Na casa da mãe Joana

Swish and Swanky
Coincidência ou não, ressurjo, juntamente com os primeiros raios de sol, em uma semana de céu carregado e muita chuva na região. O céu azul deu as caras neste fim de tarde, apenas como presságio de bom tempo para os próximos dias.
Antes de continuar, peço que deem uma olhadinha neste vídeo, com uma cena de puro nonsense e nostalgia, extraída das sessões da tarde, a long, long time ago
No lançamento da promoção “Que cara tem sua casa”, reproduzi pequenos trechos do livro do filósofo Alain de Botton e um deles, caberia muito bem ao tema deste post, depois de terem se deliciado com o estabanado Jerry Lewis, logo acima:
“No seu auge, a paixão pela arquitetura pode nos transformar em estetas, figuras excêntricas que precisam vigiar as suas casas com a atenção de guardas de museus, patrulhando seus quartos em busca de manchas, com um pedaço de tecido úmido ou esponja na mão. Os estetas não terão outra escolha a não ser se privarem da companhia de crianças pequenas e, durante o jantar com os amigos, ignorarem a conversa para se concentrarem na possibilidade de alguém inclinar-se para trás e, inadvertidamente, deixar uma marca na parede.”

É sabido que a casa fala muito a respeito dos usos e costumes de seus habitantes, portanto, não seria de estranhar ver a de Donatella Versace, estampada nas páginas da Estilo do último mês, demonstrando o seu “estilo versace de ser”: O toque simplesinho, querendo dizer que”ainda sou muito gente”, é dado pelo cachorrinho em cima do pufe. Detalhe na cinturinha, vestidinho casual e o scarpin altíssimo!
Captaram a mensagem, não é donas de casa ripongas?…
Vamos admitir, que muitas vezes nos acostumamos a usar apenas chinelo de dedo e moletom dentro de casa!
Ah, como eu queria acordar como essas donas de casa das novelas da Globo: toda produzida, montada num saltinho básico, vestida a caráter para fazer umas panquecas com geleia e levar ao marido na cama!
Longe de nos espelharmos na ficção, pelo menos deveríamos aprender a nos cuidar mais, não é? Roupa rasgada, só porque está dentro de casa, já é apelar contra o bom senso!
Mas, já imaginaram o “estrago” que uma criança faria na mansão Versace?! Não restaria pedra sobre pedra!
Não temos Donatella, mas uma versão tupiniquim dela. Bairrismos à parte, sinceramente acho a nossa muito melhor e admito ter muita simpatia por ela, apesar de duvidar de seu bom gosto:
Isto É Gente
E a mansão da Hebe não poderia ser diferente! Não é uma “grachhhinha”?! A cara dela! ( Verdade! Isso não é uma ironia, mas um elogio!).
Apenas, lhe daria o conselho de não se apoiar nessas colunas soltas, porque se caírem, a tragédia é certa!…
Aquele ditado popular de que “gosto não se discute” acaba encerrando qualquer debate sério a respeito. Mas, a ostentação não me parece ser nada elegante.
Cada qual com as suas manias, mas a casa deveria nos servir e não, o contrário. Ela precisa se adaptar ao ritmo da família e levar em conta a individualidade de cada habitante.
Há os que amam bichos de estimação e não abrem mão de conviver com eles. E acreditem, uma convicência pacífica é possível, apesar da chance de móveis roídos e rasgados…
Wise Craft
Alguns, consideram o animal como um membro da família:
Desire to Inspire
Tenho uma amiga que não pôde ter filhos e resolveu adotar um boxer. Vivem harmoniosamente bem: ela, o marido e o cachorro.
Quem tem criança, sabe o trabalho que dá manter a casa em ordem, porém, isso não deveria ser uma fonte de stress, mas uma oportunidade de fazê-la participar nas tarefas domésticas. Mas, nada mais chato, do que não lhe dar liberdade para brincar dentro da própria casa!
ohdeedoh
Eu costumava visitar uma de minhas primas, quando criança. Ficava encantada com a quantidade de bonecas que ela possuía, mas frustrada de não poder brincar com elas. Permaneciam guardadinhas, dentro das caixas da loja, em cima de um guarda-roupa inexpugnável! Elas nunca se estragavam, mas também, não cumpriam a função de divertir uma criança.
Cookie Mag
Meu caçula acabou conquistando um lugar, no salão de TV e PC, onde a empregada é proibida de mexer. É o seu laboratório de naves e cenários de Lego, que invariavelmente ficam espalhados pelo chão, enquanto ele faz construções que nunca acabam! Quando fica bravo porque alguma das zilhões de peças se perde no meio do caos, ele se apercebe que precisa dar um jeito na bagunça. Acaba sendo um caos auto-limitado.
Dos Family
Depois que o gato nos adotou e nos rendemos às suas manias, perdi mais ainda a moral para exigir disciplina, quando permiti que ele dormisse na cama conosco.
Ah! Alguém pode até torcer o nariz para esse excesso de intimidade, mas se a Donatella e a Hebe podem ter as suas excentricidades, porque eu não?!…

Desire to Inspire

Afinal, a casa da gente não é museu!
(Algo a respeito, a Vivianne escreveu na última semana.)

You may also like

23 Comentários

  1. Olá Laély

    Muito bom seu post. Como sou virginiana sou bastante detalhista e perfeccionista com o trabalho e com a casa. Meu lema é "se não pode fazer bem feito, melhor não fazer!" Por isso prefiro simplicidade e praticidade na decoração para que tenha uma fácil manutenção, ao mesmo tempo que eu não arranque os cabelos quando as crianças mexerem.

    Parabéns pelo blog e assim que possível me faça uma visita.

    Abraços

  2. Nossa Laely! Descobri o teu blog por acaso, e desde então não desgrudei mais… que coisas lindas escreves… gostei tando que me animei a criar um, ainda mais depois que uma amiga me disse que ficar em casa sem um "trabalho oficial" emburrece rsrsrs pura verdade.Adoraria conseguir expressar todas as ideias que fervilham na minha mente com a sua clareza mas …. vou tentando. Sou farmacêutica mas hoje "estou" dona de casa, esposa e mãe, sem frustrações, sou plenamente feliz. Bom, quanto as casinhas aí de cima fala sério! Casa boa é aquela com brinquedos pelo chão, cheirinho de bolo vindo da cozinha e enfeites e fotos que querem dizer alguma coisa dos seus donos e não um amantoado de coisas comprados por decorador, dispostos milimetricamente pelos cômodos onde a gente tem medo de sentar ou por a mão para não estragar. Beijos fabi

  3. Olá menina , Laély…boa noite pra vc. Lendo seu post fiquei pensando em minha casa, minhas coisinhas…mas não sou mais encanada, já fui, muito…meu Deus se não desse pra fazer um serviço, ou se alguma coisa ficasse fora do lugar. Até o dia em que peguei a Manoela olhando uns enfeitinhos sobre uma mesa, com as mãozinhas nas costas…perguntei o que ela estava fazendo e ela respondeu "to olhando suas coisinhas,mas não "pecupa" não viu? num quebo nadica!". Aquilo cortou meu coração, e aí resolvi que a casa é para ser um lar e não uma loja. Ela abusou…quebrou a fruteira de cristal da minha mãe rsrsrsrsrs. Mas vó é vó – o que os filhos ñão fazem, os netos fazem em dobro.
    Flor…linda noite…beijos!!!!

  4. Oi, La! :-)

    Seu texto é uma delícia de se ler! E este em especial fez com que eu refletisse sobre as minhas diferentes fases de relação com a casa. Creio que hoje cheguei ao ponto mais equilibrado e ao mesmo tempo mais prazeroso desse tipo de experiência: sem stress exagerado (só o básico…rs), com espaços mais organizados e "clean".

    Herdei da minha mãe, que herdou do meu avô o gosto pelas coisas antigas, por guardar lembranças e quando percebemos a casa está entulhada! Consegui superar isso sem perder o gosto pelas pequenas antiguidades, só que agora de uma forma mais controlada e esteticamente agradável. O resultado está me agradando…

    beijo!

  5. Concordo muuuuuito…. É tão bom ter uma baguncinha pela casa feita pelos sobrinhos… Adoro qdo eles estão aqui e querem mexer em tudo! E aqui (na casa da tia, que tb é Dinda) eles podem mexer em tudo que não é perigoso!
    Só não concordei com uma coisa… as vezes aquela camiseta com um furinho é a mais gostosa de usar pra dar uma geral na casa!! hahahaha
    Um bjo!

  6. oi amiga linda
    me imaginei varrendo a casa, passando pano, estendendo roupa no altos dos meus escarpins que nem tenho,kkkkkkkkkkkkkkk
    ai ai aum dia ainda serei chiques, mas estou mais pra amélia do que donatella,kkkkk
    adorei o texto
    você cada vez melhor
    beijos
    beijos

  7. Lindo seu post de hoje também.
    Aqui no Japão tiramos o sapato para entrar em casa. Por isso salto nem pensar. Existe também uma linha de hoje wear que é gracinha. são roupas confortáveis para a gente ficar em casa. Comprei um e vou postar.
    bj

  8. Oi La!
    Nem preciso dizer que concordo com tudo, né?
    Afinal, casa boa é a casa da gente, com a cara da gente.
    Mas, olha, cheguei ontem quase hoje de viagem e a zona de guerra que tá por aqui não é brincadeira.
    Nessas horas (digo, 6h da manhã), queria ser uma Versace e chamar meu mordomo pra achar a agenda perdida do filho, a capa de notebook do marido apressado), o remédio do outro filho, o sapato da filha… e por aí vai!). Isso tudo sem correr o risco de algum ser vivo inesperado pular em mim 9não, não tenho gato…).
    Beijos, boa semana mais curta!
    Ana

  9. Um dia reclamando da bagunça dos brinquedos,minha mãe me diz que um dia eu sentiria falta,e que essa bagunça era tão sadia e gostosa de ver…Então comecei a observar e olhar com outros olhos e não é que ela está certa,é mesmo gostosa de ver claro dentro dos limites…
    E passa tão rápido…
    Amei o post!
    Beijo e uma ótima semana…

  10. Gostoso, quando a gente fala de casa, é trazer à tona os nossos sentimentos mais ternos e as explosões mais escandalosas.

    Elaine, muito bem vinda!
    Quando as crianças estão pequenas, o melhor é optar por uma decoração mais clean, que privilegie o trânsito dentro de casa e não ofereça perigo: às crianças e aos nossos bibelôs mais caros. Concordo com você e o negócio é não ter muita neura, se não, todos ficam estressados.

    Fabi: quer "trabalho oficial" mais oficial do que cuidar da casa e da família?!
    A sua situação não é diferente de muitas outras mulheres, profissionais, que fizeram a opção de se tornarem profissionais do lar. Não se constranja por isso.
    O que emburrece, é fazer qualquer coisa que seja, sem vontade de crescer ou melhorar, e isso, independe do serviço!
    Já escrevi sobre os sons e cheiros que a casa deveria ter, porque essas sensações serão guardadas como lembrnça do lar.

    Majju, gostei da sua diferenciação entre casa e loja, mas a Manuela também abusou, né?! rsrs

    Cláudia, obrigada!
    Acho que a gente pode e deve impor limites aos filhos, para que eles aprendam a respeitar o espaço e as coisas alheias. Essa noção da propriedade do outro, deve ser ensinada no lar. Mas uma certeza eles devem ter: que são mais importantes do que as coisas que o lar contém!

    Lululinha, eu também sou fã de um moletom frouxinho e furado, mas não dá pra andar assim em casa o tempo todo, né?! rsrs

    Eliene, mas você tem todo o jeito de glamourosa, mesmo de chinelos e batinha de ficar em casa! A atitude também faz a roupa!

    Elisa, os japonees parecem ter esse cuidado com a casa e um respeito, que nós ocidentais precisamos aprender, ao mesmo tempo que privilegiam o espaço e simplicidade.

    Ana, nem me fale em volta de viagem!
    Acho que para nossa saúde mental como mães, mulheres, administradoras do lar e do trabalho fora, precisamos de uma auxiliar doméstica. Está lá, na declaração universal dos direitos da mulher!

    Cynthia e você parece tirar de letra tudo isso!

    Nani, eu já estou nessa fase de ver os filhos partirem. Um já foi. Fico pensando quando o meu do meio for…não ouvirei mais o som do piano ou do violão tocando, quando ele chega da aula…Quero nem ficar pensando nisso!

  11. Laély, querida, concordo que a casa é pra gente viver, atuar, conviver e ser. Embora tenha sonhado um dia em ter um lar completamente arrumadinho, cheio de detalhes e ambientes prontos para a foto, descobri que lar mesmo é aquele que tem marcas dos habitantes. Claro que descobri isso depois de ter os três herdeiros.
    Hoje, meu quintal tem terra, porque nos mudamos de Sampa para o MS para que as crianças tivessem contato com a terra, árvores, animais, então pouco concreto, alguma grama e terra, meu Deus, muita terra rssssss.
    Porém, eu juro que amaria paredes mais limpinhas, um dia chego lá. Para ter uma ideia, marido deu um tapa na pintura da varanda em um dia, uma semana depois, as paredes estavam totalmente carimbadas pelas boladas…. fazer o quê?
    Sábado comprei um tapete novo para a sala de TV e já estou desistindo… : 'não pisa', 'não come aí', fico eu policiando. Acho que ele vai para o meu quarto antes que os meninos desistam de ver TV e passem a chutar mais bola ainda!

  12. Menina, adorei o post. Aqui em casa, a gata tb dormia na nossa cama – dormia, porque morreu na sexta, estamos numa tristeza só, mas vai passar, vai passar….
    beijos

  13. Adoooro ler seu blog…. Acalma aquela ansiedade de porque minha casa nunca fica arrumadinha? Simples, porque aqui mora gente… gente de verdade.
    Beijos….

  14. Tânia, "de pato pra ganso" é o seu blog?!
    Obrigada e seja bem vinda por aqui!
    Olha, eu conferi o endereço que me indicou, sobre os tecidos de matrioskas. Tentei encomendar pelo Ateliê Virtual, mas achei o frete um abuso! Vou ver se compensa por esse endereço que falou, obrigada!

    Lívia, que bom a gente relaxar um pouco, não é? Afinal, estamos em casa!

  15. Casa arrumada fica linda, mas só fica com cara de casa quando tem uma baguncinha. Meu filhote diz que o quarto dele é o "mundo de Augusto" lá ele faz o que quer e quando o chão está "impisável" ele pede um help e fazer o que eu vou…é estressante mas nós arrumamos tudo junto, dizem q sou louca, mas minha mãe fazia com que meus brinquedos ficassem como os de sua prima então eu façoo contrário…hehe, ela lá de cima deve continuar me achando bagunceira…fazer o que…
    Quanto tempo não me faz uma visita menina? Passa lá!

  16. Oi, Priscila!
    A gente semre parece compensar nos filhos o que achamos ter sofrido na infância, não é? Cuidado para não ser permissiva. O bom, é que o menino tem liberdade, mas você também faz parte dela!
    Um abraço!

  17. Oi moça Bonita,

    Adorei esse post e ri muito com a estória de o Pingo ter adotado vocês.

    Acho que Donatela se vestiu daquele jeito para posar para foto. ahahaha Ela deve escorregar algum dia! Mas concordo que não devemos ficar desleixadas em casa. Não precisa ser o cumulo da fashionice, mas também nada de desleixo.ahaha

    Bjokas

  18. Menina que belo post!! Parabéns mesmo!
    Sabe a casa para ser gostosa tem que ter cara de casa e se possível se parecer conosco.
    Depois dessa reforminha na hora que estava tirando tudo de dentro dos armários, encontrei a Monica, as Barbies que eram da minha filha, piu piu…Resolvi que todos vão fazer parte da decoração da casa – Nada de belezuras e lembranças adoráveis guardadas dentro dos armários.
    bjus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *