"Pais paridos"

Não é incomum tentar descobrir, vez ou outra, o que nos torna mais ou menos parecidos com um de nossos pais.

Segundo as leis da Genética, 50% de nossas características físicas são herdadas, respectiva e igualitariamente, de cada um dos lados.

Mas, e o que somos, como pensamos, a maneira como vestimos a roupa, o lado para onde penteamos o cabelo, nossos dotes artísticos ou, a falta deles, os interesses, o temperamento?…Até que ponto seriam resultado de herança biológica e onde, exatamente, começaria a interferir, a convivência e a educação recebida?! Difícil delimitar essa fronteira pois tais influências imiscuem-se, como tintas aquareláveis n’água; o resultado: uma “pintura”, diferente da outra.

Às vezes me pergunto porque certas características do filho mais velho conseguem me irritar tanto. Talvez, porque acabo enxergando vários de meus defeitos, refletidos nas atitudes dele. Assim como me via, no meu pai. Infelizmente este se foi, antes que pudéssemos acertar certas pendências do passado, mas sei que herdei dele, muito do que sou hoje.
Por exemplo: durante muito tempo me questionei, porque não vim ao mundo com os traços mais delicados que via no rosto da minha mãe. Puxei ao pai. Em compensação(?), minha queda pelas artes foi “culpa” dele, que desenhava muito bem, fazia caricaturas perfeitas, cantava afinadamente e, inventava umas modas, de vez em quando…
Na verdade somos o que somos como resultado de um caldeirão de influências e experiências, que se renovam a cada dia. Ninguém nasce pronto. Nem mesmo os pais!

Só depois que fui mãe consegui entender algumas particularidades dos meus.
Na universidade da paternidade não há tempo certo para a graduação. Em certas matérias ficamos devendo créditos, repetimos, não avançamos…
Lembro de uma das assistentes aqui do blog, comentando algum tempo atrás:

“Filho é igual videogame: a etapa seguinte, sempre é mais difícil!”
Ao menos a experiência conta para um bom jogador.

Pesquisando imagens para este post acabei achando um pai perplexo. E, apesar de sermos de sexos diferentes, países e línguas diferentes, descubro algumas semelhanças: quanto à nossa proximidade na idade e, o fato dele também ter 3 meninos.
Meu inglês é limitado mas, nada que um tradutor Google tabajara não ajude a entender: num
texto irônico ele defende a tese, nada científica mas, puramente empírica( de pai): homens desajeitados seriam “curados”, com a chegada dos filhos; e quanto mais, melhor!
Uma comparação esdrúxula, por exemplo:

Um Coisinha de Jesus chegaria à categoria de um Fred Astaire, dependendo da quantidade de filhos que ousasse ter...

Perplexo, ficou o jornalista e escritor Renato Kaufmann, quando soube que seria papai pela primeira vez!

Enquanto a maioria dos homens prefere não falar de assuntos delicados, ele direcionou o “pânico” inicial para narrar suas neuras de futuro pai num diário virtual, o Diário Grávido: um blog cheio de humor mas, “sin perder la ternura jamás”!
Os tempos mudaram. “Papai sabe tudo” é coisa do passado..
.

Hoje em dia, os homens estão muito mais participativos e não são apenas meros expectadores da rotina doméstica…

Esse é o mote do Diário Grávido: a descrição da maior das aventuras do Renato, a de ser pai. Isso já tem mais de 2 anos. Mas começou, assim:

A revelação.

O primeiro ultrassom.

As primeiras lições:

d’aqui



O nascimento da pequena Lucia:

O interessante é que essa história, contada no blog, acabou rendendo um livro(assim como o Para Francisco, da Cris Guerra).


Noite de autógrafos:

Entrei em contato com o Renato, que foi muito atencioso comigo, depois que o vi numa das matérias da edição especial de dia dos pais da Revista AG, aqui do Espírito Santo. Infelizmente faltou mais tempo pra fazer uma entrevista com ele mas, é possível conhecer um pouco mais dessa mistura de pai, X-me Wolverine, escritor, jornalista: aqui.

E aqui, aproveitando o mote da mudança dos tempos sei que existem muitos leitores do sexo masculino que acompanham o blog nos bastidores mas, raramente participam. Para estes, pensei em sortear o livro do Renato.

Mas as mulheres, filhas, amigas e namoradas que quiserem se inscrever e depois, se desejarem, presentear seus pares( ou, não!) também podem preencher o quadrinho abaixo e participar.

Então: O SORTEIO FOI ABERTO A TODOS QUE QUISEREM PARTICIPAR!

É claro também que, além do sorteio, ficaria muito honrada se os homens, espontaneamente, estendessem sua participação aos comentários deste blog.

Dada a largada para mais essa promoção, paralela a da Matryoshkas( Não a esqueçam)!

Não há complicação nas regras: precisa apenas deixar nome, sobrenome, endereço de e-mail e residir no Brasil.

Participações serão aceitas até às 8:00h da manhã do dia 18, portanto, daqui a 2 quartas.

Porque os pais, ou futuros pais, merecem um carinho...

You may also like

6 Comentários

  1. La,

    É bom podermos repartir as parecenças físicas ou de personalidade, a uma proporção de 50% para o pai e 50% para a mãe… assim, ninguém se chateia, né?!!

    Eu em termos físicos, também sou mais parecida com o pai mas, em termos de personalidade são mais a mãe e, muitas das vezes me chateio com ela, por coisas que eu acho que fazia da mesma forma… por exemplo, eu sou quase obececada pela arrumação e a minha mãe é igual.. e o engraçado é eu às vezes estar a dar-lhe conselhos nesse sentido, quando eu sou igual ou pior! Eu própria faço tentativas mentais para deixar de ser tão preocupada mas, não adianta…

    Ainda bem que a era do pai sentado a ver tv e a ler o jornal, enquanto a mãe anda numa roda viva a arrumar a casa, cuidar dos filhos, fazer o jantar, tem os dias contados!! Cá em casa, o marido não ajuda muito às tarefas domésticas, é verdade mas, ajuda a tomar contas das crianças, vai às compras, entre outras coisas…

    Mais um post 5 estrelas!!

    Beijo

    Cláudia

  2. Olá
    Cheguei aqui através do blog copy&paste…que sigo!
    Adorei suas palavras e, realmente, somos muito parecidos com nossos pais…vou visitar seu blog com maior frequência, gosto de ler e pensar sobre esses assuntos, e sempre aprendemos…
    visite meu blog qdo puder…
    http:/missflorinda.blogspot.com
    bjs
    Ju

  3. Eu tive a sorte de ter pai e mãe maravilhosos! E seu texto está certinho…sou 50% de cada, a cara do pai e a personalidade da mãe. Minha mãe já está no andar de cima e deixou muitas saudades, meu pai continua firme e forte em seus 81 anos de idade, meu braço direito (braço, perna, cabeça…) meu comapanheiro, parceiro mesmo!
    Bjs

  4. É pra já! Vou convocar o marido a ler, seguir e comentar!! apesar de "ter fecado a fábrica" rsrsrsrs nós somos eternos apaixonados por livros e pelo assunto também…
    Um beijinho Laély… e deixa eu te contar uma novidade… ganhamos dois gatinhos, o Dingo e a Cristal! Eles são fofos e muito carinhosos e as crianças estão curtindo os novos moradores de ssa casa!!
    beijinho e até mais
    Josi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *