Conversa de mulherzinha…

Que me perdoem os respeitosos senhores que prestigiam este blog, mas agora preciso pedir licencinha, porque o assunto a ser tratado é tipicamente feminino: aquela “conversa ao pé do ouvido”, que costumamos cochichar quando nos ajuntamos. Parêntese, para uma futilidade de utilidade pública, tipo assim: post, nada a ver com a temática do blog, mas tudo a ver com o universo feminino.
Que atire a primeira sandália de salto, qual mulher nunca teve ocasião que desejou se sentir linda e maravilhosa, por mais desprendida que fosse dessas vaidades!Vou bancar a personal stylist aqui, dando pitaco numa área onde não sou especialista: apenas, observadora. ( Aliás, eu sou especialista em não ser especialista em nada!)
Esses dias atrás, fui ao shopping. Admito gostar de fazer esse programa, de vez em quando. Mais que “templo de consumo”, a maior vantagem pra mim é a praticidade, rapidez e segurança: dá pra resolver um monte de coisas num só lugar. Arrisco dizer: é o circo de gente grande. Muitos, vão pra ver e muitos mais, para serem vistos!
Programinha, que podem julgar bizarro: a hora em que, na praça da alimentação, delicio-me com qualquer fast-food barato, servido por lá( ultimamente, elegi o Subway), enquanto me delicio, observando “as gentes” passando. São, de tribos variadas: adolescentes que, tentando ser diferentes vestem-se de maneira estranhamente igual, mães esbaforidas, correndo atrás de crianças indomáveis, casais, uns mais estranhos que outros( nada de estranhar: “É O AMOOOR”!…), mulheres, mais “montadas” que transformistas em parada gay…
Dizem que as mulheres se arrumam para outras mulheres e, numa coisa concordo: se todos os homens reparassem o que elas reparam, provavelmente, convenceriam as companheiras a mudarem o visual, ou então, sairiam sem elas!
Fico admirada com a capacidade de certas colegas: na ânsia de chamarem a atenção para si, realmente alcançam o esperado mas, pelo efeito contrário. Dão um “tiro no próprio pé” e conseguem piorar o improvável!
Todo mundo tem seus defeitinhos( alguns, defeitões!). Ter o corpo( e a conta bancária!) da Gisele Bündchen é privilégio para poucas de nós mortais. Mas, daí a acentuar e explorar esses defeitos, já é auto-boicote! O espelho deve ser nosso aliado, não apenas o acusador. Conhecer os pontos fortes a serem destacados e os fracos a serem disfarçados, é uma das chaves que abre as portas para o equilíbrio no visual.
Algumas mulheres, pecam por não terem senso autocrítico( traduzindo: desconfiômetro!):
Acham que estão um “arrasaquarteirão”, mas o furacão Katrina arrasou muito mais e nem por isso alguém achou bonito.
Darei exemplos de alguns deslizes que costumamos cometer, em nome da beleza:
Maquiagem
Eu ainda me assusto com algumas mulheres que já começam o dia, tão exageradamente maquiadas, que mais parecem carro com farol alto na estrada. Pra encarar, só de óculos escuros!Excesso de blush, sombra, batom, rímel e, não raro, tudo isso junto, no pacote”Bozo, em dia de estreia no circo”: Isso, sem falar na tal maquiagem definitiva que, definitivamente, é demais pra mim!
Uma técnica de escurecimento de sobrancelhas com henna, também sobrecarrega o visual. Pelo menos, depois de muitas lavagens, o “troço” desbota, ao contrário da primeira.
Elegante era Audrey Hepburn, que conseguia ser linda, mesmo sem maquiagem: Nada contra quem usa, mocinhas! Mas, vamos deixar a mão mais leve e, nada de querer exibir visual de capa de Nova, todo dia! Glamour demais, cansa.
Silicone, botox, repuxa daqui e dali
Reitero que o problema é o exagero, tema que tratei em outro post.
Esta semana, a Elza Soares saiu na Veja, depois de ter o laptop roubado no aeroporto, na cara do namoradinho, com idade de pra ser o netinho dela.
Tudo bem, que a Elza é uma artista maravilhosa, uma “espoleta”( como foi descrita pelo rapaz), um exemplo de superação, que tem todo o direito de namorar quem bem entenda e, não quero aqui, entrar no mérito dessa questão.
Que o rosto dela ficou deformado depois de tanta plástica, todo mundo nem discute. Mas, o que me chamou a atenção, além da boca, siliconadamente insuflada, foi outra parte da anatomia dela, mais abaixo do pescoço. Vejamos, se vocês captam a mensagem… Fiquei aflita, pela possibilidade desse top de tachinhas ser capaz de causar algum acidente grave, caso perfurasse o “insufladississímo” busto( lembrando o jeito de falar do Chaves)!
O exemplo poderia ser mais atual. “Quem avisa, amigo é”: Karina Bachi, ainda pode chegar lá…
Eu sei. Eu também acho o Brad lindo, maravilhoso, mas não adianta, meninas! Ele já é de uma outra “bocuda”, natural: a Jolie.
Roupas
Se você tem aquele corpão de sereia, ou de sílfide, meus parabéns! Você é uma, em 1 milhão. Se for comum como a maioria( na qual me incluo), tem culote, celulite, estria, barriguinha…e, não me façam esmiuçar toda a lista de nossas imperfeições!
Uma pergunta pertinente: por que usar um número menor e parecer mais gorda do que é?
Até magrinhas, se não souberem escolher uma boa lingerie, podem evidenciar gordurinhas, que jamais imaginariam existir!
A barriga, de tão sufocada, decide pelo suicídio, atirando-se por sobre a calça e caindo vertiginosamente, até onde a gravidade permitir!
Sutiã e calcinha inadequados, esculpem “canyons” sob a roupa, deixando marcas deselegantes.
Agora, àquelas de corpão de sereia: saia curta demais, salto alto demais, decote amplo demais, fendas abissais e, pior ainda, uma associação de tudo isso, são um perigo!
Querer ser moderna ou sensual demais, poderá causar efeito contrário. Cuidado: a vulgaridade mora ao lado.
Lembrando: a roupa precisa ser adequada ao clima, ambiente, ocasião. Bom senso é necessário para não se “pagar micos vestidos”.
Cabelos
Agora, vou tocar num ponto nevrálgico: ponto de honra, para algumas mulheres.
Defendo uma ideia ( nada provado cientificamente, apenas, no terreno do achismo): à medida que a idade avança, o cabelo da mulher deveria diminuir, numa relação inversamente proporcional.
Quando se tem 15, 16 anos, muita coisa é “aceitável”: saia curta, bronzeado, cabelo comprido e solto, como a “garota de Ipanema”:Falando na Helô, tá certo que continua bonitona, mas parece que no visual, ela parou no tempo: no tempo da “garota de Ipanema”. Cabelão claro demais, pele “escura” demais( leia-se: bronzeada demais!), unhas coloridas demais, roupa…bem, nem vou falar nisso, apenas mostrar, para que tirem a conclusão sozinhos:

Querem ver outro exemplo, agora positivo, e comparar?
A Katie Holmes pode até ter um marido excêntrico mas, é o Tom Cruise, gente! A menina entende de sedução!
Olhem só, ela usando um cabelo mais comprido, quando mais novinha:Tá “bunitinha”, né?…A cara da Suri ( Aliás, o contrário)!
Mas, não é que a menina cresceu e ganhou ares de sofisticação?!
Coincidência ou não, ela passou a ser referência de visual moderno e elegante:
Então, tá!
Acho que é bom parar por aqui, antes que me achem esnobe.
Mulheres, não me entendam mal. É só uma opinião desentendida, mesmo.
Homens: nem precisam me agradecer pelo toque. Foi pura solidariedade feminina.

You may also like

34 Comentários

  1. Aqui as japonesas andam muito maquiadas. Mas inventaram uma maquiagem carregada que parece leve. Milagres da indústria cosmética. Aqui dizem tb para não exagerar na maquiagem senão fica parecendo travesti. rsrs É verdade.

    Gostei muito do seu post.
    Assino embaixo.
    bj

  2. Mais uma assinatura, mas com um parêntese confesso: a idade sobe e não consigo me desapegar do cabelo abaixo do ombro. Síndrome de Rapunzel, será amiga? Boa semana!

  3. Laély,voce arrasou na prosa de hoje,tava aqui tao concentrada devorando suas palavras,rindo sozinha,pois consigo imaginar varias das cenas descritas que acabei deixando queimar a panela.
    Na questao "cabelo"o teste de "frente e verso"deveria ser obrigatorio depois de uma certa idade nao acha?

  4. Josi: a gente põe menos, depois então, acrescenta um ou outro detalhe chamativo e de personalidade.

    Elisa, fofa! Tava sumida que pensei em lhe visitar.
    Você pode falar da experiência de viver no outro lado do mundo, porque as mulheres daí, têm fama de lançar moda entre as jovens. Parece que, para se diferenciarem, a regra é não seguir regra alguma! É uma mistureba danada, mas com muita criatividade, própria das japonesas.

    Rosana, tô no problema contrário: não consigo deixar o cabelo crescer e o marido às vezes reclama. Isso não é uma regra, né? A Luíza Brunet continua linda, maravilhosa com o seu cabelo comprido, mas mudou para um corte mais moderno. À medida que a idade aumenta, ganhamos coragem para ousar mais no visual.

    Susi, esqueci de acrescentar outra teoria minha: mulher deveria vir com espelho retrovisor de fábrica. Às vezes, o efeito "vindo" parece razoável, mas o "indo" pode ser um desastre! rsrs

  5. Laély, ri muito lendo seu post e concordando em gênero, número e grau.
    A Elza realmente está deformada. Você já notou a cirurgia que ela fez no braço, naquela partezinha que balança na hora do tchauzinho? haha tem uma cicatriz horrorosa e ela fez uma tatuagem para TENTAR difarçar.
    As mulheres mais maduras se vestindo igual as filhas é algo que chama minha atenção. O que fica do pescoço prá baixo não combina com o que fica acima.

    beijão e uma ótima semana!!!

  6. vc tem toda razão!!!
    Muita mulher deveria ler, reler e "treler" este post (rsrsrsrs)

    beijinho

    PS: estou SEMPRE por aqui, mas só desta vez comentei!!!

  7. He, he, Luci…você acaba de descrever o efeito "mulher minotauro". rsrs
    Concordo plenamente com sua observação!

    Ô, Dani, tava pensando nisso ontem: como estimular o povo que não comenta a participar. Isso faz diferença pra gente que escreve.
    Volte sempre por aqui, mas ganhe coragem e comente quando quiser.
    Abraço!

  8. Amiga, que texto maravilhoso! Tem certeza que você não é jornalista também? hahahha
    Mas voltando ao texto, penso exatamente assim, e também fico observando as pessoas e montando um certo e errado na minha cabeça…
    Adorei viu?
    Bjo bjo :)

  9. Ruby, eu ri muito com o que escreveu, porque eu sempre faço isso, na minha imaginação fértil, já me julgando a própria personal stylist. Saber que outras mulheres fazem a mesma coisa, é muito engraçado! Preciso cuidar com o que vou vestir hoje…KKKKK!

  10. oi Lá!! obrigada por ter comentado no meu blog!!!
    Essa é uma nova abordagem que estou praticando!! Assino muitos blogs bons (inclusive o teu), todos eles ficam no meu iGoolge e os acompanho TODOS os dias, mas de repente por pressa a gente acaba não comentando!! Como sou novata na área, e meu blog ainda é um feto (rsrsrs) eu acabei descobrindo a importância do comentário, a importância da divulgação dos blogs que a gente gosta!!
    Desde então, sempre deixo um comentáriozinho mesmo que seja só um beijinho!!!
    Quanto à bandejinha cupcake, eu ainda a tenho, mas tirei da loja pois ela está com uma pequena lascadinha, quase que imperceptível, mas não gosto de colocar peças que tenham qq tipo de problema no site!
    Ela é realmente muito fofa e os desenhos de cupcake e o fundo azul, foram feitos de colagem que eu mesma fiz!!
    Obrigada pelos elogios e comentário!!!

    beijinho!!!!

  11. Amei o seu texto,tem muita verdade no que vc escreve, ou seja, vc expressa com perfeição aquilo que pensa,e eu tb assino embaixo e mais deixo aqui decretado o meu "não" contra excesso de malhação. Onde vamos parar? Com exemplos de Gracyane (mulher do Belo)que se mata na academia até deformar o corpo e comer frango com batata sem sal (pq o sal a deixa gorda)a cada 3 horas !!!! Me poupe o bom da vida é mesmo ter saúde mental!!! Aproveitando td de bom que a vida pode oferecer, incluindo o sal e o açúcar, pq não?! Ser feliz com o que temos e podemos conquistar sem neuras com a casca que carregamos, nosso corpo é realmente só isso, nada mais. E viva o brigadeiro com os filhos num dia chuvoso!!! Tem coisa melhor??? Xô neurose.
    Bjo grande

  12. Lá querida! Adorei o post de hoje e como estou na fase "mãe esbaforiada", ando meio relapsa nesses assuntos de vaidade. Mas você me fez lembrar de uma certeza que eu sempre tive e agora ando ignorando: Quanto mais velha, acho que o cabelo deveria ficar mais curto. Sempre sonhei com um cabelo a la Meg Ryan dos filminhos água com açucar, mas agora que que a idade vem chegando não tive a coragem e disponibilidade para tal. Essa é uma luta que deveria ser prioridade para as donas de casa mães de pequenos, a luta contra o enfeiamento, muito mais do que a luta contra o emburrecimento rs. Ai ai, preciso me cuidar rs…beijos e boa semana

  13. Me diverti muito com teu post, adorei! Sempre tive cabelo curto, é a primeira vez que o deixo grande – falo pra todos que sou "galinha fantasiada de franga" (hehehe)!

    A partir da proxima semana farei os comentarios nos blogs amigos nas segundas, pois meu dia de trabalho mudou.

    Mil beijos
    Léia

  14. Olá
    Realmente faz muito tempo que não passo por aqui, puxa, devo desculpas então. Mas estou tão atripulada nos últimos dias que as visitas que tanto gosto de fazer estão ficando de lado.
    Esse post tem tudo a ver, concordo e recrimino principalmente mulheres com excesso de maquiagem logo pela manhã, ninguém merece, não é mesmo?
    Aproveito para convidá-la a conhecer o novo layout do Mundinho e de quebra participar da Promoção.
    Estou te esperando.
    Bjs

  15. Amei o seu texto, muito inteligente a colocacao de seu ponto de vista e concordo com voce!
    Obrigada pela sua visitinha no meu blog e por segui-lo tambem.

    Realmente estou bem longe, mas apesar do tempo (10 anos pelo mundo afora) e da distancia (India!!!) levo sempre o Brasil no meu coracao…
    Um grande abraco!

  16. oi. não pude deixar de comentar. tu és mmmmmuito inteligente nos teus comentários. assino embaixo de tudo que disseste, sou uma mulher com 55 anos, feliz com sua idade e marcas de expressão, mais qdo vejo comentários de uma mídia fulana está tão bem nos seus 65 anos, daí olho e vejo mulheres deformadas, que perderam suas expresso~es,, é botox, metacril, lipo de cima embaixo, retoques e mais retoques, te pregunto qdo essas pessoas vão envelhecer? acho que nunca. e os cabelos de menina moça em caras já para mais de cincoenta, ficam parecendo bruxinhas, de costas parecem mocinhas, qdo viram a gente leva um susto.adorei tudo que disseste, pois vejo ainda mulheres se tornarem ridiculas com saías curtas,muito curtas para parecerem mocinhas, isto não é ser moderna, tudo tem sua idade e seu tempo. beijocas ana lucia

  17. Giovana, eu acho uma delícia quando recebo o retorno dos comentários de vocês!
    Olha, eu já tive a minha fase malhadora, mas nada tão exagerado. Veja a Madona: precisava daqueles braços, tão poucos femininos? Negócio é o seguinte: precisa cuidar da "casca", porque é nosso cartão de visita, mas quem faz disso o seu único objetivo, depois que juventude e beleza vão embora, vai embora também a razão de viver.
    Por isso, concordo com você: vamos dividir sem culpa um brigadeirinho com o filho, de vez em quando, que ninguém é de ferro.

    Cynthia, eu me divirto com os seus comentários e acho oportuno, lançarmos uma campanha contra o "embarangamento das donas de casa". KKKK. Acho que a mãe precisa não se esquecer que é, antes de tudo, mulher.
    Sou a favor que a mulher tire umas "férias curtas": 1 dia sem filhos e marido, já ajudaria muito a melhorar o humor e recobrar as forças!
    Então, vá lá se cuidar, bonitona!

    Léia, acho que comprimento de cabelo tem muito a ver com o ritmo e personalidade de cada mulher. É por isso que algumas, resistem tanto em fazer umas mudanças.

    Ai, Rosi, excesso incomoda a qulaquer hora, mas, logo pela manhã, assusta! rsrs

    Patrícia, é o maior prazer encontrar gente de lugares distantes acompanhando o blog. Mas, como já escreveu Arnaldo Antunes em uma de suas músicas: "a nossa casa é onde a gente está; a nossa casa é em todo o lugar."

    Analu, notei uma pontinha de revolta, hein? rsrs. Mas quando vejo que, mesmo sem tantos recursos cirúrgicos, ainda estou melhor do que certas mulheres exageradas, fico até mais conformada. O problema é se deixar deformar tanto a ponto de virar caricatura de si mesma!

    Oi, Maíra! Obrigada pelo apoio e participação!

    Rossy, pra falar de assunto tão delicado e espinhoso, no mínimo, bom-humor, se não o clima pesa, né?
    Abraço!

  18. Ví muitas mulheres passando na minha frente enquanto lia sua postagem.
    Quando ando pelas ruas algumas me deixam até com vontade de bater nas costas e dizer: viu, nãos seria melhor pôr uma calcinha bege quando voce usa calça branca? Moça, a entrega do Oscar este ano já foi; tá adiantada ou atrasada pra festa?
    No meio dos meus devaneios paro e penso melhor; e daí? O que é que eu tenho com isso? Rio por dentro.
    Para as mulheres que vivem da imagem é quase impossível não cair no excesso, porque é pouco espaço pra muita gente aparecer e aí dá nisso, desespero que leva ao exagero.
    Eu fiz um album com fotos de famosas e suas plásticas desastrosas; um circo dos horrores.
    Concordo com o que voce disse, só acho que existem excessões. Luiza Brunet, aquí lembrada, é uma delas!
    Eu sou uma simples mortal que adora esmalte cor de unha, batom cor de boca e não pinto o cabelo….eu acho lindo mulher que não pinta o cabelo.
    Meu ícone de beleza, agora voce vai dar risada, é dona Ruth Cardoso porque além de uma elegância discreta, a alma, a inteligência, a cultura e a delicadeza daquela mulher a incorporava. Talvez,o que esteja faltando não seja apenas elegância ao vestir, mas conteúdo nesses corpos que acabam chamando tanto nossa atenção justamente por isso,são muitos corpos e pouco conteúdo.
    Gostei do seu texto!

  19. La desta vez vc. arrasou na prosa. Adorei o texto, gostaria de ter escrito este.
    Muitas mulheres esquecem de ligar o desconfiometro mesmo. Não sabem a hora de parar com os excessos. As famosas são mestres nisso o exemplo da Elza foi barbaro. E ela nem precisava nénão…
    Parabéns! Faço das suas palavras as minhas.
    bjus

  20. A-do-rei!! E depois ainda diz que não é especialista, hein!!
    Tava inspirada ou revoltada com as coisas que viu no shopping?? rsrsr
    Um beijo!!!

  21. "Garota superpoderosa" (pelo menos, o foi nas palvras): o mais legal dos comentários, é ver vocês acrescentando coisas que também penso e ficar aqui matutando, que eu poderia ter escrito isso também. Melhor assim, pois fica um texto, escrito à múltiplas mãos.
    Olha, eu fico até mais conformada a não achar que sou uma fútil com tendências sádicas, ao sentir esse prazerzinho de ficar analisando as pessoas e fantasisando como seriam se fossem "assim ou assadas", o que as motivaria a se mostrarem daquela forma, o que estariam sentindo, fazendo um joguinho de "certo e errrado" na minha cabeça, como a Ruby descreveu acima. Acontece que, da mesma forma que eu faço isso, pode ser que na mesma hora, esteja sendo analisada por outra pessoa também. Não há como negar: aparência conta, embora seja perigoso julgar alguém apenas por isso.
    Eu concordo que a Luíza transformou-se numa referência de beleza que parece desconhecer a passagem do tempo.
    Não estranho a menção da Dona Ruth Cardoso e só poderia aplaudir sua lembrança, porque eu tmabém a considero um exemplo de elegância. Por coincidência, alguns dias atrás, comentando no blog da Cris Guerra-Hoje Vou Assim, registrei exatamente isso o que escreveu. Prova de que a elegância transcende vestuário: é o porte, a forma de falar, de tratar os outros, a inteligência e perspicácia…
    Obrigada pela contribuição.

    Nadjanara: nem tanto. Apenas registrei, o que muitas de nós pensam.

    Santinha, outro caso de exagero é a Suzana Vieira. A mulher tá até bonitona, mas precisava ir à praia de fio dental, evidenciando a celulite, sem direito à photoshop?!…

    Sarah, eu sou apenas uma observadora, há 40 anos. Então, nesse aspecto, posso ser considerada uma especialista, né?
    Obrigada.

    Nana: que bom que mais mulheres têm bom senso!

  22. Oi moça bonita.

    Riiiii muito com o seu post. Adorei " mulheres, mais "montadas" que transformistas em parada gay…" kkkkk.

    Concordo NGG (número, gênero e grau) com você.

    Eu tinha suuuuper síndrome da rapunzel. Não cortava o cabelo por nada…até que um dia me vi sem dinheiro para pagar a rematricula da faculdade. Cortei o cabelo virgem em estilo joãozinho e pintei de ruivo. Ficou óooootemo.Paguei a rematricula ;O)…isso há uns 8 anos atrás…agora nada de longo.

    Beijcoas

  23. Simone, que coisa! Será que se eu deixar o cabelo crescer e depois cortar, daria pra pagar as prestações do apartamento?!…rsrs

    Wanilza, já fui lá, conhecer seu blog.
    Obrigada por acompanhar.

    Abraço, meninas!

  24. Obrigado pela visita, fica a vontade para copiar o que lhe servir. É um prazer compartilhar das coisas de Deus contigo. Gosto de vir aqui, seu blog é um encanto parabéns!!

    Uma boa noite
    fica com Deus!!

  25. Putz! Quanta informação.
    O que vale é cada um ser feliz ao seu modo… se é brega ou feio pra um pra outro não… e com licença, comparar uma cara de anjo com uma mulher muitoooo mais velha é covardia.
    As vezes não dizer nada, tbm é dizer tudo.
    Boa semana

  26. Puxa, Tati! Acho que houve um descompasso: não sei se não entendeu o que eu escrevi, ou se fui eu que não entendi você…
    Não sei se concordou ou discordou!
    É claro, que não comparei uma senhora de 60 com uma de 30!
    Leia com mais calma, antes de se precipitar em conclusões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *