Domingo, em Imagens e sabores

Esse foi um dia, que me propus fazer nada mais importante que ficar em casa.
À noite, estaria de plantão e por isso, tratei de aproveitar o ensolarado dia, saindo com o cachorro de manhã pelos caminhos de sempre.
Voltando, desgrudei o menino do computador para que me acompanhasse até o quintal.
Há sempre alguma surpresa:
O ipê não está mais tão exuberante; ainda assim, continua me divertindo, com as suas pipocas de flores, que acompanho o desabrochar aos poucos, sempre me perguntando se conseguirá superar a floração do ano anterior.
Como precisava fazer almoço, fui conferir o que a hortinha dos meninos tinha a me oferecer. Recebi informações, de fontes confiáveis, que havia pepino e couve rábano, prontinhas para a colheita.
Fiz uma pesquisa de campo e, não saí de mãos vazias:

A rúcula já deu o que deu e agora, só flor é o que dá. O menino espera colher as sementes para replantá-las:
Sabem que florzinha bonitinha é esta?
Pepino, não tão bonito:
Mas a regra é : usar, tudo o que colher e comer, sem fazer cara feia.
A alface está quase no ponto: ponto de ir pra barriga!
A de cima é crespa e esta aqui é lisa:
Tem alecrim, também.
E capim cidreira, e salsinha, e cebolinha, e manjericão:
Ao lado, um pé de quê?
Desta frutinha barbada, delicada e docinha:
Contratei um catador oficial de amoras:
Pausa para uma conversa, ao pé do ouvido…shhh
Parece que entraram num acordo:
-Você se comporta, que eu levo pra passear.
-Au, au! ( “Amo muito tudo isso!”respondeu o Hulk)
Catei uma outra frutinha selvagem, que chamamos moranguinho silvestre. Mas o arbusto é muito espinhoso!…(Ai! De espinhosa, já basta a vida!)
Mas é bonitinho!
Tanto esforço, e nossa empreitada só rendeu isto:
Agora, chega de brincadeira, porque eu tenho um almoço pra fazer.
Dão uma licencinha, por favor?
Ah, obrigada!
Foi mais rápido que em restaurante self-service!
Estão servidos?:
“Lamentamos com pesar, o desaparecimento deste, que um dia fora prato de comida…já era!”
No dia anterior, almoçamos no self-service porque não tive tempo de ir pra cozinha.
Querendo compensar, perguntei ao filho do meio o que ele desejaria que eu fizesse para o almoço de domingo:
“Comida”. Simplificou, ele.
E a “comida”, foi:
-Truta salmonada grelhada, temperada com limão e erva doce (colhi umas folhinhas no quintal);
-Salada de palmito cru e grão de bico;
-Arroz 7 grãos ( acrescentei arroz negro: 8 grãos, ficou);
-Batatas ao alecrim, assadas;
-Salada de alface, sem esquecer da couve rábano e pepino, colhidos na horta;
Para fechar com chave de ouro, a sobremesa tradiconal do domingão: açaí com sucrilho.
A taça, ao lado do prato, não é o que parece: não bebemos vinho e nada que contenha álcool mas, preciso confessar: sou uma viciada em Coca-Cola…
(Ninguém é perfeito, ué!)

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *