Broinhas alemães

“Saiba,
Todo mundo teve mãe
Índios, africanos e alemães
Nero, Che Guevara, Pinochete
e também eu e você.”

Pensando como iniciar o tema de hoje, lembrei da música “Saiba”: uma doce melodia que lembra canção de ninar, na voz gutural de Arnaldo Antunes. Essa mistura improvável rendeu uma interpretação temperada, como queijo e goiabada, no cd homônimo do artista, lançado em 2004( quase “furou”, de tanto que o ouvi, à época!).

Voltando no tempo, ontem resolvi fazer uma receitinha mais antiga: estava escrita numa folha avulsa de caderno, manchada de gordura.
Procurava por uma opção para o dia das mães, na igreja. Entre oferecer presentinho, que ninguém usa, pensei em algo comestível, mais fácil de agradar.
Long, long time ago… Na época em que Ana Maria Braga usava luvinhas, trabalhava na Record e eu ainda assistia Tv, gostava especialmente dos programas com o chef Álvaro Rodrigues: muito claro em suas explicações, ele sempre caprichava nos detalhes. É desse tempo, a receita de hoje: quando açúcar e manteiga ainda eram projetinhos de “vilões”…

Apesar da aparência rústica, essa broa é tão delicada que chega a desmanchar na boca. O sabor é suavemente doce, com o toquinho das raspas de limão e o carinho de ser “entalcado” por açúcar de confeiteiro.

Lembrando a música do Arnaldo, fico imaginando se teria sido fácil ser mãe de Hitler, ou Sadam Hussein. Que responsabilidades lhes caberiam, pelos homens que ajudaram a formar.
De um jeito, ou de outro, mães são seres sob eterna pressão. Precisam se equilibrar entre a firmeza e flexibilidade, como essa deliciosa broa: sequinha por fora, macia e úmida por dentro, doce, sem ser enjoativa, como toda mãe deveria ser.

Broinhas alemãs
Ingredientes:
30g de fermento fresco para pão, ou 2 cs de fermento para pão, granulado, instantâneo;
1/2 xícara de leite morno;
2 cs de açúcar refinado;
250g de manteiga sem sal;
1 ovo inteiro;
1cc de baunilha;
Uma pitada de sal;
450g de trigo, mais ou menos-o suficente para soltar das mãos.

Modo de fazer:
(Se usar o fermento fresco, é necessário fazer a esponja antes, misturando o fermento, o açúcar e o leite.
Substituí por fermento granulado, que pode ser acrescentado diretamente à massa e não altera o resultado.)
Misturei o leite, açúcar, manteiga, fermento, ovo, sal e acrescentei o trigo, aos poucos.
Quando ficar mais pesado para misturar na vasilha, despejar numa superfície enfarinhada:
A massa estará grudenta e mole, mas não se espante, pois durante a sova ela adquirirá boa consistência.Abrir a massa com a palma da mão, espalhando-a sobre a bancada:Junte-a novamente, rasgando a massa com as pontas dos dedos, num movimento de vai-vem:
Polvilhar o trigo aos poucos, enquanto faz esses movimentos de “junta-espalha”. Perceberá que, como num truque de mágica, a massa irá se juntar uniformemente, debaixo das mãos: Sem muito esforço, toda aquela massa disforme ficará deste jeito:Uma bola bem macia:Após crescer por 20′:
Dar uma sovada na massa e separar pequenas porções para fazer as broas:Fazer uma depressão no centro e colocar uma colher de sobremesa de doce de leite:

Fechar muito bem, evitando vazamento do recheio: Um detalhe importante é o seguinte: Só encontrei doce de leite em pasta, no supermercado, mas recomendo usar o doce de leite mais consistente(aquele de cortar), pois algumas broas podem “explodir” com o recheio fervendo no interior, deixando vazar seu conteúdo.
Colocar em tabuleiro, sem untá-lo, e levar ao forno moderado, por aproximadamente 30′.

As broas não chegam a corar por cima. Se tiver dúvidas se estão assadas, ou não, levantar com uma espátula e conferir se estão coradas embaixo.

Assim que tirá-las do forno, polvilhar açúcar de confeiteiro com raspinhas de limão:Saboreá-las, ainda mornas, é um privilégio!

Renderam 21 broinhas.
Recomendo guardar em recipiente fechado e consumir logo, pois o açúcar de confeiteiro fica úmido, quando exposto, mas duvido que durem muito…

Embaladas com celofane e fechadas num bonito laço de fita, poderiam ser uma boa opção para presentear.

Carpe diem, e: esqueça as calorias!

You may also like

32 Comentários

  1. Sabe eu queria ser sua vizinha, mas aí pensei:
    Que tamanho ficaria?
    Sim, porque nem precisava de convite, quando eu sentisse ocheiro do pão assando, iria que nem ns desenhos da Disney flutuando.
    Está bem admito iria pulando igualzinho a Bila Bilú, o difícil seria passar na porta, porque imagina o tamanho que eu iria ficar,kkkkkkkkkkkk.
    oh mulher prendada.
    te adoro
    me mato nessa receita.
    beijos

  2. engordei só de olhar porque me imaginei comendo as 20, deixaria 1 pra alguém…rs
    Minha mãe fazia, e acho que foi realmente nesse programa antigo da Ana Maria que ela pegou a receita, e fazia com recheio de goiabada… ai céus! rs
    beijo, La sumida!

  3. he, he, he! Eliene, seria divertido lhe ter como vizinha, mas é o seguinte: depois, tinha de correr comigo e o cachorro, pra dar uma equilibrada, do contrário, o negócio pesa, mesmo!

    Janice, pode fazer esse carinho, de mãe pra mãe.

    Maria Fe, verdade! Tô sumida mesmo. Você também, pô!
    Tô esperando aquele convite pra lhe ver dançando, hein?
    Abraço!

  4. Que delícia! Imaginei o acompanhamento de um cafezinho!! rs… hummm… Que delicadeza será esse presente para as mamães da igreja! Elas vão adorar! Bjs

  5. Olá Laély,

    Deu água na boca essa receita…que delícia!

    Venho sempre fazer uma visitinha na sua sala, mas nunca tinha deixado um recadinho. Hj deu vontade.

    Beijos,
    Candice
    Quem casa, quer casa

  6. Olá Laély…
    Adorei seu blog, já virei fã!!!
    Boas fotos, boas receitas, boa escrita e boa conversa!
    Deu vontade mesmo de ignorar a dieta.
    Um abraço.

  7. Alo,Laely!
    Eu sabia…Nada como um bom paozinho pra aquecer o nosso coracao,hein?
    Minha sogra que e antiga nos assuntos de casa e do alto dos seus oitenta anos de praia,sempre diz que com pao a gente sempre agrada a quem se ama!
    Mas olha so…Da pra rechear com chocolate tambem ? E com goiabada? E que eu sou doidinha por um recheio tipo brigadeiro ou tipo Chico Bento…
    O problema e que se eu fizer umas delicias dessas,realmente duvido que o maridao e os meninos vao deixar algum pra dar de presente! (Rs…Rs…)
    Ja voltamos la de Sampa…Nao fizemos nenhum programa em especial por la…Resolvemos apenas descansar e curtir o momento…Foi muito bom…E comemos uma otima comida italiana! Agora essa tentacao de paozinho…Assim a gente fica todo redondinho…(Rs…Rs…)
    Meu abraco de paozinho doce pra voce,minha amiga!
    Teresa

  8. Imagina, eu, uma defensora da vida ativa e esportiva, incentivando alguém a ganhar peso! rsrs
    Elza, tem problema, não: depois, a gente corre, atrás do prejuízo, literalmente…rsrs
    Obrigada e abraço!

    Candice, que bom que se animou a participar!
    Um abraço e volte sempre!

  9. Teresa, eu nunca fiz com chocolate, mas acho que dá certo colocar um pedacinho de meio-amargo no interior. Deve ficar delicioso, mas é que não sou chocólatra. Sou pãocólatra! rsrs
    Abraço, entalcado de açúcar de confeiteiro!

  10. Ei, doce doceira, desse jeito vamos ficar fortinhas como a bailarina (rsrs)… Assumi esta semana que sou compulsiva (também) por biscoitos e afins feitos em casa. Passo longe dos industrializados, mas quando tem uma lata dos caseiros, como os cookies aqueles, é um ataque silencioso, a cada passadinha. Olha, estou "aguada" com esse recheio e imaginando a textura da massa amanteigada. Acho que botam no bolso até os tradicionais e deliciosos biscoitos de Santa Tereza, hum?… Abraço de dois braços (rsrs)

  11. Ôpa, Pepa! "Árvara Rodrigues" aqui, então!

    Rosana, apesar de ser uma formiga para doces, prefiro fazer o próprio, sempre com menos açúcar.

  12. Lá, adoro os teus PAPs culinários, fica tão explicadinho que até fico na tentação de tentar, e o visual do depois? Dá até prá ver a fumacinha saindo da broinha…mmmm, bom demais!! Bjinho!!

  13. AMO o jeito com que vc nos faz voltar no tempo…amo essas broinhas (não comi, mas certeza que vou amar!!!)rs!! beijinhos florinha!!!

  14. Essa receita é uma maravilha, hem Frô!
    Vou deixar no caderninho de delícias e fazer no findi que vem.
    E eu adoro essa música do AA. Aliás, a voz dele é um expetáculo!
    Um xêro pra ti!

    Paty

  15. Lá,

    Essa receita vou levar pra minha "casa nova". Parece até que já estou sentindo o cheirinho entrando pela sala e pelos quartos(ai, ai…) Ah! Sinta-se mais do que convidada a saboreá-las comigo, com um cafezinho feitinho na hora! Só não vale reparar se não ficar igualzinha às suas, hein?

    Bjs

    Lu
    http://decoresalteado10.blogspot.com/

  16. Oi Laély,

    Hummm, você sempre me deixa com água na boca com suas receitinhas!
    Passei para dizer que tem um selinho pro cê lá no meu bloguito.

    Beijocas,
    Carol

  17. Eu faço questão de só colocar receitas, testadas na cozinha experimental da Laély, Patrícia! rsrs

    Carmem, talvez seja melhor assim. Eles ficarão sob supervisão. Não desanime, não! Beijo!

  18. Oi,Laély,
    Devem ficar deliciosas essas broinhas!
    Eu também gosto de dar presentinhos comestíveis, acho que demonstram carinho!
    Linda postagem!
    Beijo!

  19. Nossa! pensei que nunca mais iria conseguir esta receita novamente, pois perdi a minha faz algum tempo. Já tinha pesquisado na internet e não obtive resultado positivo e hoje nesta segunda de carnaval, depois de ter feito um pão doce com frutas cristalizadas , também receita do tempo que a Ana Maria Braga usava luvinhas, resolvi tentar novamente e CONSEGUI!!!! Realmente é uma delicia, um sabor sem igual, minha filha ama essas broinhas, agora vou poder agradar a minha filhota. Falando no Alvaro Rodrigues, tu lembra da receita dos sonhos recheados com creme de confeiteiro e banana caramelada….hummm…..é uma delicia…esta receita eu tenho, não perdi. Grata e bjs

    1. As receitas do Álvaro eram sempre muito boas, mas não conheço essa, do sonho. Acho que, porque não gosto muito de fazer frituras.
      Que bom que pude ser útil.
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *