"O pão nosso de cada dia…"

Hoje é um dia especial, comemorado em todo o mundo cristão: dia de tristeza e ao mesmo tempo, alegria. 

Jesus, a figura central dessa festa, gostava de falar por meio de parábolas. Muitas vezes as usava para descrever a si próprio:
“Eu sou a luz do mundo”, “o cordeiro”, “o caminho”, “a videira”, “a verdade”…
Mas nenhuma delas é tão significativa nesta data, quanto esta:
“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.”
(João 6:51)

Até na oração que Cristo ensinou não poderia faltar: “o pão nosso de cada dia…”
E na sua última noite com os discípulos, antes de ser preso, “julgado” e crucificado, foi em volta de uma mesa que eles repartiram o pão(pela tradição judaica, sem fermento).

Deixo então uma receita que não é nenhuma novidade.
Quem já comeu no Outback conhece o “pão australiano” que servem como entrada: é um pãozinho de massa bastante escura, textura macia e sabor levemente adocicado, como o mel.
(Imagem, dAqui)

Procurei no Google e encontrei várias receitas, com poucas diferenças entre si. Acabei adotando esta aqui: a do ChefRS.

A primeira vez que a fiz, achei que o sabor de mel ficou muito longe! Resolvi acrescentar mais 1/4 de xícara( totalizando 1/2 x de mel)
Também usei 1/2 x de cerveja preta( do total de 1 e 1/2 x de líquidos que pede a receita original), mas pode-se acrescentar café solúvel, só para dar uma incrementada na cor do pão. Há quem use corante alimentício, a meu ver desnecessário.

Esta semana rendi-me à certas “modernidades” e adquiri uma máquina de fazer pão. Mas não arrisquei tanto: fiz apenas metade do processo na máquina, assando-o em forno comum.

Fora essas pequenas adaptações, a receita está toda explicadinha no link indicado.

Preparei um PAP da preparação manual do pão(conforme costumo fazer).
Começa-se juntando os ingredientes secos e, no centro, faz-se um covinha para acrescentar o líquido:

"Pão australiano"  etapa 1

Aos poucos, com movimentos circulares do centro para a periferia, secos e molhados são misturados:
"Pão australiano" estapa 2
Como a massa fica bem mole, faço movimentos de vai e vem, como se a estivesse rasgando:

"Pão australiano"  etapa 3
"Pão australiano" etapa 4

Depois de sovada, polvilho trigo nas bordas, o suficiente apenas para dar uma secada na massa. Uma espátula pode ajudar:

"Pão australiano" etapa 5

Se achar que a massa está grudando muito pode-se acrescentar um pouco mais de trigo( mas lembre-se: trigo em excesso poderá deixar seu pão mais seco ou pesado), até ficar esta bola macia:

"Pão australiano"  etapa 6

Colocar a crescer numa vasilha, envolvida em filme plástico( costumo deixar descansando no forno morninho, por aproximadamente 50′):

"Pão australiano"  etapa 7

Depois de levedada…

"Pão australiano" etapa 8

Abaixe a massa com a mão, sove-a mais um pouco, modele dois pães e acomode-os em fôrma previamente untada:

"Pão australiano" etapa 9

Novamente eles deverão crescer, por aproximadamente 30′.
Assá-los em forno médio(pré-aquecido) por 30′, ou até ficarem corados na superfície:

"Pão australiano"

Desenforme-os ainda quentes, mas espere pelo menos uns 15′, antes de parti-los:

"Pão australiano"

“Se quiser servir este pão com uma manteiga parecida com a servida no Outback, é simples: deixe a manteiga atingir a temperatura ambiente e bata-a na batedeira, em velocidade alta. Aos poucos, acrescente água gelada até a manteiga ficar areada. (Use no máximo 1/4 de xícara de água gelada para cada xícara de manteiga batida.)” Dica, dAqui!

"Pão australiano"

You may also like

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *