Autossabotagem

Gioconda, segundo Botero

Juro que não tenho descuidado dos exercícios físicos, nesse início de férias escolares. A “medida certa” é meta a alcançar, ainda este ano. 

Mas, manter a linha na hora de comer parece tarefa ainda mais difícil, agora, em tempo de frio. Bate aquela fome de carboidratos, às vezes incontrolável!
Com a desculpa de testar uma receita para nossa tradicional “noite de talentos“, cheguei hoje em casa com vontade de fazer uma adaptação à “queijadinha de abacaxi”, mostrada aqui:
Para a queijadinha de maracujá, em vez de doce de abacaxi usei suco concentrado de maracujá: 7 a 10 colheres de sopa( depende, se quiser um sabor mais acentuado de maracujá, ou não. O ideal é acrescentar o suco aos poucos e ir provando)
À exceção desse detalhe, procede-se como na receita original.
E o resultado rendeu um quitute para a janta:

Jantarzinho

Aproveitei para fazer um chá de erva doce( com as folhas, em vez da semente, o sabor é bem mais suave) e servi na minha chaleirinha fofa, comprada em loja de R$1,99: um achado para chá!
Para acompanhar, pão caseiro: australiano e de leite.
Bateu nostalgia de comida substanciosa do norte. 
Fiz um mingau bem simples, com banana da terra( lá em Manaus, chamada “pacovã”):
Usei 3 bananas da terra, maduras( não pode ser muito madura!)
Cortei-as, no sentido do comprimento e retirei as sementes. 
Cobri-as com água e as cozinhei, com uma pitada de sal e açúcar, a gosto.
Enquanto isso, deixei de molho em água quente uma xícara de sagu.
Cozida a banana, retirei-as para bater no liquidificador com leite, reservando a água de cozimento. 
Depois de processar a banana cozida, retorná-la ao fogo, junto com o sagu, até que este fique transparente. 
Acerte o doce e sirva morno. 
Jantarzinho
Quanto à queijadinha, ficou pronta e corada em menos de 30′ de forno.
Jantarzinho
A textura supreendeu-me: fica sequinha por fora e levinha por dentro. Desmancha na boca.
Jantarzinho
Renderam 12 fôrminhas, mas da próxima vez dobrarei a receita e assarei em fôrma retangular normal.
Jantarzinho
É certo que, desse jeito, a medida certa fica mais longe…

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *