Aprendendo a contar em japonês…

Ah! Te peguei!
Eu não sei nada de Japonês! Talvez, devessem perguntar à Elisa, uma brasileira no Japão.
Mas para fazer este mais novo projetinho em papel, não precisarão “aprender japonês em braille”, como naquela
música do Djavan. Bastam uns quadrados de papel coloridos e, boa vontade.
Vejam, se o resultado não compensa:
Craft Projects/Bloesem KidsO PAP de cada número, poderão aprender aqui: Origami Club
Chamem as crianças para uma aulinha coletiva.
Ganbatte (頑張って)

Atualizando:
A Mariana, do blog Origamístico, está fazendo uma promoção, com o sorteio de 2 lindos pendentes de origami.
Aproveitem a chance. Ganbatte, novamente!

You may also like

20 Comentários

  1. Lá, além de tudo, és uma excelente tituleira (uma função importantíssima no jornalismo)! O "Quem quer dinheiro?" da promoção chama mais que açúcar para formigas(rs). E este aqui também é isca perfeita. Gostei muito do corpo maior das letras, acho que vou te imitar, pode?

  2. Larissa, já fui lá, dar um pitaco.

    Falk: opinião, de especialista.

    Rosana, querida! Não fiz Jornalismo, mas sei que uma chamada é importante. Se não fosse assim, como venderiam os jornais sensacionalistas, né? rsrs
    A ideia de fazer as letras maiores, partiu de uma leitora. Acatei e acho que deve facilitar. Precisamos trocar umas ideias…

  3. Laély, muito obrigada pela dica do pãozinho, vou fazer no sabado, separei umas três receitas, ou eu como pão integral feito por mim, ou mudo meu nome!!!

    To ralando pra aprender inglês, botei na cabeça que vou pra lá estudar a confeitaria local, Vê se pode!!!

    Julie Julia, eu ganhei no desafio do tigela, e a Sandreane está com problemas eu acho, logo ela me envia!!!
    Acho que até participei do seu sorteio, mas não tive sorte!!!

    Brigadão pela visita e me ajudar com a receita…

    Beijão

  4. Oi Laély!!!
    Aqui, pode mostrar a prancha sim! Também acho que ela precisa mesmo de um lugar melhor,né!?Vou pensar!!
    Mas é que esse apê que a gente mora não é nosso, pois o nosso só vai ficar pronto no ano que vem, então tem muita coisa que está meio sem lugar, por enquanto.
    Ah! E valeu sobre a opinião de pintar a parede do cantinho da leitura, acho que iria ficar melhor mesmo!
    Mas no momento estou com as idéias voltadas para montar o quarto do baby que vai chegar, depois eu mostro lá no blog.

    Bjos!!!
    Até mais!!!

  5. Carol, gostei muito do que escreveu sobre aprender, porque é pra isso que "perdemos" um tempão, fazendo essas "viagens". As mudanças começam, primeiramente na imaginação; separa a palavra: imagina a ação! Depois, é arregaçar as mangas!
    Um abraço!

    Sandra, essa receita de pão integral só tem um problema: eu faço pãozinhos pequenos e, acabo perdendo a conta de quantos como, de uma bocada só. Faz, que você vai (a)provar.

    Oi, Ozenilda!
    Sabe que uma arte dessas, só poderia ter sido invenção dos japoneses. Algumas, são verdadeiras esculturas de papel!
    Que o diga, o Falk e Mariana, né?

    Rejane, acho que um lugar bacana, seria num quarto de adolescente, ou numa varanda de casa de praia.
    Que fofa! Tá esperando baby?
    Aviso, quando for publicar, tá?
    Obrigada e abraço!

  6. Alo,Laely!
    Sempre me enrolei com essa estoria de origami…Mas quem nao se admira com esta arte delicada que vem la das bandas do oriente?
    Os meus filhos gostam muito de se aventurar por estes caminhos encantados das dobraduras…Digo isso porque nao sao todos os meros mortais ocidentais que se atrevem nos seus
    labirintos de movimento e paciencia…E olha que eu tive vizinhos que eram japoneses ,quando eu era crianca…Pois e, na epoca eu ate aprendi umas palavras em japones,mas as lindas dobraduras nao deu pra dominar nao…Mas vou continuar tentando e quem sabe um dia,consigo transformar uns pedacinhos de papel em lindos e delicados seres quase animados?
    A proposito,lembrei-me de voce,pois fui ver o filme do SHERLOCK HOLMES hoje no cinema e advinhe quem era o Dr.Watson? O querido Jude Law!
    Um otimo final de semana pra voces e o abraco carioquinha de sempre,
    Teresa

  7. Oi,Débora! Uma propposta bem lúdica. Eu, vou tentar fazer.

    Teresa: pelo visto, a sua vizinhança nipônica, apenas provou que esse tipo de conhcimneto não se passa por contiguidade…rsrs
    Quano ao Jude, já pensei em ir com os meninos assistir, mas a disputa está acirrada com Avatar.
    Bom fim de semana!
    Arigato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *