IrinyXGisele

Quando vi o comercial da Hope, sorri…

Achei interessante a forma maliciosa e bem-humorada de tratar alguns estereótipos. 
A capacidade de rir de situações corriqueiras é uma das características que nos diferenciam de seres irracionais, como a ameba, por exemplo.
Mas, isso é apenas a minha impressão! 
Ainda bem que temos alguém mais capacitado a pensar e julgar por nós, na Secretaria de Políticas para as Mulheres: a ministra Iriny Lopes conseguiu ver “mensagens subliminares” nessa campanha…

Acusando-a de “sexista”, tentou tirar a propaganda do ar. Pegou mal. Para a ministra, que voltou sua retalhadora, digo, metralhadora, contra a programação da Globo:

Blog do Amarildo

Do pouco que assisti da novela, achei-a morna. Uma penca de personagens, que ainda não se sabe a que vieram. O núcleo do “motorista espancador”, mais uma “encheção de linguiça”, assim como “encheção de saco” a adolescente, filha dele: entra capítulo, sai capítulo, e ela só dança( literalmente, o funk!)
Mas os autores de novela já aprenderam com o IPOBE: a trama tá meio chué?…É só inventar uma intriga com direito a muitos sopapos, que o negócio esquenta!
A polêmica com a ministra, então, parece até coisa arranjada!

Meu menino mais novo, que não assiste novela da Globo mas não perde um capítulo da novela política, comentou comigo:
“Mãe, e se fosse o contrário: uma mulher que batesse num homem, a Iriny ia se intrometer?…”
Cá com meus botões, pensei, se não seria “sexista”, o ministério pelo qual Iriny responde. Parece até que as “políticas femininas” se resumem em saber, nos bastidores, o que vai acontecer nos próximos capítulos da novela das oito!
Deixa pra lá que, dessa briga quero distância!
Para os próximos capítulos do blog proponho uma brincadeirinha: já que estamos na semana da criança, tentarei montar os looks fazendo alguma referência ao universo infantil. 
  
Falando em brigas, lembrei de um desenho que era uma graça(embora a ministra, talvez, pudesse considerá-lo um incentivo à violência infantil): “Mucha Lucha”!
Os personagens frequentavam uma escola de luta livre usando fantasias e máscaras.
Para mim isso é puro saudosismo, pois na minha infância os telequetes eram famosos. Ted Boy Marino, um dos “lutadores”, virou astro, participando posteriormente da turma dos Trapalhões:
Hoje saí de casa preparada para a luta, companheiros!
GladiadoraGladiadora
Gladiadora: Schutz
Vestido nuvens: Cantão
Bolsa: Uncle K
Gladiadora
Luta insana: dar conta de todos os compromissos!

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *