Ataque de nostalgia

Hoje meu menino mais novo confessou ter saudade do que ainda não se foi…
-Mãe, quando o Tinoco morrer vou sentir falta do miado estridente dele.*
*Há cerca de 12 dias perdemos um gatinho, irmão do Tinoco, o Tonico.
É assim: saudade não escolhe idade.
Quem tem mais de 40, como eu, viveu a adolescência, no exagero dos anos 80. “Exagero” achamos hoje porque, àquela época, era tudo normal! 
Exagerado, errado, infeliz ou, não: passado não se muda. O que muda é a forma como o vemos.
Clichê dizer isso mas, um filme passa pela cabeça: cores, cheiros, roupas, penteados, sabores, séries, desenhos animados e programas de TV, músicas, namorados…
(Cid Guerreiro e, sim! Ele fez o maior sucesso, apesar e, talvez por causa, desse cabelo!)

O tempo “volta”, sem necessidade de máquinas ou acessórios de alta tecnologia…
Back to the Future
Basta nossa memória( embora, a essa altura, já possa falhar…).

Em “À Procura da Felicidade“, Will Smith revelou ser não apenas um bom ator de comédia, mas também, drama( reforçado no filme seguinte, com o mesmo diretor, Gabrielle Muccino: Sete Vidas)
Ele contracena com o filho de 5 anos, Jaden Smith.
Baseado na história real de Chris Gardner: um pai solteiro desempregado, que é despejado junto com o filho, da própria casa, por falta de pagamento.

Mas não estamos falando da época atual, onde manifestantes ocupam Wall Street para protestar contra a pobreza, desemprego e desigualdade social. Estamos falando da época do “milagre econômico” nos EUA (a “terra dos sonhos e oportunidades”): os anos 80.

E, oportunidade, era o que Chris Gardner sabia muito bem aproveitar!
Numa das cenas memoráveis do filme, ele consegue a atenção de um figurão da Bolsa de Valores (e, consequentemente, uma vaga como estagiário no escritório dele) usando um instrumento muito simples: um cubo mágico. Em questão de segundos Chris resolve o cubo, quebra-cabeça que virou febre entre crianças e adultos da época.

Ontem a Vivianne Pontes, no Dcoração, tocou nesse tema, analisando festinhas da nossa infância. Vale conferir.

Pintou nostalgia e vontade de fazer algo temático?

Sugestão do dia, este ícone dos anos 80, o bolo-cubo:

Imagens aoutoexplicativas aqui, no Statys.

“Decifra-me ou, te devoro!”

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *