Na panelinha…

 

Sabe aqueles dias em que nos sentimos desanimados, tristes, até deprimidos e, antes que façamos aquele apelo desesperado: “e agora, quem poderá nos ajudar?”, lembramos do efeito terapêutico do fogo nas panelas e tentamos uma saída menos dramática?
Não é simples escapismo. É catarse culinária.( Embora, dê vontade de incinerar os problemas ou, certas pessoas que nos criam problemas…). Ao menos é uma tentativa de purificar os pensamentos no calor do fogo e, no bafo das panelas abafar a inquietação.
Então reunimos ânimo extra, esperando a compensação de nosso esforço: “se posso fazer uma receita dar certo, posso resolver outros problemas, também!”


Agora, se depois de seguir exatamente tudo o que a receita diz, passo-a-passo, tin-tin por tin-tin o bolo sola, a massa fica crua, o molho não dá ponto…Chegou enfim, o momento de certo de apelar: “e agora, quem poderá me ajudar?!…”

 

Aí, nem Chapolin Colorado melhora meu mau-humor! 
Sinto-me frustrada e ludibriada como uma criança que lhe roubaram o sorvete, como se tivessem me escondido algum truque na manga, ou segredinho no cofre!
Mas a Rita Lobo não esconde o jogo. 
Aqui, cercada pelos filhos Dora e Gabriel, no lançamento de seu último livro:

Descrita como a modelo que “trocou as passarelas pelas caçarolas”, Rita já foi tema de um post há quase 2 anos, justamente por conta de outro livro seu: “A conversa chegou à cozinha”.( Relendo alguns posts antigos percebo que não mudei muito: ao menos em me repetir, nas reclamações de cansaço…)

Há 10 anos à frente do Panelinha( e, como a autora explica: “idade de internet é igual a idade de cachorro. Dez anos é muita coisa!”), Rita e a Editora Senac/SP lançaram as melhores receitas do site, testadas, corrigidas e aprovadas; enfim, um livro de receitas que funcionam! Chapolin Colorado terá um descanso.

Sempre gostei de colecionar receitas. Minha mãe tinha um caderninho, de páginas amareladas e fotos de revista ilustrando seus segredinhos culinários. 
Mas a internet mudou a rotina da dona de casa moderna:
Com muita frequência abro meu notebook na mesa da cozinha e de lá, tiro ideias para alguma refeição.
Mesmo assim, não há nada que substitua o prazer de folhear um livro de culinária, admirar suas fotos, planejar executar uma das receitas( quem sabe um dia?…)
Meus melhores livros ficam na cozinha: são como guardiões da boa mesa. Se invento algo que não dá certo a culpa não é deles, mas da minhas preguiça e/ou correria ao cozinhar.

E a Rita tem um “plus”, além da beleza:  com a mesma desenvoltura com que assume as panelas, assume a escrita de crônicas, tão deliciosas quanto suas receitas! É como se fosse uma grande amiga, que lhe prepara uma boa refeição enquanto conversam na cozinha.

Também há dicas de como fazer compras, preparar uma refeição balanceada, escolher os melhores ingredientes e acessórios para a cozinha, enfim, um ótimo presente, não só para quem é veterano, como para quem deseja fazer suas primeiras experiências culinárias. Uma inspiração para investir na boa comida caseira, em vez de congelados e industrializados. Um livro, para saborear página por página…
Fominha de boas receitas
De lá tirei a receita da tradicional cheesecake, feita no fim de semana.
Esta é uma foto do livro:

Cheesecake

Para ser ecologicamente correta vou poupar energia, a minha, e mandá-los diretamente ao site onde consta a Boston cheesecakeCom pequenas variações, lá está a mesma receita do livro, à exceção:
-No livro foi recomendado usar 100g de manteiga e pré assar a crosta, antes de cobri-la com a massa de cream cheese, ovos e creme de leite.
-No site, a torta é coberta por uma calda de chocolate meio amargo. Usei geleia de morango.
-Outro detalhe é minha preferência por cream cheese Philadelphia: se não quiserem sobremesa com gosto de prato salgado, vale pagar um pouco mais caro pela marca citada.

Outra dica muito simples do livro, mas que faz muita diferença: desidratar os tomates com sal, ajuda a diminuir a acidez e acentuar o sabor deles
Antes é preciso pelá-los, cortando um “x” na ponta de cada um e mergulhando-os por alguns segundos na água fervente( cuidado para não deixá-los por muito tempo, se não quiser tomates cozidos!). Em seguida deve-se fazer um choque térmico, escorrendo-os e lavando-os em água gelada. Depois é só descascá-los, como se fossem banana. Agora podem ser fatiados, salgados e deixados na geladeira a escorrer numa peneira, com uma vasilha em baixo. ( Pode-se usar sal, generosamente: o excesso será drenado, junto com os líquidos do tomate.)

Uma receita tradicional de salada caprese fica especial com tomatinhos cerejas, previamente desidratados( não precisa pelá-los), ovinhos de codorna e mozzarella de búfala. Segundo o livro, uma forma simpática e apetitosa de apresentar salada às crianças.
Eu conferi na prática e, discordo: a saladinha é ótima entrada, que agrada tanto crianças quanto adultos! 
Fiz, no jantar de ano novo. Arrumei em pequenas taças individuais e transparentes, ideais para não deixar escapar todos os pequenos ingredientes:
"Salada caprese"
Que facilidade! Tudo mastigadinho, também no site!:

Depois dessa introdução toda, seguida de bla, bla, bla algum esperto já deve ter chegado à seguinte conclusão: “pelo tanto que essa mulher gosta de ir pra cozinha, deve ter bastante problema!…”
Ok. Você venceu( mas, não descobriu a pólvora!): como todo mundo! A diferença é que essas e outras pequenas coisas é que nos ajudam a abstrair deles ou, ajudam-nos a manter-nos sóbrios para buscar soluções. Mas, não é só isso…
Para abstrair do calor:

"Calorenta"
Chapéu: AREZZO
Óculos: Folic
Bata: Dress to
Bermuda: Dopping
Sapato: Richard’s

Para abstrair com boa música:
 
Só não pode abstrair demais e ficar, como a Carolina do Chico: deixando o tempo passar na janela e não ver que tem promoção no blog!
Depois não vai dizer que eu não mostrei sorrindo, mas avisei: “vai acabar!”…


Atualizando:
Havia um erro no link para a “salada caprese” no Panelinha, já corrigido, depois que a Milena alertou-me. 

You may also like

17 Comentários

  1. Querida amiga,o Nadal morde os troféus,sua imagem me lembrou o rapaz,que amo ver jogar.Não sou a Shakira(mas…),
    Mudando de assunto:vou fazer a salada para domingo,reunião de aniversário do meu pai,acho que as crianças irão aprovar.
    Acho muito produtivo girar o mau-humor para algo prazeroso,mesmo que passageiro,pelos menos,alivia um pouco o peso da alma.

    E quanto a roupa do calorão,aqui,nem sem ela resolve,rs!

    Bjs

  2. eh, he! Tô tão por fora de tudo que nem sei quem é o Nadal, mas o livro pode ser considerado um troféu, sim! rs
    Quanto ao calor carioca, prefiro o calor teresense. Acho que aí, nem ficando sem roupa resolve!
    A saladinha é muuuito gostosa, além de refrescante! No site fala para se usar salsinha picada, mas eu prefiro manjerição fresco!
    Vou mandar beijo, de longe, porque abraço esquenta!:-)

  3. Porque somos da mesma panelinha, sabes bem que sou adepta e incentivadora da catarse da cozinha, e como funciona, né? Como lembra a Milena, cada um com seus troféus, e como "bates uma bolinha" bonito feito Nadal, na tua "quadra", a das panelas e da escrita, acabamos ganhando o prêmio junto, a cada post: esse passa-passa de trocas que vale ouro. Bola pra frente, querida! Beijo

  4. Sua bola tá merecendo ser toda cheia mesmo viu ..rsrs seus posts estão demaisss…
    O cheesecake estou com vontade de fazer faz algum tempo já..e essa receita me pareceu bem fácil..testarei loguinho..
    Qto a salada é muito atraente para as crias mesmo…sem dúvida darei essa tacada..rsr
    Justo hoje que estoi com a alma invadida por Chico…(veja o q postei cedinho)vc posta ele tb..agora fikei assim feito Carolina deixando o tempo passar na janela…ahahahha
    Mas na promoção tô de figas feitas desde o primeiro dia…
    Beijo no coração..!!!**
    http://eueeless.blogspot.com/

  5. Luciana, eu achei interessante a proposta da Globo. Pena, passar tão tarde. Tive de ir pra cama, pois ia pegar plantão hoje e amanhã.
    O Chico tem me acompanhado, desde os tempos do início do blog.
    Tenho ouvido mais frequentemente, já que toda semana chega nas bancas um cd, da coleção dele, pela Abril. Ele sabe muito bem como falar da alma e à alma feminina.
    ( Faça a saladinha. Garanto que as crianças vão gostar!)
    Abraço!

  6. Oi Laély
    sabe que acho que vc tem razão! Eu hoje fiz um almoço tão gostoso! Caprichei mesmo, para as crianças e para meus pais e a culpa de tanto empenho foi do meu humor que não dos melhores… de certa forma resolveu, não os problemas mas me acalmou. Estou pronta pra outra agora…
    beijinho e obrigada pelas dicas.

  7. Oie Laély
    Com cansaço,sem cansaço …a vida é assim as vezes ou a maior parte dela dariamos tudo para desaparecer,desestressar um pouco,mas depois volta tudo de novo e assim continuam nossas vidas…
    Adorei a torta
    e essas dicas do tomate foram incriveis
    Beijo

  8. Oi Laély,estou sempre por aqui,estou aprendendo muito com vc,gosto de cozinhar mais não sou aquela que passa horas na cozinha,e aqui vejo que tudo fica mais simples,como aquelas panquecas e estou louca para fazer,ja copiei a receita.
    Assim como vc tbm gosto de folhear os livros de receitas e os cadernos.
    Amiga tenho procurado bastante o livro PANELINHA estou louca pra ter um,mais ainda não encontrei,não vejo a hora,pelo que vi na sua foto o livro foi lançado na livraria CULTURA aqui na minha cidade não tem,mais em campinas com certeza irei achar,obrigada por todas as dicas,beijinhos!

  9. Exercício aeróbico queima calorias.
    Exercício panelórico queima disforias, Josi! :-)

    Cláudia: vivendo e aprendendo. Aprendi que não se podia colocar sal no tomate antecipadamente, se não quiser sopa de tomate na salada. Na peneira, fica tudo diferente!

    Menina do Casa…( preciso saber como chamá-la! rs)
    Eu encontrei o livro na Saraiva, mas você pode encomendá-lo pelo site. Não será difícil.

  10. Oi Lá!
    Esta Rita hein… é a amiga que toda mulher precisa, a nora que toda sogra sonha e a mulher que todo homem quer! RSrsrsrs
    Mas todas nós somos um poquinho assim, né?
    Ah, eu que anotava receita desde os oito anos, já me rendi a internet pra procurar receitas!
    Mas eu tb faço um livro de receitas virtual, afinal, vai que um dia tô eu sem internet e com aquela dúvida!
    Tem dia que a gente tá precisando mesmo é sovar um pão, dar um belos de uns tapas neles e "descer a mão bem pesada" na massa pra não fazer uma bobagem!
    Beijos!

  11. Oi La!
    Me convenceu… vou comprar o livro!
    Ainda mais porque sou do seu time e adoro cozinhar. Nas horas de bom (ou mau) humor, uma incursão culinária sempre cai bem.
    bj

  12. Elegância começa no ser.
    Por que será, que todo comentário grosseiro começa, com: "sem ofender…"
    Deixa seu nome e e-mail da próxima vez, que eu vou analisar se preciso de "personal stylist".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *