano! O amor deve reinar nos corações! Sertanejo deve abraçar metaleiro,  pagodeiro, dividir o mesmo sorvete com chicleteiro…
Eu juro:  tenho me forçado a um exercício de tolerância, afinal, essa mescla de raças, sabores, ritmos e culturas é o que nos faz brasileiros!

Sem perder a chance da última espetadinha:
Vendo as chamadas para o “Show da Virada”, na Globo, cheguei a ficar penalizada com aqueles que, por absoltua falta de opção e companhia, serão obrigados a acompanhar as atrações da noite com Zezé di Camargo&Luciano, Chitãozinho e Xororó, alguns da nova geração sertaneja, pagodeiros, axezeiros e, acreditem, até Karla Perez!
Sem preconceito: quer um conselho, para não ter dor de cabeça nesse fim de ano? Coma e beba com moderação, faça as pazes com quem precisa, se for o caso e,  o show da virada…na cama!

Em qualquer ritmo e, para todos os gostos: feliz 2012!
“Paz na Terra, aos homens de boa vontade!”
Ou, como diria nosso insensível vulcano:
“Vida longa e próspera!”

 

You may also like

19 Comentários

  1. ahahaha, Laély impagavél este post, adorei!
    sertanejo, pagode, funk e axé passam longe dos meus ouvidos, dos meus e de todos aqui de casa. Se vizinho aumenta o som é direito dele, o meu é de por o fone de ouvido e ouvir outra coisa. de preferência o bom e velho rock and roll. O mesmo vale pra TV, passou coisa do tipo o controle corre pra outro canal.
    Enfim, um excelente 2012 para vc e sua família cheio de paz, alegria e com muita boa musica.
    bjs

    1. Oi, Ana! Aqui a turma é mais do rock, também, mas eu curto MPB. Vinícius levará na bagagem algo amis, para aumentar a cultura musical da família dele na Alemanha.
      Feliz 2012!

  2. Laély, não assisto o show da virada…pode falar que é preconceito, mas detesto funk e alguns outros ritmos que não me dizem nada.Sem letra, sem melodia, mas o povão gosta, nem quer saber se a musica tem algo a dizer , dando para rebolar e beber junto é o que interessa.Muitas vezes não é falta de opção é falta de gosto e cultura.As vezes , sinto que nasci em época errada , pois vejo tanta coisa errada, sem cabimento, sem respeito, sem bom senso….enfim.E assim as coisas vão ficando cada vez piores , ao meu ver…enquanto o povo samba e rebola , a politicos deitam e rolam…Deus nos ajude.Abraços e um lindo 2012 para vc e sua familia.

    1. Débora, todo mundo precisa de uma válvula de escape e entendo que haja oportunidade e uso, até para essa cultura descartável. O que não pode é haver alienação!
      Um feliz 2012 pra você e, não percamos a fé em nós mesmos e na possibilidade de mudar as coisas para melhor!
      Abraço!

  3. Querida Lá!
    Que delícia este teu post… E logo eu que adoooro o Sr.”Spock”! (Rs…) Dei risadas aqui sózinha,imaginando o vulcano nessa expedição às terras brasilis… (Rs…) Com certeza uma divertida aventura! E imagine a cara do capitão kirk diante do “relatório” dessa estória…(Rs…) E quanto ao gosto musical eclético e duvidoso de uma boa parte de nossa nação,o que podemos fazer,minha amiga, senão “rezar” pra que aquela festa regada à “funk” de um vizinho possa acabar mais cedo? (Rs…) Isso já aconteceu comigo algumas vezes…. E o pior era quando também havia um forró com aquelas letras de estranha reputação… (Rs…) Tenho o maior respeito por todos os ritmos musicais que existem,mas confesso que existem umas músicas por aí que até nos deixam tristes e revoltados… O que será que está acontecendo com o conteúdo musical mundial? Tem horas que é até difícil de acreditar no que se está ouvindo… (Rs…) Minha sogra,do alto da sua sabedoria dos seus 82 anos, acha que isso tudo que está acontecendo é devido à alguma contaminação dos alimentos… (Rs…) E eu digo pra ela que deve ser a água… (Rs…) Afinal, até a “saúde musical” das pessoas pode estar ligada aos “problemas ambientais e ao aquecimento global”…(Rs…) Uma boa dica de pesquisa para o “Spock” fazer! Quem sabe daí não encontramos as respostas para uma melhoria musical brasileira? (Rs…)
    Mas brincadeiras e piadas à parte, aproveito para te desejar um 2012 de muitas alegrias,saúde e paz,pra você e sua família , e que as bençãos de Deus estejam sempre com todos!
    Beijo e abraço apertado pra ti,minha querida Lá!
    Teresa

    1. ha, ha! Essa é a mais nova teoria conspiratória, Teresa! Quem sabe Spock poderia pesquisar mais a fundo?…rs
      Feliz 2012 para você e toda a família!

  4. Boa noite!estou aqui para desejar feliz ano novo…e dizer que estou impressionada com o vc está mais magra ,mais bonita, e que familia linda e vc toca violino é tudo mais que demais…bjs com \boas Vibrações

  5. La,olha,vou confessar:gosto do Michel Teló,já te disse lado B…
    E já passei muito fim de ano com trio elétrico cantando axé,mas é só.
    Agora dupla sertaneja gritando igual a cabrito não curto nem de brincadeira.
    O problema da nossa visão lá fora é sempre o esteriótipo,isso me incomoda.DJ Malboro e outros já tentaram explicar a qualidade do funk eu nunca consegui entender.Consigo entender sim que representa a expressão de um grupo,com todos os seus envolvimentos,mas para por aí.
    E quanto ao show da virada é sim para virarmos de costas pra tv,porque não há nada mais “down no high society”do que ficar dia 31 vendo tv!!!
    Mas olha,vale a pena ver o CR7,ou melhor o português bom de bola e narcisista,dançando essa música,é quase um culto a:ai como sou gato!!!Ele ainda faz coreografia e tudo,hahaha!!
    bj e feliz 2012!!

  6. Texto ótimo e reflexão melhor ainda! Somos uma mistura impressionante, mas que culturamente pouco restou das reais raízes, lá isso é verdade… Respeitar o gosto alheio é uma arte e eu fico na minha com meus preferidos. Laely, aproveito pra te dizer que adorei te conhecer em 2011! E que a gente se fale bastante em 2012, ao som que mais nos alegrar!
    BJô

    1. Pois eu, faço questão de propagandear minhas preferências. Tomo como uma missão de “formadora de opinão” mas, sem forçar nada, apenas tento fazer o outro gostar, também. rs
      Espero que nos aproximemos mais em 2012.
      Feliz ano novo!

  7. Muito bom, concerteza até para nós Brasileiros algumas coisas são inexplicaveis se tivessemos que fazer um relatório, ja passei mais do que uma saia justa fora do Brasil pq não sei sambar e odeio funk, mas a gente acaba se acostumando e querendo ou não essa e a cara do Brasil pelo mundo afora…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *