Preparando o ninho…

A previdente mamãe passarinho, e às vezes também o pai, (dependendo da espécie) costuma preparar um lugar especial para a chegada dos filhotes.
Minha amiga Kamila passa por essa fase: trabalha, estuda, cozinha, constrói, prepara e espera…a segunda da “ninhada” está à caminho.
Quando me pediu uma sugestão de lembrancinha para maternidade, dividi a responsabilidade com vocês, aqui.

Pois bem: ela decidiu. Nada do que foi sugerido, mas, agradecendo a nossa ajudinha, enviou-me as fotos da sua escolha, aproveitando a mesma ideia para enfeitar o bercinho do bebê e a porta da maternidade.
Quando me disse que gostaria de fazer um móbile, sugeri-lhe usar bastidor. Ficou assim:Também fez uma guirlanda de feltro e crochê: E as penosas coloridas, que servirão com lembranças: Não sei se alguém percebeu, mas eu sim. Quando vi a primeira foto, meu olho clínico bateu na cúpula de abajur florida, ao lado do berço, “captaram a minha mensagem”? Aceso ou apagado, valoriza qualquer cantinho.No quarto do menino mais velho, ela personalizou outro abajur, aplicando passarinhos:
Fiu, Fiu!

Leia Mais

Passeio vintage

Thompson Family Life

Ainda não tive tempo pra colocar tudo em ordem, desde que cheguei de viagem. Alguns objetos permanecem guardados, esperando um lugarzinho de honra na casa e dependendo de algumas mudanças.
Como satisfação aos BBBs( Big Brothers da Blogosfera) que ficaram de olho nas minhas andanças( e comprinhas..) por SP, mostro aqui, algumas das fofices que trouxe de lá.
É uma injeção de pequenas “futilidades indispensáveis”. Assim descrevo, pois, precisar não precisa, mas há detalhes que nos fazem sorrir e isso, sim, é indispensável: sentir prazer nas pequenas coisas. Porque, como diz naquela música do Chico:


“E a gente vai se amando que, também, sem um carinho
Ninguém segura esse rojão”…

É pra “segurar esse rojão” que a gente se faz um carinho, de vez em quando. Levando também em consideração a ideia do hedonismo solidário, que a Vivianne, tão apropriadamente defende e eu, como sua discípula, balanço a cabeça, afirmativa e animadamente.

Há algum tempo vi uma latinha pela internet que achei linda. Encontrei na loja Coisas da Doris e me permiti este presentinho:
Um kit de papelaria, de arzinho vintage.
A sacola de mesmo tema, também foi um achado. Esta, de Vila Madalena:
Então, rendi-me às bonequinhas( Coisas da Doris): Frente e verso, guardou minha bagagem de mão na viagem: Estas delicadezas nipônicas, encontrei numa lojinha temática, em Vila Madalena: Os guarda-copos em estilo retrô, foram comprados no Lá da Venda(Vila Madalena): Acho que vou emoldurá-los e fazer quadrinhos.

No Lá da Venda é possível encontrar algumas coisas que só costumava ver na minha infância, como este saleirinho de parede: Já mudei mais algumas coisinhas na minha cozinha, como os mini-pratos, em cima do fogão: E o balcão, agora ficou assim( por enquanto…): A cestinha de pães, também foi de lá: do Lá…
E a outra ponta da bancada:
Em cima dos armários…

Adesivei as portas com potes fofos, da Coisas da Doris:
A próxima investida do meu desassossego será a sala…
Quando for ajeitando, mostro mais.
(Quem quiser fazer um joguinho dos “7 erros” e comparar essas últimas mudanças às anteriores, pode conferir: Aqui)
Leia Mais

O clone do clone…

Não se trata de remake de novela da Glória Perez, mas do vestidinho que estreei neste sábado:
Aproveitando-me da visita de minha mãe por aqui, pedi-lhe que me fizesse algo especial com o tecido que compramos em SP. Mãe é mãe.
Já que a estampa era de bonecas, entrei no clima com sapatinhos afins, da Ferrucci:

A tira, no dorso do pé, é de pelinhos.

Não escondo a afinidade que tenho com a Cynthia, do Fala Mãe. Quando a vi, metida( literalmente) num vestidinho de matryoshkas, fiquei apaixonada( pelo vestido! Por ela, já sou há algum tempo…rsrs)!

Também, por coincidência, quem lhe fez esse vestido foi a sua avó. ( Esses mimos são coisas maternais, mesmo!)
Nada de novidade, pois a estampa já foi tema e paixão esgotada, de Un Vestido y un Amor.
Apenas, tiramos uma licença poética e, com a ajuda de nossas super-mães( no caso dela: mãe, 2x), ganhamos nossa versão: eu, no vermelho, ela no preto.
Outros flashs do sábado, em casa:
Garoto, que ainda aceita personal-mother-style:
Camiseta-Santa Paciência;
Bermuda e chinelos-Zara.

Visitas importantes no almoço
mereceram audição particular de piano:
À E, a bivó de 96 anos do pianista. À D dele, a outra avó.
Leia Mais

Cadeira 3 em 1

SOS( Solução Original e Simples) para mesinha de cabeceira de cama, vulgo criado mudo, que ainda oferece assento, ilumina e guarda objetos mais necessários:
E eu sou fã de SOSs desse tipo: uma cadeira, onde foi adaptada uma gaveta sob o assento, com uma luminária, no encosto.

Simples, não é? O mais complicado: será que precisa de marcenaria?
Pra que tirem essas e outras dúvidas, é só conferir o PAP no Design*Sponge( “amo muito tudo isso!”), aqui.
Leia Mais