"Malwares malditos!"

Por causa do malware no domingo, postagens atrasaram e os looks, acabaram se acumulando.
Aproveitando o mote dos dois últimos, inspirados em Glee, farei referência a uma de minhas personagens preferidas da série, a professora Sue Sylvester( Jane Linch):

Sue é a treinadora do time de torcedoras do colégio Mckinley. 
Como o malware que invadiu vários blogs no fim de semana, ela quer ver “tudo dominado”! Não aceita perder!
Mas, por trás do “trator-Sue” existe alguém, carente e solitária. A relação com a irmã, portadora de síndrome de Down, revela o que ela faz questão de esconder: fragilidade e docilidade( “Pode ficar tranquila, Sue: isso é um segredo entre nós!”)
O humor cáustico(do tipo: “perco o amigo, mas não perco a piada!”) é outra de suas características; o que a aproxima, de um outro preferido: Dr. House. 
Seria interessante e divertido imaginar um enfrentamento de egos, entre os dois; uma versão, na TV paga, de Duelo de Titãs, PredadorXAlien, JasonXChuck! 
Seria Sue, uma House de saias?
Nem tanto. No guardarroupa dela não existe essa peça do vestiário feminino! Há espaço, apenas, para: tênis, calça e abrigo esportivo!
Tadinha?
Que nada! Sue não se abate com limitações, nem se prende a firulas para “causar”.
Mas, vamos combinar: eleger apenas um tipo de roupa, ou peça de vestuário para usar é quase um assassinato de estilo!
E olha, que isso não é só na ficção: Encontramos por aí, todos os dias, mulheres que parecem ter escolhido, como “uniforme”, um conjunto de moletom e tênis( e o dia pode ser, de muito Sol e calor!), outras, que saem desfilando de roupa de academia( nem a atleta Daiane dos Santos deve usar tanto!), ou a mocinha que só usa microshort e camiseta baby look( apesar de fazer um frio, de doer!). “Assim, não pode! Assim, não dá!” 
Não, que essas ou aquelas pessoas sejam melhores ou piores por conta disso, mas, convenhamos: se temos à nosso favor uma boa ferramenta a usar( a moda), por que não? Contrato de casamento e promessa de fidelidade (“na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, na beleza e na feiura, na magreza e na fofura…”) fazemos ao companheiro de vida, não à peças de roupas, cores, estilo!
Isso tudo para justificar a minha escolha, como o “uniforme” da semana: a calça comprida, peça preferida de Sue.

No fim de semana o tempo mudou, e o domingo foi bastante frio. 
Quase desisti de almoçar fora, preocupada em resolver o problema no blog, mas acabei saindo, e com a maior cara de “mal”(ware):
Suéter e cachecol
Suéter: ELLUS
Calca, bolso faca: Calvin Klein
Bota cano curto: Luz da Lua
Bolsa: Cantão
Para proteger-me do vento frio, suéter macio e cachecol:
Domingo frio
Nos pés, uma bota com salto recortado e detalhe de metal:
Salto recortado
Salto recortado
Na segunda o frio continuou, mas nem tanto:
Azul e amareloCostas
Casaquinho de linha: Richard’s
Camiseta e bolsa: Cantão
Calça: Calvin Klein
Bota cano curto: Luz da Lua
Amareloi e azul
Mochila Cantão
Terça foi dia de abrir o Sol e reinar o azul:
DSC05937DSC05951
Camisa: Calvin Klein
Cinto imantado, calça flare e bolsa: Cantão
Bota: Luz da Lua


Este tom de azul é tendência para o verão:
DSC05959
A calça flare é uma releitura, mais comportada, da conhecida “boca de sino”: ela tem cintura discretamente mais alta, pernas mais ajustadas e boca menos aberta que a inspiração original.
Deve-se ter cuidado com o comprimento da calça: nem muito curta( só a ponta do sapato deve aparecer), nem muito longa(evitando, que se arraste pelo chão).
Como sou baixinha e tenho pernas grossas, o truque para alongá-las foi usar a calça com um mocassim no mesmo tom, de bico fino:
DSC05955
Finalmente o look de hoje, mais colorido e fresco:
LaranjaLaranja
Blusa e bolsa: Cantão
Calça: Colcci
Sandália meia-pata: Luíza Barcelos


A estampa, com a cara e as cores do verão:
Estampa
Um salto e uma cor, pra chamar de seus:

Color
Color

Falando em “uniforme”, alguém poderia perguntar  o que eu costumo usar no trabalho. 
Aboli o branco total, desde a época da faculdade. Prefiro um jaleco, sobre a roupa. 
Aqui, cercada por parte da equipe de enfermagem do hospital onde trabalho, no café especial da “semana da enfermagem”:
Com a equipe de enfermagem:
Detalhe importante: fiz pão integral para levar, mas não comi dele, nem de outras coisas à mesa. (Carreguei o lanche da dieta numa lancheirinha.)  

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *