Um toque de cor

Já repararam como é comum fazer metáforas, usando cores para expressar sentidos e sentimentos?:
“Na hora H ele amarelou.”
“Ficou verde de raiva.”
“Tô azul de fome!”
“Vermelho de vergonha.”
“Hoje a coisa tá preta!”
“O branco da paz.”

Na animação Mary&Max, a pequena Mary usava um anel( brinde, vindo numa caixinha de cereais) que mudava de cor, conforme os sentimentos que tinha:
Se o anel realmente funcionasse, qual seria a cor que melhor representaria a tristeza?

Se usasse um desses nos últimos dias talvez ficasse cinza, marrom, ou até “cor de burro quando foge”…

Uma das cenas mais comoventes da animação é quando Max, que sofre de Síndrome de Asperger, confessa à sua correspondente, que gostaria de saber chorar, como todo mundo. 
Mary resolve enviar-lhe um presente único, prova de sua devota amizade: imagina uma cena bem triste, como um gatinho sendo atropelado e, sem muito esforço verte algumas lágrimas, cuidadosamente guardadas numa garrafinha e enviadas ao amigo, do outro lado do oceano.

Na vida real, nem sempre conseguimos segurar as lágrimas como Max, nem contê-las numa só garrafinha, como Mary.
Choramos quando sentimos dor(no corpo, ou na alma). E, por mais que seja difícil admitir, aceitar: A dor é um mal necessário. É um desconforto que nos obriga a reagir.

Os primeiros capítulos do livro de Gênesis narram a história da criação e queda do homem. 
Após a desobediência do primeiro casal, Deus então diz à Eva:
“…Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos;”

Desde lá é a mesma história:
Já estreamos neste mundo, chorando.

Parir e nascer são atos dolorosos. Ao menos, compensadores. 
Mudanças de atitude e comportamento às vezes são gestadas, não sem um certo esforço; paridas, em meio à dor e choro. Ao menos, que a cada dia venha ao mundo um novo “eu”, melhor que o anterior.
Eu tô aqui, tentando equilibrar-me…

Blusa de malha e crepe: Farm
Cardigã de linha
Calça: Calvin Klein
Sapato de verniz: UZA
Bolsa: Cantão


E hoje disse à manicure que, para compensar o baixo astral, queria uma cor gritante nas mãos.
Coincidentemente, a mesma cor estava nos pés: 
Verniz&verniz
Esmalte: “Toque de Fúria”, Risqué
Sapato verniz cereja: UZA

Às vezes é necessário usar uma centríguga emocional para separar a essência, o que realmente importa, a verdade que move, do bagaço de ressentimentos e mágoas que devem ser descartados.
Não há receita pronta; cada um tem seus truques para driblar a tristeza.

Assistir a um bom filme e ouvir música pode ajudar. Se juntarem as duas coisas, melhor ainda!
Até deixei de lado a história triste do “gatinho atropelado” e sorri um pouco, assistindo a um episódio de Glee. 

Sem fazer feio, o grupo interpreta Somebody to Love, do Queen:

Leia Mais

Café na serra

Ando sumida mas, logo entenderão!
Primeiro, uma palavrinha de agradecimento à turma da academia que veio à minha casa, hoje cedo:

Café no frio

Há menos de 1 ano, em setembro passado, organizei um café da manhã: o café primavera. Há pouco, alguns começaram a cobrar, dizendo: “E aí, quando vai fazer de novo?”
Se dependesse de tempo sobrando não assumiria esse tipo de compromisso. Mesmo assim resolvi marcar nova data, temendo que a assistência não fosse proporcional ao trabalho, afinal, não é qualquer um que se dispõe a sair da cama, com o frio que anda fazendo por aqui! 
Isso até que não seria sacrifício, para uma turma que costuma levantar cedo e ir à academia pelo menos 3x/ semana, ainda mais, sendo o motivo: comida! 
Após breve discurso de boas-vindas, um agradecimento coletivo ao Pai nosso, pelo “pão nosso”:
Café no frio
E a mesa pronta:
Café no frio
O cardápio foi bem diversificado, com vários tipos de pães e patês, frios, bolos, wafles, granola caseira, frutas, cereais, iogurte, bebidas quentes e frias. 
(A maioria das receitas já é conhecida aqui do blog. Há muitas opções, nos marcadores: “receitas” e “pães“. Ou então, é só procurar na caixa de pesquisa do blog, no canto superior D do banner.)
Contei com a ajuda da Rose, meu braço direito aqui em casa, e de minha irmã, que está me visitando. Alguns, chegaram mais cedo e puderam dar uma mãozinha.
Café no frio
Café no frio
Desentoquei louça e canecas que tinha em casa, misturei tudo, e a mesa ficou assim…meio eclética!

Café no frio

O charminho da sobremesa foi um brigadeiro de colher diferente, adaptação à receita original da Morena Leite( a chef, inclusive, há pouco lançou um belo livro de receitas usando o capim cidreira como ingrediente principal, ou, como tempero: “Capim Santo: Receitas para receber amigos”):

Café no frio

Para fazer, procede-se como numa receita de brigadeiro comum: mistura-se 1 lata de leite condensado, 1cs de manteiga, acrescenta-se um copo de leite, batido com folhas de capim cidreira e, coado. Leva-se ao fogo baixo, mexendo sempre, até o fundo da panela começar a aparecer. 
Servi em copinhos de cachaça; a colherzinha foi amarrada com capim.
Não sei porquê, esse povo não saía de perto da mesa…

Café no frio

As rosas também chamaram a atenção: 

Café no frio

Enfeitaram a mesa de bebidas:

Café no frio

Resolvi usar minigarrafas de vidro para servir o suco.

Café no frio
Café no frio

Até o Hulk, deitou e rolou!

Carinho

Ganhei caneca fofa de uma amiga:

Presente fofo

Ela sabe que eu gosto de gatos. Gostei, mais ainda!

Presente fofo

Uma boa dose de devoção é necessária para dar conta de tudo.
Pode-se até ficar de língua de fora…

Presente fofo

Mas no final das contas, sorrisos são inevitáveis…

Café no frio

Leia Mais

Outonal

Por aqui os termômetros vem despencando aos poucos e, aos poucos, tenho acrescentado peças de inverno ao vestuário de verão:  

Saia Longa

Camiseta: DTA
Saia longa de moleton: Farm
Bolsa: Cantão
Oxford: Luíza Barcelos

Oxford bronze

A paisagem dourada da camiseta refletiu-se no sapato.
Ando em fase de experimentação com inspiração a caixa de lápis de cor:
Unhas "holográficas"
Holográfico verde, da Dote, sobre Verde Militar, da Colorama

Falando em verde militar, adotei-o, da cabeça aos pés:
Militar

Vestido: Dress To
Echarpe: Bobstore
Bolsa: Colcci
Coturno: AREZZO

Fim de semana, optei pelo vestido colorido e scarpin rosa em compromisso mais formal:

Vestido "Dress To"
Vestido: Dress To
Cintinho de veludo 
Scarpin meia pata Dumond

Para um passeio com a família, na mesma tarde, desci do salto para ficar mais à vontade:
Vestido "Dress To"
Sapatilha bicolor de lacinho: Melissa

Que ninguém me confunda com o bronco Abner, de Morde&Assopra…
Mas resolvi fazer uma sobreposição, usando a camisa xadrex do filho mais novo:

Sobreposição

Camisa xadrex: Brooksfield
Camiseta: Farm
Calça:Colcci
Sandália: Schutz
Bolsa: Cantão

O verde mudou de tom:

Verde bandeira
Verde Esmeralda: Risqué

Para equilibrar o visual masculino, equilibrei-me num salto anabela:

Anabela Schutz
Sandália: Schutz

Leia Mais

Pescaria de domingo

Ainda não fiz a apresentação oficial, mas os 2 filhotes da Nina que ficaram conosco agora já tem nome e, de dupla famosa. 
Depois de um impasse com o filho mais novo, que teimava chamar os gatos por outros nomes( como se eles o atendessem!…) foi necessário negociação, até concordar chamá-los, de: Tonico e Tinoco!
Os dois são tão parecidos que um desconhecido poderia confundi-los, mas os de casa já aprenderam a diferenciá-los, na aparência e no temperamento:
O Tonico foi, dos quatro filhotes, o mais “vitaminado” de todos. Mas o que tem de grande, tem de medroso; independente disso é o meu preferido.
Como todo gatinho, não resiste a uma caixa!
Pronto para encomenda:

Pronta-entrega

Durante o dia eles somem pelo quintal. 
Para gatos, acredito não haver vida melhor que esta: comida à vontade, abrigo quentinho e, liberdade!
Tonico achou algo interessante, no pequeno lago em frente à casa:
Pescaria no lago
Uhm!…Seria a recriação do mito narcísico, em versão felina?
“Narciso”, de Caravaggio

Um narciso peludo e tigrado?…
Pescaria no lago
Mas apesar de julgá-lo “o maior gato”, Tinoco não é assim…tão afeito à contemplação e vaidades.
 Pescaria no lago
O interesse dele tem outros motivos…
DSC03945
Apesar de herdar da mãe o talento para a caça, pescaria ainda não é a sua praia. 
Tentou outro ponto, em cima da ponte:
Pescaria no lago
Será que sai lanchinho, daí?…
Pescaria no lago
Ops! Pelo menos a isca, um caroço de ração, espera garantir:
Pescaria no lago
“Essa história de pescaria é cansativa e estressante. Tô com a língua de fora!”

DSC03947

Melhor uma pausa, para recobrar o fôlego:

DSC03948

“Uhm!…Mas esse raiozinho de Sol é como sonífero!”

Depois de um dia cheio, fim de tarde com céu pesado de nuvens e, lááá no meio…

Arco-íris

Um arco-íris!

Arco-íris

Falando em gatos, o japonês Maru já é praticamente um catstar na internet, mas, pra quem ainda não o conhece, vale também apresentação:
Boa semana!
Leia Mais