"Música de Brinquedo"

Mas isto é assunto sério, para a banda mineira Pato Fu! Não brincaram em serviço! Melhor: brincaram, sim, e se divertiram muito, é o que parece…


Não sou crítica musical mas, na qualidade de apreciadora e consumidora, de vez em quando comento e indico trabalhos que me chamam a atenção.

Alguns livros, filmes e músicas direcionados ao público infantil são tão bem feitos, que acabam por transcender os limites de idade.

Desde que meus meninos eram menores passei a garimpar bons títulos, apropriados à faixa etária de cada um.

O assunto já foi motivo para 2 posts seguidos, aqui e aqui, onde defendo a ideia de que, apesar da mesmice e baixa qualidade da maior parte do que se vê e ouve por aí, há muitos bons artistas fazendo bons trabalhos direcionados às crianças.

A última novidade foi o lançamento do 10° cd do grupo Pato Fu:
Escancarei minha admiração por Fernanda Takai, a vocalista do grupo, num post sobre o seu trabalho solo, com músicas anteriormente consagradas por Nara Leão: Luz Negra foi irretocável! Trabalho esse que concedeu à Fernanda, prêmio como melhor show de música em DVD.

Apesar de não ter sido ideia original, Música de Brinquedo rendeu bem mais que um cd “engraçadinho”.
O grupo extraiu “leite da pedra” e muitos bons sons, usando instrumentos musicais de brinquedo, ou em miniaturas:

Xilofone, escaleta, pianinho, cornetas, bichinhos que fazem barulhos e até um brinquedo Geniusverdadeira febre na década de 80-foram alguns desses instrumentos.

Essa experimentação remete ao excelente trabalho da dupla Sandra Peres e Paulo Tatit, que lançaram o selo Palavra Cantada em 1994, dedicado exclusivamente a produzir música de boa qualidade para a criançada.


Também lembrei da atuação de Adriana Calcanhoto, na primeira versão do Adriana Partimpim: o show é delicioso de ver e ouvir; tem um clima leve, mágico e lúdico. A cantora chegou a usar brinquedinhos, auxiliando-a em algumas das músicas.
Embalada pelo sucesso do primeiro projeto, o
Partimpim II ficou a dever ao primeiro, na minha opinião. Não sei se a falha foi na escolha das músicas e/ou dos arranjos mas, a continuação soou pedante e repetitiva.

Em Pequeno Cidadão, alguns artistas como Arnaldo Antunes e Edgard Scandurra juntaram os filhos e cantaram juntos, numa farra musical das melhores!

Portanto, falar de originalidade no trabalho do Pato Fu seria subestimar todos esses bons trabalhos anteriores. O que não tira o mérito do conjunto: o cd é muito bom, tanto para baixinhos quanto altinhos.
Não há músicas inéditas mas sim, uma mistura de ritmos e sucessos do pop-rock nacional como Titãs, Paralamas do Sucesso, Rita Lee, Tim Maia, Ritchie, Zé Ramalho, além de Elvis e Paul McCartney. Enfim, dá para agradar “gregos e troianos” porque, se alguém for capaz de ouvir e não gostar, “é ruim da cabeça ou doente do pé”!

Além da voz “sorvete-soft” da vocalista da banda e do acompanhamento no mínimo curioso, o backing vocals mais-que-fofo conta com a participação da filha de Fernanda e John Ulhoa, Nina, de apenas 6 anos, junto com outros coleguinhas da mesma idade:
Gatos Pingados

Eu já ouvi o cd montão de vezes e, difícil dizer o que mais gostei:
Pelo Interfone( Ritchie) saiu bem dançante, mas Rock and Roll Lullaby e My Girl seriam as eleitas na minha preferência.

Filho mais novo gostou de ouvir uma ovelha balindo, no início de Ovelha Negra, música de Rita Lee.

E o grupo já estreou o show no Rio.
Como as crianças não têm idade para viajar, a solução foi substituir o backing vocals por bonecos:


Estou torcendo para que a turnê dure bastante, o suficiente para me programar assistir ao show.

Aqui uma das músicas, que surpreende pelo inusitado: um heavy metal composto por Paul e Linda e interpretado pelas crianças. A preferida, pelo filho do meio:


No site da banda podem encontrar mais informações e videos com making of do mais novo trabalho.

Além do talento, sucesso, da vida e filha em comum, o casal Fernanda-John Ulhoa é muito fofo! Não abriram mão de viver em Belo Horizonte e manter hábitos simples, como frequentar o supermercado, restaurante preferido e acompanhar a filha nos trabalhos escolares. Vejam a matéria com os dois, na Rolling Stone de julho.

Bons sons os acompanhem!…

You may also like

11 Comentários

  1. Adorei o post e queria lhe agradecer por todos as boas lembranças e as boas emoções que o vídeo do Pato Fu me provocou. Obrigada!

    Ah! Lembrei que em um álbum acústico da Rita Lee ela usa alguns brinquedos também!

  2. Oi Laély,
    andei um pouco sumida… mas voltei!
    Adorei seu post. Chegou em excelente hora, pois estava procurando indicações de músicas para trabalhos/apresentações de fim de ano na escola. Ótima dica.
    Brigadão!!!!! Vou comprar o CD.

    Beijos

    Helena

  3. La,adoro o cd da Adriana Calcanhoto,ouvi muito com a minha filha quando pequena.E até chorei no show,é lindo!!!!
    Ainda não ouvi do Pato Fu,mas vou ouvir,hoje é tão fácil,não????
    Bjs

  4. Oi Laély!
    é muito bom ver trabalhos sérios, como este do Pato Fu, feito com carinho e cuidado, para um público tão tristemente inundado de porcarias como é o público infantil hoje em dia. Aqui em casa, não tocamos qualquer coisa pras crianças, mas eles estão sujeitos a escutar essa bandalheira que toca por aí a qualquer mmento, é uma pena mesmo que até nas escolas não se tnha este cuidado. Somos fãs do Pato Fu há um tempão e acompanhamos a carreira deles sempre com uma expectativa do próximo trabalho, pois é um melhor que outro. A Adriana Calcanhoto também, até levamos a Bea uma vez numa tarde de autógrafos aqi em Curitiba, e não há como não se encantar com aqueles olhos luminosos dela, a Bea ficou hipnotizada (e o Edno tambem), hehehe… Canções boas, bons livros, Adriana e Fernanda são incríveis com as palavras.
    Beijinho Laély
    e até mais
    ps.: o site do Pato Fu está ótimo, não é mesmo?

  5. Ei Laély,
    Adoro quando você faz post sobre ou com música,logo começo a cantar e venho ver várias vezes.Aliás, gosto de tudo daqui. Também gosto muito da Fernanda Takai.
    Beijo
    Ivanete

  6. La,

    Não conhecia "Pato Fu", mas já estive a ouvir e adorei… é de facto muito bom! Achei super original!

    Adoro Adriana Calcanhoto e também concordo com o facto do 1º CD ser muito melhor que o 2º.

    Beijoca

  7. Laély, há séculos não ouvia nada sobre o Pato Fu, que legal essa iniciativa.
    Eu defendo a musicalidade (boa!) na vida dos pequenos bem cedo. O Arthur já ouvia de dentro da barriga, rsrsrs
    adorei saber sobre essa notícia.
    Bjs.

  8. olá Laély,
    li sobre este CD no JT de domingo e fiquei muito curiosa, agora vi seu post e fui para o site deles com a filhota no colo, elétrica filhota paralisou diante do video! nota 10!!!!!!!!!!!!!!
    beijos!!!!

  9. Oi, La,

    Veja como são as coisas, eu nunca me imaginaria desejando hoje, para mim mesma, um disco feito para crianças. Mas desde que li no jornal, sobre esse disco do Pato Fu, fiquei doida para ganhar um, rsrs. Eu li a matéria sobre ele para o meu marido (que gosta muito mais da banda do que eu) e ele também ficou muito interessado. Agora vem você acabar de me alvoroçar, rsrs.
    Boa dica!

    Beijão

  10. Laély, adorei esse CD do Pato Fu, que ouvi há algumas semanas em uma festa infantil. Adorei as músicas!!!! Quanta diferença daquelas melodias chatinhas cantadas pela estridente Xuxa! A música do Ritchie ficou bem legal e eu era apaixonada por ele nos anos 80, que nostalgia!!!!

    Ótima dica! Beijão!

  11. Oi La, quando comecei a ouvir o cd (no carro), estava achando tudo bonitinho, fofo mesmo. Mas me surpreendi com Live and let die!
    Achei demais. Cheguei em casa e fui mostrar pro filho beatlemaníaco e ele já ia quase saindo com um "mãe, ce tá me zoando…", quando ouviu a participação infantil e… adorou!
    Eu, como ele, nunca me rendo muito a versões de nenhum dos Beatles (a única que gosto é a do Joe Cocker cantando with a little help from my friends), mas essa é genial!
    Então, estou com o seu filho do meio: a eleita é live and let die!
    bj,
    Ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *