Eu quero ser jeca!

Uma tristeza saudosista senti hoje, quando soube da morte de Pena Branca. Xavantinho, seu irmão e parceiro de voz macia, já nos deixou tão precocemente, em 1999!…
Fiquei pensando, se a verdadeira música sertaneja de raiz não estaria fadada à extinção, depois que Renato Teixeira e Almir Sater, geração mais nova, não tão nova assim, passar…Quem ficará, para representar esse estilo musical, legitimamente nacional?! Zezé e Luciano, Daniel, Leonardo, Xitão e Xororó?!…Ai, não quero nem pensar nisso, pra não dar vontade de chorar mais ainda…
Pra nos consolar, o homem passa, mas o trabalho fica:

Sem palavras…

You may also like

15 Comentários

  1. Laély, eu soube ontem que ele havia ido cantar em outro lugar. Realmente veio uma tristeza, um "ah, que pena…"
    Concordo contigo sobre quem ficará pra cantar nossas músicas de raiz, mas há muita gente boa por ai viu… fica tranquila… Recentemente (acho que nem um ano faz) uma moça fez um trabalho lindo chamado Violeiros do Brasil, que tem vários artistas participando, inclusive o Pena Branca, e é lindo!
    Veja aqui: http://www.projetomemoriabrasileira.com.br/series/violeiros-do-brasil/produtos/
    Tem uma pessoa divina, um violeiro também, que canta como ninguém, que sou fã ha tempos: Pereira da Viola. Ele também esta nesse trabalho da Myriam Taubkin. Vale a pena ver!
    Enfim, vamos torcer para que não deixem acabar toda essa "excelente maravilha" (como diz o Pereira) que essa nossa música brasileira, não é? rs…
    Bjs
    My

  2. Myrian, até estranhei a minha tristeza quando ouvi os dois, agora não mais entre nós; não é apenas a passagem deles, mas os símbolos de uma época e cultura, que parecem que vão desaparecendo junto.
    Lembro que não perdia um programa Som Brasil na minha infãncia, na época do Rolando Boldrin, como apresentador e "contador de causo".
    Obrigada pela dica. Vou procurar encomendar, porque é difícil encontrar esses trabalhos por aqui. Até confortou um pouco o meu coração.
    Um beijo!

  3. Sim, vc tem toda razão…se tem alguém para manter viva a tradição, está escondido(bem escondido), pois não tenho conhecimento de nenhum…aliás aqui em Campinas tenho ouvido falar de uma dupla, mas não conheço de perto o trabalho deles.
    Torço para que a musica caipira de verade não se perca…meu paizinho( qtb se foi), adorava moda de viola…por isto aprendi a gostar tanto, sem contar que Minas é o berço dela e meu.

    Linda homenagem a sua!
    Bjks!

  4. Ai Laély, nem fale… eu que gosto muito de música, trabalho ouvindo música, limpo a casa ouvindo música… e das boas (pra mim pelo menos) fiquei tristinha também… vi um show deles aqui em Curitiba há muito tempo e gostei muito, a mais pura beleza do interior e a simplicidade… adoro Almir Sater e também gosto de ouvir o Rolando Boldrim… mas seria a "treva" se só restarem essas duplas sertanejas que andam por aí de calça apertada, cruz credo…
    vida longa a viola e a música de raiz! Beijinho
    Josi

  5. Nossa Lá, semana passada ele estava na Cátia Fonseca, e sabe que ele morava aqui no meu bairro ?? Pois eu também gosto muito desse sertanejo, e graças á minha mãe, me emociono quando ouço essas canções de raiz. Apesar de ter nascido em São Paulo, na época do rock, e na adolescência gostar de um som nada convencional,essa música traz lembranças que eu mesma desconheço.
    Bjus

  6. Laély, realmente foi uma grande perda…
    hoje pela manhã, indo p/ escola, ouvi alguns senhores comentando sobre a morte dele na praça Costa Pereira, estavam discutindo exatamente sobre o destino da música de raiz.

    *Te enviei outro e-mail, ok?
    Bjs!

  7. Vendo a notícia e lendo o post uma musica não sai da minha cabeça: "Amanheceu, peguei a viola, botei na sacola e fui…" o resto não sei, eu era criança e minha mãe assistia, eu adorava. Bjs

  8. Oi, Lá!
    Concordo com você plenamente. Sem Pena Branca e Xavantinho, quem vai cantar moda de viola pra gente??? Também gosto do Sergio Reis, mas e quem mais??? Fico cá ouvindo o CD do Renato Teixeira e da dupla Ao Vivo em Tatuí e amo demais!
    OBS: Respondi sobre a Olívia pelo seu e-mail aqui do blog. Não recebi o seu último…
    Beijins!!!

  9. Oi Leélly, só pessoas sensiveis sabem a perda que é PENA BRANCA E XAVANTINHO…como disse no meu blog…sorte do céu que agora vai poder ter o privilegio de ter a cantoria deles por lá…

    Beijos…

  10. Alo,Laely!
    Tempos tristes esses…Tanta gente boa indo embora…Aqui em casa,foi a minha sogra que me deu esta noticia da partida do Pena Branca…E simplesmente tristeza,na nossa casa carioca onde bate tambem um coracao goiano…
    O meu marido sabe bem o que e o espirito sertanejo…Nascido no coracao do Brasil,no interior de Goias,ele cresceu ouvindo a musica sertaneja de raiz…Respirando o ar do cerrado e embalado pelas vozes do sertao brasileiro,ele conhece a alma do povo simples e belo daquelas veredas…
    O meu goiano daqui do Rio nao esquece da sua raiz e foi ele que me ensinou a prestar atancao nas vozes que vem la do sertao…Aprendi a gostar e hoje posso dizer que ja me sinto um pouquinho sertaneja tambem…Por isso lamentamos juntos a partida desta voz que nos era querida…
    Lembramos de uma apresentacao do Pena Branca e Xavantinho cantando Cio da Terra com Milton Nascimento…Inesquecivel!
    Um abraco no seu coracao,
    Teresa

  11. O "Cio da Terra", uma música de Chico, com participação de Milton, foi uma das interpretações mais conhecidas, na voz da dupla.
    Tenho o cd com o Renato Teixeira, em Tatuí: maravilhoso!
    Quanto ao Sérgio, embora não acompanhe todo o trabalho, gosto do jeito suave dele cantar; um contraponto aos novos sertanejos, que criaram uma "nova técnica": o cantar esganiçado.
    Como diz aquela música, acho que prefiro os mais antigos, porque "panela velha é que faz comida boa"…rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *