Pendente de naperons

Minha avó materna crochetava muito bem. Assim como minhas tias. Mas elas não costuravam.
Minha mãe, que costurava muito bem mas não crochetava nada, não me ensinou a costurar, muito menos a crochetar! ( Mãe, eu perdoo essa pequena falha!)

Antigamente, casa de mulher prendada tinha centrinho de mesa, toalha, capa para filtro, botija de gás e até para liquidificador, tudo de crochê, lembram?
(Imagem, dAqui)

De lá para cá o crochê caiu no limbo dos trabalhos manuais, assim como o ponto cruz. 
Mas voltou repaginado e com força total na decoração.
Exemplo disso são as diferentes formas de reutilizar naperons, termo que aprendi no de(couer)ação, com a Vivianne Pontes.
Fiquei absolutamente apaixonada por este pendente, um lindo patch de naperons:
As sombras produzidas dão um certo ar dramático ao ambiente:
doilylamp3.jpg
Vendido, aqui: reMade USA
Querem tentar reproduzi-lo? 
Não tem PAP, mas eu daria um chute:
Os naperons poderiam ser montados e costurados, um a um, sobre uma bola. 
Concluída a costura, seria a hora de impermeabilizar ou engomar, a fim de que o pendente de crochê mantivesse a forma, depois de estourada a bola que o sustenta. 
Se alguém conseguir fazer algo parecido, ensine para nós, ok?

Mais fotos:
The Styles Files: blog e Flickr.



Atualizando:
O Casa de Valentina é um dos sites que costumo acompanhar, mas confesso não ter visto o mesmo tema, lá. 
A Lucila mostra uma sequência de imagens com o PAP do pendente de naperons, aquiAo menos, não chutei longe.
A Sheila deu a dica e a Beth deixou uma frase Shane Waltener sobre naperons:

“Naperons são como filtros de sonhos, cada nó segurando um pensamento, uma memória. A soma disso faz parte da história de um lugar.”  
Obrigada pela contribuição nos comentários.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *