Meu pequeno miau-mau

(Ilustração de Jacques Sempé, em: “A volta às aulas do Pequeno Nicolau”)

Quando trouxe a Nina pra casa
há 1 semana, não fazia ideia da encrenca que arrumaria com o possível “irmão mais velho emprestado”.
Pingo não foi nem um pouco receptivo: “ficou de mal”, fez greve de fome, exilou-se no telhado da churrasqueira por 2 dias seguidos recusando-se a entrar em casa, e passou uns dias dormindo, sabe-se lá onde!
Só no fim de semana aceitou dividir o espaço que antes lhe era exclusivo porém, deixando bem clara a sua revolta com a pequena “intrusa”.

O processo de adaptação ainda está em andamento.
Não sei se os dois algum dia serão “amigos de fé, irmãos camaradas”, mas vislumbro uma convivência de conveniência, entre os dois.
Pingo não quer “dar a pata a torcer“( preferiria torcer o pescoço da Nina…) mas já admite que, Nina é um “mal necessário” com o qual precisará conviver, caso não queira perder as regalias da casa( e olha, que são muitas!).


“A melhor forma de combater o inimigo é tê-lo perto de ti”: um dos conselhos de Jules Mazarin que Pingo parece ter incorporado à sua filosofia de vida( se é que, gatos filosofam…)

Às vezes, parece ter se transformado numa versão felina de Dr.Jekyll&Mr.Hyde:
Quando está perto de nós comporta-se como o mesmo gatinho fofo, ronronante e bonachão de sempre, mas, basta a Nina se aproximar para ele virar uma onça: eriçam-se os pêlos, arqueia o corpão, rosna e recusa companhia, fugindo. Um clássico caso de dupla personalidade felina! Nem “Freudcat” explica.

Mas a gatinha é “brasileira e não desiste nunca!” Aos poucos, sua insistência e impertinência começam a dobrar o feroz felino:

Já foram flagrados várias vezes pelo quintal, brincando de “gato e rato”( e, advinha quem é o rato?!…).

O conflito fez-me lembrar do filme que vi há pouco. Tanto gostei que, voltei com os meninos para assisti-lo novamente:
O Pequeno Nicolau é uma comédia francesa, baseada nos livros de René Goscinny(com ilustrações de Jacques Sempé, que lembram o traço de Henfil!).

Goscinny foi um dos criadores de Astérix & Obélix.

Tratei de adquirir 2 exemplares para a biblioteca do meu pequeno, mas este aqui, escondi-o, para que pudesse ler antes dele:O Pequeno Nicolau está para a literatura infantil francesa, como o Menino Maluquinho, para a brasileira.

O filme fez bastante sucesso na França mas aqui no Brasil, apesar da crítica favorável, não está nos circuitos comerciais para exibição.

Assim que li a dica no blog da Fernanda Reali fiquei curiosa e me programei assisti-lo.

Talvez nem todos saibam, mas a Universidade Federal do ES(UFES) tem um cinema onde só passam bons filmes porém, sem tanta repercussão na mídia. A entrada custa metade do valor dos grandes cinemas da capital e, uma outra vantagem pra mim: fica em frente ao apartamento do filho mais velho.

E lá fui eu, mais uns 4 gatos pingados(praticamente, um cinema em casa!), deliciar-me com as peripécias do Nicolau!

A diversão começa logo na abertura, com os créditos: desenhos de Sempé ganham movimento, como ilustrações pop-ups de livros infantis.
O filme tem clima vintage, reforçado por figurino, cenário e costumes próprios da França do início da década de 60. Portanto: papai é um chefe de família, respeitado( mas nem tanto!) e trabalhador, mamãe, uma tradicional e prendada dona de casa e Nicolau…bem, Nicolau é uma criança adoravelmente peralta, de uma sinceridade constrangedora!

 

A história brinca com as fantasias de cada personagem:
-Papai trabalha pra agradar ao patrão e sustentar a família, mas queria ser campeão de um esporte qualquer, não importa! O que lhe importa é que, “se não tivesse se casado”, seria um campeão!
-Mamãe é uma mulher realizada como dona de casa mas, acha que seria “mais feliz”, se fosse uma mulher-chique-intelectual-independente o suficiente para dirigir o próprio carro!
-Nicolau é filho único, mimado por papai e mamãe e, este sim, não gostaria de mudar em nada a sua boa vida, muito menos, arriscar perder vantagens com a possível chegada de um irmãozinho! ( “Qualquer semelhança com gatos reais é obra de mera coincidência!”)

E, como “sonho que se sonha só é só um sonho que sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”, Nicolau tem suas fantasias de perseguição amplificadas pela ajudinha, nada sutil, dos colegas de escola.É a escola, aliás, palco principal das travessuras dos meninos.
As crianças são de uma inocência tão grande, que até pensamentos cruéis, como planejar contratar um gângster para sequestrar um bebê, soa como uma deliciosa comédia de erros!

No final das contas Nicolau descobre que, o que ele mais deseja naquele momento, pode não ser o seu melhor futuro…

 

 

O Pequeno Nicolau é opção imperdível para adultos e crianças, mas, se lhes sobrar tempo e ânimo, outra boa dica de filme para crianças que também agradará adultos é a animação “Meu Malvado Favorito”:
Gru tem ideias quixotescas para se tornar o “maior vilão que o mundo já viu”!
Para auxiliá-lo nessa tarefa, um exército de monstrinhos e um cientista maluco, como o
gênio inventor “Q”, da série 007.

Tavez algum psicólogo divirta-se mais com a análise da personalidade de cada personagem que propriamente com o enredo do filme mas, no fundo no fundo, Gru é um “malvado de araque” que tem conflitos edipianos mal resolvidos, da sua infãncia. Na verdade, parece esforçar-se por provar à mãe que é bom em alguma coisa, nem que seja: ser o melhor entre os piores!

Seus planos de ser respeitado como o grande vilão da história moderna são ameaçados, quando 3 garotinhas órfãs( aí, já é covardia!) atravessam o seu caminho.
O fim é previsível mas, a cena em que Gru conta histórias para as crianças é simplesmente adorável, provando que: “o amor sempre vence!”

Teria Pingo algum conflito mal resolvido do seu passado de “morador de rua”, que explicasse reação tão egoísta ou, no fundo, fundo seria apenas um gato, agindo como gato?!

Não percam os próximos capítulos, de:

“Pingo, the Revenge!” ( Assim, em inglês, soa mais comercial, não?!)

Por enquanto Pingo defende a ideia, de que:
“O preço da liberdade é a eterna vigilância!”

'
Mas, que o bem sempre vença!

(Não sei o que deu no meu editor de textos, hoje: não consegui tirar o negrito de alguns parágrafos)

You may also like

26 Comentários

  1. Nossa Laély!

    Eu me assustei com o inicio do Post… achei que Algo ruim tivesse acontecido..

    Hum… Então Sr. pingo ja está Brincando de caçar… bom sinal, bom sinal… logo logo você terá uma Mini pingo em casa =D #fato

    Quanto ao livro e filmes que você indicou.. vou ler sim, fiquei muito interessada ^^

    Beijos Querida!

    Su.

  2. É, Suzan…susto levei eu, pois achei que Pingo fugiria de casa!
    Mas acho que ele não só vai tolerá-la, como vai gostar da companhia dela.
    Abraço!

  3. Tenho certeza que essa relação será uma grande história de amor,sempre começa com o ódio,depois se transforma,rsrsrs
    Adoro você.
    Beijos

  4. Oi Láely!
    Adorei mais essa dica de cultura, ontem fui na "única" loja que vende cds aqui na minha cidade e claro, não tinha o cd do Pato Fu, encomendei claro, adoro esse tipo de música, tenho o cd da Ivete com o Saulo e as crianças sempre pedem para ouvir no carro.
    O malvado favorito estamos esperando entrar em cartaz aqui, as crianças estão ansiosas para ver. Quanto ao gato, não se preocupe, ele jamais irá embora, como diz minha mãe, gatos gostam da casa e cachorros gostam do dono, mas fique alerta, não espere muito para castrar sua gata, a minha está no cio, uma miação dos infernos, gatos da cidade inteira estão por aqui, estou ficando quase maluca, mia grosso o dia todo, até parece que pirou!
    Ufa! Falei demais!
    Bjs!

  5. Nossa, Silvia! Eu, que não tenho meninas em casa, não quero passar por esse stress! O veterinário já avisou que podemos castrá-la em 2 ou 3 meses.
    Quanto às dicas, pode confiar: são imperdíveis!
    Estou no plantão, agora mais calmo, dando uma lidinha no livro do Pequeno Nicolau. É hilário! As crianças, como eu, vão amar! (rs)
    Abraço!

  6. La, gosto muito do cinema da UFES… "Metrópole", se não me engano.

    Estou louca pra ver esse filme do malvado favorito rsrsrs
    Beijos e sorte com os felinos,
    Helena

  7. Oi Laély. Adorei o post. Essa saga dos gatinhos está ficando ótima. Kkkk. A dica dos filmes também. Fiquei com muita vontade de ver "O pequeno Nicolau" e até já pesquisei mas esse tipo de filme não costuma chegar por aqui. Uma pena… bjk. mamélia

  8. Laély,
    Adorei as notícias. Flagrado brincando com a Nina, é? Não sei porque, mas me veio à cabeça, de imediato, aquela música do Erasmo: "eu sei que ir ao cinema é uma coisa normal, mas é que eu tenho que manter a minha fama de mau"… rsrsrs
    Minha gata, que hoje dorme coladinha no gato, demorou um mês para tolerar a presença dele, isso porque era um tiquinho de um mês de idade que parecia um ratinho.
    Negocie com o veterinário a castração da Nina o quanto antes, os benefícios são maiores quanto mais cedo a fêmea for castrada. Gata no cio é uma coisa insuportável, não posso nem lembrar de quando a gata da minha vizinha entrou no cio. Se fosse hoje, que estou mais descolada, montava uma armadilha, castrava a bichana e soltava na porta dela depois de uns dias, na calada da noite…
    Obrigada pelas notícias e pelas dicas culturais. Não tenho filhos, mas tenho uma criança interior que vai adorar as sugestões.
    Beijo,
    Marta

  9. Oi Laély!
    Adorei a dica do cine da Ufes! Sabe que também estou sempre por ali no apartamento dos filhos em JP (como o seu, quase dentro da Universidade, rs!) e nunca me lembro desse bom entretenimento com filmes sempre interessantes que passam lá!
    E o Pingo deverá se render aos encantos da Nina mais cedo do que você imagina, hehe!
    Bjs

  10. Laély, eu amei o filme "o pequeno Nicolas", que vi no avião, em meio à minha tensão de voar! Achei uma graça e gostaria de revê-lo algum dia! Acho que daqui a pouco tempo, o Pingo vai aceitar a irmãzinha. Meus pais tem 3 gatos agora e eles convivem bem, mas nem sempre foi assim. Um dia acostumam com a presença do outro e a vida segue em frente! Beijão!!!!

  11. Essa crise existencial vai passar, ele logo vai tolerar a presença dela. Ah! O malvado agora também é o meu preferido, fazia tempo q não achava um filme infantil da moda tão amoroso.

  12. La,seu editor de texto está igual ao Pingo "revoltado"!!!!
    Eles vão se aceitar,ops!o Pingo vai ceder…
    E será que o final será uma love story?????

    Bj

  13. Oi La!
    eu adorei o Gru, ooops, eu e as crianças que me pediram pra ir ver (Lo e afilhados)! Na versão dublada,
    a voz era meio Paulo Maluf e acabou ficando divertida!
    Já o filome francês fiquei de olho desde que vc me falou, mas aqui entrou em cartaz numa única sala cult, lá onde Judas perdeu as botas e em sessão única e noturna. Ou seja, vou tentar em dvd.
    E permanece aquela minha pergunta: e o Hulk? Na boa, né?
    Beeeijo,
    Ana

  14. Laély, pode demorar um pouquinho, mas logo Pingo vao se render aos encantos da nova gatinha, rsrsrs
    Gatos são uma surpresa constante, eles não são nada previsíveis!
    Sobre o filme, me deu vontade de assistir, sinto falta de ver bons filmes ultimamente e fico revendo meus "clássicos" favoritos.
    Ah! você já está sabendo da novidade? Vou ser mamãe de novo :)
    bjs e até mais.

  15. Oi Laély então Pingo está se rendendo, já já estarão "amigos de infância"! O charme feminino de Nina providenciará isso! Pingo não é mau,só está defendendo seu reinado, estava acostumado a reinar sozinho, com todas as pompas, é como ter o segundo filho depois de uns 5 anos, onde o primogênito reinou absoluto com todas as suas vontades sendo atendidas imediatamente e depois que chega o irmãozinho todo pequenininho, rechonchudinho roubando todas as regalias e atenções… há de se entender o mau humor rsrsrsrs
    Adorei o resumo do Pequeno Nicolau, é um filme que gostaria muito de assistir, adoro filmes "famílias"! Bjs

  16. Querida Laély entra lá no atelier zanutti e vê o link para uma cama de gato pra lá de original e politicamente correta, acho que Pingo e Nina vão adorar… Depois me conta o q achou! Bjs

  17. É o Cine Metróplis, Helena! Uma opção boa e barata de divertimento, na capital!

    Maria Amélia, com certeza deverá sair em DVD! Ou então, encomende algum dos livros.

    Marta, lembro da música do Erasmo. Bem apropriada. rs
    Ontem o meu filho ligou pra contar as últimas peripécias do Pingo: ficou de tocaia, pra pegar de assalto a Nina, mas ao pular ficou entalado, com metado do corpo avantajado debaixo do sofá! rsrs
    Vou combinar com o vet pra, assim que puder, castrar a gata.

    Bia, espero que o gatinho esteja melhor. Eu quase fiquei doente, quando o Pingo adoeceu!

    Oi, Raquel! Então, somos quase vizinhas, né? Poderíamos combinar um cimeminha, juntas.

    Milena: entre namoro e amizade, Pingo vai ter de escolher amizade. Foi castrado…rsrs

    Ana, eu não consegui entender aquele sotaque do Gru. Você o definiu melhor.
    O Hulk é tranquilo. Quem andou estranhando foi a Nina. Até rosnou pra ele e ele, assustou-se com ela!! rsrs

    Elza, que notícia boa!
    Espero que seu filhinho aceite a ideia do irmão mais facilmente que Pingo, ou Nicolau. rsrs

    Cecília, adulto, desde que não seja rabugento, também vai gostar das dicas!

    Abraços!

  18. Oi, Laély adorei as histórias do pingo e dos filmes.
    Os filmes assistirei com certeza, pois já coloquei meu filho Nícolas(16), também conhecido por Nicolau,à procura deles.
    Quanto ao Pingo tenho certeza que vais ter uma surpresa…espera a Nina crescer mais um pouco.Bjs e até a próxima.Sílvia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *