Era uma vez um gatinho…

DSC02730

…Chamado Pretinho: na verdade, apenas um apelido carinhoso. Seu nome oficial, mesmo, era Tonico. 
Tonico, porque fazia dupla com o irmão de sangue e travessuras, o inseparável Tinoco.

Tomando conta da casa

Era o mais forte, de uma ninhada de 4 tigrinhos cinzas. 
Mesmo não planejado( e isso acontece nas melhores famílias…), aquele quádruplo nascimento foi muito festejado. 

DSC01426

Mamãe gata, apesar de precoce e inexperiente, acertadamente escolheu o sótão como o seguro ninho dos filhotes.

À medida que cresciam, permitia-lhes maior liberdade. Aproveitavam-na, explorando cada cantinho da casa. 

DSC02515

Depois, o quintal…

DSC03070
DSC03068
DSC02997

O único a impor-lhes algum limite era o felino mais antigo na família, um tigrão laranja. Logo aprenderam que, àquele senhor gato deviam respeito: “questão de hierarquia”, mamãe ensinou-lhes. 


Pretinho tinha uma pelagem escura, farta e brilhante. Podia virar um modelo felino! De todos era o mais dócil e carinhoso. Realmente ele apreciava a companhia de humanos: enroscava-se-lhes nas pernas e miava dengosamente, numa estratégia infalível para chamar-lhes a atenção!
Como todo gatinho, adorava brincar de esconde-esconde! 

DSC03384
DSC03612

Cumpria uma agenda diária cheia de atividades, como: subir em árvores…

DSC04162
Dormir…

DSC05071

Caçar passarinhos, lagartixas, até, pescar uns peixinhos no lago…

DSC03933

E dormir, mais um pouco…

DSC03948

À noite, pulava no sofá e aninhava-se ao lado da sua humana preferida.
Logo pela manhã, alinhava-se com os demais gatos da casa4, ao todo!) ao pé da cama dos preguiçosos humanos, esperando pelo lauto café da manhã: um pote, cheio de ração. De sobremesa, cafuné na cabeça, um carinho na barriga e: “mundão, aí vou eu!”


Mas, numa fria manhã de primavera, tal ritual matinal não se repetiu: 
Pretinho não veio fazer número, entre os gatos da casa, esperando ansiosamente pelo pote cheio de ração. 
Nem aguentou, pacientemente, a sessão de cafuné na cabeça e carinho na barriga impingida pelos humanos que lhe serviam. 
Nem correu, apressado, quintal afora, atrás da primeira lagartixa azarada que lhe cruzasse o caminho.
Em vez disso foi encontrado, naquela fatídica manhã, deitado ao lado do carro da sua humana preferida. Parecia ainda dormir tranquilamente, mas, ei-lo: inerte, frio, sem reação…
Não sabemos como morreu: se de morte matada, ou  morte morrida…
Mas, sabemos como viveu: foi feliz, fez-nos felizes! 
Uma curta vida, apenas 11 meses, porém, muito mais profícua que a vida de muito bípede por aí…

Cobertor de orelha
Ao pé de uma araucária foi sepultado: no quintal, o morro, que tanto gostava de explorar. O menino, que tanto lhe amava, fez-lhe uma caminha com capim seco; depois, cobriu-o com o mesmo capim. Uma pedra marcou seu túmulo. Ele marcou nossa vida.

O que nos resta?
Guardá-lo na memória, contar essa história…
Para os outros, somente mais um gatinho. Para nós, o inesquecível Pretinho…
Era uma vez um gatinho…

Só quem ama, entende a dor dessa perda…


(Trecho de animação extraído, de: Mary&Max)

You may also like

3 Comentários

  1. Eu entendo. Juro como entendo…
    Li esse texto logo que vc o publicou. Fui dormir chorando agoniada só de pensar que isso pudesse acontecer aqui em casa. Eu tinha três gatinhos. Um mês depois, chegou a mim um lindo bebezinho de uns 3 meses. Zequinha virou o grande amor de nossas vidas. Lindo, doce, cheio de vida e muito abusado nos encheu de alegria durante os 4 meses que viveu conosco. Na terça passada, encontrei seu corpinho morto no quintal. Uma grande tristeza…

    1. Ô, que tristeza, Mônica…
      Logo depois disso encontrei o Chuvisco e não gosto nem de pensar, na possibilidade dele desaparecer de repente, como o Pretinho.
      Infelizmente é uma forma dolorosa de aprender que, mesmo fazendo parte da família, não estamos no controle de tudo: é para treinar nosso desapego, talvez…
      O que posso dizer é que, da mesma forma que o Zequinha usufruiu de carinho, segurança e cuidados na sua casa, outro bichinho sortudo espera pela mesma chance; em troca, dará a você e à sua família muita alegria!
      Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *